Log In

Opinião Reviews

Review: Private Practice – In Which Sam Gets Taken For A Ride

Pin it

Private Practice - In Which Sam Gets Taken For A RideSérie: Private Practice
Episódio: In Which Sam Gets Taken For A Ride
Temporada:
Número do Episódio: 7
Data de Exibição nos EUA: 14/11/2007
Data de Exibição no Brasil: 15/12/2008
Emissora no Brasil: Sony

Finalmente! Depois de seis semanas mornas, Private Practice me surpreendeu com um sétimo episódio muito, mas muito bom. In Which Sam Gets Taken For A Ride envolve e emociona o telespectador e pra isto abusa um expediente clássico de dramas médicos – mulheres em trabalho de parto. E aqui não temos um, mas três nenês nascendo de uma única vez.

Dell faz o parto de uma mulher que aguardava o nascimento da primeira filha mulher e que, frustrada com mais um menino, rejeita a criança. Addison e Pete lidam com uma viúva que tem um ataque de pânico antes do nascimento do nenê e Sam tem a trama mais absurda da temporada – ao atender uma ligação doméstica de uma paciente, ele se vê jogado numa situação com reféns, fazendo um parto de alto risco em uma loja de conveniência.

Ainda que tenha algumas tramas absurdas, o episódio funciona que é uma beleza, em parte em razão das presenças da competentes Sara Gilbert e Sprague Grayden, ambas jovens atrizes mas muito rodadas – com passagens por algumas das séries mais cultuadas da TV.

Mas não são só partos que fazem este episódio muito especial. Tem muita tensão sexual.

Private Practice - In Which Sam Gets Taken For A RideAddison e Pete fazem planos para transar e ver no que vai dar depois. Já Violet, para desestressar, convida Cooper para ser seu “amigo com benefícios”. Mas quem pensa não casa, diz o velho ditado. Cooper percebe não é capaz de transar com Violet sem compromisso, porque ele quer compromisso com ela. Pete também falta ao encontro, depois de um dia de forte carga dramática, ao lembrar que sua esposa planejava ter filhos. Só quem não pensa, e age por impulso, é a cerebral Naomi, que acaba agarrando o ex-marido.

Adoro esta ironia.

E, falando em ironia, justamente quando eu consigo ficar empolgado, ansioso mesmo pelo próximo episódio, eis que a série entra em hiato na Sony. Mais Private Practice só em 2009.

Paulo Antunes está substituindo interinamente a colunista Ana Boleyn.

Séries citadas:

É jornalista, pós-graduado em Jornalismo Digital pela Pucrs e trabalha com produção de conteúdo para Internet desde 1995. É editor de internet do Jornal do Comércio, de Porto Alegre. Fundou o TeleSéries em agosto de 2002. Na época, era fã de The West Wing, The Shield, Família Soprano e Ed. Atualmente é viciado em The Good Wife, NCIS, Game of Thrones e Parks and Recreation.

5 Comments

  1. Isabela H

    Esse foi um dos melhores episódios de PP que eu já assisti. Torço muito pelo Pete e pela Addison juntos, mas parece que nunca rola alguma coisa a mais, só “curtição” como diz a Adds. E me emocionou com os três partos *O*

  2. claudia braga

    Puxa eu adorei o epi, dá pena do Cooper, e a Violet não percebe nada? mas como é charmoso esse Taye Diggs

  3. Marcio Pareto

    Pois esse foi exatamente o episódio em que eu desisti da série. Ver todas essas tramas exaustivamente já exploradas em outros seriados dentro do PP, me mostrou como estes personagens são apáticos – e exclusivamente um subproduto de Grey’s. Um belo conjunto de arquétipos, que ficam só nisso, não passam disso, ficam no raso. Não há um personagem sequer que seja redondo, desenvolvido, profundo. Tudo muito já-visto. No final das contas, vi que não me importo com ninguém dali. Porque são um bando de gente mediana. Com experiências de vida que a gente tenta com toda força acreditar que, na verdade, eles têm. Mas nada disso foi visto, tá tudo na base de um “ouvi falar”, “aconteceu antes da gente chegar”, “ele passou por isso, não sabia?”. Não, não sabia. E mesmo agora que você me contou, faltou impacto. Vai ver a culpa é do ator.

  4. Pôxa Márcio eu adorei o episódio… eu concordo que falta entrosamento dos personagens, mas u persongem vocês tem de concordar que está devagarinho aparecendo.

    Pra mim o Dell é o melhor personagem de todos, tá o cooper também é bom, mas o Dell quase nunca aparece e sempre que aparece tem um porque, ele normalmente de maneira impulsiva, acaba fazendo o que os outros não fazem.

    Adorei quando todos estão tentando ajudar a mulher que estava cansada de cuidar sozinha dos filhos e quando o marido chega ele simplesmente diz: “Você precisa crescer.” foi simples e direto.

  5. Isabela H

    Pra mim o Dell é o melhor personagem de todos [2]
    Ele me lembra o Zac Efron, hehe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account