Log In

Reviews

Review: Law & Order: Special Victims Unit – Smut

Pin it

Law & Order: Special Victims Unit - SmutSérie: Law & Order: Special Victims Unit
Episódio: Smut
Temporada: 10ª
Número do Episódio: 212 (10×10)
Data de Exibição nos EUA: 9/12/2008
Data de Exibição no Brasil: 10/2/2009
Emissora no Brasil: Universal

Eu iria dizer que Smut foi um episódio fraco porque havia achado a trama forçada. Mas então eu resolvo surfar na Wikipedia e me deparo com a informação de que o episódio foi baseado num caso real tão ou mais surreal do que eu achei que trama apresentada havia sido: Andrew Luster, herdeiro de milhões, foi acusado e julgado – mesmo enquanto estava foragido – por uma série de estupros cometidos contra mulheres drogadas por GHB enquanto estas estavam inconscientes. Elas não se lembravam do ataque e só puderam prestar queixa quando uma coleção de vídeos com os ataques foi encontrada pela polícia no laptop do sujeito!

Calma. Tem mais. Durante as acusações, ele fugiu do país e assumiu uma nova identidade no México. Por meses, viveu na zona litorânea do país, torrando grana e festejando, até que foi capturado por caçadores de recompensas da região! O dito cujo foi condenado a mais de 124 anos de prisão. Entre as acusações estavam 20 por estupro induzido por drogas, 17 por estupro de vítima inconsciente (sim, isso existe) e mais dezenas de outras por delitos como sodomia e etc. Ele foi sentenciado a seis anos de prisão por cada estupro e ainda por mais outros quatro devido a uma queixa de envenenamento que surgiu pelo caminho!

Depois dessa, não tenho como criticar a trama de Smut. E aprendi a não subestimar o mundo real.

O episódio começou bem. A tentativa de refazer os passos de uma vítima que não se lembrava de nada tinha tudo para ser promissora. Mas aquela sacada do além da Warner a respeito da tal ‘droga zumbi’, Escopolamina, foi estúpida (e a explicação deslocada entregue pelo Tutuola também). Deviam ter optado pelo GHB mesmo. Outra coisa irritante foi o didatismo exagerado do episódio. Os detetives pareciam um bando de enciclopédias e dicionários a todo instante. Além de fazer indagações retóricas continuamente (“Os vídeos tem data e hora”. “Então podemos saber o dia em que ocorreram os estupros?”. “Achei uma pasta criptografada”. “Um HD invisível?”). Por favor, né?

Pelo menos o julgamento foi bom. Muito bom. Os argumentos acerca do vício em pornografia, as citações interessantes dos estudos científicos e o constante vai e vem de réplicas concisas entre a promotoria e a defesa foram texto de primeira qualidade. E o final, com o réu tendo uma ereção após rever seus vídeos caseiros fechou o caso com chave de ouro. E quando aquele vídeo cômico do ‘golfinho tarado’ foi vazado do computador do juiz e quase botou tudo a perder? Impagável.

Law & Order: Special Victims Unit - SmutKim Greyleck (mais uma vez) esteve ótima. Sério, eu não consigo detestá-la, nem enxergar os defeitos que tantos apontam. Acho que as críticas são apenas implicância ou falta de costume com a Michaela McManus. Não, ela não é uma Stephanie March, mas é competente.

E a Olivia? Será que o trauma foi superado de vez? Aquela conversa com uma das vítimas sobre “aceitar o que aconteceu” começa a indicar que sim. Mariska é uma atriz fantástica e a cada descrição que cada uma das mulheres violentadas prestava, nós podíamos ver que ela estava agindo de acordo com alguém que conhecia cada palavra, que havia sentido na pele aqueles sentimentos.

É impressão minha ou o Meloni aparentou um tremendo cansaço e tédio durante o episódio?

Resumindo: Smut apresentou alguns vacilos entre momentos inspirados, o que prejudicou um pouco o saldo final. Kim Greyleck e o julgamento foram o melhor do episódio.

Semana que vem teremos mais uma trama com inspiração em casos reais. Dessa vez ocorreu na Áustria. O polêmico e chocante caso do pai que manteve sua filha em cativeiro no porão de sua casa por 24 anos, estuprando-a durante esse período, e tendo sete filhos (contando só os nascidos vivos) com ela.

Repito: parei de subestimar o mundo real. Os episódios da série andam parecendo suaves perante certos acontecimentos.

Séries citadas:

16 Comments

  1. Ana Maria

    Gostei do episódio( eu nunca deixo de gostar) e a
    cena da “subida” no tribunal foi hilária.Interessante seu esclarecimento Ângelo de que o mesmo foi baseado em fatos reais, porque para muitos a história parece inverossímel.A promotora saiu-se bem é verdade mas eu estou ansiosa mesmo é para ver Stephane March de volta.Fiqquei super feliz de saber que SVU está entre as 10 séries mais assistidas na TV a cabo.

  2. Leandro

    É , a gente pensa que é “coisa de filme” mas na vida real parece ser pior e mais sádica, também não duvido de nada , o bom é que as séries que retratam isso ficam cada vez mais verossímeis. Gostei do episódio, mas ainda acho a nova promotora um pouco engessada, deve ser o cabelo sempre preso rsrsrsrs.

  3. Maria

    Na discovery passa toda sexta-feira um documentário chamado “Índice da maldade”, um psiquiatra forense faz a análise dos acontecimentos e seus autores, acreditem, a vida real supera a ficção.

  4. Caíssa

    Eu parei de subestimar o mundo real quando li a história do julgamento de um cara condenado por comer outro. Detalhe, esse outro consentiu, após responder a um anúncio bem claro na internet. Ahhh, e pra quem ficou em dúvida, ele comeu nos dois sentidos… Eu, hein.

  5. Wizard

    Assisto todos os episódios das 3 franquias de Law & Order, porque nelas você conhece o lado sombrio e desgraçado da raça humana. Mas a melhor parte é a hora das condenações com penas grandes e duras para os vagabundos. Já no Brasil…

  6. Renata Simone Braga

    Gostei deste episódio e também não tinha a miníma idéia que era baseada em fatos reais. Essa me pegou! E quanto as críticas, sinceramente não achei que a trama vacilou e se o Elliot pareceu estar cansado e aborrecido, não consegui perceber.

  7. Edson

    Eu sou um daqueles que não gosta da atuação de Michaela McManus como a nova promotora Kim Greyleck. Ela não fez uma composição muito boa pra uma promotora. Seus gestos, seu andar, sua forma de interação, como ela solta o texto, parecem muito afetadas. Ela parece mais um personagem pra comédia do que pra drama.

  8. João da Silva

    Discordo. Acho que a Michaela McManus faz uma excelente promotora. A série ganha bastante quando ela aparece. É uma pena que ela aparece tão pouco.

  9. Denise

    É, eu acho que a Michaela tem realmente um fã incondicional na pessoa do Jõao da Silva que está sempre defendendo a atriz e ressaltando sua beleza. Eu até concordo com ele que ela é bonita mas falta-lhe carisma e o talento ainda é discutível. Vamos aguardar um pouco mais.Quanto ao episódio achei bom, no nível dos demais. Essa temporada está excelente e com a chegada da Alex Cabot a coisa vai esquentar.

  10. Fernando dos Santos

    Na temporada passada a Olivia passou por tantos eventos traumaticos que até fico surpreso pelo fato dela não haver surtado na época.Quase foi violentada no presídio,testemunhou a jovem agente federal meter uma bala na própria cabeça e quase foi explodida pelo Robin Willians.

  11. Fernando dos Santos

    Eu estava me lembrando que no final do episódio anterior o capitão falava para a Olivia tirar uns dias de folga no entanto ela apareceu neste episódio.

  12. Renata Simone Braga

    Também pensei nisso mas, acho que de um episódio para o outro esses dias de folga de Olívia já aconteceram e não acharam necessário mostrá-las.

  13. Jorge P.

    Apesar da história ser real, não gostei do andamento do episódio. Quanto à promotora, ainda não gosto da atuação dela.

  14. Fernando dos Santos

    Neste episódio, pela primeira vez consegui simpatizar com a Greyleck um pouquinho.

  15. ELAINE DAS GRAÇAS TONACIO

    Eu adoro esta série. Os protagonistas são excelentes e tem uma ótima afinidade. Realmente os casos nos deixam de cabelo em pé. É difícil assumir que o ser humano possa ser tão mau e insensível. Parabéns pelo ótimo review!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account