Log In

Reviews

Review: Law & Order: Special Victims Unit – Hammered

Pin it

Law & Order: Special Victims Unit - Hammered

Série: Law & Order: Special Victims Unit
Episódio: Hammered
Temporada: 11ª
Número do Episódio: 228 (11×04)
Data de Exibição nos EUA: 14/10/2009
Data de Exibição no Brasil: 24/11/2009
Emissora no Brasil: Universal

O perfeccionismo é uma virtude e uma maldição. Se por um lado ele motiva alguém a jamais aceitar a mediocridade, por outro corre o constante risco de arruinar algo satisfatório por conta do excesso. Geralmente, as consequências desse erro fazem o perfeccionista se odiar em dobro, tanto pelo simples ato de ter errado como também por ele ter sido o autor de sua própria sabotagem.

Sonia Paxton não é exceção a essa regra. Focada mais na punição do que na justiça per si, ela perde o controle da situação e obtém o resultado oposto ao anular o julgamento de um homicida. Sua autocrítica é tão insuportável – e inaceitável – que a faz desabar, canalizando a punição para si a ponto de comprometer sua carreira.

Christine Lahti é uma atriz fantástica, e todos os adjetivos que lhe pertencem já foram expressos em textos anteriores. No entanto, sua personagem sofreu bastante com a falta de tato do roteiro. A construção da personalidade de Sonia Paxton pecou pelos extremos sem nenhuma nuance: num instante ela era um robô que metralhava reclamações e sarcasmo, no seguinte uma frágil desequilibrada e perdida. O espectador precisaria testemunhar a transição de seu estado de espírito para que ela fosse além da caricatura. Nesse sentido, foi um erro não introduzir o alcoolismo da personagem durante esses quatro episódios. Artifícios sutis teriam surtido efeito, como uma insinuação de que o copo de café que ela sempre tinha em mãos na verdade continha álcool, por exemplo. Quando a vimos desgrenhada na mesa do bar e cambaleante no tribunal, mais uma vez isso pareceu caricato porque foi algo abrupto jogado na nossa cara sem desenvolvimento algum.

Felizmente o lado emocional do episódio aflorou graças ao talento de Lahti, que trabalhou muito bem apesar das limitações de tempo e do material que lhe foi dado. O momento em que ela suplica a Olivia que não a faça usar o bafômetro foi suficiente para nos atingir e compadecer pela promotora.

Law & Order: Special Victims Unit - Hammered

Outro acerto deste episódio foi fazer os demais personagens se confrontarem com a devastação que o álcool causou em suas vidas, remetendo a momentos áureos de temporadas passadas, com o Capitão Cragen, ex-alcoólatra, sentindo-se atingido perante o julgamento dos demais acerca da doença (1ª temporada) e com Olivia relembrando os momentos de terror e sofrimento com sua mãe, morta ao sair bêbada de casa e rolar a escadaria do metrô (2ª temporada).

Aliás, esse é um trunfo que a série vem usando de forma muito hábil: algumas cenas são tão eficientes a ponto de causar a redenção de episódios opacos.

Séries citadas:

14 Comments

  1. Thais Afonso

    Realmente, só o talento da Lahti para salvar, um pouco, o desastre que foi a construção da personagem dela. Aquela situação toda, revelada de repente, não fez sentido algum. Mas o episódio teve momentos bem tocantes, em especial as pontes com os outros personagens que você citou.

  2. Rodrigo Xavier

    O episódio foi ótimo, claro, mas por mim Paxton deveria ter ficado mais tempo na série para o seu personagem ser melhor desenvolvido.

  3. Renata S. Braga

    Adorei este episódio e lamento a saída da Paxton, megera ou não, gostei muito mais dela que da Greylack na temporada passada.

  4. Fernando dos Santos

    Gostei do episódio.Depois de três episódios de L&O:Eliott Stabler, a série finalmente voltou a ser SVU e tivemos um episódio onde a toda a equipe teve seus momentos.Até o Cragen saiu do escritório e foi interrogar o sócio do construtor.

    O roteiro me agradou por deixar no ar quase até o final a duvida sobre a culpa do réu.Durante vários momentos cheguei a pensar que havia uma conspiração para incriminá-lo.No fim ficou bem claro que ele não lembrava por ter cometido o assassinato sob efeito do alcool(se é verossímil eu não sei).

    Gostei também do review por relatar com exatidão os erros cometidos na construção da Sonia Paxton.Poderia ser um grande momento para a ótima Christine Lahti mas acabou sendo um equivoco na sua carreira.E como a Olivia e o Cragen não perceberam antes estes os sinais do alcoolismo dela?Os dois por experiência própria deveriam ter percebido desde o início.
    O comentário sobre o martírio auto-imposto pelos perfeccionistas também foi muito correto.Já conheci algumas pessoas que são assim e agradeço por não ser um perfeccionista(sou até um pouco desleixado).

  5. Claire

    Christine Lahti é ótima,pena que como citado o material dado à ela não foi tão bem cuidado…

  6. João da Silva

    Bom episódio, mas a Paxton terminou sendo uma personagem pessimamente construída, a impressão que deu é de que os roteiristas não se esforçaram etias livrar da personagem de uma forma consistente com o estabelecido nos episódios anteriores.

    No final, a promotora da temporada passada, Kim Greylek, teve um comportamento mais consistente, embora tenha sido subaproveitada.

  7. Ana Maria

    Foi um bom episódio, o Ângelo fez uma análise criteriosa e bem fundamentada e eu lamento pela sáida dessa ótima, fantástica, Cristina Lahti.Ela deu uma nova dimensão ao espetáculo, com interpretações marcantes e, apesar do seu personagem ser antipático,vai deixar saudades.
    O episódio em si foi linear, na medida que não tivemos desdobramentos que nos levassem a outras histórias,como normalmente ocorre em se tratando de SVU e o tema subliminar abordado no mesmo,o alcolismo,foi muito bem discutido.Aliás, uma das coisas que eu mais amo em SVU são os diálogos brilhantes envolvendo os detetives e os advogados,e, nesse mister, o Munch e a Olívia são particularmente brilhantes.Concordo plenamente com o Fernando dos Santos quanto a sua colocação de que o episódio lembrou o clássico SVU, em que toda a equipe participa de forma coesa.
    Acho que deixaram o alcolismo da Sonia desabrochar apenas no final, para causar impacto. Mas, já no episódio anterior ela mostrava que tinha vícios, e o seu desequilíbrio era notório.
    Essa 11ª temporada está bem superior as duas anteriores e, a cada semana, aumenta minha expectativa por novos episódios.

    …………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

    ……..

    ela é tão boa atriz que vai deizar saudades

    ngelo

  8. Leonardo Toma

    Concordo com a forçada abrupta revelação do alcoolismo de Sonia, mas eu acho que os roteiristas tinham que arranjar alguma história pra tirar a personagem de cena e como SVU sempre tem uma queda por dramalhão, deu no que deu. Mas Christine com certeza deixará saudades.

  9. Luiza

    Não vi esse ep.,mas vi os anteriores e concordo jogar esse alcolismo assim na nossa cara é abrupto demais,nunca tinha passado pela minha cabeça esse problema da promotora.Concordo que é uma pena que ela saiu da temporada,qdo. a vi no 1ºep,imaginei que seria por pouco tempo,mas a Christine é ótima e sempre deixa saudades,mesmo quando faz uma megera.

  10. Renata Penha

    Adoro (e sempre vou adorar) SVU, acho que o conjunto da temporada tem sido bom, mas achei uma ofensa aos fãs da série esse alcoolismo da Sonia nos 44 minutos do segundo tempo! Como o Fernando apontou, poderiam ter sido mostrados sinais de que ela era chegada num traguinho!
    De qualquer forma, Christine Lahti sempre vale o episódio. No final, ela conseguiu fazer com que nós tivéssemos o mínimo de simpatia por uma personagem chata e caricata!

  11. Ana Maria

    Só uma pequena retificação:no meu comentário, onse se lê alcolismo, leia-se alcoolismo.

  12. Fernando dos Santos

    Após o termino do episódio eu me dei conta de uma ausência importante e inexplicável naquelas circunstâncias, a do Wong.
    Ele seria um personagem de suma importancia para se constatar se a amnésia do sujeito era verdadeira ou falsa.E num episódio dedicado a equipe ficou ainda mais estranha a sua ausência.

    Quanto ao assassino da semana, eu acho que neste ponto só houveram acertos.O roteiro me deixou em dúvida até o fim sobre a culpa do sujeito, e a performance do Scott Foley conseguiu dar sustentação a esse artíficio dos roteiristas.Considero ele um ator bastante limitado, mas nesta participação em SVU ele se superou e conseguiu dar credibilidade a um personagem difícil.Ele realmente me fez acreditar que o sujeito não lembrava de nada.

  13. João da Silva

    O Wong é sem dúvida alguma o personagem mais subaproveitado da série.

  14. Denise

    A promotora Sonia Paxton ainda fará uma participação num dos próximos episódios!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account