Log In

Reviews

Review: Roma – Philippi

Pin it

Cena de Philippi
Série: Roma
Episódio: Philippi
Temporada:
Número do Episódio: 18
Data de Exibição nos EUA: 18/2/2007
Data de Exibição no Brasil: 20/5/2007
Emissora no Brasil: HBO

A vida dos mortos está na memória dos vivos.

(Marcus Tullius Cícero, 106-43 a.C., estadista, orador e filósofo romano)

Não poderia iniciar esta resenha sem fazer uma homenagem ao personagem que foi, sem dúvida alguma, o homem mais célebre de sua época. Não fosse Cícero um grande estadista, ele foi também um grande pensador, famoso pela sua eloqüência. Cícero foi o primeiro romano a conquistar uma posição de prestígio e poder na vida pública romana, graças principalmente aos seus talentos intelectuais.

Sua morte neste episódio assinala um dos dilemas maiores da Política: a intolerância dos governantes frente aos adversários, especialmente quando devotados às suas causas e dotados de inteligência e de um sentido ético como Cícero. Para não incorrermos em algum tipo de injustiça, vale lembrar que do ponto de vista da historiografia, a morte de Cícero é sempre relacionada à sua defesa intransigente da República, que considerava o regime mais justo e perfeito para os romanos.

Recapitulemos então as circunstâncias de sua morte.

No episódio anterior, logo após Otávio ter ocupado o Senado com suas tropas, Cícero tenta ainda uma última vez demovê-lo de seu projeto para ser o substituto de César. Embora sua tentativa tenha surtido efeito e Otávio tenha se sentido ameaçado, o que Cícero não contava era com a participação de Átia nas decisões do filho. Assim, no mesmo episódio, já no final, vimos o golpe de mestre de Átia, reunindo novamente Marco Antônio e Otávio.

O episódio 18 se inicia com Brutus e Cassius a caminho de Roma, enquanto Marco Antônio e Lepidus planejam atacar suas tropas. De acordo com Marco Antônio, a grande vantagem deles sobre aqueles será o elemento surpresa, porque nem Brutus e Cassius e muito menos Cícero sabem ainda que ele e Otávio fizeram as pazes.

Enquanto a reunião prossegue, Otávio está absorto, escrevendo. No entanto, diante de uma provocação de Marco Antônio, o jovem responde e o surpreende pela audácia, passando-lhe um conjunto de medidas drásticas que precisam ser tomadas imediatamente.

A principal delas é a relação com os nomes de alguns dos homens mais ricos de Roma, que devem ser executados imediatamente como inimigos políticos, por demonstrarem fidelidade a Brutus e Cassius. O nome de Cícero se encontra na relação, embora ele não se inclua exatamente no primeiro caso, pois sua origem é plebéia. Portanto, sua condenação foi uma decisão política.

Otávio sabe que mesmo tornando-se Imperador com o apoio popular, o Império não será respeitado como regime político enquanto Cícero viver. Ele sabe do risco que corre com a língua ferina do Senador. Havia tentado atraí-lo para junto de si, para sua causa, mas a recusa de Cícero em concordar com seus atos, os colocara definitivamente em campos opostos.

A organização e execução das mortes ficam a cargo de Pullus e Vorenus e das gangues que chefiam. De qualquer modo, Otávio recomenda que os centuriões se incumbam pessoalmente da execução de Cícero. Ao contrário de Marco Antônio, que enxerga na execução um ato de vingança e de humilhação, exigindo que as mãos de Cícero sejam cortadas e pregadas na entrada do Senado, Otávio está angustiado e não parece nada confortável com a decisão de executar o ilustre Senador.

Temos então uma situação bastante complexa na qual o telespectador há de concordar que distinguir o joio do trigo neste momento não é uma tarefa fácil. Quem está agindo certo? Quem está agindo errado? Para complicar mais as coisas, Átia, presente à reunião, inclui também um nome à lista de execuções: Rufus Tranquilus, o pai de Jocasta. Ela justifica dizendo que não gosta da moça, fora uma má influência para a filha. Mas a nossa surpresa é ainda maior quando a vemos pedir a cabeça de Brutus a Marco Antônio, não como um troféu de guerra, mas como um presente de núpcias!

Os acontecimentos se precipitam. Otávio retorna a Roma. Numa reunião do colégio, Pullo e Vorenus distribuem as execuções entre os chefes das gangues. Pullo se responsabiliza pessoalmente pela execução de Cícero sob a recomendação especial de Vorenus para que demonstre respeito e não faça o Senador sofrer. Prepara-se para partir quando no meio de tudo isso, surge a idéia de um piquenique no campo com a família, enquanto executa sua tarefa. Matar é apenas um ofício como outro qualquer.

Em sua villa, Cícero acaba de receber um de seus espiões. Ele traz consigo a terrível informação sobre a reconciliação de Marco Antônio e Otávio. Num esforço supremo, já intuindo sua condenação, Cícero escreve a Brutus e Cassius avisando-os da cilada que os aguarda. Seu escravo suplica para que ele fuja também. Cícero sabe que é tarde demais. Perdeu sua guerra pessoal contra as forças que tramam a favor do Império. Mal o mensageiro sai, Pullo chega. Cícero sabe que ali está seu mensageiro para o além. Sua morte é iminente.

Cena de PhilippiAos olhos modernos, a morte de Cícero é certamente considerada brutal. Entretanto, não é bem assim nos tempos de Roma. Os últimos momentos de vida de Cícero, seu diálogo com Pullo e com seu escravo nos oferecem uma outra medida das coisas. Não apenas a amizade que havia entre escravos e senhores, como também a cortesia que podia existir entre o carrasco e sua vítima.

De qualquer forma, nossos heróis coadjuvantes voltaram à História. De Pullo pode ser dito que não apenas se imortalizou por executar Cícero, mas por ter lhe dado a última coisa importante de sua vida: uma morte rápida e digna. De Cícero não podemos dizer que não tenha vivido conforme uma de suas muitas máximas:

Não nascemos apenas para nós mesmos.

Aliás, uma máxima que se aplica muito bem a Timon que, ao que tudo indica, acaba de aderir com fervor à causa política de seu povo.

Séries citadas:

9 Comments

  1. Lucas Barreto Gomes Leal

    “Num esforço supremo, já intuindo sua condenação, Cícero escreve a Brutus e Cassius avisando-os da cilada que os aguarda”

    é essa foi a cena chave do episódio!!!
    e o Pullo não só matou Cícero como ainda teve relações sexuais com Cleópatra!!!por essas e outras que é meu personagem predileto!!!

    ótimo review como sempre!!!
    e ontem finalmente vi a series finale de Roma, realmente a segunda temporada é MTO boa, mas bem abaixo da primeira(que é magnifica!)!!!
    bleh tentei comentar mas não foi!!!espero que agora apareça!

  2. Lucas Barreto Gomes Leal

    ótimo review como sempre!!!
    e ontem finalmente vi a series finale de Roma, realmente a segunda temporada é MTO boa, mas bem abaixo da primeira(que é magnifica!)!!!

    “Num esforço supremo, já intuindo sua condenação, Cícero escreve a Brutus e Cassius avisando-os da cilada que os aguarda”

    é essa foi a cena chave do episódio, junto com a morte do Cícero claro!!!!
    e o Pullo não só matou Cícero como ainda teve relações sexuais com Cleópatra!!!por essas e outras que é meu personagem predileto!!!

  3. Joelma

    eu nem assisto Roma…mas sempre leio os seus reviews, excelentes como sempre, um dia ainda verei essa série

  4. Babi

    Laura, sem dúvida Cicero escreveu seu nome na História, mas do jeito que foi mostrado o desenrolar dos acontecimentos fiquei em dúvida se ele realmente estava ali defendendo Roma ou a si mesmo. Em vários momentos senti dubiedade nele…
    Talvez tenha sido opção do diretor, o que, sem dúvida, deu um olhar maravilhoso a História!!
    Por que a review tá 1 semana atrasada??

  5. Laura Gomes

    Joelma, muito obrigado. Babi, concordo contigo que na série, Cícero foi posto de uma forma um pouco dubia sim, mas se você observar bem, junto com ele, a própria República. Há um viés meio “imperial”, não digo explícito, dado à série, o que empresta uma atualidade grande à história narrada.
    Vou fazer o possível para botar esta semana a resenha em dia. Muito trabalho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account