Log In

Reviews

Review: Grey’s Anatomy – Rise Up

Pin it

Grey's Anatomy - Rise UpSérie: Grey’s Anatomy
Episódio: Rise Up
Temporada:
Número do Episódio: 85 (5×07)
Data de Exibição nos EUA: 6/11/2008
Data de Exibição no Brasil: 16/3/2009
Emissora no Brasil: Sony

É estranho escrever sobre esse episódio estando na minha posição. Primeiro porque eu já sei como esse arco com o “fantasminha camarada” vai terminar e, segundo, porque eu não posso dizer como vai terminar, pois o que importa é como será a explicação futura para os eventos que começaram aqui. Então, analisar só esse episódio sozinho pode ser frustrante, pois ele é apenas a ponta de um iceberg gigante. Mas de qualquer forma vamos aos fatos.

O episódio foi dividido em dois gêneros, como sempre: o cômico e o dramático. O lado cômico tentou tirar todo o clima pesado que cercava o outro gênero, e conseguiu.

Sempre disse que Grey’s sempre acerta quando tenta fazer comédia, e dessa vez não foi diferente. O único problema talvez seja o uso do George na série, afinal ele sumiu nos primeiros episódios e reaparece nesse, brincando com um boneco.

Mas o melhor desse lado cômico ficou com Mark Sloan e sua tentativa de seduzir Cristina. Um humor mais sutil e muito mais eficiente. Óbvio que essa história não daria em nada, mas mesmo assim foi ótimo ver os avanços de Sloan e a indiferença de Cristina com tudo aquilo.

Porém foi o lado dramático que fez o episódio valer a pena. Primeiro a paciente do Derek e Bailey, e todo o desenrolar da história em tomar decisões apressadas e depois se arrepender disso. E mais uma vez vimos como Bailey é tão ou mais apegada a seus pacientes do que Izzie Stevens.

E por falar nisso, o episódio foi centrado nela e em seu passado. Quem não se lembra do final da segunda temporada, com ela cortando o fio de Denny, depois indo buscar o coração, a cirurgia e por fim a morte dele? Pois é, foi ápice da série, e nossa querida Shonda Rhimes quer fazer isso mais uma vez. Porém, tirando as visões, até que a história do paciente e Izzie foi boa, principalmente se levarmos em conta o talento de Katherine Heigl, que conseguiu se segurar em cenas mais fortes como na sala de cirurgia, quando teve que lutar com a culpa em ter colocado aquele homem naquela situação e em cenas mais “vergonhosas”, como a que fala sozinha e depois o fantasma aparece. Mas como disse no começo da review, precisamos esperar o término desse arco para criticá-lo como um tudo, e não apenas uma parte.

Finalmente vimos o início do caso entre Cristina e Hunt, ele sendo bem apegado aos humanos em geral, e ela não se importando com os sentimentos alheios, fazendo valer aqui a máxima de que os opostos se atraem.

Grey's Anatomy - Rise UpE por fim, vimos a saída da Hahn da série com seu final no estilo Thelma & Louise, que não funcionou. A personagem merecia um fim mais digno, mas a decisão dos executivos da ABC foi muito apressada, então tiveram que tirá-la de qualquer jeito. Uma pena, já que mesmo não funcionando com Callie, ela era ótima sozinha, principalmente quando os roteiristas colocam na boca dela coisas que o público quer saber. A cena em que ela grita com o Chefe talvez seja o auge de tudo isso, afinal não é toa que o hospital esteja na 12ª posição, os internos precisam praticar neles mesmo. Quando o senso de hospital-escola vai voltar? Espero que não demore muito…

Músicas do episódio:
Psapp, “I Want That”
Brazilian Girls, “Good Times”
Shady Bard, “Torch Song”
Erin McCarley, “Gotta Figure This Out”

Séries citadas:

11 Comments

  1. Gui Barranco

    O desempenho da Katherine foi fantástico! Mas a história do fantasma tá até agora entalada na garganta… E olha que eu já vi tudo o que acontece depois… E bye-bye pra Hahn, não avho que vai fazer falta.

  2. Angel

    sinceramente não entendi a saida da Hahn, não pelo modo como ela saiu, mas por que a emissora mandou ela sair e vai acontecer o que vai acontecer no futuro da Callie.

    Quanto ao arco Danny… eu só consigo dizer que realmente a Katherine foi brilhante. Mas por mim podiam ter tirado tudo e ter deixado só essa eps

  3. Joelma

    humm, estou acompanhando pela Sony, e não li nenhum spoiler, mas já imagino o q pode acontecer…

  4. Pedro

    Pera aí, foi a última aparição da Hann? Na saída do hospital ameaçando levar o caso da Izzy a esferas mais altas? Caso sim, será uma pena..não que simpatize com o personagem, mas ficará uma saída pela porta dos fundos mesmo.
    E Sloan e Yang já valeu o ingresso desse episodio..agora o “fantasminha camarada” (ótima essa) foi de doer.

  5. thiago machado

    O problema desse arco do Denny fantasma é que dura muuuuito tempo. Se fosse, no máximo, 2 episódios, até seria interesse, porém esticaram muito!

    Pelo menos o resultado final compensa!

    Ah, e a Hanh era ótima, merecia um final melhor.

  6. Camila Oliveira

    Esses episódios com o Denny foram os que eu menos gostei dessa 5° temporada. Nunca simpatizei com o
    personagem, talvez isso atrapalhe meu jugamento, não sei.

    Quanto à saída da Hahn, também fiquei com um ponto de interrogação na cara, algo do tipo, “é só isso?”. Um dos problemas que eu vejo nas séries da Shonda Rhimes é que ela geralmente não consegue dar uma saída digna aos personagens. Aconteceu o mesmo com o Burke, em Grey’s, e com outro médico cujo nome não lembro agora, em Private Practice. Eles simplesmente vão embora do nada, sem nenhuma explicação descente. Fico até imaginando a lástima que vai ser se o T.R. Knight ou a Katherine Heigl saírem mesmo da série…

    Quanto ao Mark dando em cima da Cristina, nem lembrava mais disso, mas que foi engraçado, foi.

    A história do George, coitado, fiquei com dó do personagem. Para quem já teve storylines importantes na série, como a morte do pai, casamento impulsivo em Las Vegas… Passar um episódio inteiro contracenando com um boneco, enquanto todos os outros estão ocupados sendo médicos de verdade, foi meio que o fim.

    Por último, acho um saco quando ficam trazendo à tona todo o drama da 2° temporada. A Izzie cortou o fio LVAD, so what? Já acabou, pronto, o Denny morreu, a Stevens foi punida, fim de história. Daqui há pouco Grey’s estará na 15° temporada e ainda estarão fazendo drama com isso.

  7. Mica

    Acho que eu fui a única pessoa que realmente adorou todo o arco que essa aparição do Denny trouxe. E eu adoro o Denny, adoro o Jeffrey Dean Morgan e ele foi fantástico mais uma vez.
    A Izzie é de longe a minha personagem preferida em Grey’s Anatomy (com exceção da temporada passada que foi de doer aquela pouca vergonha com George)e eu gosto muito quando a exploram da maneira certa.

    As cenas com o George foram patéticas. Fala sério, o cara merecia mais. Aquilo foi zoação demais.

    Eu gostava da Hahn, mas odiava a Hahn com a Callie. Estragou a personagem e, pior, estragou a Callie que eu adorava completamente. Depois que conheceu a Hahn a Callie nunca mais foi a mesma ou sequer teve alguma participação importante em algum episódio.
    Mas a forma como ela saiu da série me deixou com cara de Playmobil. O que foi aquilo, meu Deus do céu!? É como se eles quisessem continuar a cena mas não tivessem como então pararam por ali mesmo.

  8. Aline

    Katherine merecia um Emmy pelo simples uso de duas palavras: “right now”. Ela esteve simplesmente fantástica no episódio e principalmente nessa cena. Pelo talento dela que mesmo com arcos às vezes estúpidos (vide paixão pelo George) eu considero a Izzie minha personagem preferida da série.

    Outra que estava também muito bem é a Sandra Oh. A interação dela com o cara que faz Hunt foi muito boa.

    Pra mim essas duas atrizes e Chandra são a alma da série.

  9. Gilberto Dutra

    Sem dúvida este foi o melhor episódio desta temporada até agora… Ri bastante e e emocionei profundamente…

    Quando Cristina entra na sala com os cadáveres de fala “Vejo pessoas mortas” Hehehehe Ótima referência. E Bailey assumindo a posição do esposo que não queria deixar a mulher morrer… Tocante…

    E pode até ser um pouco apelativo, mas que a presença de Danny emociona, isso emociona muito. Muito bonito o amor da Izzy por ele…

  10. Amanda

    Achei interessante esse resgate do caso Denny mostrado nesse episódio. Quando Izzie roubou o coração para o namorado ela não pensou no outro paciente que ficou sem o transplante e vê-lo em sua frente levanta o questionamento do “brincar de Deus”.
    Quanto ao fantasminha em si, odiei no início, mas o desfecho que está por vir se mostrou interessante. Acho que fechou o arco de uma forma empolgante e resgatou a personagem que estava se apagando na série.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account