Log In

Reviews

Review: House – Instant Karma

Pin it

House - Instant Karma

Série: House
Episódio: Instant Karma
Temporada:
Número do Episódio: 114 (6×05)
Data de Exibição nos EUA: 12/10/2009
Data de Exibição no Brasil: 12/11/2009
Emissora no Brasil: Universal

As palavras do House no último capítulo viriam bem a calhar para descrever este aqui: “estamos em três anos atrás?”. Esse foi provavelmente o episódio que chegou mais perto do que a série era nas primeiras temporadas em muito tempo. Na verdade ele foi uma mistura do antigo com o novo, já que tivemos alguns toques de quinta temporada também.

Mas se tem uma coisa que está me agradando nesta temporada, é que o House realmente mudou e não foi algo apenas para a super premiere. Além disso, a continuidade no caso do Chase a respeito do ditador do último episódio foi muito bem desenvolvida. E ainda tivemos uma história bem forte para o paciente da semana. Ou seja, tinha tudo para funcionar perfeitamente…

Reservei um parágrafo para a Thirteen, pois não quero ser muito chato. Mas ela é um mistério. Ela não serve para mais nada na trama, mas os roteiristas continuam insistindo. Nesse eles chegaram até a forçar algo que não existe, quando Wilson diz que ela é necessária por manter o House com os pés no chão. Isso é surreal e querer atribuir uma importância que o personagem nunca teve. Porque assistimos a temporada passada e não tinha nada disso. Ela tinha uma doença, mas parece que esqueceram um pouco. Fora a pior cena do episódio, a do taxi. E todo o enorme tempo gasto com ela, poderia ter sido usado para desenvolver mais a trama do paciente ou a do Chase. Juro que não falo mais na Thirteen neste texto, mas será que sou só eu que acha isso?

Sobre o paciente da semana, ele era um filho de um super milionário. Este era o tipo de cara que corre riscos e sempre se dá bem. Tudo em que toca “vira ouro”. Mas como ele mesmo diz: tudo, menos sua família. E neste caso temos seu garotinho, que já passou por todo tipo de médico imaginável e nunca foi descoberto o que ele tinha. Quando mais uma vez ele sofre um ataque, seu pai resolve ir atrás do melhor: House. E eu adorei o modo como ele abordou a Cuddy exigindo a presença dele e não do Foreman, foi praticamente um resumo sobre o doutor:

Meu filho já esteve em boas mãos. E ainda está morrendo. Cansei de utilizar os bons. Quero o melhor. Todos dizem que é o House. Se ele não estiver morto, em coma ou louco, quero que ele trate meu filho hoje.

Para ver como sua sorte é boa, três semanas atrás ele não poderia contar com o doutor. E sei que se fosse eu quem tivesse feito esse pedido a Cuddy, iria ter meu tratamento feito pelo Foreman. Mas é claro que ser um homem bilionário, ajuda. Então tivemos o antigo pupilo comandando de fachada e o House ditando as regras. Um arranjo bem interessante para o doutor. E quando acontece o primeiro encontro destas duas figuras, House não perde a chance de brincar:

Você é o Dr. House?

Sei que é um grande fã. Mandarei uma pessoa te dar uma foto autografada.

Há uma melhora na liderança do Foreman na equipe, claro que o tempo ajuda sempre. Mas ele não é um líder nato como o House, como bem aponta Chase. E o legal é ver o doutor apoiar e se importando mais com paciente e equipe. Mesmo que ele não resista as brincadeiras em alguns momentos:

Notaram algo estranho no formato do acúmulo de fluídos?

Meu deus! É a Virgem Maria.

Assim como ele diz para o Foreman que ele teve uma boa idéia, algo impensável durante muito tempo, ele continua com suas armações com o Wilson. Dessa vez ele tenta cancelar a viagem da ex pupila e faz seu amigo fingir que foi ele. Tenho que dizer que adorei ver o Wilson mentindo. E foi falando de sua ex funcionária que ele teve seu insight para salvar o garoto.

House - Instant Karma

O título do episódio fala sobre o Carma. E se no fim House teve seu insight e salvou o garoto, antes ele achava que era alguma doença incurável. O que leva o pai do paciente a vender tudo que tinha, achando que ao fazer isso, seria compensado pelo Carma e seu filho se sairia bem. Uma espécie de milagre. E como vimos, ele obteve êxito e seu filho se sai bem. Apesar de ser uma idéia interessante, para mim a conclusão não teve impacto algum. Parece que faltou desenvolver um pouco mais essa trama para dar o impacto necessário.

E acho que não há prova maior da volta do House, do que ele descobrir sobre o caso do Chase e ainda o livrar a cara. Falando do antigo pupilo, pudemos ver nestes últimos episódios a falta que ele fez. E como é bom ter um personagem relevante na trama. Quem não ficou tenso na cena em que ele quase conta para Cuddy o ocorrido? Mesmo suas conversas com o Foremam, foram ótimas.

E nada melhor do que acabar o texto, do que com uma frase do House para o Chase:

Melhor um assassinato do que um diagnóstico errado.

Séries citadas:

6 Comments

  1. rosana

    Só voltei a assistir House porque realmente mudou. Quanto a 13, concordo plenamente com o Anderson, não sei porque continua lá. Ela não atua nada e sempre fica com a mesma cara de pastel em todas as cenas.

  2. Tina Lopes

    Adoro o Chase, não entendo a existência da 13 também, mas sinceramente, o House vai sempre resolver tudo com um insight durante conversa com o Wilsonzzzzzzzzzzz? Cansa, né. A equipe, seja a antiga, nova ou mista, não serve pra nada.

  3. gabriele

    eu tambem concordo, por que eles insistem na13? Gente, ok, sabemos que ela é linda, mas ela é pessima atriz e NAO contribui para historia. a parte dela foi chaaattaaa!! E o pior que ouvi por ai que ela vai ficar na série e ter alguma coisa com o House, please, né?! vao tirar a Cameron que é super legal e manter a chata da 13?1 NAO ENTENDO!!

  4. bia mafra

    Bem, quem eu realmente nao gostava saiu, entao por mim, deixa a thirteen, mas que essa de que eh ela que mantem os pes no chao do house foi exagerado foi. ate aceito que o house nao consegue mexer tao facil com ela do que com os outros, era muito engraçado isso na fase da escolha dos candidatos. mas acabou a graça agora.
    nao sei se eh a volta da equipe ou se a falta da criatividade dos roteiristas ou ate mesmo uma forma de mostrar o house um pouco mudado, mas continuo vendo um repeteco das historia anteriores. essa me lembrou aquela que o cara vem de cuba para ver o house.

  5. Carina

    Apesar da cena do táxi ter sido bem forçada, não me incomodou. Para mim, o grande destaque do episódio ficou nas consequências do caso Dibala: as discussões entre Chase e Foreman, as formas que eles buscaram para tentar encobrir os fatos.. achei uma trama bem interessante e me fez ver o quanto Chase fez falta. Apesar de que sempre o vi como um puxa saco do House, por outro lado, ele sempre levantou questionamentos éticos através de suas ações: era o espião de Vogler na 1ª temporada; beijou uma menina de 9 anos que estava morrendo de câncer; cometeu um erro médico, que levou à posterior morte de uma paciente, ao saber que seu pai havia morrido… não que eu goste dele mas acho que sua presença e seus atos sempre levantam questões éticas interessantes de serem exploradas e que enriquecem à série.

  6. Celia lemos

    A serie esta otima mas ainda entendi se House esta vendo fantasma ou ficou maluco de tantos tomar remedios para dor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account