Log In

Reviews

Review: One Tree Hill – Running to Stand Still

Pin it

One Tree Hill - Running To Stand StillSérie: One Tree Hill
Episódio: Running to Stand Still
Temporada:
Número do Episódio: 98 (5×10)
Data de Exibição nos EUA: 4/3/2008
Data de Exibição no Brasil: 3/12/2008
Emissora no Brasil: Fox

“Cara, como eu queria abraçar Mark Schwahn e dizer que ele conseguiu o improvável, ressuscitou uma série que muitos deram como morta”. Essas foram minhas palavras no Twitter assim que terminei de assistir este episódio pela primeira vez, no início de março. Não acompanho a crítica especializada e nem tenho interesse de acompanhar. A maioria das pessoas que converso estão tendo a mesma surpresa agradável que eu, One Tree Hill está caminhando para fazer a melhor temporada da série. E conseguir isso no seu quinto ano não é das coisas mais fáceis, ainda mais com tantas críticas nas temporadas anteriores.

Sabe, eu percebo a maturidade da série em um simples diálogo. Quando Nathan diz pra Haley:

Ela desenvolveu alguma paixão estranha por mim.

E toda a história forçada da babá Carrie deixou de ser forçada. Isso meus amigos, é sinal de amadurecimento. Em outras épocas, Mark provavelmente passaria uma borracha no assunto ou daria uma explicação superficial, mas agora, até os personagens da série comentam a estranha paixão da babá pela familia Scott.

Eu estou tentando ver quem está certo entre Haley e Nathan, porque pra mim, o grande erro do casal foi Haley que cometeu abandonando Nathan pra seguir sua carreira musical. E eu sempre vi Nathan como o que mais se esforçava nessa relação, foi ele que no final, sempre colocou a familia em primeiro plano. Agora, se essa situação chegou a esse nível, Nathan tem culpa sim, até Quentin percebeu que ele flertava com Carrie, e ele não é mais menino. Porque ele fez isso? Provavelmente, as mulheres não vão gostar da resposta, mas o mais óbvio é que ele foi homem, deixou a atração, o instinto falar mais alto. Antes que joguem pedras em mim, não sou a favor dessas atitudes, mas sei que posso errar, mesmo não querendo, e às vezes não dá pra entender o comportamento humano.

E fiquei numa dúvida com as palavras de Lucas, até onde um homem pode mudar? Eu fui um dos que mais falou na temporada passada sobre a redenção de Dan, sobre o quanto ele estava tentando mudar, mas eu sei que boa parte disso era por causa do remorso e culpa, e geralmente quando isso afeta nossa mente, faz com que tentemos de todas as maneiras aliviar essa dor. E lembrei das temporadas anteriores, quantas vezes vimos Dan mostrar que podia ser um cara decente e estragar tudo na oportunidade seguintes? Inúmeras. E eu quero acreditar que alguém possa mudar, aliás, preciso acreditar nisso pra ser uma pessoa melhor. Mas há um lado cínico crescente em minha pessoa e este lado diz que as pessoas, no final, sempre irão te desapontar. Sei que é apenas um seriado, mas me chatearia ver que Lucas tem razão.

A maioria das pessoas sonham em ser advogados, médicos, passar num concurso, ou melhor, conseguir um emprego que pague muito bem a elas. Poucas pessoas desejam seguir seus sonhos, e procurar a felicidade ao invés dos bens materiais. Eu me identifico com Peyton e Mia porque quero viver de forma não tradicional, acredito que as músicas que eu faço e os roteiros que escrevo além de me trazerem uma satisfação pessoal, pode mudar a vida de alguém. E que há chance de sair do fundo do poço e conseguir viver de fato. E é isso que vejo em Peyton e Mia, e sei o quanto é difícil, quando chega alguém e simplesmente trata dos nossos sonhos como mais uma oportunidade de lucrar dinheiro. Eu entendo e sei perfeitamente, que dinheiro é importante, mas quando se tornou o mais importante? Essas pessoas que tentam enriquecer, no final, conseguiram muito, menos as coisas mais importantes. Amor, felicidade e paz. Eu gostaria realmente conhecer pessoas em minha vida como Mia e Peyton, isso faria com que meu lado cínico adormecesse.

Owen cada dia cresce no meu conceito, digo, um cara que poderia se aproveitar de toda a fortuna e beleza de uma jovem carente e mesmo assim prefere mostrá-la as coisas que realmente importam na vida. Ou ele é um grande ator, ou é uma grande pessoa. Aliás, se olharmos pra nossa vida, principalmente aqueles que sofreram mais do que deveria, devem perceber que cada sofrimento teve uma conseqüência, e gerou grandes mudanças. Brooke sofreu a vida inteira com a falta da mãe e agora, desesperadamente, tenta reaver isso. O problema é que no caminho ela pode estar perdendo o que mais foi significativo pra ela durante toda a sua vida, seus amigos e seus valores. Pois, ela teve que crescer cedo, errou muito, mas amadureceu com cada erro. E foi graças a esse amadurecimento que ela conseguiu tudo que tem, mas quando é suficiente? Eu gostaria de saber a resposta, mas tanto eu quanto Brooke precisamos encontrar nossos limites.

Na minha review do último episódio da temporada, eu escrevi o seguinte sobre a Rachel: “Eu cheguei a gostar da personagem e acreditar que ela chegaria à redenção, mas a bem da verdade existem pessoas na vida que gostam de ser do jeito que são, mesmo quando perdem muito. Ou talvez até não goste, mas não conseguem mudar. Rachel é esse tipo de garota…”

One Tree Hill - Running To Stand StillCinco anos se passaram na série e Rachel ainda continua perdida. Ainda quero acreditar na personagem, mas chega um momento que temos que abrir mão, quando nossos esforços não funcionam, e principalmente, quando nos afeta, precisamos deixar ir. Vamos ver se Rachel aproveita a sua última chance.

E quem estraga a sua vida e tenta desesperadamente encontrar seu rumo? Essa pode ser uma boa definição da minha vida, e de Quentin também. Por inconseqüência, o murro que ele deu pra “salvar a honra” de Haley pode custar seu sonho, o seu futuro, e se ele perder isso, restará alguma coisa? O que mais me entristece, quando olho a maioria das pessoas envelhecidas ao meu redor, e que elas são frustradas, se desapontaram sucessivamente, e hoje vivem a vida do que poderia ter sido. Tenho medo do futuro, mas tenho que aceitar que essa possibilidade existe, e isso acontecer, será por minha culpa, por meus erros, e por isso, preciso acreditar que posso mudar isso, que ainda há tempo. O grande erro de Quentin não é tirar o talo pra jogar, e sim não procurar ajudar pra saber o que é melhor pra ele. Mas quem pode julgá-lo? Em momentos desesperados tomamos atitudes desesperadas, e assim voltamos para o ciclo vicioso.

E um pouco antes desse episódio ir ao ar nos Estados Unidos, a CW anunciou a renovação de One Tree Hill e eu escrevi no Twitter: “Não se enganem, a renovação de One Tree Hill pela CW não foi a toa”.

Até a exibição desse episódio lá fora, a média da audiência era de 3 milhões e, com certeza, a CW não esperava esses números. O boca a boca me parece ter sido muito positivo, das pessoas com que converso sobre a série, poucas não tem gostado dessa temporada – opinião esta que eu não consigo entender. Então fiquei feliz pela renovação. Essa mudança da série calou a boca de muita gente, e vamos deixá-los calados até o fim.

Séries citadas:

8 Comments

  1. Lara

    Primeiro eu quero deixar bem claro que eu gosto muito dos seus textos. Eles conseguem dizer aquilo que nós queremos mas não sabemos como. Mas tenho que dizer que você, Paulo, perde muito tempo tentando entender e/ou revidar as críticas que são feitas à série.
    OTH não é a melhor série mas tem se saído bem até aqui, haja vista que caminha para uma sétima temporada, e nem Dawson’s Creek conseguiu isso. Mas é bem verdade que Mark errou a mão muitas vezes, errou com o Derek, errou no vai-e-vem do Lucas-Peyton-Brooke, isso só pra começar. E já que temos a todo momento o surgimento de séries que inovam, é bem difícil continuar com uma série que anda um passo e volta dois (ainda não é o caso de oth, mas…)

    E OTH é privilegiada porque tem fãs muito pacientes e que amam a série incondicionalmente (na verdade eu até acho que isso acontece porque estamos órfãos de uma boa série teen desde Dawson’s). Então se estamos na quinta temporada (na tv) já está mais do que provado que OTH merece o respeito daqueles que curtem um bom entretenimento. Isso é fato. Seria ignorante dizer que a série é ruim.

    Outra coisa que você disse também, sobre o Nathan ser homem e que por isso fez o que fez. Eu até entendo e acredito, mas o que te faz pensar que nós, por sermos mulheres não faríamos o mesmo? Ah!! por questão de respeito não é? Então se é isso, não é porque ele é homem, mas porque ele não soube respeitar todos os anos de casado!! Mesmo que ele seja homem, mesmo que os hormônios gritem, eu acho que o mínimo de respeito pela esposa e pelo filho ele deveria ter.

    Quanto ao Dan, eu também discordo. Em nenhum momento eu vi ele arrependido de alguma coisa. E digo mais, acho que ele faria tudo de novo. Ao contrário da Rachel que tenta acertar, embora ela tente já achando que vai dar errado, então nunca dá certo.

    Quanto a seguir os sonhos ou ter uma carreira que sustente, eu discordo novamente. Fico feliz que há pessoas no mundo que podem seguir seus sonhos e deles tirar o sustento, mas já que eu não tive o prazer, não quer dizer que estou destinada a ser infeliz. Eu vou descobrir uma forma de ganhar dinheiro (gente, dinheiro é tudo!quando você trabalhar no setor públlico você vai ver que com dinheiro você ressucita os mortos!!) e mudar a vida de alguém. Não é fácil, mas se eu puder tentar…

    Paulo, querido, você já sabe como eu falo não é? rsrsrs
    e como a gente discorda, então, sei que você não vai ficar chateado comigo!!!
    Bjãoo

    ps: vc tá sumido hein!!

  2. Dani Libanio

    OTH tem se superado a cada episódio!
    A quinta temporada veio para redimir os erros da quarta e ainda nos fazer apaixonar novamente pela série! Sinto um imenso prazer assistir cada episódio, e sei q cresço como pessoa ao assisti-los. Atualmente estou assistindo a 6 temp. e acreditem vale a pena pq daqui de onde vcs estão até o que acontece ultimamente lá fora, não tem como não se encantar, como não se deleitar com cada diálogo, cada esforço das personagens em buscarem serem melhor.
    Parabéns ao Mark Schwahn por se superar a cada passo.

  3. Everton

    Eu sempre leio os reviews de One Tree Hill, mas sempre os acho muito melodramáticos… sério.

    Quando assisto OTH, adoro rir com a B.Davis, e digo que as vezes realmente ao acabar o episódio (principalmente nessa fase Victória) , eu fico com dó dela… Mas nada que me ponha a refletir sobre a humanidade..

    Ou querer entender porque um personagem age de determinada maneira, sempre querendo definir uma linha de pensamento/raciocinio para tal atitude…

    Até porque a caracterização de um personagem varia de acordo com o produtor, pedir coerencia nas séries americanas é complicado. Exemplos clássicos:

    – Luke, de Gilmore Girl, que na última temporada transformaram em chato
    – Kelly, de Barrados no Baile, de futil-piranha(desculpa a palavra) a psicologa inteligente e legal
    – Phoebe de Friends , de louquinha-ingenua a louquinha-esperta..

    Então o que vc chama de redenção/amadurecimento eu chamo de temporada inspirada.. porque vamos combinar que a “Paixão” da karen pelo Dan na ultima temporada foi um absurdo né… é pensar que a gente não tinha memória…

  4. mariana

    perfeita review, uma analise exelente da serie principalmente a sensibilidade e ver as personagens “existem pessoas na vida que gostam de ser do jeito que são, mesmo quando perdem muito. Ou talvez até não goste, mas não conseguem mudar. Rachel é esse tipo de garota…” amei essa analise e amo tree hill, acho q serie fantastica e com personagens hiper complexos…

  5. Carlos Iago

    Pra mim não é a melhor temporada…mas se continuar assim como esse episódio até o último…COM CERTEZA SERÁ…o melhor episódio da temporada até agora. E tô ansioso pra ver o 12, que será o 100º da série…=D

  6. sofia

    Olha Everton, você disse tudo o quê eu pensava e um pouco mais,tem gente que confunde seriado com realidade,os personagens agem como os produtores ,redatores querem ,é tudo FICÇÂO.Ou vai dizer que a vida é uma GOSSIP GIRL,fala sério!

  7. Vicente

    Paulo, melhor do que o seu review do episódio só o seu desabafo sobre viver de forma a seguir os seus sonhos. Sofro deste mesmo “mal” que vc e sou muito incompreendido por isso. Mas não sou tão sonhador assim a ponto de achar que vou conseguir fazê-los pensar como eu. O próprio depoimento da Lara postado aí acima é a maior prova disso. Simplesmente aceito as diferenças da mesma maneira que gostaria que fizessem comigo – o que infelizmente não costuma acontecer, não.

    Mas, parabéns pelo review. Muito bom, mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account