Log In

Reviews

Review: House – Top Secret

Pin it

Cena de Top SecretSérie: House
Episódio: Ultra Secreto (Top Secret)
Temporada:
Número do Episódio: 62
Data de Exibição nos EUA: 27/3/2007
Data de Exibição no Brasil: 28/6/2007
Emissora no Brasil: Universal

Chegamos ao 16° capítulo da temporada. De todos eles e até dos futuros, podemos dizer que foi um dos mais diferentes, inclusive da série toda. Na primeira vez que vi, eu já havia gostado do episódio, mas não tanto quanto dessa segunda vez. Dos últimos episódios que passou, foi o que mais cresceu na revisão e crescia em cada cena que revia. Será que preciso falar que o Hugh Laurie entregou mais uma brilhante atuação essa semana?

Encaro esse episódio como uma homenagem ao House, até por isso aquele final ao som do Curtis Mayfield, “Superfly”, foi simplesmente perfeito e maravilhoso. Ele enfrentou um medo dele: o inexplicável, sonhou com seu paciente. Sofreu de um terrível e doloroso efeito colateral do Vicodin e enfrentou isso a sua maneira. Levou um fora da Cuddy. Teve um sonho no hospital. Fez piadinhas. Fragou o novo casal do hospital do jeito que só ele faria. E no meio disso tudo ainda curou o paciente. Ou seja, o House tem seus problemas, está longe de ser perfeito, mas ele é assim. Feliz de como vive sua vida. E é isso que foi esse episódio.

“GREGORY HOUSE, M.D.
Department Of Diagnostic Medicine”

Cameron e Chase

Que a pupila é linda, não há como negar. E como ela estava irresistível neste episódio. Durante um exame de sono do paciente, que estava normal, ela sugere a Chase irem para o quarto ao lado e transarem. O interessante é ver ela no ataque e o Chase hesitando e resistindo até onde é possível. Durante o processo, o paciente passa mal e o Foreman chega e quase pega os dois no pulo.

Foreman os questiona depois e para se safar, nada melhor que usar a verdade quando se sabe que quem a escuta não acreditará nela. Cameron se encarrega de contá-la:

Certo. Nós confessamos. Você nos pegou. Entramos num quarto do laboratório e fizemos sexo. Não deveríamos fazer isso enquanto trabalhávamos e sentimos muito. Agora podemos continuar?

Foreman, como visto, não acredita e aos risos, diz:

House transa com o Wilson antes de você transar com o Chase.

A melhor parte é o Chase desacreditando no que está ouvindo. Mas tá certo que ouvir depois a Cameron dizer que o recompensará é um belo consolo. Ele depois diz que não fará mais no hospital, logo ela sugere para irem “almoçar”. Essa história dos dois até poderia ficar deslocada do resto da série, mas foi bem abordada até agora, sem exageros e no ritmo dela.

Ao voltarem do “almoço”, House fica desconfiado. Ele já havia ficado antes. O casal não resiste e para finalizar o dia resolvem se pegar no almoxarifado. É ai então que vem uma das melhores partes do episódio. O doutor entra como quem não quer nada procurando uma lixeira e sai como se fosse a coisa mais normal do mundo. Ele deve ter rodado vários lugares procurando eles. Mas os fins justificam.

Paciente da clínica

House está sem urinar há dias devido ao efeito colateral do Vicodin. E a paciente tem uma compulsão, beber água sem parar e para isso mantém sempre à mão uma garrafinha dela. O som da água se debatendo dentro da garrafa junto com a vontade incontrolável do doutor ir ao banheiro, o tiram do sério e ele grita:

Pare!

Foi engraçado por ele logo após voltar ao normal fazendo as perguntas para a garota. Descobre-se que ela tem diabetes insipidus. E House mais uma vez mostra todo seu poder de observação, acertando que a moça adquiriu a doença rachando sua cabeça na barra de ginástica, mas como ele sabe?

Fácil. Belo traseiro, sem peitos. Você tem as mãos de um estivador.

Paciente da Semana

Um ex-fuzileiro naval com Síndrome da Guerra do Golfo. Coisa que não existe, mas mesmo assim ele apresenta: cansaços exantemas e dores nas juntas. E mesmo o House não querendo tratar, a princípio, ele terá, já que o cara é sobrinho de um importante doador de fundos para o hospital a quem a Cuddy deve um favor. A cara de assustado ao ver a foto da pessoa, é ótima, já que foi quem ele havia visto no início do episódio, quando sonhou fazer parte do exercito no Iraque.

Como não sabem muito bem o que ele tem, nem por onde começar direito, é pedido quase todos os exames. Nada aparece. Enquanto isso, House está totalmente disperso, distraído pela dor e pela curiosidade de saber se já conheceu o paciente antes.

Durante o teste, que eu já falei, o paciente apresenta um novo diagnóstico: vaginose bacteriana em sua boca. Vamos dizer que isso é uma coisa nada agradável, ainda mais onde ele teve. O caso se complica já que ele afirma não ter tido relações sexuais de nenhum tipo há um ano. Próximo palpite, câncer. Wilson se junta à equipe e fará uma biopsia nas glândulas salivares.

Uma tomografia mostra pelo menos 6 tumores em sua cabeça. Ele perde a audição. Quando vão o operar, eles desaparecem. Depois ele deixa de sentir suas pernas e a paralisia começa a progredir para o resto do corpo. Mas uma coisa interessante é que o House desconfia que o Hospital dos Veteranos teria errado, Cuddy tem certeza que não foi isso que ocorreu, House então:

Sim. Por que uma agência do governo iria mentir para encobrir um erro que pode ter causado a morte do cara que vem tentando matar nos últimos dois anos?

Finalmente, após sonhar com toda a situação, House tem o seu insight. Ele descobre que o paciente está sem pelos e com cicatrizes de cauterização nas narinas. Seu pai e avô também passaram por isso. Ele tem uma doença genética chamada: Telangiectasia Hemorrágica Hereditária. Ou seja, uma doença genética que destrói seus capilares. Ele também tem uma má formação artério-venosa. House explica o resto:

Ele certamente tem MAVs. A MAV próximas a medula causa a paralisia. A MAV no pulmão impede o sangue de ser filtrado. O sangue sujo causa a dor na juntas, fadiga e a infecções na boca e no cérebro. Nada que algumas cirurgias não corrijam.

House e o Efeito Colateral

Ele aparece no banheiro, com o Wilson, tentando urinar e não consegue. E parece que já vem ocorrendo há dias. Em casa ele tenta novamente, coloca uma bolsa de água morna, entra na banheira cheia de água e nada. Seu sofrimento fica cada vez maior, seu Vicodin vai acabando.

Ele vai até o Wilson para conseguir uma receita de um remédio, Alfuzosina. Ele poderia parar com o Vicodin, mas ele quer mijar e não sentir dor. Ele revela que não urina há três dias. O amigo percebe que o doutor não está mentindo e receita o medicamento. Ele continua tomando, mas parece não estar fazendo efeito. Cuddy o pega tomando comprimidos, ela pergunta se ele acabou de tomar dois Vicodin:

Não. É um antidepressivo. Mandaram-me tomar dois toda vez que entrasse na sala.

Cena de Top SecretHouse não agüenta mais, vai para casa e leva alguns suplementos necessários para o que tem que fazer. Ele enfia um tubo de borracha pela uretra, se entope com todo o Vicodin que tinha. Já que eu nem consigo imaginar como isso deve ser horrível, o que imagino é que ao mesmo tempo em que vinha a dor pelo procedimento, o alívio deve ter sido uma das melhores sensações que sentia. O cateter que ele introduziu é ligado em uma bolsa para coletar a urina e ele vai dormir, aliviado. O que o doutor tem a dizer sobre isso que fez:

Não é tão ruim depois dos primeiros 23 ou 25 cm. O cateter aliviou o espasmo e está novo em folha.

O Wilson dá um super discurso sobre como não é normal isso acontecer, que o uso abusivo do Vicodin causou isso e etc. Pergunta se ele não teria algum motivo para diminuir o uso. O interessante é que o amigo do doutor nem tentou com tanto afinco, foi quase um tiro no escuro, pois ele já sabia a reação dele. Tudo está uma maravilha no mundo de House.

House e os Sonhos

Ao som de K.C. & The Sunshine Band, “Get Down Tonight”, temos uma das melhores aberturas que a série já viu. Filmada com o ponto de vista de um dos soldados, vamos vendo as rochosas paisagens do Iraque. E que maravilhosa fotografia teve toda a abertura. Então o jipe do exército é atingido por uma bomba. Ele capota, começa a tocar Wolfmother, “Dimension”, e é correria para todos os lados. Pelo menos para quem pode, já que a pessoa que nos leva a esse passeio, perde a perna direita. Quem o resgata? O paciente da semana, quem é o que perde a perna? Private Gregory “G” House.

Ele confidencia o sonho que teve com o paciente com seu amigo Wilson. Ele não consegue acreditar que tal coisa ocorreu, tem que haver alguma explicação. Ele vai dizendo que pode fazer coisas incríveis e fora do comum, cita que dadas as devidas circunstâncias, pode fazer duas mulheres entrarem em êxtase simultâneos. Wilson não perde a piada:

As devidas circunstâncias sendo o acordo de te cobrar no mesmo cartão de crédito.

Wilson riu primeiro, mas depois de uma informação muito precisa e bem informada sobre o Village People, House empata a jogada.

House começa então uma pesquisa obsessiva para saber de onde ele conhece o paciente. E a busca do doutor rendeu momentos preciosos, alguns antológicos.

Durante a primeira rodada de diagnósticos, ele pede um exame detalhado do cara, na verdade detalhado até demais:

Procure todas as clínicas e hospitais que ele já esteve. Cada cidade que viveu e… Se ele já esteve na TV.

Mas porque na TV?

O problema pode ser neurológico. Todos sabem que a TV apodrece o cérebro.

Em outra cena, enquanto tenta urinar na banheira, ele aproveita e dá uma olhada na ficha e em todas as revistas que tem em casa, e que podem ter imagens do paciente. O paciente piora, algumas coisas são descobertas e a procura pela causa aumenta. House então pede para Cameron:

Chame o tio dele de volta. Descubra se alguma vez ele trouxe o sobrinho para festas ou arrecadações de fundos, no hospital.

Aqui temos um dos meus momentos favoritos de toda a série. O paciente acorda na sala de cirurgia e não sente suas pernas, começa a se desesperar e se debater. House tenta o tranqüilizar e aproveitar e tirar algumas dúvidas:

John! John! Nós vamos descobrir o que tem de errado com você. Mas primeiro precisamos saber uma coisa: Você já apareceu em algum filme pornô?

Agora partindo para o segundo sonho. O incrível de desse sonho é ele ter previsto o que os pupilos iriam fazer, na verdade nem é tão incrível assim, já que ele sempre faz isso. O paciente começa ter complicações. Cuddy está presente na sala. Enquanto briga com todos, vai descobrindo o que há de errado com o paciente. De repente urina no chão, Chase escorrega e vemos o cateter do House amarrado em sua perna. Olhares perplexos para o doutor. House começa a ficar confuso e a sangrar pelo nariz. A parte em que ele começa a se dar conta de que é um sonho é fantástica. E sim, eu não desconfiei que era um sonho da primeira vez que vi.

House e Cuddy e a reposta

Além de descobrirmos que o carinha na verdade pegou a Cuddy tempos atrás em um evento do hospital, a série volta abordar a história de que House e Cuddy já tiveram um caso. A doutora percebe que o doutor se lembrou do carinha por causa dele ter ficado com ela. Então finalizo o review com o brilhante diálogo final deles, já que não conseguiria expressar tão bem o que ocorreu a seguir. Primeiro ela diz:

Me esqueça.

Me dá um tempo. Você me contratou…

Porque você é um bom médico e não conseguia ser contratado nem num banco de sangue, então paguei barato.

Você me deu tudo que pedi, porque uma noite eu dei tudo o que você…

Pare de fitar minha bunda quando pensa que não estou olhando. E de aparecer em restaurantes em que por acaso estou num encontro. E de me fantasiar no chuveiro. Aquele navio partiu há muito tempo, House. Esqueça.

Se está se referindo ao seu traseiro, acho que “super petroleiro” seria uma metáfora mais precisa.

Séries citadas:

22 Comments

  1. Leon

    House segue com uma ótima temporada ! a cena final que o house entra na sala como se não estivese acontecendo nada foi impagavável !

  2. Cesar

    Ótimas passagens, mas achei um episódio apenas “bom”. Pra House, “bom” é pouco; se comparado a outras séries, “Bom” é “Excelente”.

    Talvez, como você frisou, Anderson, seja uma questão de conquista: ao rever o episódio possivelmente ele “cresce”.

  3. Carina

    Estava ansiosa pela sua rewiew! Foi um episódio peculiar e diferente de House, o

  4. Carina

    Estava ansiosa pela sua rewiew! Foi um episódio peculiar e diferente de House, o

  5. Carina

    Desculpe-me, problemas de teclado, enviei o comentário incompleto…
    Continuando, achei um episódio diferente pois apresentou uma situação que foge um pouco do esquema habitual da série e mostra que os roteiristas têm talento para fazer algo diferente e ser bom. A pergunta “você já apareceu em algum filme pornô?” me fez rir muito e percebemos que o nosso doutor aprecia este estilo de filme…
    Não demore tanto a postar as rewiews Anderson!(rsrsrsrsrs) Ao ler, é como rever todo o episódio e ver alguns pontos que, muitas vezes, passam despercebidos e fazem uma diferença na impressão final. Abraços!

  6. Helena

    Veja só o nível da série. Um episódio muito bom, mas que não chega perto dos melhores da série, pode isso?
    Tivemos partes excelentes no episódio, como a entrada, o diálogo entre House e Cuddy, Wilson falando sobre o Village People, a parte em que ele pergunta se o paciente fez filme porno (Ainda bem que teve o comercial logo depois, pois não parava de dar risada e acabaria perdendo algumas cenas) e toda a cena do segundo sono de House. Com tantas partes boas, acho que o porque deste episódio ainda não se comparar com os melhores de House é que foram apenas passagens. Tirando estas cenas o episódio teve um nivel normal, claro que se tratando de House o nivel normal é muito.
    Num geral, foi um episódio muito bom mas lembraremos apenas de algumas partes não do episódio todo.

  7. Caio

    estava aguardando ansioso!
    as usual, ótimo review para outro ótimo ep.
    Somente a risadinha do House nos últimos segundos do ep, após ter pego os dois se agarrando, já teria pago a hora a mais q fico acordado para poder assistir!
    E amanhã tem mais…

    [ ]s

  8. Ana

    Foi um episódio muito bom.
    A parte do filme pornô foi fantastica (como disse a Helena ainda bem que os comerciais vieram em seguida XD.
    Pode ter certeza que vc não foi o único que achava que não foi um sonho.

  9. Lucas Barreto Gomes Leal

    é foi legal ver ele se ferrando por conta do Vicodin, e essa do House transaria com o Wilson antes de vc transar com o Chase foi uma das melhores piadas da série…hehehe

  10. Silvia

    Tudo bem que o House enche o saco da Cuddy, que o lance entre eles nunca é esclarecido, mas péra aí!Não se pode ignorar os “23 à 25 cm”. Quem mais vai fantasiar sobre isso?

  11. Silvia

    A Cuddy tá se “fazendo” demais! Parece que na 4a. temporada,….

  12. Silvia

    MELHOR PIADA:”Desde quando ele limpa o escritório?” + aquele risinho no final!

  13. Amanda

    Episodio na média, mas valeu pelas sempre ótimas conversas entre House e Cuddy, mas pra mim a melhor cena do ep foi a Cuddy depois da conversar com o House sair andando e vira e da aquele sorrisinho depois do comentário dele sobre a comparação da bunda dela, e o risinho dele de volta depois que ela rir foi tudo, muito bom.

  14. Rosana

    A razão principal de acessar este site é sempre o review cheio de detalhes, por sinal sempre muito bem escrito. Adoro as dicas sobre a trilha sonora, como ele (o Anderson)consegue eu não sei, mas o parabenizo por isto.

    As malandragens de House faz com que fiquemos atentos ao que o ser humano é capaz de fazer, apenas para seu deleite pessoal. Mto boa sacada dos roteristas.

  15. Carina

    Rosana, bem lembrado: as dicas de trilha sonora são bem vindas (toca músicas ótimas na série), além da rewiew excelente e cheia de detalhes.

  16. SANDRA CASSALI

    Nem o House conseguiu escapar de um sonho sem uma explicação racional. O uso abusivo do medicamento para dor tem o seu preço . É preciso muito sangue frio para colocar uma sonda urinária em si próprio mas isso é fácil para alguem como ele.

  17. Anderson Vidoni

    Melissa,
    Bem vinda, pela primeira vez aqui no review. Não sei se foi só eu, mas captei um tom meio “estranho” na sua mensagem. Pode ser só impressão minha. De toda forma, saquei minha querida coleguinha. Um erro imperdoável meu que deveria ser punido tomando Vicodin até ter esse efeito colateral que o House teve. Brincadeiras a parte, valeu pelo toque.

    E viu o episódio? O que achou?

    Leon,
    Essa cena final foi ótima mesmo e adorei o fato de finalizar com a porta e a inscrição do nome dele.

    Cesar,
    Eu tive uma impressão parecida com a sua quando vi pela primeira vez, só que gostei um pouco mais já na época. Mas ele cresceu muito na revisitada e esse lance de encarar ele como uma homenagem ao personagem, ajudou.

    Carina,
    Obrigado. E tentarei entregar o review antes, o dessa semana irá sair antes e depois quero manter ele saindo sempre as sextas. Vou tentar cumprir. E sim, além dele ter tido um caso com a Cuddy tempos atrás, descobrimos que ele é um consumidor de filmes pornô.

    Helena,
    Acho que colocou bem, ele será lembrado por algumas cenas mesmo. E teve muitas memoráveis. E eu que gostei mais dele na revisitada, também acho que fica bem atrás dos melhores da temporada. Além de também ter rido muito na hora da pergunta do filme pornô.

  18. Anderson Vidoni

    Caio,
    Obrigado. E essa risadinha ai, aquela depois da discussão da Cuddy. Tenho que concordar, já valeriam o episódio. E daqui a pouco já ta passando House.

    Ana,
    Em outras oportunidades, parecia que só eu que não percebia da primeira vez, mas parece que dessa todos cairam na do sonho.

    Lucas Barreto Gomes Leal (Gandalf),
    Ótima piada mesmo, adorei a brincadeira com o que é sempre especulado. E você não gosta muito do House, hehehe.

    Silvia,
    Podem fantasiar a vontade :p E vamos esperar pra ver o que acontecerá, mas sabe que não to achando a que a Cuddy ta se achando. E quando o Chase fala isso e depois mostra o House com o sorrisinho, ri muito também.

    Amanda,
    O comentário do House do “super petroleiro” foi ótima. Mas a Cuddy conseguindo deixar ele sem graça e depois saindo com aquele sorriso depois desse piada, realmente foi maravilhoso.

    Rosana,
    Agradeço pelas palavras. E sempre pesquiso sobre o episódio para conseguir passar todas as informações sobre eles. E eu também agradeço sempre os roteiristas por isto.

    SANDRA CASSALI,
    Essa cena da sonda eu passei mal junto com o House. Mas ele estava sob o efeito de uns 10 comprimidos de Vicodin, aliviou um pouco.

  19. Silvia

    Anderson, minha opinião sobre a Cuddy estar “se achando”, foi só prá esse espisódio. Pois ela conseguiu “sacar” a real intenção do House. Ela não tava entendendo aquela perseguição dele. À princípio, poderia ser só mais uma implicância dele. Mas aí ela percebe que ele “tem” um interesse por ela,ou que pelo menos o lance entre eles foi forte prá ambos. É alí que eu acho que o lance meio que subiu prá cabeça – no fundo ela adorou. Ela finalmente deixou o House meio desconcertado. Mas a alegria dela vai durar pouco, pois ele vai voltar com força total ….

  20. Lucas Barreto Gomes Leal

    Anderson eu adoro o House mas eu acho ele como pessoa uma pessoa pessima…(e acho que tenho motivos pra isso) e acho que como médico ele é brilhante (e tenho motivos pra isso tb) hehehe
    mas adoro ver ele se dando mal ;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account