Log In

Reviews

Review: Heroes – 1961

Pin it

Heroes - 1961Série: Heroes
Episódio: 1961
Temporada:
Número do episódio: 57 (3×23)
Data de exibição nos EUA: 13/4/2009
Data de exibição no Brasil: 12/6/2009
Emissora no Brasil: Universal

Estou ficando entediado com Heroes. Eu até faço uma força para compreender tudo, mas não canso de perceber falhas. Mas, antes de chegar a elas, vamos falar das explicações que este capítulo proporcionou.

Antes de mais nada, este projeto que começou comandado por Nathan Petrelli e agora está sob a responsabilidade de Danko, nada mais é do que uma cópia do que aconteceu no ano-título do episódio. Angela Petrelli e sua irmã chegaram a Coyote Sands, um campo de concentração feito para pessoas com habilidades especiais. Desde então, os seus sonhos – mesmo confusos – começaram a lhe dar pistas do que aconteceria.

Vimos Chandra Suresh, Linderman e Bobby, ainda garotos e sendo testados já como ratos de laboratório. É como se o destino estivesse interligando estas pessoas desde sempre. Foi assim também que surgiu a sua idéia de formar a Companhia, depois de ter fugido desde campo de concentração.

Porém, é agora que começam as falhas. A série se contradiz a todo instante. Primeiro, estamos no volume chamado “Fugitives”. Até onde sei, isso significado “fugitivos”. O maior problema é que o roteiro de Heroes sempre perde o foco com estes episódios estranhos sobre sonhos e reencontros familiares.

Heroes - 1961Até concordo em levar estes personagens a Coyote Sands, porque existia uma trama por trás que ajudou a constituir a atual. Mas por que é necessário contar isso com passagens em preto-e-branco, além de colocar Alice, irmã de Angela, controlando o tempo e dizendo que sempre esteve viva? Um episódio que trata do perdão.

É um sentimentalismo idiota. A maior contradição se dá no final quando tanto Peter quanto Noah falam em retomar a vida e em deixar estas identidades secretas. Como isso poderia acontecer se todos já os conhecem? E a ingenuidade de Noah é algo surpreendente, uma vez que ele trabalhou tanto para a Companhia. Incompreensível imaginar erratas tão grandes em um roteiro que não deveria se prender ao complexo, mas sim, ao simples.

Séries citadas:

7 Comments

  1. eugifran

    esse foi o episodio que eu decidi desistir de heroes.
    foi tipo uma epifania….
    enquanto eu assistia a esse episodio, e percebi o quanto heroes eh ruim.
    desde o arco “save the cheerleader, save the world” nao vejo um episodio de heroes que meu deixa querendo mais…
    1961, foi nesse episodio que eu desisti de heroes…
    e isso so se confirma na finale…

  2. Observador

    Eugifran, se voce aguentou toda a 2a e quase toda a 3a temporada, não é por causa de 1961 que voce vai desistir, hehehe

  3. Juninho

    É de letra,cada review,tem um comentario desses:
    Vou desistir de Heroes por causa disso,ou por causa daquilo;1961 não foi o pior episodio de Heroes,e comparado a outros está longe de ser,mas esperava mais do episodio,só não achei ele tão ruim assim,as explicações foram relevantes mas desde desse volume já estava claro que a Angela não é esse monstro todo,é bacana mostrar que há sempre uma historia por trás de todas as atitudes,há raiva da irmã da Angela era baseada por suposições que ela fazia da irmã achando que ela tinha abandonado ela,tudo por causa de uma pequena mentira,Lição de Moral em Heroes,rsrsrs,é realmente foi um episodio sentimental mas fundamental para entendermos as motivações da Angela.

    As cenas em preto e branco e comum em Heroes quando se mostra o passado,se eu não me engano esse recurso foi usado no ótimo episodio “Company Man”,da primeira temporada que contava o passado do Noah e no quarto episodio desse volume “Cold Wars” também sobre o Noah.

  4. Andrei

    Se fosse para alguem deixar HEROES, deixaria durante o volume 3 e episódios malucos como I AM BECOME DEATH.

    Porque nesse volume, eles realmente COMEÇARAM a voltar ao “espirito” da primeira temporada e se manterem a evolução, eles podem conseguir sim volta a ser como antes.

    É uma pena é que HEROES já irritou tanto, que mesmo com episódios rasoaveis como esses, a gente só ver os lados ruins.

    Quanto as identidades secretas, em 1961 eles também estavam sendo caçados, e no entanto com a ajuda da Angela, dos pessoal da Companhia e do famoso poder de fazer esquecer, eles ficaram até os dias de hoje em segredo não foi?
    Tanto é que o Chandra que em 1961 já sabia da existencia dos super poderes, no começo da priemira temporada não lembrava de nada e tinha começado a sua pesquisa do zero, porque como a Angela disse, eles fizeram todos esquecerem.

  5. Lena

    Gente, sério, se vcs querem uma série falhas, não assistam Heroes. Eu vejo falhas desde a primeira temporada. Claro que elas só foram piorando e eu continuo assistindo a série de teimosa que sou.

    Tb não vi motivo para deixar de ver a série justamente neste episódio. Quem resistiu até agora não seria espantado por este 1961, que ficou acima de vários episódios xoxos que tivemos nessa temporada mesmo.

    Não me incomodei com o sentimentalismo, achei até necessário para contar o que aconteceu. Neste episódio vi explicações que faziam sentido, tinham lógica – coisa rara em Heroes!

    Meu único senão é como é que a irmã da Angela sobreviveu sozinha no deserto por mais de 40 anos? Os mantimentos não estragam? Devem ser do mesmo fabricante de mantimentos da Iniciativa Dharma de Lost… ;)

    “Porque nesse volume, eles realmente COMEÇARAM a voltar ao “espirito” da primeira temporada”(2) e tive a mesma impressão quando os últimos episódios dessa temporada (não vi o último ainda).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account