Log In

Opinião Reviews

Review: Ídolos 2008, a formação do Top 10

Pin it

Cena de ÍdolosCom o término da fase no teatro, pudemos conhecer mais os candidatos que estavam classificados para a próxima fase do Ídolos 2008. A partir daí, as apresentações se mudaram para o estúdio da Record ganhando toda a tecnologia e produção que um programa como este necessita. Mas nem tanto. Foram quatro semanas de apresentações. Três de workshops, uma de repescagem e muitos tropeços pelo caminho.

A começar pelos programas das apresentações, totalmente gravado e sem a ajuda da edição, que praticamente esfregava na cara do espectador que o que acabara de ver se tratava de um corte seco e não de uma simples passagem de câmera. Na primeira e segunda semanas, o corte para o último intervalo aconteceu entre o vídeo da apresentação pessoal e a apresentação musical do último participante da noite, prejudicando, assim, o candidato.

A classificação desta fase se dá da seguinte maneira. Dez participantes se apresentavam no programa de terça-feira e os três melhores, na opinião do público que vota por mensagens de texto ou ligação, iriam para a final, sendo anunciados em um programa de menor duração (ainda bem) na quarta-feira. Sendo assim sobrava uma vaga. Pois bem, ao final de cada quarta-feira os jurados escolhiam dois participantes que, na sua opinião, mereciam uma segunda chance. E estes seis candidatos, concorreram a vaga restante na última semana desta fase.

O programa, no geral, tem qualidade, mas depois de sete temporadas de American Idol, os tropeços da versão brasileira se tornam muito evidentes. Rodrigo Faro tenta, mas lhe falta experiência e carisma. Os jurados também sofrem com sua falta de entrosamento. Marco Camargo e sua frase básica “não vou falar que você cantou bem, porque cantar bem pra vocês, nesta fase, é mais que uma obrigação” irritou por ter sido tantas vezes repetida. Calainho não acrescenta em nada aos candidatos. Paula Lima não consegue concluir raciocínios coerentes em seu julgamento, mas por ser artista, convence mais no seu papel de jurada, pois sabe o que os candidatos passam, lembrando muito Paula Abdul da versão americana, uma espécie de mediadora.

Cena de ÍdolosPor ser a primeira temporada realizada pela emissora, a qualidade dos candidatos foi uma surpresa. Na primeira semana, todos se saíram muito bem e me fez ter a impressão que acompanharíamos ótimos programas nas semanas seguintes. Estava enganado. A segunda semana foi uma bomba, com a maioria dos candidatos se perdendo em apresentações medíocres. A terceira semana, mediana. Todas elas conseguiram eleger os melhores e com qualidade superior a esperada, por isso digo que foi uma surpresa, apesar da minha favorita não ter conseguido. Na repescagem, apenas uma candidata se deu mal, em uma apresentação totalmente medíocre no programa de menor audiência da temporada. Lamento para os que não assistiram, pois perderam ótimas apresentações que, aliás, foram as melhores até agora. E mais uma vez, minha favorita ficou de fora.

Mesmo depois da fase de audições a “vergonha alheia” ainda aparece. Rodrigo Faro, no início do programa, solta um “Estava na Lua?” para o espectador. A candidata Bruna Caiala, durante sua apresentação musical, olha pra câmara e fala “filma, filma que eu to bonita” e Eduardo Louzada se espelha na mãozinha nervosa de Mariah Carey. Tudo isso no mesmo programa. E a pergunta que não quer calar – cadê os workshops que a gente não viu? Nem que fosse de Paula Lima, eles tinham que acontecer pára, pelo menos, justificar o nome da fase.

A partir de agora, o programa vai para o novo palco, maior, como manda a cartilha de American Idol e os candidatos são eliminados pela menor pontuação semana a semana. Assim, teremos, no mínimo, mais 17 programas pela frente. Haja fôlego e paciência.

Jorge Monteiro escreve regularmente sobre Ídolos no weblog TV Entre Outras Coisas.
As fotos que ilustram este texto são de Edu Moraes, retiradas da página oficial do programa.

Séries citadas:

9 Comments

  1. Edson R.

    Esse formato não deu certo aqui no Brasil. Nessa fase decisiva, o público começa a abandonar a atração, até porque a competição fica bem chata mesmo.

  2. Tati

    Na boa eu ateé gosto desse tipo de realit show musical, mas as 23 e tralala…..ninguém merece……Se fosse em um horário melhor eu assistiria…..

  3. Paulo Antunes

    Jorge,

    Realmente esta terceira fase de Ídolos foi irritante. Hellou, se a fase se chama “workshops” porque não colocar uma câmera filmando os ensaios e colocar no ar???

    Concordo contigo, nesta segunda fase o Rodrigo Faro está irritante. E a culpa é da produção que obriga ele a ficar enrolando por meia hora no programa de quarta-feira. É por isto que o Idol americano sempre tem convidados especiais, reportagens com os familiares e outros segmentos. Se querem nos deixar esperando, que pelo menos nos distraiam um pouco, né?

    Outra coisa, tá certo que boa parte do telespectador brasileiro é desmiolado, mas este negócio de um dia ser gravado, outro aparentemente ser ao vivo é um saco, confunde o telespectador com mais neurônio. Se é ao vivo no mínimo o Faro deveria olhar para o relógio e dizer “são X horas”. A impressão que me dá é que eles querem que o telespectador ligue pra ganhar dinheiro, mas que o voto não vai valer nada.

    Outra coisa. A fórmula do programa está errada! Se o American Idol faz sucesso que copiem a fórmula do American Idol e não a fórmula original. Assistir 10 performances para ver 7 candidatos serem eliminados é cruel. Basicamente isto incentiva o fãs dos 7 eliminados a desistir de ver o programa. É por isto que a fórmula americana é mais humana. Separar homens e mulheres e eliminar quatro por semana pra mim aproxima mais.

    Boa lembrança em citar a Bruna Caiala. Cara, eu achava ela tão gatinha, eu a chamava de PJ aqui em casa. Aí ela me faz aquela palhaçada lá, que absurdo. Achei aquele semana de workshops muito estranha. Parecia que os cantores estavam insatisfeitos, estavam largando a toalha antes da apresentação. Será que aconteceu alguma coisa nos bastidores?

  4. Neto Paes

    Concordo com o Paulo. O que me irritava no ídolos do sbt e nesse da record é justamente esse negócio de querer inventar, de querer fazer diferente da versão americana na escolha dos candidatos. Parece que alguém lá da produção levanta e fala “vamos fazer igual mas vamos fazer diferente, senão vão dizer que a gente tá copiando, que não sabe ser original”. Oras, se possuem os direitos de exibição e produção porque não seguem exatamente a cartilha do que faz sucesso no programa?! E sinceramente, até agora não vi nenhum candidato de quem eu compraria o cd. A maioria se mostrou de um jeito nas audições e agora nas apresentações estão bem aquém do esperado. Como diria o Simon “sounds like a bad kareoke”.

  5. L . E .S

    TBM CONCORDO COM AS OPINIOÉS EXPRESSAS , MAS ACHO QUE O QUE REALMENTE FALTA NO PROGRAMA SÃO PRODUTORES E DIRETORES COMPETENTES , AFINAL SÃO ELES QUEM ESCOLHEM E DECIDEM TUDO , SE COLORAM JURADOS QUE NÃO SÃO COMPETENTES O SUFICIENTE PARA OPINAR E ASSIM AJUDAR AO PÚBLICO A DECIDIR PELO MELHOR E MAIS PREPARADO CANDIDATO , E SE O PROGRAMA ESTÁ PASSANDO EM UM HORÁRIO TÃO TARDE É SINAL DE QUE NEM A PRÓPIA EMISSORA TEM CONFIANÇA NA AUDIÊNCIA , SE NÃO ESTARIA EM UM HORÁRIO NOBRE .

  6. mariana

    Assistir 10 performances para ver 7 candidatos serem eliminados é cruel. [2]

  7. Fernanda

    Jorge foi sempre vc qm fez os Reviews de Idolos?! Porque essa eh a impressão q eu cansei de colocar aqui no Teleseries!!! eauhuhauaeu
    Eu até tava me sentindo a estranha ou a do contra por n gostar do Rodrigo nem dos jurados da Record, mas agora to vendo que eu n to de implicancia e que essa eh uma opinião geral. Podem falar o que quiserem, mas continuo achando os jurados antigos mais carismaticos(ja to ate vendo gente me jogando pedras… ueauheau). A UNICA coisa que eu to achando legal na Record até agora é a produção q tá mto superior ao antigo.

  8. Jorge Monteiro

    Paulo,

    Não tenho certeza do que estou falando e alguém ligado a produção do programa pode até me corrigir, mas o programa de quarta-feira, mesmo com Rodrigo Faro pedindo pra votar, também é gravado. Eu estava em dúvidas até assistir à última quarta. Fiquei prestando atenção e, se o programa não for gravado, Rodrigo Faro voa de um ponto do palco ao outro. Heheheh.
    Outro dia, sem nada pra assistir, parei no SBT e vi um pedaço de Astros. Os jurados estão dando de 10 a 0 nos no Ídolos, mas concluí que isso foi o tempo que fez. No começo, eles eram uma negação.

    LES tem toda razão. Falta direção ao programa. Direção especializada, para dar mais dinamismo que este tipo de programa merece.

    Fernanda, sou colaborador recente e só escrevi o review anterior a este. Heheheh…

  9. Rodrigo Coletto

    Isso de dividirem em grupos e apenas alguns passarem para as fases finais, eliminando o resto, não é uma invenção da versão brasileira. O American Idol foi exatamente assim até a terceira temporada. O Australian Idol, que é considerado um dos melhores Idols do mundo, é assim até hoje. Eu também prefiro o sistema atual do American, com o Top 24, eliminando quatro por semana, mas o método utilizado aqui no Brasil faz parte sim da cartilha original do programa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account