Log In

Reviews Spoilers

Review: Lost – The Package

Pin it

Lost - The Package

Série: Lost
Episódio: The Package
Temporada:
Número do Episódio: 113 (6×10)
Data de Exibição nos EUA: 30/3/2010 na ABC
Data Prevista de Exibição no Brasil: 13/4/2010 no AXN

Muita responsabilidade escrever sobre Lost. Não me considero uma ‘especialista’ no assunto e nem fã apaixonada. Assisto como puro entretenimento (muito bom entretenimento, é bom deixar claro). Algumas temporadas eu amei, outras nem tanto. Tem personagens que eu amo e outros que… Bom, melhor deixar pra lá. O que interessa é que a série está chegando ao seu final com uma temporada que eu considero no mínimo bem interessante, com bons episódios, algumas respostas, confirmações e novas perguntas.

The Package foi centrado no casal Kwon e já entrou para minha lista de episódios prediletos. Pode ser que eu esteja influenciada pelo fato dos dois, especialmente, Sun, fazerem parte da das personagens que eu gosto muitíssimo.

Deve ter sido um episódio ainda mais complicado de se acompanhar que o anterior por parte do público norte-americano. Digo isso porque é sabido que boa parte deles não tem o hábito de assistir nada com legenda. Imagina um episódio com cenas em coreano?! Garanto que a fala de Keamy dizendo que se sentia num filme de Godzilla não foi ‘colocada’ por acaso.

No flash-sideways temos Jin sendo liberado pela Polícia Federal após ter sido preso com os 25 mil dólares não-declarados. Como ficou claro desde a primeira vez que eles aparecem nessa realidade ‘paralela’ ele e Sun não estão casados. O ‘pulo do gato’ é que apesar deles não serem casados os dois são um casal. Mostrando mais uma vez que algumas escolhas por parte das personagens se repetem seja em que ‘universo’ for. E se anteriormente conhecíamos uma Sun que estava fugindo ‘do’ Jin agora temos uma Sun que quer fugir ‘com’ o Jin.

Eu achei realmente estranho um empresário experiente enviar um funcionário com dinheiro vivo sem declarar. E a intenção era realmente que Jin fosse detido. Tudo porque o pai de Sun sabia que a filha mantinha um relacionamento com o seu funcionário e o enviou para os EUA para que ele fosse assassinado. Temos a explicação do porque Sayid em seu flash-sideways ter encontrado Jin amarrado no restaurante de Keamy. Além de Keamy temos a presença de Mikhail Bakunin que é chamado por este para servir de intérprete e acompanhar Sun até o banco para que ela saque o dinheiro e liberte Jin. Só que não existia mais dinheiro algum, seu pai descobriu sua conta e retirou tudo.

No ‘presente’, o acampamento do Não-Locke é atacado enquanto ele está fora. Ele foi atrás de Sun, após conversar com Jin e prometer que irá trazer sua mulher de volta. Jin por sua vez está decidido a sair do acampamento e procurar pela esposa sozinho. Não é muito difícil de deduzir que a invasão tem relação com Widmore. O objetivo é que não era o que eu esperava: levar Jin até o submarino.

Sun por sua vez ao encontrar com o Não-Locke não acredita em suas promessas e foge. Acaba batendo a cabeça numa árvore e perde a capacidade de falar inglês. E aqui eu aproveito para abrir um parêntese sobre a atuação de Yunjin Kim. Estava sentindo falta de mais cenas com ela. Após seis temporadas ainda não me conformo que ela não foi aceita para ser a Kate ‘porque não enquadrava no perfil’. Na minha cabeça, se isso realmente aconteceu, o ‘perfil’ é o fato dela não ter uma beleza ocidental. Um crime.

Ao voltar para o acampamento e descobrir que Jin foi levado, Não-Locke parte com Sayid para na intenção de resgatá-lo. E temos o ‘primeiro’ encontro entre ele e Widmore. Um primeiro com muitas aspas porque (quase) nada em Lost é o que aparenta ser.

Widmore também se encontra com Jin e mostra para ele as fotos da filha porque Lost também tem lugar para momentos ‘ai que fofo’ como qualquer série (por favor, não me matem por dizer isso).

Outro ponto importante a destacar é a conversa entre Claire e Não-Locke quando ela questiona o fato do nome dela não estar na caverna e o fato de que o Aaron não irá reconhecê-la como mãe. Ele deixa a entender que depois que conseguir que Kate o ajude a convencer três dos escolhidos a entrar no avião o que acontecer com ela não terá importância. Deu carta branca para Claire matá-la. A questão é: quem são os candidatos? Jack e Sawyer são os mais óbvios mas e o terceiro(a)? Quem seria essa pessoa que Kate teria tamanha influência? Particularmente eu não consigo imaginar importância nenhuma nela para tanto.

Lost - The Package

E ‘O Pacote’ como alguns desconfiavam é o Desmond. Não tenho como descrever minha felicidade ao vê-lo. Já estava sofrendo com sua ausência. E espero que a importância dele não faça parte dos mistérios que não serão revelados.

A frase ‘algumas pessoas simplesmente não devem ficar juntas’ dita por Keamy e o final do flash-sideways com Sun ferida e dizendo que estar grávida fez eu perder minha certeza de que a filha do casal seria a candidata. Agora estou na dúvida entre ela e o Jin. E não estou radiante com a possibilidade de Sun morrer seja em que realidade for. No entanto, sou da opinião de que desde que seja escrita uma morte bem escrita eu não me importo que matem meus personagens prediletos. Muitas coisas ainda poderia escrever mas não quero me alongar mais do que já me alonguei. Deixo para os comentários.

Séries citadas:

Pós-graduada em História Contemporânea, pretende fazer mestrado usando séries como fonte. Seriados fazem parte da sua vida desde sempre. Magnum, Casal 20, Macgyver, Super Vicky são alguns deles. Assiste aproximadamente 40 séries (incluindo algumas já canceladas). Está aprendendo a abandonar séries mas sempre acaba colocando outras no lugar.

16 Comments

  1. Paullo kidmann

    Verdade…Coitado!
    Episódio muito bom hehhe!
    Eu gosto da Kate, e acho que ela tem uma importância sim.
    e sobre o dialogo da Claire e o MIB sacanagem, achei q a Claire já tinha superado…mais por parte é até culpa da Kate por não conversar com a Clair e esclareçer toda a História.

    xoxo

  2. francisco koller

    Tati.
    Qual é a função da “realidade paralela” para a história de Lost? Me causa mais confusão do que compreensão.
    Boa Páscoa a todos(as).

  3. Mica

    É bom ver que você também adorou o episódio, Tati. Não farei maiores comentários, pq hoje estou dividindo computador com outra pessoa, mas quero registrar que eu adorei esta história centrada em Jin e Sun.
    E seu review foi muito bom ^_^.

  4. Rubens

    Francisco, a principal funcao dos flash sideways (a realidade paralela) em Lost é encher linguiça e passar o tempo. No minimo eles tornam os episodios muito mais maçantes do que já são (sim, eu sou um dos que achou esse episodio extremamente chato e desinteressante, que nao acrescenta absolutamente NADA à história, exceto pela última cena).

    Se fossem usados com comedimento, poderiam dar o recado que o MiB (o Locke “mau”) concede às pessoas o que elas mais desejam. Mas repetidos à exaustão, só servem mesmo para testar a paciência. :-)

  5. Dimas (Goiânia)

    Desmond será a peça chave para o final de Lost e será o elo entre as duas realidades. Para mim ele apareceu no avião na realidade paralela apenas para o Jack.

  6. Roberto

    ”nada em Lost é o que aparenta ser.”
    ”Desmond será a peça chave para o final de Lost e será o elo entre as duas realidades. ”

    Como sempre o Desmond diz: ”Nos vemos em uma outra vida, brothaa”

  7. Thiago Sampaio

    Na moral, tô doido pra que no final de temporada, a produção da série cale a boca bonito de quem acha os flash-sideways encheção de linguiça. E digo isso só pra esses telespectadores malas se quebrarem mesmo, porque, por mim, adoro essas alternativas dos flash-if.

    Quanto ao Des… meu, adoro o cara. Então coitado…
    só se dá mal mesmo huaauhauahuah

  8. Thiago FLS

    Quem acompanha Lost com atenção e tem confiança na genialidade dos produtores já sacou que os flash-sideways são o epílogo da série. A questão é como os personagens vão conseguir mudar a história de forma a afundar a ilha, gerando essa nova linha do tempo.

  9. Eduardo

    Não foi meu episódio preferido sobre o casal coreano, nem o melhor da temporada, mas foi uma tremenda oportunidade de ver como Yunjin Kim é uma maravilha pra série. Depois de inúmeros episódios cuja sua única fala era apenas “Você viu meu marido?” já era hora de explorar mais a fundo a vida desse casal.

    ‘Ai que fofo’ não é uma descrição justa pra cena em que Jin vê as fotos de Ji-Yeon. A cena teve um impacto forte, que Daniel Dae Kim atuou com maestria e sutileza. Imagina não saber como tinha ficado a filha até aquele momento, e ter aquela revelação. Aquele olhar foi o suficiente pra desenvoltura dramática do personagem.

    Quanto ao resto da trama, os episódios dos coreanos, geralmente deixam a mitologia em segundo plano. Se bem que o uso do tempo alternativo foi muito bem aproveitado (e Kevin Durand sempre me agrada como Martin Keamy). O uso de Mikhail também foi uma agradável surpresa.

    Quanto a Sun tomar um tiro grávida, foi o grande choque do episódio, dando mais credibilidade a possibilidade de que na realidade alternativa a humanidade está a caminho de um fim sem volta (como estabelecido na equação de Valenzetti, do Lost Experience). Sem dúvida que os flash-sideways terão um final trágico, em contrapartida com o destino final da ilha e de seus personagens.

    Dou parabéns pros roteiristas (Paul Zbyszewski e Graham Roland) por manter confiança nos atores e deixar o diálogo em coreano correr solto, principalmente nas cenas de Sun com Jack, no qual nem era necessário o uso de legendas pra entender sua motivação.

    Os roteiristas de Lost produziram dois episódios em seguida com dependência pesada em idiomas estrangeiros para norte-americanos. Fico imaginando a úlcera que os executivos da ABC devem ter quando recebem o produto final pra exibição.

    Por fim, ótimo trabalho do sempre confiável Paul Edwards, ex-operador de camera na série, e tremendo diretor (This Place is Death; produtor em Fringe). Daniel Dae Kim e Yunjin Kim não ficam por menos.

    O bom de Lost é que Damon Lindelof e Carlton Cuse criaram um investimento do público tão pesado nos personagens, que os episódios feitos para encher lingüiça tem tanto impacto quanto os mais mitológicos que movem a trama geral

    Isso é que é talento pra qualquer roteirista. Criar personagens de tamanha riqueza.

  10. Silvia_05

    Adoro a Sun, e sua interpretação salvou o episódio.

    Achei uma falha mostrarem Jin, na realidade paralela, como um cara seguro diante da Sun. Êpa! Peraí! Ele era extremamente ciumento e machista antes de cair na ilha. Levou 4 temporadas pra mudar isso.

    A escolha do russo prá tradutor não me convenceu. Pior que isso só se fosse a francesa.

  11. jorge

    Acho mui to legal haver pessoas de opiniões e gostos variados; gostar mais disso, ou desgostar.
    Mas, de fato, ninguém que gosta de linguiça vai gostar dela vazia…
    Melhor haver a gordura ali e quem não quiser ficar tirando (pq afinal a gordura dá sabor) do que ficar algo só concentrado em mistérios e durar 12 episódios. Resumindo, os fb, ff e fs são métodos apropriados na narrativa da idéia geral proposta.
    Foi mais um episódio muito legal.

  12. Leonidas

    Grande episódio, tambem sou fã da Sun e do Jin, principalmente dela, fantástica!…
    Acho que os episódios “intermediários” da série estão sendo muito acima do que eu previa, achei que seria uma encheção de linguiça do caramba, mas a correlação entre a realidade e o virtual é a chave pra entendermos o que será o destino de cada personagem…
    Estou esperando por 1 episódio centrado no Charles Widmore ainda…
    Abraço.

  13. Eduardo

    Não acho que Widmore ganhe um episódio próprio, até porque já se viu bastante do passado dele através dos demais personagens.

    Há quatro personagens principais que ainda precisam de episódios centrados neles nessa temporada: Ilana, Hurley, Claire e Desmond. Depois desses quatro, vão faltar dois episódios normais, e o final de duas horas pra fechar tudo.

  14. Loli

    Não precisa ser um gênio pra saber que os flashsideways são o epílogo, o que acontecerá/ria se a ilha fosse explodida. Mas não deixam de ser EXTREMAMENTE maçantes. Todos eles.

  15. Henrique

    Não acho que os flash-sideways são maçantes. Pelo contrário: eles me fazem lembrar da 1ªtemporada, o início de tudo, contando a história de vida dos sobreviventes… Ainda mais junto com as cenas dos personagens andando pela ilha.
    Dia 23/05 vai ser marcante!
    Aguardando…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account