Log In

Reviews

Review: Lost – The Little Prince

Pin it

Lost - The Little PrinceSérie: Lost
Episódio: The Little Prince
Temporada:
Número do Episódio: 89 (5×04)
Data de Exibição nos EUA: 4/02/2009
Data de Exibição no Brasil: 23/03/2009
Emissora no Brasil: AXN

Depois que terminei de assistir The Little Prince, eu fiz um esforço para meditar um pouco sobre tudo o quê tinha visto. Os Losties (eu sei que do grupo, só dois, John e Sawyer são Losties, mas resolvi usar a palavra para descrever todos eles, senão fica muito complicado) estão pulando pelo tempo. Os Oceanic Six vivem três anos depois da Ilha ter sido movida. Como então os Oceanic Six voltarão à Ilha e encontrarão os Losties? Ou, eles encontrarão os Losties? É difícil imaginar que não, pois ao quê me parece é necessário não apenas o retorno á Ilha, mas um reencontro entre os grupos. Não me perguntem porquê eu acho isso, eu apenas acho. É um palpite.

Se os Oceanic Six retornassem à Ilha no tempo errado, e as viagens no tempo simplesmente parassem, os Losties ficariam presos no tempo errado. Assumindo que as minhas suposições estejam certas (e elas podem estar completamente erradas), os Oceanic Six teriam que voltar à Ilha exatamente quando os Losties estiverem três anos à frente, o quê pode explicar o porquê da Senhora Hawking ter dito a Ben que eles precisam retornar à Ilha em 70 horas.

E considerando que nesse episódio vimos um determinado Locke ir em direção a Orquídea para resolver o problema, pode ser que eles pulem para três anos à frente e na viagem, assim como Ben foi mandado alguns meses para o futuro, John seja mandado alguns meses para o passado em relação ao presente dos Oceanic Six.

Sei que corro o risco de ter gasto três parágrafos (e uma certa quantidade de tempo teorizando) sobre algo que provavelmente será desmentido nos primeiros cinco minutos do próximo episódio. Mas a minha cabeça fica fervilhando, e mesmo que seja um exercício fútil, eu gosto de tentar colocar alguma ordem nas informações que tenho.

De qualquer forma, eu espero que agente tenha tempo até o próximo salto no tempo. Tempo o suficiente para conferir um pouco do quê aconteceu com Danielle Rousseau, que aparece inesperadamente no final desse episódio. Apesar de eu já ter dito que isso poderia acontecer na review da premiere, ainda foi uma surpresa vê-la tão cedo. Não acredito, porém, que nos mostrarão logo como a equipe dela morre. Afinal, os flashes acontecem em questão de horas, e os acontecimentos realmente importantes na vida de Danielle, o extermínio de sua equipe e o rapto de Alex, só acontecem meses à frente.

Eu também fiquei muito intrigada pelo fato da francesa ter salvo Jin. Tudo bem que dezesseis anos depois, quando o avião da Oceanic cai na Ilha, Rousseau não está no auge de suas capacidades mentais. Não lembro de nenhuma besteira ou bola fora que ela tenha falado, mas é impossível ignorar as conseqüências de dezesseis anos de isolamento, medo e perdas podem causar. Contudo, ainda acho difícil compreender como a paranóica e sempre alerta Danielle poderia não reconhecer Jin. Por outro lado, a explicação pode ser simples. Ela pode tê-lo reconhecido e não dito nada. A francesa certamente era reservada, e realmente não consigo enxergá-la tentando explicar para o acampamento como ela conheceu Jin Kwon há anos atrás, por inúmeras razões, o fato de ela poder muito bem duvidar da própria memória entre elas.

Tivemos ainda uma menção a nova companhia aérea da série, Ajira Airlines, sobre a qual eu nada sei, já que tenho sistematicamente evitado quaisquer informações pertinentes a Lost que não sejam apresentadas no show (quando acabar a série, eu posso até mergulhar de cabeça no Lostpedia e não sair nunca mais, mas, por enquanto, isso afeta e muito o meu aproveitamento da série). E com as inocentes garrafinhas de água da companhia aérea (que estranhamente, ou não, Juliet parece conhecer muito bem) parece ter vindo um novo grupo de pessoas em uma canoa. E eles podem ser aqueles que atiraram no grupo enquanto eles tentavam chegar até a Orquídea. Ou podem ser mesmo os Outros (como Juliet pode ter tanta certeza que não são eles? Eu sei que os Outros tem preferência por barcos a motor e submarinos, mas a Alex não usava uma canoa também?).

Sawyer continua tendo as melhores falas do show. Em The Little Prince eu destaco o momento extremamente cômico em que ele diz “Obrigado, Senhor” quando um clarão aparece justo na hora em que eles estão sendo alvejados, apenas para gritar “retiro o quê disse” quando eles vão parar no meio de uma tempestade. Ou quando ele diz para Juliet:

Viagem no tempo é uma droga.

E o fato de que eu tenha um soft spot pelos dois faz com que eu realmente aprecie cada momento entre Juliet e James, as confidências que ele tem trocado, a amizade crescente entre os dois. Ambos são pessoas que tem bastante dificuldade em confiar nos outros, em grande parte devido a maneira como outras pessoas ferraram com eles, mas ainda assim em pouco tempo eles gravitaram fortemente em direção um ao outro. E o respeito e afeição mútua é evidente. E pode ser extremamente irrelevante para o panorama geral da série, mas eu acho que aconteça o quê acontecer, fiquem eles na Ilha ou não, fique Sawyer com Kate ou não, Juliet e James merecem uma pessoa com quem possam contar. Especialmente considerando que eles estão acompanhados de quatro indivíduos que tem seus próprios interesses.

Lost - The Little PrinceUm casal que não me cativa, por outro lado, é Daniel e Charlotte. Eu cheguei a gostar bastante dos dois no começo da quarta temporada, mas perdi completamente a simpatia. E apesar da óbvia importância dos dois, eu realmente não me importo com seus destinos. Só não sei o quê dizer da teoria de Faraday sobre os efeitos colaterais afetaram Charlotte e Miles, e posteriormente Juliet, por causa de seus tempos prolongados na Ilha. Se os dois primeiros nasceram na Ilha (e estou começando a acreditar cada vez mais nessa possibilidade), não entendo porquê eles estão pulando no tempo e os Outros não.

Em Los Angeles, nada de muito interessante aconteceu. Vimos que Sun está pronta para matar Ben (o quê eu duvido que aconteça) e que Linus foi quem contratou o advogado para aterrorizar Kate (o quê já era esperado). E nada disso, nem os momentos legais porém curtos de Sayid e Hurley, me fazem esquecer que passamos vinte minutos vendo Kate tentar descobrir quem era o cliente de Dan Norton. E eu achei uma bobagem fútil. Eu sei que nunca aceito muito bem as enrolações de Lost quando elas são focadas na Kate, mas é que sempre me parece estupidez. É como puxar o freio de mão da trama. E não temos sequer desenvolvimento de personagem aqui. Jack e Kate são simplesmente tediosos e desinteressantes, e eu sempre me ressinto do fato de alguns escritores sentirem a necessidade de lhes dar tanto tempo tela. Mas quando eles lhe dão tanto tempo de tela para os dois não fazerem absolutamente nada, é ainda mais frustrante. E esse desperdício prejudicou um pouco o episódio na minha opinião. Ele poderia ter sido muito, mas muito melhor do que foi.

Esta review foi escrita especialmente para o TeleSéries. A Thais escreve sobre a série também seguindo a cronologia americana, no site Séries Addict.

Séries citadas:

É estudante de comunicação. Não vive sem The Good Wife, Parks and Recreation e 30 Rock. Ah, e Gossip Girl, que apesar do bom senso, ainda nao conseguiu largar.

24 Comments

  1. Paula Arruda

    Adoro Lost, mas essas viagens no tempo só complicam a história e eu sinceramente não estou entendendo nada, estou perdida. Também acho que Kate e Jack juntos não funciona, são desinteressantes e na minha opinião ela deveria ficar é com Sawyer.

  2. Mauro

    Heroes foi tão criticada pelas viagens no tempo e parece que Lost está dando o mesmo tiro no pé. Mas o engraçado é que as mesmas pessoas que criticavam a utilização de viagens no tempo em Heroes, dizem amar essa utilização em Lost e insistem que essa é a melhor temporada. É! Sejamos justos, acho que não vai colar.

  3. anderson

    Mauro, essa discussão é tao janeiro q nem vou perder meu tempo. assista o resto e depois fale denovo.
    Se ao invés de viagens no tempo continuassem mostrando flashbacks todos iam entender nao eh? pensem nas viagens do tempo como flashbacks, porém os personagens agora fazem parte desse flashback, e aquele papo de que todos tem ligaçao no passado é de um jeito mais profundo do que alguem jamais pensou.

    E meus cabelos continuam arrepiados desde do momento que Jin encontra Rousseau. (ai esta uma boa diferença entre Lost e a porcaria de heroes, os personagens!!!!)

  4. thiago machado

    Vi recentemente o 5×09 e a série está ótima. E olha que nem sou muito fã dessas histórias de viagens no tempo…

  5. Thiago FLS

    Eu não vejo nenhum problema em usarem viagem no tempo, desde que seja coerente. E é isso que Lost faz, pois, ao contrário do que acontece em Heroes, não é possível mudar o futuro alterando o passado. É mais ou menos como no excelente filme Doze Macacos.

  6. Tina Lopes

    [essa discussão é tao janeiro]
    Hahahahaha, desculpa, adorei o tão janeiro.
    Bem, eu estou gostando e ‘sentindo’ que os roteiristas sabem muito bem onde estão pisando. Quanto ao review, concordo com tudo, inclusive com a implicância com os casais Faraday/Charlotte (pq não morreu ainda??) e Kate/Jack.

  7. Aline

    Quanto aos Oceanic Six encontrarem os Losties mesmo com as viagens no tempo, acho que encontram sim. Eu acho que a história dos Losties está acontecendo há três anos atrás porque é pertinente mostrar como eles lidaram com as viagens no tempo, como isso afetou suas vidas e tal. Em um determinado episódio, com eles já acustumados com isso, por alguma razão as viagens no tempo vão acabar e vão se passar três anos. Até porque o tempo corre na ilha da mesma forma que corre fora dela. Então a ilha não pode estar atrasada três anos. Não sei se deu pra entender muito bem o que eu quis dizer, mas enfim, acho que em um determinado momento as viagens vão acabar e os Oceanic Six vão voltar para seja lá qual época que os Losties estiverem.

    Quanto aos casais, concordo completamente. Charlotte é um PORRE. A atriz que a interpreta pior ainda. O Faraday até simpatizo com ele, mas o casal não convence ninguém.

    Eu adoro a Kate e pra mim o lugar dela é com o Sawyer, um igual. O Jack é chato e fica pior ainda quando está com a Kate. Aquela história que o Aaron é família dele também, pra mim não colou. Sou até a favor de um romance Juliet/Sawyer, mas acho que o lugar dele é com a Kate.

    Enfim, ótima review como sempre :D

  8. Paula Arruda

    O problema de abordar viagens no tempo é que elas nunca são coerente e já que não se pode mudar o futuro alterando o passado, porque voltar no tempo então?

  9. anderson

    é complicado viu. Povinho vive falando que não existe mais originalidade, que todas as séries são cópias, e quando uma série resolve arriscar, e propõe um método não linear, porém embasado, de contar um enredo o mesmo povinho vem falando “nossa, viagem no tempo é tao dificil de acompanhar” e bla bla bla bla.
    será que é tão difícil ver que o jeito que estão tratando viagens no tempo em lost é diferente de como fizeram em outras séries???

    Saiam da maldita caixa pelo amor de deus.

  10. Rodrigo

    Concordo em quase td neste review, inclusive que daniel/charlotteé um casal tosco e sem graça aluguma, além da atriz que faz charlotte ser péssima…
    Enfim, discordo, provavelmente o único aqui, que jack/kate são chatos e entediantes como personagens e como casal… assim como discordo como falam o mesmo de Serena/Dan, ou clark/Lana (embora confesse que esse último realmente cansou, mas eu torcia por eles)… e discordo primeiramente pq odeio esse senso comum que está rolando nessas sérres, com relação ao casal principal…virou moda torcer para não ficarem juntos, torcer sempre pelo outro do triangulo amoroso…
    Mas falando exclusivamente de Lost, o encontro de Kate e JAck neste episódio nada teve a ver com o romance deles, embora possamos sentri que sempre há algo diferente no ar… e quando jack diz que aaron faz parte de sua família tb, não foi uma fala dramática e melosa como alguns acharam… aquilo teve um sentido bem mais profundo, que óbvio que kate não entendeu, mas nós temos a obrigação de entender, já que ele é o sobrinho de jack…ou seja, aquilo foi um desabafo… e pra mim, kate não combina em nada com sawyer… alias, nem juliet combina tanto assim, embora goste de ver eles juntos… acho que sawyer faz mais o estilo solitário, mas se fosse para ele ter um casal na série, acho que ficaria mto melhor com alguem tipo a Ana lucia ou a amiga do rodrigo santoro que foi enterrada viva com ele (não lembro o nome dela), falando em tipo de personalidade….
    Bom, ficou meio grande mais é isso…
    Baraços a todos

  11. Eduardo

    Se alguém muda de forma significativa o rumo que as coisas devem tomar, acaba ocorrendo uma correção forçada pelo destino. O ex-marido da Juliet não foi atropelado à toa. Se não tivesse sido, ela não teria acabado indo para a ilha e exercido sua função no enredo. Aquilo foi um exemplo desse “course-correction” que o Faraday mencionou.

    Da mesma forma, Desmond lembrou de forma súbita a mensagem de Faraday, três anos após sair da ilha, porque essa é a quantificação da distorção temporal atual que separa a ilha do mundo de fora. Antigamente era apenas uma hora e meia, como Faraday comprovou em seu teste com o foguete.

  12. rodrigo

    As viagens no tempo de Lost são mais para esclarer assuntos ocorrridos no passado do que alterar o futuro. Diferente de Heroes elas não trazem perigo para o desenrolar da série uma vez que são coerentes dentro do contexto da série. Sinceramente só se perde assistindo quem é burro, que vão assistir American Idol que é de fácil assimilação. A propósito, eles voltaram ao passado não por vontade logo eles não voltaram para tentar mudar futuro, pelo menos não intencionalmente.

  13. sofia

    eu simplesmente odeio essas viagens no tempo,só assisto Lost porque devo ter sérias tendencias masoquistas,só pode ser.Porque a cada episódio eu fico cada vez mais irritada.

  14. Patrícia

    Estou adorando as viagens no tempo, e não tem nada de confuso nisso… eu só tava pensando uma coisa: os ‘Losties’ não dormem há quanto tempo será?

    Pode ser um palpite tosco, mas eu acho que o Miles é filho do carinha que faz os vídeos do Dharma (esqueci o nome dele), o bebê que apareceu no primeiro episódio dessa temporada…

    Estava aqui pensando: os outros (que viviam no mesmo período que os ‘losties’) não viajam no tempo também? Eu achava que só o Richard era exceção dessa viagem toda…

    Gostei da review, e dei muita risada também do Sawyer, hehehe

  15. Thais Afonso

    “Se alguém muda de forma significativa o rumo que as coisas devem tomar, acaba ocorrendo uma correção forçada pelo destino. O ex-marido da Juliet não foi atropelado à toa. Se não tivesse sido, ela não teria acabado indo para a ilha e exercido sua função no enredo. Aquilo foi um exemplo desse “course-correction” que o Faraday mencionou.”

    Também acho que a morte do marido de Juliet pode ter sido course-correction.

    “Pode ser um palpite tosco, mas eu acho que o Miles é filho do carinha que faz os vídeos do Dharma (esqueci o nome dele), o bebê que apareceu no primeiro episódio dessa temporada…”

    Pode até ser um palpite tosco, mas eu também tenho acho que Miles possa ser filho do Chang.

    “Estava aqui pensando: os outros (que viviam no mesmo período que os ‘losties’) não viajam no tempo também? Eu achava que só o Richard era exceção dessa viagem toda…”

    Pois é, eu acho que os Outros não viajam no tempo também não, mas se esse for o caso, porquê? O quê os torna imunes ao clarões?

  16. leoff

    Correção de curso implica em corrigir o que foi alterado. A rigor, parece que só Desmond possui alguma habilidade para alterá-lo. Ou seja: nada das viagens de Locke, Sawyer, Juliet & Cia. está alterando nada. Pelo contrário, está realizando o passado que sempre aconteceu.

    Nessa lógica, não creio que o marido da Juliet morreu por causa de uma correção. Foi assassinato simples e puro a mando do Ben. Tenho uma teorias a respeito da obsessão dele com a loira, mas não vou postar aqui ainda.

    E Eduardo: não há diferença entre o tempo na ilha e fora dela. Há sim uma anomalia temporal quando não se usa a coordenada correta para entrar ou sair. A anomalia é imprevisível: pode ser de minutos (foguete do Faraday) ou dias (helicóptero com Desmond e Sayid). Pode levar ao futuro (casos anteriores) ou ao passado (corpo do médico do cargueiro).

    O Desmond não lembrar por três anos do que Faraday disse me cheira a correção de curso. Aquele encontro não ocorreu originalmente, daí que o Universo só deixou Desmond se lembrar quando não alteraria nada. E, provavelmente, num momento propício para levar Desmond de volta à ilha, da qual não deveria ter saído.

  17. Paulo Antunes

    Uau, desta vez rendeu a discussão, que legal.

    Olha só, eu não tenho críticas as viagens no tempo, pelo menos não neste episódios. O que está me incomodando, mesmo, é a trama dos Oceanic Six.

    Aquilo é um tremendo MacGuffin, com os personagens correndo de problemas provocados pelo Ben que aparentemente serão solucionados pelo próprio Ben.

    Acho que o erro desta temporada é não ter explicado ainda porque os seis tem que voltar pra ilha. Eu ainda não sei. Não é que eles estejam dizendo “precisamos tirá-los de lá”. É algo como “quando estivermos lá eles vão parar de passar pelas dificuldades que estão passando”. Convenhamos, é muito vago, né?

  18. Nina Braga

    Burro é quem é pretencioso o bastante para achar que viagens no tempo são lógicas, coerentes e que não apresentam ¨furos¨. Adoro Lost e tenho coseguido entender essas viagens no tempo e não acho nada simples não, ainda que eles não estejam voltando(intencionalmente ou não) para mudar o passado e sim esclarecer alguns assuntos. Assuntos esses, que poderiam ser esclarecidos com um simples flashback dos personagens(o que já ocorre desde o primeiro episódio) não precisando viajar no tempo para isso. O que quer dizer que o verdadeiro significado dessas viagens deve ser muito mais do que esclarecer fatos do passado.

  19. rodrigo

    EuU também não curto esse negocio de viagem no tempo. Mas simples flashbacks não poderiaa ser aplicados para esclarecer as inumeras questões que surgiram ao longo das temporadas. Uma vez que nos flashbacks sempre havia um envolvimento direto dos “Losties” agulmas questões seriam solucionadas de que forma? Digo que as viagens no tempo são coerentes para a responder estas questões. E realmente burro é quem não consegue entender o que se passa nestas viagens e acaba se perdendo, se não entende que abandone a série, aliás já deveria ter feito isso antes.

  20. Rubens Fructuoso

    1) Heroes é um Lost genérico! Não vale a pena assistir! Nem o próprio produtor aguenta!

    2) Kate: a atriz é linda! E só! A personagem e a interpretação são um saco!

    3) Comparando com a estreia da temporada, os episódios 3 e 4 são melhores!

    4) Quero ver o passado dos franceses, entender o que realmente aconteceu com eles.

  21. Thais Afonso

    “Aquilo é um tremendo MacGuffin, com os personagens correndo de problemas provocados pelo Ben que aparentemente serão solucionados pelo próprio Ben.”

    Também acho, Paulo.

    “Nessa lógica, não creio que o marido da Juliet morreu por causa de uma correção. Foi assassinato simples e puro a mando do Ben. Tenho uma teorias a respeito da obsessão dele com a loira, mas não vou postar aqui ainda.”

    Agora você me deixou curiosa, leoff. Também tenho as minhas teorias, mas elas ainda são vagas. Quanto a morte do marido de Juliet, realmente, se precisou haver correção de curso, o quê foi alterado na linha temporal da loura? Eu estava pensando que o assassinato de Edmund (é esse o nome dele, não?) foi a forma de Juliet ir para Ilha já que ela tinha medo do ex-marido, e não iria enquanto estivesse vivo. Já que ela tem que ir pra Ilha, poderia ser algo que o próprio destino resolveu. Mas Richard e Ethan terem dado conta do recado ainda é a opção mais viável.

  22. Rodrigo

    “Assuntos esses, que poderiam ser esclarecidos com um simples flashback dos personagens(o que já ocorre desde o primeiro episódio) não precisando viajar no tempo para isso.”

    Essa é uma das maiores virtudes dessa série…se ainda vissemos flashbacks como antes, talvez mto aqui ja teriam enchido o saco deles e teria abandonado a série…mas as viagens no tempo são formas diferentes e, principalmente, dinâmicas de contar o que já aconteceu e o que vai acontecer, em substituição aos “simples” flashbacks e flashforwards… ou seja, é mais uma inovação, agora na narrativa, desta brilhante série….
    Mas eu tb concordo e espero que essas viagens tb serão mais importantes do que apenas contar fatos…
    Abraços a todos…

  23. giba

    Eu tb Sofia só continuo asssitindo pq acho que sou masoquista; terminei de ver o 05.10 e essas viagens no tempo estão me desestimulando a continuar; se antes eu não via sentido no inexplicável agora vejo menos ainda; definitivamente não há lógica nesse seriado. Eu gostava da interação dos personagens nos flashbacks, agora isso não existe mais; até tenho esquecido dos novos episódios. Perdoem-me os que estão amando o seriado mas eu tô largando de mão, hehehehe…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account