Log In

Reviews

Review: Stargate Atlantis – The Queen

Pin it

Stargate Atlantis - The QueenSérie: Stargate Atlantis
Episódio: The Queen
Temporada:
Número do Episódio: 88 (5×08)
Data de Exibição nos EUA: 12/9/2008
Data de Exibição no Brasil: 8/10/2009
Emissora no Brasil: FX

Depois de The Shrine e Whispers, Atlantis voltou a ter um episódio de ação e aventura, característica que conquistou os fãs mais fiéis da série. Portanto não foi surpresa a boa avaliação e os elogios que o episódio recebeu. Além da estrutura que agrada o gosto do público, Todd, que andava sumido nesta temporada, deu o ar da graça, provando que Christopher Heyerdhal criou o espectro mais simpático que já apareceu por Pégasus e que, mesmo estando do lado errado, é difícil não torcer para que suas artimanhas dêem certo. Até quando é mórbido ele é divertido.

Sheppard:

Tigela de frutas! Muito tocante.

Todd:

Bem, pegamos em nossas viagens. Pensei que deixaria nossa discussão mais confortável. Espero que se provem deliciosas como os fazendeiros que as cultivaram.

Rachel Lutrell também compensou sua quase ausência nesta temporada. Em The Queen, Teyla vive duas situações improváveis: faz parceria com Todd e torna-se rainha em uma colméia, com direito até a transfiguração em espectro.

Junte-se à presença de Todd e à maior participação de Teyla, efeitos especiais, muita ação e algumas surpresas e o resultado só poderia ser positivo.

Aparentemente o plot do episódio seria uma negociação para a disseminação da terapia genética que elimina a necessidade dos espectros alimentarem-se de humanos. Com esse objetivo, Sheppard e sua equipe acompanham a Dra. Keller à colméia de Todd que os convence de que somente com a aprovação da Primária (rainha que lidera a Aliança da qual faz parte) o procedimento poderia ser feito, e mais, ela somente ouviria outra rainha.

Primeira surpresa: como a colméia de Todd perdeu sua rainha na explosão da nave sobre Atlantis (em The Seer), o plano depende de que Teyla, por conta de seu DNA espectro, ocupe o lugar vago devidamente transfigurada.

Stargate Atlantis - The QueenUma das características de Todd são os ardis dos quais lança mão para chegar aos seus objetivos que, via de regra, não são os acordados previamente. Em The Queen não foi diferente. O que nos leva à segunda surpresa: Todd elimina a Primária e usa Teyla para chegar ao comando da Aliança, tornando a terapia genética uma promessa futura.

No final Todd provou ser um grande estrategista pois, ao invés de se deixar utilizar para que Atlantis chegasse aos seus objetivos, acabou por fazer da equipe um meio para conseguir o que ele próprio desejava. Tudo isso sem entrar em conflito com Atlantis e deixando em Sheppard e Teyla a sensação de que haviam sido manipulados.

Mas, seja como for, mais incrível do que o engodo armado por Todd foi a satisfação gerada por um episódio com esse final!

Para encerrar apenas uma consideração e um certo incômodo.

A não ser pelo fato de, como lembrou Mckay, a droga hoffana espalhada por Michael transformar a alimentação dos espectros em uma verdadeira roleta russa, parece-me uma falta de senso submeterem-se a um procedimento cujo resultado pode ser a perda das características que os transformam em inimigos extraordinários: força, longevidade e capacidade de cura. Aliás, para mim, Michael deu um tiro no pé ao suprimir sua necessidade de se alimentar de humanos, correndo o risco de eliminar a singularidade que, aparentemente, é a razão de sua força.

Finalizando. A maioria das vezes a rainha espectro foi interpretada por Andee Frizzell que olhava todos os outros personagens do alto dos seus 1,85 m que o jogo de câmara fazia parecer uns vinte centímetros a mais. Parecia que a altura era parte do que sustentava seu poder. Foi um pouco estranho ver tanto a Primária quanto Teyla com seus 1,63 m de altura andar no meio dos guerreiros espectros como rainha de uma colméia.

Séries citadas:

Historiadora e professora não praticante. Adora uma boa história, seja ela escrita ou encenada. Atualmente, em seu coração, dividem espaço Person of Interest e Once Upon a Time. A Guerra dos Tronos? Prefere o livro.

4 Comments

  1. Lucas Castro

    Hey, falando em SGA, o SciFi do Brasil vai lançar SGU, acho que ainda esse ano! Vale a pena avisar pra galera. :D

  2. Regina Monteiro

    Lucas,
    Minha pergunta é a mesma do João: onde você viu esta informação?

  3. Cesar Adriano

    Também vi uma chamada (no finalzinho) de SGU no Scifi Channel, essa semana. Já estou empolgado.

    Só achei que a Teyla mosquiou uma hora, quase ia batendo as botas, ela ainda está com problemas do parto, ou era aquela droga? tava lerdinha, lerdinha…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account