Log In

Reviews

Review: Private Practice – The Hard Part

Pin it

Private Practice - The Hard Part

Série: Private Practice
Episódio: The Hard Part
Temporada:
Número do Episódio: 38 (3×07)
Data de Exibição nos EUA: 12/11/2009
Data de Exibição no Brasil: 5/4/2010
Emissora no Brasil: Sony

Eu até procurei saber quem foi o roteirista desse episódio, afinal, ele é o responsável por um capítulo divisor de águas na série. Steve Blackman escreveu um roteiro audacioso em vista do que foi apresentado até aqui; em The Hard Part, Sam e Addison trabalharam em difíceis condições no cânion enquanto Charlotte, Cooper e Violet tentavam trabalhar em equipe para ajudar um jovem recém casado que para ter um bom desempenho na noite de núpcias tomou pílulas demais.

A sexóloga abandonou o jogo de tênis para atender o paciente, mas o que parecia simples ficou complicado quando ele descobriu a verdade sobre a virgindade de sua amada. E para minha surpresa foi Charlotte quem o aconselhou a perdoar.

O relacionamento dela com Cooper já passou por muitas desde a demora inicial em se assumirem como um casal, creio que a essa altura do campeonato descobrir que ela mesma já foi casada e que escondeu isso durante tanto tempo não será tão fácil perdoar, principalmente sendo Cooper tão carente e bebezão.

Sheldon e Pete também apareceram e começam uma boa amizade depois de um triângulo amoroso conturbado, enquanto Violet se concentra no trabalho e devagar vai retomando sua vida particular.

Mas a ação e a emoção aconteceram no cânion, com Sam e Addison encontrando duas vítimas de um acidente de carro, uma delas um homem e a outra, sua esposa grávida.

Kate Wash é o grande nome deste episódio e responsável por ele ter sido, no mínimo, gostoso de assistir. Ela brilhou com uma Addison determinada e corajosa e muito mais humana do que o normal. Foi linda a cena em que ela fez o parto da criança, mas não consegue salvar a mãe.

Por conta disso vou relevar a atitude completamente estúpida da obstreta de entrar no carro naquele penhasco. Prefiro pensar que no calor do momento ela não conseguiu pensar direito, mas o que eu não posso ignorar é o fato de que na prorrogação do segundo tempo a série apresenta a mais infeliz das cenas já escritas.

No início teve aquela conversa de “ah! você acha que nós dois teríamos dado certo?” e terminou com um beijo em que eles perceberam que não eram Naomi e nem Shepherd.

Review: Private Practice - The Hard Part

Eu tenho um grave problema com personagens femininos e por isso eles são sempre os alvos das minhas principais críticas. Alguns são idealizados demais, outros caem no clichê de ter de escolher entre sucesso profissional e vida pessoal e tem ainda aquelas mulheres que são umas vadias, mas que só se tornaram assim porque alguém quebrou seu coração. Artificial demais.

Então porque eu não morro de amores por Addison Montgomery? Primeiro porque contraí alguns maus hábitos de tanto assistir novela (não sou muito fã desse negócio da mocinha trocar de namorado igual troca de roupa e no final acabar com alguém que nem estava na estória) e segundo porque ela é muito inconstante quando não se trata de sua profissão. Como médica ela é a melhor e ponto final. Mas quem é Addison Montgomery?

Quem não ama Meredith Grey, por exemplo, diz que é por conta de sua insegurança, infantilidade e também pela atuação de Ellen Pompeo. Bom, eu a amo. Ela é cheia de neuroses, mas é um personagem coerente e humano, compreende? E ela tem seu McDreamy.

Eu só comecei assistir Grey’s Anatomy quando li uma reportagem de Shonda Rhimes onde ela dizia que não importava quantas idas e vindas o casal tinha porque eles acabariam juntos eventualmente. E eu acho isso importante em um drama e necessário para a protagonista. Addison já esteve com muitos e hoje não tem ninguém!

Paulo Serpa Antunes, o editor desse site, disse sabiamente em um comentário aqui que Private Practice é difícil de se gostar e, depois desse capítulo, é visível que, se seguir essa linha, vai ficar ainda mais difícil porque não demora muito e Naomi vai ter um caso com Pete e Charlotte com Sheldon! Vai virar uma orgia pior do que no Seattle Grace Hospital!

Não ficou claro pra mim se foi uma tentativa de bis à la O’Malley e Stevens ou, sei lá o que deu na cabeça dos produtores, eu só sei que foi uma escolha infeliz que estragou um episódio lindo.

Desculpem o tamanho do texto e se ele não está à altura do episódio, mas eu realmente estou decepcionada (pra não dizer p*** da vida) com esse desfecho.

P.S. – Isso é de dar nos nervos:

Eu era só o nerd confiante e você a garota gostosa.

Eu era a garota gostosa?

Seriously?

Séries citadas:

Bacharel em Direito e servidora pública. Já chegou a ver mais de 30 séries, mas hoje prefere ter vida social. Atualmente acompanha Arrow, The Good Wife, The Voice e Scandal.

12 Comments

  1. Mônica A.

    O episódio foi ótimo, mas Addison e Sam como casal, não rola. Prefiro que ela fique com o Pete, já que a Violet anda um porre nessa temporada.

  2. Bernardo SA

    Tb percebi a coisa forçada que é essa tentativa de relacionamento entre Sam e Addison – e tb pensei imediatamente em George e Izzy.

    Concordo c/ a review e gostei do eps.

  3. Cat

    Sei lá, acho q o beijo não me afetou assim…pra mim, foi o resultado da situação extrema q eles passaram juntos…não passa disso, ou assim espero, pq o Sam tem q voltar pra Naomi, e ela disse q nunca tinha ficado com ele por causa da Naomi, então, tem q ter passado e acabado (foi só momento de fraqueza!)…
    Tbm lamento mto a Addison não ter nesse momento nenhum pretendente…poxa é triste, a mulher lá sozinha, tá na hora de aparecer um cara q realmente mexa nas estruturas e dure na série …

  4. Paulo Serpa Antunes

    Lara,

    Obrigado pela referência e pelo sabiamente – são teus olhos!

    Ainda não vi o episódio e lendo a review fiquei louco pra ver, rerere, mas agora só no final de semana.

    Mas o que posso comentar, no momento, é que adorei a tua referência a entrevista da Shonda Rhimes.

    De fato, Grey’s Anatomy começou com uma proposta romântica clara – Yang e Burke, Izzie e Karev e principalmente Grey e Shepherd. E tirando a infelicidade da demissão do Burke repare que, seis anos depois, a coisa não saiu muito dos trilhos. E, o mais importante, o relacionamento dos protagonistas Grey e Shepherd se tornou a fundação do série.

    Não que uma série precisa manter uma coerência na vida amorosa de seus personagens (o final de Dawson’s Creek está aí pra mostrar que o plano algumas vezes muda).

    Mas qual era a proposta inicial de Private Practice? Addison e Pete, Violet e Cooper, Sam e Naomi, eventualmente Dell e Naomi.

    Três anos depois, tudo mudou.

    É mais uma prova que a série não tem a mesma solidez de Grey’s – que o avião foi sendo construído durante o vôo.

    Por conta disto, beijos como este que ilustra o teu texto acabam chocando parte da audiência.

  5. Ketty

    Quem não ama Meredith Grey, por exemplo, diz que é por conta de sua insegurança, infantilidade e também pela atuação de Ellen Pompeo. Bom, eu a amo. Ela é cheia de neuroses, mas é um personagem coerente e humano, compreende?

    Falou exatamente como me sinto em relação a Meredith e a Ellen Pompeo! Ela é péssima, personagem péssima td péssimo!

    Amo a Kate e a Addison ela passa pelos seus altos e baixos, mas quem já passou desse episódio fica visivel que apesar de todos os seus affairs ela vai ficar com o Pete, a não ser que venha surgir um cara mt lindo e carismatico que conquiste o publico e a Addie e sua complicada vida amorosa.

    CLaro que a Violet é par do Cooper, e sim parece que a Charlotte é com o Sheldon.
    Mas eu não ligo para as criticas e nem para essas idas e vindas, porque sempre vai existir um preconceito e comparação entre séries derivadas de outras ou remakes.

    Quem vê pensa que a Mer nunca pegou ninguém, que o Karev não pegou todo mundo ate mesmo a Callie, que personagens viram gays. Pra mim atualmente em GA as únicas personagens que vem tendo algo sólido tanto na historia quanto emocionalmente são a Bailey e a Cristina pq simplesmente a Chandra e a Sandra ahazam dando vida as personagens.

    Esse episódio apesar dos altos e baixos foi um marco em PP e mostra que também pode ter uma super produção, e o quanto a protagonista de uma série é importante, exemplo GA que muita gente assiste por outros personagens já outros porque se vêem na fraca e insegura personagem da Ellen.

    E apesar de ser fã assumida de PP na atualidade e achar que esta melhor do que GA, tenho que confessar que me surpreendi com o final apesar de já imaginar que isso fosse acontecer devido a outros acontecimentos, só queria que acabasse logo e eles não falassem mais nada pra não criar um elo ou uma história ali mesmo que fosse ser levado por muitos outros episódios como esta sendo.
    Num geral acho que foi um otimo episódio pude percer o quanto a equipe e a Kate ficaram orgulhosos do resultado em relação a produção por várias entrevistas dela comentando o mesmo, mas a história é essa e já esta na 3ª temporada quem assiste ja deveria ter se adptado ou parado de ver já que não agrada tanto assim.

  6. Ketty

    Agora sério gente afirmar que GA não saiu dos trilhos ou que cada um continua com seus supostos parceiros com a entrada e saída de várias personagens, mortes e outras coisas é não querer enxergar o que esta ali na cara.
    O unico casal que continua junto com aquele draminha todo brigas bestas e mal tem cenas juntos é a Mer e o Der e olhe lá.

    Me recordo muito bem de muitos fãs do casal reclamando que eles mal tem cenas juntos.

    George O’Malley por exemplo gostava da Mer que gostava do Der depois casou com a Callie, com a Izz, TEVE UM AFFAIR COM A Lexie, DE TODAS DO COMEÇO só faltou a Addie e a Cristina AHAHHA.

  7. maria

    gente foi o momento what if o beijo deles nada mais dq isso,não significa q eles vão pra cama e nem começar um relacionamento,num sei pq a lara ficou tão p…da vida na certa ela não entendeu ,enfim oq podemos esperar de uma fã de meredith grey,prefiro private mil vezes,do greys anatomy comtanto drama sem causa da meredith,a addison pode não ter um amor ainda mas q ela procura ninguem pode negar, existem muitas mulheres assim q estão sempre a procura…torna ela mais real dq a etrena dramatica sem caus da meredith.

  8. Tati Siqueira

    Lara, dessa vez nem vou comentar, pois acabei entrando spoiler………………..mais para frente comento sobre Addison & Sam;

    Sobre esse episodio, até gostei qdo eu assisti, a Charlote me supreende muito e gosto da personagem, muito mais do que Cooper – que MUITAS vezes é infantil por demais; E nessa linha de infatilidade segue a Naomi – Que na minha opinião se transformou na pior personagem possivel(isso dá para comentar sem estragar muita coisa)

    Parabéns pelo ótimo texto

  9. Lara Lima

    Paulo Serpa Antunes
    De novo com muita sabedoria você acertou em cheio. Acho que os produtores não tinham em mente o que fazer e foram criando com o show no ar.

    Dawson’s Creek foi a minha primeira decepção, mas hoje entendo perfeitamente porque o final fugiu a proposta inicial.

    Em Private Practice o que realmente me incomoda é o rodízio de casal entre eles, entende? É muito dentro de casa…

    Maria

    Independentemente de virar um casal, a minha crítica é a simples idéia disso acontecer e a cena do beijo propriamente dita. Foi de extremo mal gosto. E sim, eu amo Meredith Grey, mas quanto a isso eu nem vou argumentar porque tenho uma identificação pessoal com o personagem, o que me ajuda a gostar e impede que outros gostem.

    Tati
    Obrigada! Queria que você pudesse participar mais da discussão, mas deve ser difícil pra você já que acompanha pela exibição lá fora né? Bjs.

  10. jorge

    essa 3ª temporada private practice ta show! mas addison e sam como casal nao da pra aguntar mesmo!

  11. Tati Siqueira

    É Lara, se eu começar a discutir o episodio, sou capaz de soltar coisas que irão acontecer, e que vcs não viram……mas uma coisa eu falo a série está BEM melhor que o ano passado. Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account