Log In

Reviews

Review: Heroes – Villains

Pin it

Heroes - Villains Série: Heroes
Episódio: Villains
Temporada:
Número do episódio: 42 (3×08)
Data de exibição nos EUA: 10/11/2008
Data de exibição no Brasil: 16/1/2009
Emissora no Brasil: Universal

Esse episódio Villains talvez fosse um dos mais esperados para este ano. Como o título deste terceiro volume possui o mesmo nome, a idéia dos roteiristas era a de trazer muitas respostas a partir da jornada de Hiro Nakamura. Os eventos aqui retratados são coletados no período de um ano atrás. Isso quer dizer que são todos os acontecimentos “pré-primeira temporada”, na falta de um termo melhor.

Nesse tempo, a Companhia ainda estava se reestruturando; Elle estava passando por um treinamento bastante rígido para se tornar uma agente; Noah já estava atento aos poderes de Gabriel/Sylar, mas ainda não tinha noção do que ele poderia ser capaz de fazer com a sua filha; a família Petrelli estava se partindo ao meio, a partir do momento em que Angela descobre que o seu marido, Arthur Petrelli, tentou assassinar o seu próprio filho, Nathan Petrelli, que estava juntando provas na Promotoria para incriminar os crimes cometidos por Lindermann, afetando diretamente os negócios de Arthur e os planos que ambos tinham para destruir o mundo.

Heroes - Villains Os fatos começaram a se encaixar de maneira bem interessante, porque o roteiro soube, dessa vez, misturar os dois acontecimentos, aqueles que aconteceram antes e após o ínicio da primeira temporada da série. Depois que a jornada de Hiro finalmente termina, ele descobre que Arthur ainda está vivo e precisa avisar Nathan e Angela do que está acontecendo e dos planos que ele têm para o futuro.

No entanto, Hiro é surpreendido pela presença de Arthur que, como todos nós já sabemos, tem uma imensa capacidade de controlar a mente das pessoas, num estágio muito superior ao de Matt Parkman. Ele entra no sonho de Hiro e descobre que ele o está perseguindo. Ainda assim, pra mim o maior mérito da série neste episódio foi a capacidade – em uma das poucas vezes em que ela consegue tal feito – de não provocar no telespectador uma complicação que pudesse se tornar denecessária para a história e para o episódio.

Apesar de ter sido um episódio bem ameno (leia-se “morno”), acredito que Heroes soube, pelo menos, misturar o antes com o depois sem soar complicado, sem muitas reviravoltas desnecessárias. Eu acredito que este é um dos maiores problemas quando temos uma narrativa que vai pro futuro, depois retoma o passado e, logo em seguida, se concentra no presente. Enquanto ela souber fazer isso, teremos sim uma boa série. Agora é esperar pela semana que vem para saber o que aconteceu com Hiro, depois que Arthur começou a “sugar” as informações da sua mente.

Séries citadas:

14 Comments

  1. Cartney

    Sou um dos que ainda está acompanhando fielmente a série. No entanto, isso não me impede de ser bem crítico com ela em alguns aspectos.
    O grande problema de HEROES da 2ª Temporada para cá é que os roteiristas, por estarem perdidos em meio a tantos personagens e viagens no tempo, acabam por ofender a inteligencia do publico.
    Nesse episódio tivemos um exemplo claro disso. Depois de descobrir a verdade a Angela resolve matar o Artur, arma todo um esquema vai lá e faz. Depois o Nathan chega e ve o pai caido, o que a impede de sumir com o corpo naquele momento (coencidencia um pouco forçada mas ainda aceitável). Mas o pior eh que o cara ta vivo e ela acredita que ele ta morto sem ver o corpo … Eles cremam outro corpo e ela nao fica sabendo … Um lance que mudaria a vida dela e de todos, ela tem a inteligencia de fazer uma grande armacao para mata-lo e simplesmente nao se preocupa de ver o corpo para se certificar de que ele morreu mesmo … mto absurdo !!!

    Bom, mas depois que o proprio criador da seria deu uma declaraçao dando a entender que estava perdido na historia, o que mais podemos esperar

  2. Paulo Antunes

    Tô achando que o Vinícius se deixou intimidar pelos fãs de Heroes, rerere.

    Seriously, um prequel a esta altura do campeonato? Não foi uma boa idéia.

    E eles não responderam nada que eu precisasse saber.

  3. Amanda

    “Agora é esperar pela semana que vem para saber o que aconteceu com Hiro, depois que Arthur começou a “sugar” as informações da sua mente.”

    Sugiro que vejam mesmo, pelo menos, o que acontece é engraçado e ajuda a digerir o resto da temporada…

  4. Celso

    Para aqueles que ainda não assistiram este capítulo, eu aconselho a não perderem 1 hora de suas vidas por semana.

    Já assistí tudo e realmente não vale a pena. Acho que tem de passar uma régua e começar a série do zero de novo.

    Whata fuck!!! Conseguiram estragar uma série muito boa e com excelente potencial para mais de 5 temporadas!!!

    Esta merece ser cancelada.

  5. WampaOne

    Eu estava quase desistindo, o capitulo anterior a este deixou a serie por um fio, mas este Villans achei muito bem escrito e bolado. Com isso, Heroes, ganhou uma sobrevida para mim. Espero nao “perder” meu tempo ao final de tudo.

  6. D'uoh

    Pra mim o grand eproblema de Heroes é que eles tentarem fazer uma série de ação e isso eles não sabem fazer, acabou virando uma estória sobre os poderes e não sobre os donos deles, ficou algo bem irreal mesmo no tema, com formulas e catalizadores e virus que tira os poderes e o diabo a quatro.

    Se eles resolverem focar no que passa na cabeça desses infelizes seria algo interessante de se ver, espero que isso aconteça em Fugitives, que volte a ser sobre os donos dos poderes e não sobre os poderes.

    Adorava as metaforas quanto aos poderes, tipo o DL querer sair da cadeia e descobrir que pode atravessar paredes, o Peter, que é alguem que se importa com os outros e então descobrir que pode fazer os mesmo que os outros sentido coisas relacionada aos donos originais, a Niki que precisava se virar em 30 pra criar o filho e ser “forte” pra enfrentar a situação e então desocbrir que tem super força atravas da Jessica… Essas coisas eram interessantes de se ver…

    De qual quer forma Villains é bem abaixo da media mas dpois do episódio 3.05 comparando com a propria série os episódiso tem melhorada bastante.

  7. Vinicius Silva

    Antunes

    aiuahuauiuauauihiau Fui ameaçado aqui auiahuiahiuahuiaua

    Mas não me deixei intimidar não. Eu acho que eles vão me odiar ainda mais nos próximos episódios. Mas eles podem também concordar comigo, não sei.

  8. Juninho

    Realmente esse episodio é bem esclarecedor,e tem um bom roteiro,mas de todos os episodios dessa temporada da série esse foi o mais morno,sem muita ação,os roteiristas resolveram descomplicar um pouco pra galera que gosta de uma série mais mastigada,mas enfim gosto é gosto.

  9. Mica

    Tiveram duas coisas nesse episódio que me incomodaram:

    1) A tentativa de aproximaram Elle e Sylar lá no passado. Quero dizer, acho muito legal os dois juntos, mas não precisava. Era mais legal um Sylar desorientado desde o início e só começando a mostrar conciência agora (devido ao próprio controle do poder dele, que afinal, é o que dá a fome insaciável por novos poderes).

    2) A tentativa de amenizar Angela Petrelli, como se ela fosse uma boa pessoa que se forçou a agir. Não era esta a personalidade que eles vinham mostrando da personagem desde o primeiro episódio da série e não gostei do que fizeram. Enfraqueceram uma personagem que parecia esconder um grande propósito e a tornaram uma fraca controlada pelo marido.

    E cada dia odeio mais Arthur Petrelli. Sujeitinho asqueroso. Arf!

  10. 3 de 6

    Bem, olhando para trás (hj já é sexta de novo) foi mesmo morno, mas achei menos pior assim. As explicações nunca iriam agradar a todos, pois nunca o fazem, e podem mesmo desagradar a todos. Faz parte, uma vez que há gente ‘sem noção’ escrevendo akilo.
    Achei bem interessante dizerem que a habilidade do Sylar é transferir poder, qdo eu achava que fosse tomar para ele, isso dá margem a transferencia entre outros que não ele mesmo.
    Sobre o ‘1)’ da Mica, acho legalzim terem feito o Noah “levar” o Sylar para o abismo, e depois ter que quebrar as regras da Cia para tentar salvar a filha do mesmo Sylar, e a Elle é bem feitinha (em muitos aspectos :P);
    Sobre o ‘2)’ da Mica, bem, assim-assim, mas Angela me lembrou da esposa do Noah, tendo a memo apagada (como mui esposas fazem), e, pelos filhos, virar uma fdp manipuladora. Afinal, mui nós somos banais de início e pudemos mudar isso!
    É sem graça isso tudo ser explicado numa viagem do Hiro…
    E, tb não acho legal ter um Super-hiper-ultra-vilão unipotente e unipresente (pra que mesmo ele precisava do pai do Parkman?)…. espero que ele não acabe como a Azula de Avatar, que era fodona e no final uma molenga carente!

  11. 3 de 6

    Achei interessante a habilidade do Sylar ser transferir poder, achava eu que era tomar pra si, e acabar matando no processo.
    Achei a participação da Elle legal, acho-a boa em mui aspectos.
    Ter visto que a Angela P. era passiva, bah, mui esposas o são diante dos maridos; foi interessante tb ela ter se tornado uma fdp manipuladora para ‘proteger’ um filho.
    Não gosto da idéia de um super-ultra-hiper-vilão… ele é unipresente e unipotente, para o q ele precisava mesmo do pai do Parkman?
    É, a coisa do ‘pessoas comuns com habilidades extraordinárias’ ficou lá na 1ª temp.
    Outra coisa legalzinha desde ep. foi ter sabido que o Noah, fazendo o q a Cia mandava, impulsionou o Sylar para o abismo, e depois teve que descumprir ordens para evitar o mesmo Sylar e sua fome pela sua filha.
    Em 24h todo mundo é morto, que tal uma fachina tb em heroes? Tipo, secundários dando a vida pela causa nobre e não sendo mortos pq o outro é mais poderoso…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account