Log In

Reviews Spoilers

Review: Lost – Lighthouse

Pin it

Lost - Lighthouse

Série: Lost
Episódio: Lighthouse
Temporada:
Número do Episódio: 107 (6×05)
Data de Exibição nos EUA: 23/2/2010 na ABC
Data Prevista de Exibição no Brasil: 9/3/2010 no AXN

Lighthouse, como é possível imaginar, não foi um episódio particularmente tocante para mim. Eu reconheço tudo o que já foi dito por aí sobre a grande jornada do Jack de homem da ciência a um homem desesperado que deseja muito se tornar um crente, mas ainda não chegou lá. E acho tudo muito bem escrito e bem atuado por Matthew Fox, mas nesse processo o personagem também se tornou antipático e eu quero muito, mas não consigo driblar minha má vontade com Jack. Não é mais só um caso de implicância.

Na primeira temporada, eu o amava. Na segunda, nem tanto. Na terceira, voltei a gostar dele, e me surpreendi com Matthew Fox atingindo seu auge em Through the Looking Glass (e eu poderia fazer uma exceção ao episódio das tatuagens, mas apesar dele conter o pior flashback da série, eu lembro de como me tocou a tentativa de Jack de salvar a vida da Juliet. Foi uma daquelas vezes em que apreciei o complexo de herói dele). E veio a quarta temporada, e eu não consegui mais defendê-lo.

O problema, na minha opinião, é que Jack sempre é muito bom quando sua necessidade de consertar as coisas está voltada para algo pequeno. Suas cirurgias, a Sarah, a Juliet, a tentativa de salvar o acampamento de um ataque dos Outros (mais de uma vez), suas pequenas atitudes de liderança na primeira temporada, tudo isso conseguia ter um efeito em mim. Quando ele tinha uma missão maior, porém, as coisas saiam dos trilhos, porque eu nunca fui muito paciente com personagens que consistentemente ficam batendo a cabeça na parede por pura teimosia, e eu entendo que seja uma falha de cárater posta ali para enriquecer ele, mas é simplesmente insuportável.

Então, eu realmente gostei de ver aquele Jack novamente. O Jack que tenta consertar alguma coisa pequena, no caso seu relacionamento com seu filho David e eu acho que foi uma boa trama para ele. Porém foi difícil investir emocionalmente naquele plot quando Lost já nos ofereceu tantos plots idênticos, com praticamente todos os personagens, que o pequeno drama familiar dos Sheppard, mesmo assombrado pelo grande drama familiar que envolve ainda Christian e Claire, não se destacou tanto. Além disso, eu não sei qual é a história ali. Acho que a trama precisava de um pouco mais de contexto e seria bom se pelo menos tivéssemos visto quem é a mãe misteriosa de David. Eu apostei em Sarah e até me deixei imaginar que seria ela, porque pelo menos assim eu já tinha uma possível história a qual me conectar, mas existem várias teorias (uma delas de que a mãe em questão seria Juliet, o que não acredito, apesar dos olhos azuis de David).

Lost - Lighthouse

O Jack da timeline de 2007, todavia, continua não conseguindo me agradar nenhum pouquinho, não importando quantas confissões sinceras a respeito do quão perdido ele está forem entregues. Jack está, ainda, batendo com a cabeça contra a parede, tentando entender e talvez se ele não estivesse tão desesperado ele conseguisse as respostas que deseja. Por mais que minha implicância atual com o Jacob esteja superando todas as outras (começo a achar que o problema é o ator), ele tem razão quando diz que às vezes a pessoa simplesmente precisa sentar e olhar para o oceano. Nós sabemos que, teimoso como é, Jack poderia receber a mais direta das respostas de Jacob e continuar perdido. Ele precisa encontrar seu próprio caminho e não sei em qual timeline será, mas acredito que ele conseguirá.

Eu só queria que ele não tivesse quebrado a porcaria do espelho. Fiquei com a impressão de que aquele surto de raiva dele foi uma dessas muletas da narrativa que os produtores vivem usando para adiar uma revelação. O farol porém deu aos fãs mais dedicados muito o que procurar em termos de easter eggs e já há uma longa lista compilada que mostra não apenas o nome de Kate (esse até eu vi), como também o de Rousseau, e supostamente nomes conhecidos nossos como Linus, Burke, Rutherford, Faraday e Lewis (supostamente, porque eu não fiquei examinando a cena para ter certeza, então estou me baseando na Lostpedia mesmo).

Se esses nomes estiverem corretos, aquele Farol se torna ainda mais intrigante. Seriam todos os nomes da roda relacionados a candidatos? Quer dizer, podemos muito bem imaginar que talvez Jacob tivesse outras pretensões para outras pessoas. Além disso, será que todos os nomes só são necessariamente cortados quando a pessoa morre? Ou Jacob poderia ter reduzido a lista baseado em suas observações dos comportamentos dessas pessoas.

Todos aqueles nomes me fazem pensar se talvez Ben não estivesse mentindo e algumas das pessoas que ele dizia estarem na lista de Jacob realmente tivessem sido nomeadas pela entidade em um algum tipo de compilação entregue a Linus.

Do outro lado da Ilha (ou algo assim), Jin lidava com a Claire, que definitivamente incorporou todas as características de Rosseau, o que me faz pensar, e se a francesa tivesse sido infectada também? Foi tudo muito divertido, e o final foi extremamente cool, mas eu não sei o que especular ou comentar. Tenho certeza de que teremos respostas através do trio, mas por enquanto me parece demais com um déjà vu da estória da Rosseau.

Séries citadas:

É estudante de comunicação. Não vive sem The Good Wife, Parks and Recreation e 30 Rock. Ah, e Gossip Girl, que apesar do bom senso, ainda nao conseguiu largar.

22 Comments

  1. Paullo kidmann

    Na minha opnião eles estão mais uma vez só enrolando…tipo ultima temporada as coisas já deveriam está sendo esclareçidas…!
    não gostei do Jim ter mentido para a Clair nada haver.
    xoxo

  2. Pedro

    Tbm achei mó nada a ve o jim mentir pra claire pq não dizer pra ela q a kate estava com o aaron…e concordo tão enrolando d … essa ultima temporada é pra responder não trazer mais perguntas!!!

  3. Tiago

    Foi impressao minha ao as duas realidades estao se interligando, assim como todos os personagens.
    Será que no final vai ficar apenas um realidade mostrando que ninguem escapa de seu destino?
    Os episodios estao morno, tudo anda meio devagar. As coisas deveria esquentar mais daqui pro fim.

  4. Thiago Sampaio

    Tô começando a achar que a produção se sairia melhor se a temporada tivesse apenas uns 10 episódio… As ‘muletas’ estão sendo usadas demais, mesmo.

    E Thais, acho que fui mais longe que você: só deixei de defender o Jack agora. Que babaca! Pra que quebrar o vidro?! E ele é tão mimado que até Jacob sabe que pra convencê-lo, as atitudes precisam ser menos diretas. Pensei que com a morte da Juliet, ele fosse mais insistente na busca de rendenção.

    Falando na Juliet, ela ser casada com o Alt-Jack não me passou pela cabeça. Pode ser… Até pq, a Julie Bowen, que atuou como esposa de Jack, está em uma série da ABC e seria fácil usá-la nesse epi se quisessem. Mm..

    Acho que dava pra falar um pouco mais da Claire: achei uma maldade com a personagem o que aconteceu com ela. Ela surtou, criou uma cópia do Aaron… Pirou mesmo. E Paullo, Claire surtou tanto, que se Jin mantem a verdade de que Kate pegou Aaron, Claire metia uma machadada nele tbm

  5. Leo

    Vou ser rudi e grosso, já vou avisando.
    Não gosto dos seus reviews. Você critica a história e não o roteiro, tornando as coisas que a incomodam defeitos da série, parece que não enxerga o limiar entre detalhes técnicos e os impulsos que o próprio roteiro causa propositalmente..
    Assim como os personagens, acontece o mesmo problema, critíca as ações das personagens dando a entender que a falha é do autor, e não que o personagem seja propositalmente deficiente naquele quisito abordado.

    O problema da série é esse, ela é muito inteligente e muita gente não gosta por isso, não entende. Tenta interpretar tudo antes da hora, julga os elos inacabados antes do tempo de forma conceituosa, e assim martiriza o roteiro e os atores.
    Isso acontece a todo momento, paltando com exemplos para não ficar algo abstrato demais: desde o ocorrido com o Jim mentindo para a Claire (ele queria sobreviver!) às ações/expressões de Jacob que sequer sabemos se é humano, um guia espiritual, um ET ou seja lá o que for.

    Preservando a ética de um comentário construtivo, e não agressivo, meu conselho é que você não se force a analizar a série ao mesmo tempo em que a acompanha se por acaso faz isso, assista antes como telespectadora, depois, novamente, como critica.
    Não está com cara de revisão, está com cara de opinião pessoal.
    Abraços e desculpas se ofendi de forma negativa.

  6. Thiago Sampaio

    Mas Leo… as reviews aqui no Teleseries sempre são acompanhadas de opinião pessoal. Quando fazemos um texto aqui, procuramos não ficar amarrado apenas na descrição, pq não acrescenta em nada. Além da análise, é bom expor a opinião pessoal. E como nesse espaço é possível o comentário, sempre pode-se concordar ou discordar, como feito por vc agora.

    Thais fala das acerto ou defeitos de um personagem e culpa isso pelo roteiro: eu acho justo. Apesar de Lost ser muito centrada a partir da idéia dos seus criadores, ela é como outra série qualquer: possui uma lista imensa de escritores e as vezes cada um põe uma visão diferente do personagem, descaracterizando-o. E, se nós tempos uma imagem do personagem, assim como Thais tem as dela, devemos ‘culpar’ alguém por mudanças repentinas. Seja o personagem obra de ficção, ou os autores de ficção. Acho válido de qualquer forma.

    Quanto a analisar Lost adiante… Essa série é um bicho complicado: sempre digo q Lost é uma série sobre “o que já aconteceu e o que virá a acontecer”, pois as vezes os eventos presentes são meio frustrantes ou não condizem com nossas (imensas) expectativas. Então, as vezes, acaba sempre sendo mais legal, como faz a Thais, especular sobre o q está por vir, e não o q acabamos de ver.

    Seu comentário foi respeitoso, entendo o ponto de vista construtivo, mas… meio q concordo com a Thais em seus textos

  7. Marcelo D.

    Concordo em parte com a Thais e em parte com o Leo.
    Mas parece ser uma constante nessa temporada final, um episódio rico e outro pobre de detalhes. Mas indo a fundo no mistério, será que todos os personagens já estavam predestinados desde novos para a ilha como Jack disse? Ou a imagem no espelho é visto apenas pela própria pessoa? O Hurley viu o que era ou só perguntou o que Jack tinha visto?
    E qual q explicação para o japa do templo aparecer na audiência do filho de Jack?
    Espero que o próximo episódio esclareça ou comece a esclarecer alguns enigmas..

    Thais, coloquei uma pergunta no 1º post dessa temporada, vc viu?

  8. Eduardo

    Numa impressão inicial, a reação destrutiva de Jack com o espelho de Jacob pode incomodar alguns espectadores.

    De certa forma, ela funciona como um mecanismo para preservar o mistério pro restante da temporada, mas ao mesmo tempo, a cena funciona de forma orgânica porque Jack é exatamente o tipo de personagem que faria algo assim. A cena nunca daria certo se fosse Locke ou Hurley destruindo o espelho.

    Seu eu fosse o showrunner de Lost, é exatamente o que eu faria. Não dá pra entregar o ouro faltando 13 episódios, e Jack foi posto na posição perfeita pra retardar um possível momento Scooby-Doo com Jacob.

    Isso cria um paralelo com o Jack da primeira temporada que destruiu o caixão do pai ao o encontrar vazio, incapaz de olhar além da lógica e dar um pulo de fé.

    Mais do que qualquer outro autor, Damon Lindelof e Carlton Cuse sempre souberam executar Jack e suas reações características a situação na qual foi posicionado, realçando sua irracionalidade e necessidade de consertar as coisas e criar um propósito lógico em sua vida. A direção de Jack Bender também sempre casou bem com a forma como Matthew Fox conduziu o personagem.

    A linha alternativa cria uma situação interessante na vida de Jack. Sem a influência de Jacob ou a ilha, fica a impressão de que Jack teria uma vida bem mais simples, livre dos demônios que sempre o perseguiram, nesse caso o cowboy com sua relação conturbada com o pai, refletindo nessa nova relação com o filho. Se sempre houve um elemento capaz de levar o Jack ao extremo, sempre foi Christian Shephard.

    A questão de destino permanece um elemento central na série. Se é possível escpaar dele ou não permanece em aberto. Os episódios recentes tem dado credibilidade a idéia de Faraday que nós mesmos somos as variáveis capazes de alterar o resultado final da equação supostamente imutável.

    Fico cada vez mais impressionado como a temporada adquiriu semelhanças com o primeiro ano, mesmo de forma invertida.

    Pra mim, esse talvez foi o melhor episódio centrado no Jack desde o final do terceiro ano. Ninguém domina essa arco tão bem como Lindelof e Cuse.

  9. anderson

    Leo, desista. O tele séries sempre implicou e sempre implicará com lost. Basta ver que nesse ano, não teve nem uma colunazinha especial com a estréia da sexta e última temporada.
    Já House, que virou uma piada, ganhou um show pirotecnico soh pq sua estreia deu 6 pontos no demo.
    As pessoas não tem paciência com Lost Leo, as historias se desenvolvem em grandes arcos, e sim há necessidade de diminuir o ritmo as vezes.E são as mesmas pessoas que estão a 6 anos assistindo e não se elogiam q por mais que “odeiem” estao ai semana após semana.
    Mas a verdade Leo é a seguinte: é condiderado “cult” “cool” criticar Lost. Então ninguém aqui dará uma abordagem positiva a qualquer episódio.

  10. anderson

    Continuando, Leo quer ver uma boa review analítica de lost? vá no Blog lost in lost, lá os capítulos são dissecados no ponto de vista humano da personagem, e nao somente baseado na espera do que significa 4 8 15 16 23 42 e talz.

  11. Claudemir

    1.000% de acordo com você, Leo!!! É isso aí… Parabéns pelo excelente comentário; disse tudo e muito mais.

  12. Thiago Sampaio

    Mas Anderson… Lost (e 24 Horas) meio que estão estreando a nova maneira do site de acompanhar séries de lá fora. Quando escrevi a estréia de House, as reviews continuaram seguindo a exibição pela Universal. Mas Lost, desde o começo, está tendo sempre suas reviews acompanhando a exibição americana.

    Ó o texto da premiere da Thais: http://teleseries.com.br/review-lost-la-x/

    E desde quando virou crime criticar Lost? Cara, eu adoro, não perco um episódio, mas as vezes é difícil cair de cabeça na viagem que tá acontecendo com a série. Fã que é fã reconhece os méritos de uma série, apesar de seus possíveis erros

    Resposta do Paulo: Complementando o Thiago, a verdade é que Lost, 24 e Chuck são hoje as séries com espaço mais nobre no TeleSéries. Quebramos a tradição de sete anos do site para cobrí-las paralelamente aos EUA. Outras virão, mas estas foram as primeiras. Não entendo onde está a implicância.

  13. anderson

    Não acho crime não Thiago, mas as vezes parece “vício” criticar a série.
    Tb morri de raiva que o jack quebrou o espelho, mas será q nao era isso a ideia dos criadores? no fazer ficar perto, nos deixar ansiosos, gerar expectativas?
    Muita, mas muita coisa ja foi explicada e entendida nos primeiros 5 capítulos dessa temporada, mas nao sera tudo de uma vez. e obvio que ainda nos colocarão mais perguntas no processo, a temporada tem 17 episódios, e eles tem q nos manter interessados nesse processo.

  14. Alexandre Raider

    “E desde quando virou crime criticar Lost? Cara, eu adoro, não perco um episódio, mas as vezes é difícil cair de cabeça na viagem que tá acontecendo com a série. Fã que é fã reconhece os méritos de uma série, apesar de seus possíveis erros”

    É exatamente o contrário, é crime NÃO criticar Lost.

    Dizer que não estão revelando nada é uma injustiça, assim como disse o Anderson acima.

    Concordo plenamente com o Leo em relação ao review, também odeio o Jack desde a primeira temporada e não gostei dele ter quebrado o espelho mas ele sempre foi assim, impulsivo e irracional, é por isso mesmo que odeio ele. Não vou colocar a culpa nos autores/roteiros/série por que o personagem não me agrada.

    Lost tem muitos personagens para todos os gostos.

  15. Leo

    Uma critica centrada e coesa, para servir como exemplo do que eu havia dito, é a do Eduardo. Se fosse fazer resenhas de lost as faria assim.
    Mas vejam bem, esse é o meu ponto de vista e o meu gosto ao ler a sinopse/critica de uma série/filme, nada impede a argumentação de outros fatores, que não sejam de um ponto de vista técnico e sim de uma forma próxima aos telespectadores mais leigos, como ocorre aqui.
    O que me incomoda mesmo é uso dessa abordagem em conjunto a um pseudo ponto de vista técnico que não está de fato, sendo feito.

  16. Mica

    Engraçado, Thais, a única coisa que me faz gostar do Jacob é justamente o ator. Eu tenho milhões de pés atrás com ele, mas o ator é tão carismático que me faz sempre voltar a confiar na entidade.

    Eu sempre odiei o Jack e juro que quis matá-lo quando ele quebrou os espelhos (custava primeiro saber o que Jacob queria com o 108º e depois quebrar?), mas como disseram as pessoas acima, por pior que seja (e por mais muleta que pareça) é totalmente condizente com a personalidade do Jack até agora.
    Por outro lado, eu estou muito feliz com as histórias da realidade paralela. Fico super empolgada e me sinto realmente conectada com aqueles personagens (as vezes bem mais do que seus respectivos na ilha).

    A única coisa que realmente me irritou no episódio (e isso sim eu achei que foi a pior muleta de todas) foi a atitude de Jin. Tudo bem, Claire estava surtada, mas ela estava surtada justamente por não ter o filho, por ter se julgado abandonada, por ter sofrido tortura na mão dos Outros. O natural teria sido o Jin contar a verdade para ela. Ele temia pela sua vida? Claro! Mas ela o considerava seu amigo, ela mesmo disse e nada indicava que ela fosse matá-lo somente por ele dizer que o bebê foi levado pela Kate (para salvar o próprio Aaron). Ele poderia ter dito isso e explicado as coisas direito para a loura.

    Quanto aos nomes na roda…não sei se são apenas os candidatos ou se é o nome de cada pessoa que passou pela ilha.

    Seja como for, eu estou adorando esta temporada. Tem episódio melhor e tem episódio pior, mas isso é mais por conta do quanto eu gosto ou desgosto de um personagem e suas atitudes do que pelo ritmo da história em si.

  17. Paullo kidmann

    é verdade thiago mais de toda forma achei uma maldade o que fizeram com ela.

  18. cristiane martins

    Sinto muito, mas acho que a Thais está se deixando levar pela raiva dos personagens que não gosta de Lost, para montar o seu review.
    Leo, disse tudo que nós fãs gostaríamos de falar, sei que tem episódios que não são taõ bons, mas julgar o roteiro por não gosta do ator ou episódio, é dose!!!
    Eu não gosto de Kate, mas achei o seu episódio, bom, por mostrar que sua vida se cruzaria com a de Claire na realidade alternativa, da mesma maneira como se cruzou na ilha, o mesmo ocorre com o Jack ele é impulsivo, mas é necessário para o desenrolar da trama, e nesse episódio a revelação de sua vida na realidade alternativa, serviu como gancho, para especulações e teorias.
    Me desculpe Thais, mas antes de xingar os personagens que odeia tente analizar de maneira crítica o desenrolar da história, afinal Lost sempre teve o seu propósito, leio o Teleséries, além do lost in Lost e o Ligado em série, e vejo que antes de xingar o personagem ou o ator, devemos analisar a série como um todo.
    Também não gosto de Jack desde da segunda temporada, mas reconheço que ele é importante para trama.
    Me desculpe, mas é assim que me sinto………..

  19. Fabio Peixoto

    Só para não deixar passar, 108 = 4 8 15 16 23 42…

    PS: “Grandes merdas”, eu sei… :)

  20. leoff

    Episódio mediano. As coisas estão demorando mais a engrenar do que eu imaginava, mas ser a última temporada deve exigir mais tempo. Fiquei intrigado com Hurley apresentando sua teoria sobre os esqueletos de “Adão & Eva”. Ele disse o que todo mundo imaginava e ele é geralmente usado para apresentar teoria dos fãs que não se concretizarão. Se os esqueletos não são de losties que viajaram no tempo e morreram, o que são?

    Um padrão vem se apresentando, e isso é interessante especialmente para quem não vem gostando dos flash sideways. Todos os personagens aparecem se olhando no espelho, e justamente nessa hora tomam uma decisão que quebra seu antigo padrão e os leva à redenção. Kate deixa o egoísmo de lado e ajuda Claire; Locke desiste de esperar um milagre e aceita suas limitações; Jack encara seus problemas paternos ao evitá-los na sua relação com o filho.

  21. Eversmann

    Qual o problema da pessoa que faz o review expor a sua opinião? nao interessa como ela faz isso, o que importa é o que cada um pensa e esse espaço até onde sei é para a troca de idéias.

    Não quero ofender ninguém aqui, mas no meu caso sou um fã light, não true, acompanho tudo desde 2004 e poucos personagens conseguiram me cativar, na verdade somente o Jack e o Locke. O que mais me incomoda na questão do Jack são duas coisas, uma é fora da série, é justamente essa abordagem feita pelos roteiristas querendo transformar um homem de ciência num cara crente, nada mais ilógico e irracional mas… enfim, são os tempos em que vivemos.

    A outra é a situação do Jack como personagem, eu entendo perfeitamente a ira dele, o porque que ele detonou aquele espelho, e se eu estivesse lá derrubava o farol. Que porra de divindade, ET ou diaba a quatro é essa pra ficar me manipulando feito uma marionete? Que merda de joguinhos são esses que nunca levam a nada? ou melhor, levam…a dor e ao sofrimento. Alias, Lost está cada vez mais parecendo uma metáfora pra religião, e é justamente isso que da a entender até o momento, (eu analiso aquilo que está disponivel ao meu conhecimento), pois todas as pessoas envolvidas com a ilha, parecem fazer parte do tradicional joguinho entre o bem e o mal, o destino isso….o destino aquilo…e o Jack já está de saco cheio com tantas charadas, com tantas manipulações, alias? por que esses “seres especiais” (Jacob x dark side) tem tanta dificuldade em realizar tarefas simples, como recrutamento.

    Não acho o Jack um cabeça dura, e sim um cara em busca de respostas, o que quer dizer dar um pulo de fé? agir como o Hurley, que anota instruções no braço e obedece como se fosse um carrinho de controle remoto? por que o Jacob não avisou todo mundo no Templo? mais regras?

    O Jin foi é esperto, não da pra brincar com uma mulher e seu machado.

  22. jorge

    Herdeiros, candidatos, sucessores… é algo comum na História. Já foi visto antes, algumas vezes a sucessão é como uma libertação. Não para o sucessor, mas sim para o sucedido.
    Deixar de ser o monstro de fumaça (e ir pra casa), deixar de ser o curador da ilha; seria necessário passar a bola. Na caverna, a sucessão do preto; no farol, a sucessão do branco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account