Log In

Reviews

Review: One Tree Hill – Simpathy for the Devil e Even Fairy Tale Characters Would Be Jealous

Pin it

One Tree Hill - Simpathy for the DeviSérie: One Tree Hill
Episódio: Simpathy for the Devil e Even Fairy Tale Characters Would Be Jealous
Temporada:
Número do Episódio: 115 (6×09) e 116(6×10)
Data de Exibição nos EUA: 3 e 10/11/2008
Data de Exibição no Brasil: 18 e 25/11/2009
Emissora no Brasil: Fox

Há muito tempo, lá pela terceira ou quarta temporada, eu escrevi que Mark Schwahn tinha um sério problema para conduzir as historias dos seus personagens – ele nos entregava algo para depois explicar. E bom, quando se este algo não era bem feito (efeito Fênix no Dan, Psycho Derek) a explicação falhava.

Digo isto apenas pra justificar algo que comecei a falar na review passada, que esses episódios em exibição na Fox são o começo da mudança da série. Sim, com a sétima temporada passando lá fora e eu tendo que rever a sexta para escrever estas reviews, percebo claramente que a mudança na narrativa da série começou aqui, na sexta temporada, e de forma discreta.

E como havia dito antes, eu sou um dos que tenho gostado da sétima temporada, e revisitando a temporada em exibição aqui no país consigo encontrar qualidades que antes não havia visto. Vou dividir os episódios e falar sobre as qualidades que tenho encontrado neles.

Simpathy for the Devil

Neste episódio estamos vendo Nathan na sua batalha diária para realizar seu sonho. É admirável o quanto a série trabalha isso em todos os personagens, mas temos que ser justos que nenhum deles personifica tão bem o desejo de realizar seu sonho quanto Nathan. Tudo que ele já foi e tudo que ele fez, tendo que sempre colocar seus sonhos de lado por um bem maior, e mesmo assim, lá está ele tentando. Dizem que nem todos os sonhos podemos realizar, será? Nathan ao perceber a preocupação de Jamie e Haley, escolheu sua família, e seria injusto qualquer um criticá-lo por querer sua família. Isso combina com o homem que ele se tornou, mas… será que há vida sem sonhos? Digo, tudo bem, ele vai sonhar com o melhor pra Jamie, que sua esposa volte a cantar, mas e os sonhos deles? Será que ele poderá substituí-los, ou se contentar em saber que fez seu melhor?

Por outro lado temos Lucas tendo que entender o que se passa na mente de alguém para matar seu próprio irmão, e o que este pensou minutos antes de morrer. Podem falar bem ou mal de One Tree Hill o quanto quiserem, mas uma coisa que sempre aplaudo na série é que tudo tem continuidade, todo efeito tem uma causa, e algumas delas moldam esses personagens pra sempre.

É tão “curioso” que assistimos a série desde o começo, vimos este sujeito chamado Keith Scott, ser o pai, o tio, o amigo, o irmão ,que toda pessoa gostaria de ter, e o vimos morrer nas mãos de seu irmão. Essas aspas que coloquei no curioso é porque ao menos eu nunca tinha me perguntado isso, o que se passou antes dele morrer? Nós sabemos a causa da morte dele em todos os personagens e nós contamos para nossos amigos “cara, assistam One Tree Hill porque a série é cheia de reviravoltas, e a maioria delas fazem sentido mas”, mas ainda assim é tão curioso que um evento que ocorreu na terceira temporada ainda traga novos panos pra manga.

E Dan como bem disse “toda boa historia precisa de um vilão”. Há quem não goste desse jeito dele, de se mostrar não arrependido, mas sendo bem sincero, eu prefiro vê-lo tentando se redimir do que se fazendo de coitado. Desde que saiu da cadeia, está tem sido a batalha dele, fazer que seus filhos entendam que ele sabe que errou, pagou seus crimes e principalmente aprendeu com os erros.

Assim como entendo seus filhos, primeiro porque eles não vêem essa mudança que nós vemos em Dan e porque tem seus motivo para desconfiar dele, e principalmente, independente dele ter se arrependido ou não, a principal consequência do que ele fez ao Keith nunca foi a prisão, e sim perder aquilo que sempre esteve ali pra ele, mas o ódio, a inveja e ambição o cegava. Se fosse eu quem tivesse que escrever está cena, eu escreveria sobre o homem que estava perdido e ao tirar a vida de seu irmão, ele acordou de um longo pesadelo.

E olha Mark acertando mais uma vez, criando um bom personagem pra série. Sem ser forçado, psicopata, assassino, ou algo do tipo, pelo menos é o que vimos até agora. Gostei muito das cenas de Julian com Peyton, realmente pareceu que os dois tiveram uma boa historia, assim como gostei da atitude honesta de Peyton admitindo pra Lucas que foi apaixonada por ele. O que me chama a atenção é: como ele mesmo disse, não iria gastar muito dinheiro, a reputação dele, apenas pra trazer Peyton de volta. Se não é isso, o que o levou a querer fazer o filme baseado no livro que o fez terminar com a namorada que amava?

Even Fairy Tale Characters Would Be Jealous

One Tree Hill - Even Fairy Tale Characters Would Be JealousOne Tree Hill já é uma série musical muito antes dessa nova série aí chamada Glee. Não, não assisto a série, e não estou fazendo comparações. Acho bacana o quanto One Tree Hill abraçou o mundo da música e mais uma vez dando continuidade a tudo que aconteceu na série.

Aqui, o irmão de Peyton descobre que ter raiva pelas pessoas que o desapontaram só faz mal a ele mesmo. Isto me lembrou que outro dia conversava com um amigo sobre assuntos que envolviam tristeza, depressão e aí citei o Metallica, banda que admiro muito, e disse que as musicas dos caras dá pra notar que o que eles tocam e cantam, eles sentem. Eles não deixam sentimentos tristes os colocar pra baixo, eles simplesmente se apoiam na dor pra fazer algo produtivo. E com o irmão da Peyton aconteceu isto: ele percebeu que teve o mesmo pai que ela, mas isso não a impediu de perdoar o pai e nem de procurar ser feliz fazendo o certo.

Haley é uma das personagens principais que menos é trabalhada. Digo, claro que vemos várias coisas acontecendo no casal “Naley”, mas historias envolvendo ela são poucas, e quando são, são curtas. O medo dela de tocar era algo que poderia ter sido trabalhado mais, assim como o fato de uma “aluna” está tranquilizando ela. Uma das coisas que conta muito como positivo em One Tree Hill é o fato de termos três personagens femininas diferentes e todas três com personalidades fortes. Às vezes apenas gostaria de ter um pouco mais de Haley sem o Nathan.

Por falar em personagem feminino forte, Brooke Davis pra Mulher Maravilha. Acho que foi na ultima review que houve um comment falando sobre o crescimento dos personagens e foi algo tão natural que quando nos demos conta, eles já haviam se tornado Jovens Adultos. E Adultos com a letra “A” maiúscula, porque tentem se lembrar da terceira temporada, Brooke, aquela linda líder de torcida que tudo que queria, ela fazia. E tudo e todos tinham que viver ao redor dela. Não, isso não é uma critica, eu já a achava uma excelente personagem desde a primeira temporada, foi o relacionamento dela com Lucas que me fez querer assistir a série, e eu sempre gostei de mulheres de atitudes, e vejam que agora, ela ainda tem atitude, ela chega para um carinha e dá um chega pra lá nele dizendo que se ferrar com seus amigos, ele vai se ver com ela, e ela deixou de querer que todos fizessem tudo pra ela e agora ela faz tudo pra todos. E pergunto a vocês, quando foi que isso aconteceu?

E continuando o que eu falava de Nathan no episódio anterior, as cenas deste episódio envolvendo ele são basicamente os meus questionamentos feitos mais acima. Quentin morreu e sim, assusta tanta violência no mundo, sabermos que poderemos morrer de uma hora pra outra. Agora ficar em casa vendo TV não é solução pra nada, por mais irônico que seja eu escrevendo isso numa review de um seriado.

Como Quentin disse, podemos ter medo de um maluco pegar uma arma e tirar nossa vida sem mais, nem menos, assim como Nathan tem medo de ficar sem andar novamente e fazer sua família sofrer. Mas a cada dia que abrimos os olhos, respiramos o ar e levantamos da cama, é uma chance que nos tem sido concedida, e isso pra mim é estarmos sendo justos e fazendo jus aos que ficaram pelo caminho, temos que aproveitar estas chances da melhor maneira possível.

Das qualidades da série, eu sempre disse e continuarei dizendo, a continuidade das historias e o desenvolvimento dos personagens da série são qualidades raras de serem encontradas na maioria das séries que já foram exibidas, que são exibidas e que serão criadas.

E a mudança que citei no primeiro parágrafo tem a ver que ao contrário das últimas temporadas, onde haviam alguns episódios mais ou menos e outros fantásticos, agora Mark tem criado suas historias em pequenos fragmentos, de uma forma bem coerente na maioria das vezes. E quando esses fragmentos se juntarem se tornarão episódios dignos do logon preto da série. Claro que há alguns plots que ainda não me atraem como o de Mouth e Millie, e os psicopatas que insistem em aparecer na série, mas isto é assunto para outro texto. Por enquanto, só tenho elogios pra fazer a One Tree Hil.

Séries citadas:

4 Comments

  1. Daniela Oliveria

    Excelente Review. Parabéns!
    E eu também gostaria de ver um pouco mais de Haley. Mas com esse cabelo, não o 7ª, que tá PÉSSIMO!!!

  2. Vicente

    Mais uma vez volto a afirmar, o que seriam dos episódios de “One Tree Hill” sem os reviews do Paulo Fiaes?
    Direto no âmago da série.
    Congratulations!

  3. douglas

    otima review paulo!!! eu to me amarrando cada vez mais na setima temporada. eu achei q fosse sentir mta falta da peyton (na verdade sinto), mas quem ficou e quem entrou na setima temporada tá dando conta do recado!

  4. augusto

    Paulo sabe o que é mais engraçado é que parece que quando vemos um temporada pela 2 vez analisamos melhor a temporada.Meu caso é desse tipo quando vi a 5 temporada pela primeira vez por causa do avanço no tempo de 4 anos estava tão deslumbrado com o fato que tudo que acontecia parecia maravilhoso parecia que a temporada era otima a melhor mais quando fui ver a temporada de novo achei pessima praticamente a temporada deu voltas em circulos só para fazer drama e voltar do mesmo ponto basicamente nada aconteceu e os personagens estavam todos perdidos e sem desenvolvimento principalmente meu personagem preferido o Lucas não tendo um porque da decisão tomada pela maioria dos personagens nessea temporada .Vendo a 6 ocorreu totalmente o contrario pela primeira vez achei não muito boa mais vendo pela segunda achei otima com um desenvolvimento por episodio melhor um crecimento durante os episodios aos poucos a 6 temporada foi crecendo, melhorando se desenvolvendo e fomos entendendo as deciso~es de cada personagens

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account