Log In

Spoilers

Review: Glee – Dream On

Pin it

Glee - Dream On

Série: Glee
Episódio: Dream on
Temporada:
Número do Episódio: 19
Data de Exibição nos EUA: 18/5/2010

O que dizer de um episódio centrado em Will Schuster? Boring elevado à vigésima potencia!

Dream on foi esquemático e cada cena parecia piada de mau gosto de Ryan Murphy. A começar pelo personagem de Neil Patrick Harris. Bryan Ryan chega a New Directions para acabar com o grupo Glee (coisa que Sue Sylvester faria com bem menos esforço e mais competência) e nem conseguiu abalar o grupo. Na primeira oportunidade disse que nenhuns dos meninos conseguiriam realizar seus sonhos e que quando se dessem conta já estariam fadados a um destino mísero e uma vida cheia de frustrações.

Mas isso foi só um susto. Como tudo em Glee, isso mudou em um instante.

Logo Will o levou pra tomar uma cerveja e Ryan se mostra nada mais que um loser precisando desabafar por nunca ter alcançado o estrelato. Triste, mas igualmente insignificante e a presença de Neil para a trama foi desperdiçada, embora sua performance com Matthew Morrison em “Dream On”, do Aerosmith, tenha sido perfeita.

Will oferece seu papel na peça “Os Miseráveis” e em troca Ryan arquiva seu projeto de acabar com Glee club. Mas aí a auto-estima dos meninos estava lá embaixo, quer dizer, pelo menos de Artie e Rachel já que o restante do grupo foi completamente esquecido.

Artie sonha em ser dançarino e Tina o encoraja a não desistir, quando – em mais uma cena com cara de “lição de moral” – eles estão preparando um número de dança e ele resolve andar com muletas e cai. Ou ainda quando Artie imagina-se dançando “The Safety Dance”, de Men Without Hats. Completamente desnecessário. É lógico que uma hora ou outra isso teria de ser abordado, mas pareceu até piada a forma como foi tratado sua paraplegia. Sei que Murphy é dado a um humor negro, mas errou feio aqui.

Glee - Dream On

E o mais desesperador do episódio foi Rachel Barry e Jesse. Um crime trazer Jonathan Groff e não colocá-lo pra cantar (o ouviria o dia inteiro se pudesse!) e principalmente restringir sua storyline a Rachel; aliás, fiquei perdida. Se tudo era uma armação da mãe dela porque diabos ele foi embora em Bad Reputation? Não deu pra engolir ele dizendo que até gosta dela então já descarto essa teoria. Falha do roteiro em amarrar as pontas já que o ator tem contrato para apenas alguns episódios. Eu só fico com o coração na boca só de pensar que ele vai magoá-la, os dois são tão lindos juntos ^_^!

Seguindo, Jesse voltou para cumprir com seu plano e de Shelby, mãe de Rachel. Eu na verdade queria conhecer seus pais, mas fazer o quê.

O que me preocupa na série é a falta de coesão e falha no desenvolvimento da estória dos personagens. Ryan Murphy mesmo já afirmou que a série é uma comédia, mas são péssimos esses arcos out of the blue que mal surgem e já se dissolvem.

Dream On só não foi completamente ruim por conta das músicas, mas alguém precisa dizer aos roteiristas que apenas com números musicais ok a série não vai longe. Glee precisa amadurecer, senão, mais um episódio assim e pior, sem Sue, Finn, Britanny, Kurt, Mercedes, e todo o resto pra falar a verdade, vai comprovar que ela não passa de um conjunto de bons videoclipes.

P.S.: Finalmente eu sei o nome do asiático: Mike Chang!!

Séries citadas:

Bacharel em Direito e servidora pública. Já chegou a ver mais de 30 séries, mas hoje prefere ter vida social. Atualmente acompanha Arrow, The Good Wife, The Voice e Scandal.

20 Comments

  1. markinho

    lara
    parabens pelo review. as vezes acho q o povo tem medo de falar mal de glee por ser o um hit e tals. mas a serie tem muitas falhas. e vc apontou bem nessa review. qdo a serie parte para o drama é qdo pra mim ela fica melhor, porem ocorre o q vc disse, tudo acontece de uma hora para a outra e se dissapa rapido demais.. nao ha um desenvolvimento que faça o publico se apegar mais a historia e tals, como foi com quinn em diversos eps da primeira parte da temp.

    mas eu adoro glee, apesar dos pesares me prende. só nao aguento rachel, e acho q reclamo demais dela e de suas historias, pq qdo vemos os dramas de kurt, mercedes, quinn e artie, qq drama de rachel vira figuração.

    e jesse e rachel pra mim sofre do mal da serie. falta de desenvolvimento e coesao. do nada a serie quer transformar no love story qdo nao foi bem desenvolvido.

    so dircordo sobre artie, pq todas as cenas dele nesse ep me comoveram demais, foi o q salvou o episodio pra mim. e mesmo rachel e essa trama de sua mae, me soaram como algo bom ah e eu tbem kero os pais dela.

    mas assino embaixo no q vc falou, episodio focado em will, boring ao extremo. e a participacao do carinha de how i met your mother, me pareceu inutil e perda de tempo em tela.

    enfim, adorei o review., parabens.

  2. jorge

    discordo de vc
    eu gostei desse episódio… claro q nao foi o melhor da temporada, mas msm assim eu gostei

  3. thiago machado

    o episódio foi morno (e olha que foi dirigido pelo joss whedon!!!), mas valeu pelo dueto de I DREAMED A DREAM. Lindíssimo! Um dos melhores da série.

  4. Victor Aleks

    Achei bem fraco esse episódio. Não aguento mais os dramas de Rachel. Há tantos personagens, mas porque só falam dela? Tá que a mais dela tá perdida, mas nã precisa só focar nela.

    O que foi aquela cena do Artie dançando no shopping? De péssimo gosto, me senti mal. E detalhe, da onde surgiram o Mike, Brittany e o outro? hahaha

    E quando o Will chama a Tina pra mostrar o número dela, ele bate com a mão nela, e depois ela vai bater com a mão, mas ele deixa ela no vacuo. hahaha

    Glee é uma série de comédia, tanto é que ganhou Globo de Ouro e outros prêmios, mas sei lá, to sentindo falta disso. Os dramas são superficiais demais.

  5. Mica

    Eu gostei do episódio, realmente gostei. O drama da Rachel foi o que eu mais gostei. Simplesmente adoro vê-la com o Jesse (embora ficou evidente desta vez que Lea Michele não é bailarina clássica)e ela cantando I Dreamed a Dream com a Shelby foi a coisa mais linda que eu já.
    Também achei legal a cena da chuva e Jesse e Shelby no carro.

    Will é sempre chato e eu acho o Neil Patrick Harris superestimado. Quero dizer, eu gosto dele, mas não o acho fantástico como todo mundo parece achar. Mesmo assim gostei bastante de Dream On, embora as caretas do Will cantando sejam de matar qualquer um.
    Mas o que é melhor em Glee, é o que a série desperta em mim. Foi por causa de Glee que corri atrás e assisti o musical Spring Awakening, Wicked e agora Les Misèrables.
    Eu tinha gostado bastante da primeira parte da série, antes do hiato, mas foi apenas após a volta do hiato que Glee se tornou realmente especial para mim. Só agora a série entrou no sangue e tocou meu coração. Eu mal lembro das tramas antes da pausa.

    Fiquei bem feliz de terem mostrado mais de Artie e Tina. Adoro a Tina e o Artie deveria cantar mais vezes (embora achei bem ruinzinha a aprentação dele no final, mas valeu por ver Tina e Mike sapateando).
    Ao contrário de você, eu gostei da cena da dança no shopping. Foi uma oportunidade única de ver Artie dançando e, é claro que era um sonho. Não creio que deva acontecer de novo, mesmo porque se o fizerem será explorarem demais um tema.
    E por falar em tema, eu discordei da forma como trataram a paraplegia de Artie neste episódio. Eu entendo tentarei dar força para ele correr atrás do seu sonho (e até mesmo da cura), mas a forma como fizeram foi deprimente. Artie precisa sonhar com coisas grandiosas…mas alcançáveis. Mesmo que volte a andar, não será coisa para sua juventude, então precisa enxergar onde quer chegar por meios possíveis. Quer o mundo artístico? Ok, mas sonhar com o impossível só vai desesperá-lo. É o mesmo que alguém de 1,50m ficar desesperado por não ter 1,80m ou um caucasiano sonhar em ser asiático, simplesmente não rola.

    Agora….sério que não sabia o nome do Mike Chang? É bem verdade que nós o chamamos carinhosamente de ‘O Outro Asiático’, mas o nome do Mike (bem como o do Matt) já foi falado inúmeras vezes na série. Ele mesmo já falou uma frase completa no final da primeira parte da série! (e cá entre nós, eu adoro ver o rapaz dançar).

  6. Mica

    Só para complementar, embora eu ache o Neil Patrick Harris superestimo, eu achei que sua participação foi a mais coerente de todas as participações especiais (excetuando Jonathan Groff e Idina Menzel, porque eles são partes da história e não participações especiais). Foi uma história coesa, crível e se encaixou de forma natural com o que Glee vem enfrentando, diferente, por exemplo, dos absurdos que foram as histórias da Kristin Chenoweth (apesar de eu ter amado vê-la nos dois episódios) e da Olivia Newton John e a tal Molly Shannon que só a cara já irrita. Para não mencionar o pouco aproveitado Josh Groban (e já que mencionei pouco aproveitado, qual o sentido de trazer um cantor do nível do Jonathan Groff e mal deixar o rapaz abrir a boca!?)

  7. Lara Lima

    Markinho

    Obrigada! :)

    Mica

    Rachel é o que mais gosto na série. E ela cantando com a mãe no final realmente foi uma das melhores performances desta primeira temporada, acho que fica empatada com Maybe this Time – Rachel e Kristin.

    Mas eu penso diferente de você. Pra mim a série estava melhor antes do hiato, acho que está muito exagerado e mal trabalhado o drama de cada personagem. Por exemplo, Artie dizendo que tinha super força nos braços e que se conseguisse se segurar com as muletas, talvez conseguisse andar. Não acho que ele é tão bobinho de realmente achar isso. Foi como você disse a forma como fizeram foi deprimente. Então, da segunda parte dessa temporada o que realmente gostei foi Jesse, no mais achei dispensável, o ciúme de Kurt, a Mercedes popular (em um mundo real é difícil acreditar que ela é mais popular que a Quinn por exemplo), enfim.

    Sobre Mike realmente eu não lembrava o nome dele, e eu to assistindo desde o piloto pra ver se acho essa tal fala que você tá falando, porque sério, não lembro dele falando. E já perdi as esperanças de ouví-lo cantar e diferente de você eu já enjoei de vê-lo dançar daquele jeito….Jesse, aliás, dança muito melhor…

    Ah, Tina. Gosto muito mais da Santana e Brittany. Acho a Tina muito ingênua, bobinha.

    Eu não acompanho HIMYM então não posso dizer muito sobre Neil, mas participações são sempre legais e a dele me pareceu um desperdício. Foi como eu disse na review, Sue faria o que ele tentou com mais competencia e menos esforço, sabe? E ele mudou de opinião tantas vezes no episódio que pelo amor…

    Ahh, achei tão linda a apresentação do Artie no final!! XD

  8. Matheus

    Concordo e discordo de alguns pontos, mas, como já disseram nos comentários acima, GLEE já está no meu coracão (desculpe, meu note veio do canadá e ainda estou tentando achar o cedilha…rs).
    Até nas partes em que sinto vergonha alheia por alguns personagens, eu amo Glee..
    Que venha Theatricality!!!

  9. eugifran

    e pra mim o pior de tudo foi ter disperdicado a direcao do joss whedon e o NPH em um episodio tao ruim…..
    esse foi o primeiro episodio de glee que me tirou do serio….
    mto ruim….
    so nao foi pior que acafellas, pq as musicas desses foram melhores….

    e pq apresentar a mae da rachel se a gente nem conhece os pais????????
    e pq nao colocar os pais da rachel falando com o kurt, quando ele tava em crise????????

    glee tem tantas balas na arma, mas adora dar um tiro no pe(mesmo que de raspao)

  10. markinho

    mica/lara e victor
    esse episodio dividiu opinioes mesmo teve boas partes e pessimas partes.. mas acho q todo mundo aqui falou bem do principal motivo, a falta de desenvolvimento dramatica em glee. tudo é jogado rapido, acelerado, nao ha um crescimento gradativo das historias quando sao dramaticas na serie. por exemplo, a gravidez de quinn foi foco de diversos episodios antes da pausa na temporada, entao foi algo mais explorado e aprofundado. ja as historias apos a pausa estao assim, cada ep fala de um personagem diferente e do nada surgem tramas ou dramas.. acho isso muito ruim na serie. e olhem que eu realmente gosto de glee e me sinto como a mica. mas eu ja vi varios amigos estarem largando a serie pq a consideram fraca nessa retorno.

    e eu embora adore a serie, tenho a mesma impressao. o retorno nao foi bom. as tramas estao se repetindo, parece que faltam historias quando igual o eufifran disse aqui, a serie tem muitas carnas na manga, mas nunca as usa direito. o que a serie fez no retorno? separr will e emma, rachel e finn e fazer sue querer acabar com o glee club de novo. ok isso ate faz sentido, mas foi a mesma coisa da parte 1 da temporada. parece que eles nao tem o q contar, embora sue nao possa mudar tao rapidamente e nem deva. mas sei la, a serie ta fraca.

    e victor concordo com vc, eu nao aguento mais rachel. ate me puxaram a orelha no meu blog falando dos eps de glee q eu reclamo demais da rachel. mas serio, as tramas dela sao as mais fracas de todas. quinn, kurt, mercedes e artie, se bem aproveitados tem tramas bem melhores. essa trama da mae dela eu gostie, foi a primeira que realmente emocionou ou valeu a pena. a cena do carro foi linda. mas to cansado de só ver rachel e finn. quero ver os outros, em tramas e cantando.

    eu adoro glee, mas nao consigo nao ver essas falhas e espero q ela melhore e eu achei a primeira parte da temp bem melhor, pelo menos do episodio 7 em diante, pq os primeiros como o acafellas me irritaram demais.

    e sobre artie, eu nao curto humor negro, mas nao consegui ver dessa forma tao mal que vcs viram, sei la me emocionou. mas entendo a colocacao e o ponto de vista de vcs, novamente do nada jogam um drama que estava bem adormecido. e aí a serie falha em continuidade.

    mas sei la, se diminuessem as falas e musicas pra rachel e dessem voz aos outros eu ja ficaria mais satisfeito.

  11. Lara Lima

    Nossa, mas se diminuir as falas e as musicas da Rachel aí eu largo mesmo Glee.

    Acho que o que incomoda na Rachel é que a garota é excelente, fala demais e se acha a estrela, mas no fundo ela realmente é excelente e, diferentemente dos outros, ela não tem algo que a impeça de alcançar o estelato porque a princípio encaixa no ‘padrão’ exigido. Gosto muito dela justamente por isso, porque a maior inimiga da Rachel é a própria Rachel, entendem? O que torna sua trama muito mais interessante na minha opnião.

  12. Juninho

    Discordo do Review,achei o episodio excelente e muito bem feito,gosto muito do Whedon e posso dizer que não fiquei nenhum pouco desapontado com sua direção,nem mesmo com o roteiro do Ryan Murphy,foi muito bom ver Artie e Tina ganharem destaque novamente,Glee sempre trata de temas delicados com maestria,foi assim em Wheels e agora em Dream On,ambos os episodios focados na paraplegia do Artie,a atitude da Tina foi tentar ajudar o Artie a não deixar seu sonho morrer,dando esperanças até demais pro garoto,claro que Tina fez tudo por amor,mais na hora certa entrou Emma e de forma bem delicada deixou tudo bem claro pra ele,adimiro cada vez mais a personagem,que mesmo em uma aparição tão rapida,teve uma grande influência no episodio.
    Rachel mais uma vez me deixou encantado,todos podem até criticar todo o destaque dado a personagem,mais o fato é que Rachel é a cara da série,a atriz Lea Michele é extremamente talentosa,gosto de todos os personagens e concordo que alguns merecem mais destaques,mas discordo quando dizem que precisam dar menos destaque a Rachel,ela precisa aparecer em todos os episodios,se não onde estaria a graça?
    Considero esse episodio um dos melhores até agora,e vale lembrar que o baroto de Glee sempre foi esse,ser uma série que não se prende a continuidade,é uma comédia que brinca com clichês e se sai muito bem,discordo quando dizem que Glee precisar crescer,levar a sério toda essa brincadeira perderia a graça,e não seria essa série que diverte toda a familia de forma despretensiosa.

  13. Rafael B.

    Acho que você tava muito de mal humor quando assistiu esse episódio, além de ter tido dois musicais perfeitos – Dream On e I Dreamed A Dream – a parte com o Neil Patrick Harris foi muito massa, ele precisava estar em Glee. Também concordo que faltou o Jonathan Groff, mas ouvimos a Idina Menzel cantando com a Lea Michele (só senti falta mesmo foi da Susan Boyle cantando junto haha). Meu problema mesmo foi com a parte do Artie que foi meio chata.

  14. Aline

    Vejo muita gente reclamando da falta de desenvolvimento das histórias, mas eu não vejo Glee pelas histórias, vejo pelos números musicais mesmo, admito. Claro que tem que ter um roteiro, não pode ser só um monte de clipes jogados, mas também não me importo muito se certas histórias não são aprofundadas.

    E também reclamam direto quando certos personagens como Brittany, Mercedes, Sue ou Quinn não aparecem muito, mas cada episódio só tem 40 minutos, como querem que 14 personagens tenham o mesmo espaço? Não dá! Às vezes alguns personagens aparecem mais que outros, não tem jeito.

    Eu sei lá, mas pelo que vejo, tem muita gente que gosta de Glee pelo que a série poderia ser e não pelo que ela de fato é.

  15. Mica

    @Aline eu sinceramente acho que eles desenvolvem a história, mas não de forma sequencial. Quero dizer, as coisas não são simplesmente esquecidas, simplesmente não dão a mesma importância para aquela coisa especial no episódio seguinte. Eles só fazem um comentário curto ou retomam vários episódios depois (afinal, as coisas na vida das pessoas não acontecem todo santo dia).
    Vejo gente reclamando, por exemplo, da explicação da Quinn sobre onde está morando. Para mim foi perfeita! Explicou tudo o que eu precisava sem ficar fazendo drama em cima disso. Ela mora com Puck, tem carinho por ele (vide andarem de mãos dadas as vezes e afins), mas não estão juntos.

    Mas reclamo sim de usarem poucos certos personagens. Eles sobrecarregam alguns (Mercedes e Kurt nem tem direito de reclamar. Aparecem quase mais que Rachel e Finn!) e nunca mostram outros. Dezessete episódios e Mike só falou uma frasesinha? E Matt que não falou uma única frase na história toda!? Acho que poderiam equilibrar melhor estas situações. Em certos temas eles perdem a oportunidade de usar o elenco de apoio batendo na mesma tecla com os mesmos personagens.
    Não precisam criar uma história inteira, usando um episódio todo para eles, mas custava colocarem os coitados para cantar uma musiquinha? Um solo quando estão expressando alguma coisa de ‘dentro’ deles?

  16. edson

    Nao tenho problemas em ver as pessoas falando mal de glee.

    Mas pqp falar que o episodio foi booring é foda.

    Nojento foi aquele episodio centrado na madona.
    Musicas d , chato e pel amor de deus. madonna fede.

  17. Flavio Batista

    Gente, e o q foi aquela hora no final em q a Quinn, consola o Artie com apenas um toque. Nao sei vcs mas achei muito lindo. Tem q usar essa personagem mais… pelo amor de Deus.
    Adorei essa tranformaçao dela.

  18. mauricio

    Eu não suporto o Will. Ele falando já me irrita, cantando me tira do sério, agora, dançando me dá náuseas. Cantando e dançano rap então, Let me die!!!!!

  19. mauricio

    Edson, como assim a Madonna fede? Que tipo de comentário infantil foi esse?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account