Log In

Reviews

Review: House – Son of a Coma Guy

Pin it

Cena de Son of a Coma GuySérie: House
Episódio: Herança de Família (Son of a Coma Guy)
Temporada:
Número do Episódio: 53
Data de Exibição nos EUA: 14/11/2006
Data de Exibição no Brasil: 26/4/2007
Emissora no Brasil: Universal

O Morse praticamente já faz parte da série (pelo menos até o décimo primeiro episódio da temporada). Então o ator convidado do episódio foi o John Larroquette (Happy Family, O Desafio). Ótimo no papel do cara em coma. E tenho que confessar que adoro ficar falando e repetindo o nome original do episódio, Son of a Coma Guy, Son of a Coma Guy…

Mais um ótimo episódio, pra manter o nível da temporada. Sei que venho repetindo isso, mas é verdade fazer o quê? No começo estava até achando que seria mais um episódio no mesmo esquema que já estamos cansados de ver. Mas fomos surpreendidos. O foco mudou, a história mudou. Fomos conhecer mais do cara em coma e mais do House. O que por si só já vale o episódio.

E cada vez mais a série tenta fugir de seu esquemão, pelo menos tenta mudá-lo, tenta criar em cima dele. Nessa temporada não houve um episódio “típico” da série. Alguns tiveram muitos elementos, mas basicamente diferentes. É ótimo quando aparece um paciente da clinica, logo nos vem à lembrança os pacientes que o House já atendeu. É como um sentimento de nostalgia bem explorada pela série.

Tritter

Sim, nosso amado policial não foi embora, ele está firme e forte em sua jornada contra o doutor. Neste capitulo ele entrevista os pupilos do House atrás de informações e contradições.

Cameron vai depor, parecia meio nervosa, mas por fora estava calma, parece que se controlou bem. Ela então conta aos seus colegas. Diz que ele perguntou quantas pílulas House toma por dia e diz que falou que eram seis, Foreman então pergunta:

Por dia ou numa bocada?

Ela não acredita que o House tenha roubado o bloco de receitas do Wilson. Um pequeno traço da antiga Cameron.

Foreman diz durante a conversa entre seus colegas que o House é um viciado, que faz tudo pra conseguir o que precisa. Mas perante o Tritter, ele diz que doutor precisa do remédio para sua dor. Diz que é uma idiotice ir atrás dele, que tem coisas mais importantes pra policia ir atrás. Ele é o mais prático dos três, tem a idéia de que o ele é viciado, mas sabe que não afeta seu julgamento, então mentiu para o policial.

Chase no começo fica na defensiva e protege o House. Diz que receitava remédios quando ele o pedia. Mas não vimos o final da conversa. Tritter conseguiu ou não alguma informação dele? Seu histórico não é muito favorável, quem sabe o que aconteceu? Mas é bem suspeito.

Na primeira cena do episódio, Wilson vai confrontar House sobre este ter lhe roubado o bloco de receitas e forjado sua assinatura, além de ter que mentir para um policial sobre o ocorrido. Mais tarde, durante a viagem, ele não resiste e fala tudo que tem pra dizer, questionando porque House roubou o seu bloco:

O do Foreman, da Cameron e do Chase eram tão convenientes quanto. Mas a associação com você é involuntária. Eles são seus empregados. Eu me relacionei com você por escolha própria. E qualquer relacionamento que envolva escolha, você tem que ver até onde pode forçar até que acabe.

House faz suas gracinhas durante o discurso do Wilson, mas ele parece estar falando sério e complementa dizendo que um dia a amizade deles iria acabar.

Ao final do episódio, descobrimos que os 3 pupilos contaram sobre a visitinha do policial para o House. E pior, que o cartão de banco do Wilson foi bloqueado para investigação criminal. As coisas estão ficando cada vez mais difíceis para ele suportar a situação e também põe em teste a amizade.

Son of a Coma Guy

House já tinha visto o paciente e testa sua teoria nele, descobrindo que ele tem uma doença que não o deixa ver coisas em movimento. Mas a falha é intermitente, ou seja, não ocorre sempre, parece ocorrer mais em lugares escuros.

A conversa com ele, assim como a tradicional visita a casa do paciente, só mostra o quanto ele é sozinho. Sem família, a única que tem é seu pai em coma. Sem amigos próximos. Recorre à bebida, que lhe trás problemas no fígado, que começa a falhar.

Após seu fígado, é a vez de seu rim. O cara está ferrado pra valer. House então acha que a única alternativa é pegando um histórico melhor, com seu pai. Ele usará uma droga para acordar o pai do coma ou como gosta de dizer, do estado vegetativo. Ele vai à sala do cara em coma para tentar acordá-lo, mas Cuddy chega pra impedi-lo:

Abaixe essa seringa.

Eu consigo sacar mais rápido, forasteira misteriosa.

House acaba injetando a droga e o cara acorda com fome. Dez anos em coma e o cara acorda falando normalmente, depois andando normal. Essa droga é bem poderosa mesmo. E nenhum histórico de doença na família da esposa ou na dele. Wilson faz uma brincadeira bem divertida com ele. Diz:

O comentário na lanchonete foi que o cara cáustico acordou o cara em coma.

Tecnicamente o cara em estado vegetativo foi acordado pelo… Sim, cara cáustico.

O paciente então entra num estado mais grave do coma. E pra piorar, depois seu coração é quem começa a falhar. Ele tem cardiomiopatia. Ele precisa de um transplante. Mas sendo alcoólatra, sem chances.

Durante a viagem, House finalmente descobre o que há de errado com o garoto, é uma doença genética. Mas como vimos antes, de nada adianta, se ele não receber um coração. Mas ao termino o pai doa o dele para o filho.

No fim, ele pergunta se o pai deixou alguma mensagem para ele e House fala a sua frase, a que gostaria que seu pai dissesse a ele. Apesar de confuso, o garoto aceita e até fica contente, só por escutar algo de seu pai.

Cara em coma – estado vegetativo

O pai não quer ver o filho, não quer saber dele. House acha normal, enquanto Wilson acha que pode ser alguma seqüela do coma. Ai entramos numa interessante discussão entre amor condicional e incondicional. E nosso doutor termina dizendo:

Tudo é condicional. Só não se pode sempre antecipar as condições.

O cara em coma se levanta e está colocando suas velhas roupas. Emagreceu bem. Ele então faz uma alusão a criar uma dieta do coma, diz que poderia ganhar uma fortuna. É uma boa dieta, mas não ganha da do Adaminha de Battlestar Galactica.

Cena de Son of a Coma GuyO cara tem um dia de vida e ao invés de ajudar o filho, quer ir passear, comer um sanduíche. House então resolve ir junto para tentar tirar algo do dele. É claro que pega o carro do Wilson, além de uma graninha também. Mas seu amigo não gosta do cara em coma dirigir e vai junto. E os três vão para Atlantic City. O quão legal não foi o Hugh Laurie de chapéu? Adorei. Na parada da viagem, o doutor ficava enchendo o saco do cara, que resolve fazer um joguinho. Para cada pergunta que House fizer, ele terá que responder uma antes.*

O cara conta que era um chefão de uma empresa e adorava o poder. E o único poder dele agora é o de encher o saco dele. Dei um sorriso nessa hora, até porque a cara do House foi ótima.

O interessante da viagem, é que enquanto o House obsessivamente tentava descobrir algo sobre a doença do filho do cara. Wilson tentava desesperadamente descobrir porque ele não se importava com o filho. Ele insiste tanto em saber sobre o pai e o filho, que este não agüenta, se pergunta por que está tão preocupado com ele? O doutor então diz:

Bem no fundo, Wilson acredita que se ele se preocupar o bastante, ele nunca terá que morrer.

No final do episódio, durante uma conversa do quarto de hotel o cara em coma explode e revela tudo que estava guardando dentro de si. Ele acha que falhou em garantir a segurança de sua família, não salvou sua esposa. Não queria ficar no hospital e ficar olhando enquanto não conseguia salvar o filho. Quanto ao House o ter acordado, não preciso nem dizer.

Após descobrir sobre o problema do coração do filho, o pai decide doar seu coração pra ele. Já que ele em poucas horas voltaria ao estado vegetativo. Ele resolve dar sua vida pela de seu filho.

Wilson tenta argumentar contra, Cuddy tenta impedir. Mas como não se pode transplantar de um paciente vivo. House e o cara em coma, pensam numa solução. É uma cena tensa, onde ele pede para o seu amigo sair do quarto.

Discutem sobre a melhor forma de fazer o que tem que ser feito. Pílulas, enforcamento, estrangulamento. Enquanto isso Wilson pega a bengala do doutor e vai até o cassino pra conseguir um álibi. E a cena dele cantando a mulher foi uma boa distração do clima mais pesado que estava no ar.

Então acontece. House com o Wilson no corredor, o silencio que toma conta dele. Vem o barulho, forte e esperado. Está feito. Seu filho terá outra chance.

House

Durante as perguntas do pai do paciente, vimos que House já se apaixonou, e foi pela Stacy. Também descobrimos que ele a conheceu numa partida de paintball, de médicos contra advogados.

Outra pergunta. Por que o ele se tornou médico? Ele conta que se pai foi transferido e estavam no Japão. Seu amigo se machucou e ele o levou ao hospital. Passaram por um zelador no corredor. Os médicos não sabiam o que fazer, então chamaram esse cara. O zelador era um médico também, mas não era aceito pelos outros profissionais. Ele também não se vestia bem. Um típico House. Todos lá o desprezavam, achavam que ele não era necessário, até que precisassem de sua ajuda, já que ele, assim como o House, sempre estava certo. Ou seja, tudo que sentiam ou tinham contra o cara, não importava nessa hora. Eles tinham que o ouvir.

A voz, as reações e expressões do Hugh Laurie ao contar a história foram excepcionais. Pudemos ver sinceridade, além de um misto de admiração que tinha desse sujeito e um pouco de vergonha por estar revelando a história.

A última pergunta, nos momentos finais do cara em coma, é: se pudesse ouvir uma única coisa de seu pai, provavelmente seria?

Queria que dissesse… ‘Você tinha razão. Fez a coisa certa’.

* Se o joguinho de perguntas por perguntas já não foi alusão suficiente, House ainda diz uma fala do filme Silêncio dos Inocentes durante uma conversa com o cara em coma:

Quid pro quo, Clarice.

Séries citadas:

27 Comments

  1. Leon

    Outro episódio muito bom que mantém o altíssimo nivel que esta temporada vem mostrando. Estou adorando como os episódios estão focando em house, seus conflitos pessoais e conflitos com pessoas ao seu redor como sua equipe, cuddy e wilson. Tá realmente muito bom.

  2. Vanessa

    Anderson, estou exagerando ou House mereceria no mínimo uma indicação ao Emmy esse ano? Em especial os roteiristas que estão excepcionais. Estão saindo um pouco da fórmula, explorando mais as nuances dos personagens (principalmente de House) de uma maneira muito bacana, e escolhendo caminhos não tão óbvios. Só de fazer a Cameron menos chatinha… E estou cada vez mais gostando do Foreman, só a resposta que ele deu para o Morse o fez subir no meu conceito. Para mim ele é o mais racional e o menos chato dos três. Em compensação, o Chase está se revelando um mala.

    Gostei desse episódio, principalmente do Wilson, quero ver até onde ele agüenta. E um House mais humano foi bacana.

  3. Lucas Barreto Gomes Leal

    esse episódio foi D+!
    a parada do alibi foi hilária…na hora o Wilson cantando a mulher não entendi muito bem…mas assim que ele chama o “House” eu percebi o golpe
    uahuaahuauhauhah
    muito bom mesmo!como sempre!!!
    e parabens pelo review Anderson
    citou até o regime do Apollo em BSG…poh mas lá ele ainda teve ajuda do Helo nos exercicios fisicos!!!mas ele saiu do estado Jo Soares pro estado Bombado mas enfim…sci-fi pode se permitir a essas coisas!!!auhauhahuahahu

  4. Paulo Fiaes

    No começo n estava gstando do ep.
    mas depois quando eu vi House se abrindo, foi muito bom.
    gostei da citaçã a BSG
    pow, Lee deveria fazer um video de como deixar de ser gordo e ficar malhadão, rrs.
    otima review

  5. Fer Funchal

    eu gostei deste episódio. mas é engraçado, ainda não consigo sentir pela terceira temporada as mesmas coisas q eu sentia pela primeira e pela terceira. oh, well. acho que sou eu quem estou mudando, e isso é muito bom :-)

  6. vera lúcia pinheiro de oliveira

    Embora não tenha aparecido por aqui, estou assistindo aos epsódios da 3ª temporada e não me sinto muito entusiasmada com os mesmos. Acho que a atuação de Hugh Laurie continua irrepreensível e a magia da amizade que o une ao Wilson também continua me emocionando muito, mas a série está diferente: nos primeiros epsódios, pensei que House havia mudado e ia se tornar mais humano como médico e como pessoa; já nesse último epsódio, embora tenha contado com algumas situações hilárias, não gostei da falta de ética do House – uma coisa é enganar a Cuddy para não atender na clínica, assistir novela e tomar lanche junto aos pacientes em coma, fazer o Wilson pagar suas despesas ou então esconder o bife debaixo da salada para pagar menos no buffet (estas são coisas engraçadas, mesmo sendo erradas, porque não chegam a trazer grandes prejuízos para ninguém e servem para caracterizar a personalidade de House), mas no último epsódio ele deu a idéia do suicídio ao paciente (uma coisa inadmissível para um médico). Eu adoro a série, adoro o elenco, mas não vou concordar com tudo! Acho também que está faltando um pouco de romance na série: não a Cameron (que é muito jovem e ingênua), nem a Stacy (já passou o tempo dela) e também ninguém em caráter definitivo (porque a personalidade do House é a de um homem solitário), mas bem que poderia aparecer alguém para dar uma balançada no coração do médico mais charmoso da tv.

  7. Silvia

    Fantástico!! Sugerir prá que alguém se mate com a proposta de salvar outra pessoa, só o House pode fazê-lo sem ser frio e calculista. Na verdade, o cara ia morrer mesmo. House só apelou pro amor incondicional que o pai PODERIA ( deveria?) ter, assunto discutido ao decorrer do episódio.
    E outra : essa amizade do Wilson é ÚNICA. Espero que o House não perca a noção das coisas e bote tudo a perder. Quem não quer um amigo assim?

  8. Silvia

    E tem mais ! Também concordo que uma nova paixão prá detonar com o House seria ótimo. A pergunta é : quem seria esse mulherão??? Deixo pros meninos sugerirem isso!!

  9. Lucas Barreto Gomes Leal

    vera lucia eu discordo de vc…pq falta ética dizer pro paciente se suicidar???o que vc queria que ele fizesse deixasse o cara voltar a ser vegetal e o filho morto!?!??!
    pelo menos assim o pai que morreu não morreu por nada e sim pra salvar a vida do filho!

  10. Géssica

    Primeiro adorei o seu comentário ” Ele então faz uma alusão a criar uma dieta do coma, diz que poderia ganhar uma fortuna. É uma boa dieta, mas não ganha da do Adaminha de Battlestar Galactica ( pensei nisso assistindo BG no sabado…) outro comentário hilário do house foi qdo o garota estava tendo uma convulsão no qto do pai. O House disse que adorava essa familia!!!
    Otimo review sobre um episodio impecavel…tbém fiquei com a pulguinha sobre o depoimento do chase e qual o futuro de house/wilson na investigação policial.

  11. Anderson Vidoni

    Vamos por partes:

    Leon, essa é uma caracteristica desse começo de temporada, por isso estou adorando tanto.

    Thais, deixa a Stacy com o marido dela lá, hehehe.

    Vanessa, os roteiristas mereciam uma indicação sim. Mas o Hugh Laurie merecie é o Emmy direto.

    Lucas Barreto, eu também tinha ficado confuso, mesmo achando engraçada a cena. Mas depois também percebi. Mas a cena foi hilária, a mulher recusando, o Wilson revirando os olhos, excelente.

  12. Anderson Vidoni

    Continuando:

    Eric, estou esperando.

    Paulo Fiaes, obrigado. A dieta do adaminha é milagrosa, infalível. Se fizesse o video, iria ganhar horrores.

    Fer, entendo e até já conversamos. Mas podem surgir outros sentimentos pela série, descobrir algo que não via antes e voltar a gostar com a intensidade de antes.

    Vera Lúcia, já tava com saudades dos seus comentário, não suma assim mais. Sobre uma mulher para o House, parece que a Piper Perabo vai entrar pra isso. Vamos ver como vai ser.

    E sobre o House e o coma guy. Eu não vi problemas e concordei com o House. O cara pensou em tudo e ele resolveu doar seu coração para o seu filho, mas falaram que ele não poderia, o House só deu a ele a escolha que ele não tinha. Ele queria doar, mas não deixaram, House só mostrou um modo dele conseguir fazer sua vontade. E é interessante notar que mesmo o Wilson e ainda mais a Cuddy, mesmo reprovando, entenderam a atitude dele.

  13. Anderson Vidoni

    Parte final:

    Silvia, essa exemplar amizade, está mesmo a perigo. E se eu pudesse escolher uma mulher para o House, não sei quem poderia ser, gosto de pensar na própria Cuddy. Mas quanto pensar em um nome, coloco aqui.

    Géssica, obrigado. E o Chase é suspeito, já aprontou antes e não mostraram pra criar esse clima mesmo. E ficou o mistério no ar. E o House falando que adorava essa família foi ótimo, o que explica ele ter pego o caso.

    fim.

  14. Mica

    O que o House fez com o pai no final, foi não apenas antietico como criminoso. Instigação ao suicídio é crime!!!! (pelo menos aqui no Brasil é) Tanto que o Wilson sabia muito bem que o House iria fazer isso e tratou de achar um hálibi para ele, pq se ficasse comprovado que ele tinha ficado sozinho com o paciente e colocado idéias suicidas (mesmo que fosse para salvar o filho), o House teria problemas seríssimos (como se ele já não tivesse, com aquele policial doido atrás dele).
    Estou notando que o House, muito embora continuo abusando do Wilson, tem ciência do quanto a amizade dos dois é peculiar e especial. Ficou claro (pelo menos para mim) que ele preza o relacionamento que os dois têm e não quer realmente perdê-lo…o difícil é ele segurar a sua personalidade auto centrista e começar a fazer algo que tire o Wilson das enrascadas que ele o mete.

    Gente, desculpem aí os erros, mas eu sou simplesmente incapaz de saber quando colocar hifens, juntar ou separar palavras compostas. Uma negação desde a infância..aiaiai.

  15. vera lúcia pinheiro de oliveira

    Amigo Anderson, obrigado pelas “boas-vindas” (eu sempre voltarei!). Olha, com a cabeça mais fria até entendo a atitude do House em relação ao suicídio do paciente, só não quero que ele vire mau-caráter (além de deixar de ser o meu herói, ele vai colocar em risco a amizade do Wilson que, eu insisto, é a coisa mais bonita e sólida da série).
    Oi, Sílvia, por que nós não podemos opinar sobre uma namorada para o House? Podemos, sim (afinal, ele é nosso… rsrsrs…). E concordo com quem sugeriu a Cuddy (sempre imaginei os dois juntos) porque ela é forte, irônica e competente como ele!

  16. Lucas Barreto Gomes Leal

    Mica sim foi um crime…mas quantos crimes o House não cometeu pra salvar uma vida!?!?!?acho que ali foi apenas mais um…eu faria o mesmo no lugar dele…
    e acho que ele se encaixa em “auxilio ao suicidio” não é nem só instigar não…mas enfim Mica esse episódio é o de número 7 (se não me engano) da terceira temporada ;)
    vera lúcia eu fui um dos que defendi Cuddy e House como casal…mas acho que a doutora não quer nada com House não!!!hehehe

  17. Mica

    Eu gosto da idéia da Cuddy com o House…eles realmente formam um casal muito fofo :-) (se bem que eu gosto é do House com o Wilson, mas deixa quieto pq isso são outras discussões).

    Quanto ao suicídio, não sei se foi além da instigação…só seria auxílio se ele proveu o meio necessário. No caso ele é quem deu os remédios, né? Então seria auxílio.
    E…por melhores que fossem as intenções dele, não deixou de ser crime. Se o pegassem, tava ferrado. E o Wilson sabia disso muito bem, por isso é que providenciou o hálibi.
    Seja como for, fico feliz de que pelo menos na morte o pai foi capaz de ajudar o filho. Mas ele não deveria ter morrido com esse peso…achando-se inútil para a esposa e filho. Ninguém pode culpá-lo por não ter conseguido salvá-los no incêndio, nem ele deveria culpar-se.

  18. Lucas Barreto Gomes Leal

    sim concordo que foi crime…mas foi o que eu disse quantos crimes já não cometeu o House pra salvar vidas?!?!?!ali acho que foi ‘só’ mais um por isso que não entendi a polemica pq dessa vez não foi só pra satisfazer o ego ou curiosidade do House que a lei foi desrespeitada mais sim pra salvar uma vida!
    portanto dessa vez achei mais que justa e obvia a atitude do House eu particularmente teria feito igual

  19. Silvia

    Pessoal, eu também torço prá Cuddy. Tem um climinha ótimo entre eles, mas acho que isso poderia acontecer bem mais tarde. O House precisa é daquelas porradas da vida que te deixa mais louco ainda. Gosto de pensar numa paixonite intermediária. Quanto sugerir a gata, deixei pros guris sugerirem porque eles sempre têm alguém na cabeça (ops!). Mas se a mulherada quiser opinar, be my guest!

  20. thiago

    olá!

    keria perguntar se alguém sabe qdo será lançada a terceira temporada de House em DVD???

    Agradeço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account