Log In

Reviews

Review: Friday Night Lights – Bad Ideas

Pin it

Friday Night Lights -  Bad Ideas
Série: Friday Night Lights
Episódio: Bad Ideas
Temporada:
Número do Episódio: 24 (2×02)
Data de Exibição nos EUA: 12/10/2007
Data de Exibição no Brasil: 23/11/2007
Emissora no Brasil: Sony

Não existe episódio ruim em Friday Night Lights. A 2ª temporada responde por isso e tem mantido o mesmo nível do ano passado, ainda com cenas cada vez mais emocionantes e reais. E isso é realmente bom, porque foram criadas muitas expectativas depois do sucesso que ela foi de crítica e eles têm feito um belíssimo trabalho, não mudando as fórmulas que deram certo na temporada passada, e sim, explorando-as muito mais.

Na exibição da última sexta-feira a série continua mais focada na família Taylor, depois que Tami teve o seu bebê. Os diálogos geniais que marcaram o seriado na temporada passada estão de volta, e ainda mais recheados. Julie continua sendo a “menina má”. O seu comportamento é típico de garotas com 15 anos. Ela tem medo de seguir o mesmo caminho que a sua mãe, tornando-se assim, a mesma pessoa. Do outro lado, a sua indecisão quanto ao seu namoro com Matt também persiste e os spoilers, que apontavam que um casal iria se separar, estavam mais do que certos.

Esses episódios estão sendo basicamente construídos entre os personagens Landry e Tyra, que ganharam maior destaque na série. No início desse ano, Landry estava empolgado para buscar uma vaga no time do Dillon Panthers por conta do seu pai. E ele consegue. Mas a sua vida muda completamente depois que ele mata, por legítima defesa, o tal perseguidor de Tyra da temporada passada.

Devido a toda essa mudança, ele finalmente abre o seu coração para Tyra, dizendo tudo aquilo que sente, mesmo que em meio a toda uma discussão. É a típica cena que faz o telespectador ver todo o potencial dos atores. Algo que só Friday Night Lights proporciona. Foi um relacionamento construído da forma mais natural possível. Enquanto ele vive o pesadelo de ter matado alguém, Tyra dá graças a Deus que isso tenha acontecido e ambos estão ligados por essa tragédia, além do sentimento que começa a existir entre os dois.

As cenas que Adrianne Palicki Jesse Plemmons vem proporcionando simplesmente trazem a realidade de um amor que estava começando ainda no fim da temporada passada e que está se consolidando agora. Foi um cenário que já havia sendo preparado aos poucos. Mesmo que uma tragédia acabe ligando os dois, acredito que o assassinato naquele momento foi algo que poderia ter acontececido.

O quadro de Jason Street apresenta melhoras, depois dele conseguir apertar a sua mão esquerda. Ainda assim, o médico não o mantém esperançoso de que algum dia ele poderá andar. A idéia dada por um amigo é que viaje para o México para tentar um tratamento alternativo com células-tronco que “tem dado muito certo.” Mas o personagem de Jason, e também o de Lyla, não alcançaram a dimensão que tinham no ano anterior. Lyla, por exemplo, apareceu na cena em que ajuda o seu pai junto com Tim Riggins. Outros dois personagens que tinham uma importância muito grande na temporada e que ainda não se encaixaram até agora é Matt e Smash. Ambos ainda estão um pouco fora do núcleo, mesmo isso sendo compreensível, porque as histórias até agora estão girando mais em torno dos Taylors e de Landry e Tyra.

Buddy continua vivendo o inferno astral da sua vida. Mesmo tendo o controle do time (que agora é só fachada), ele perdeu a influência que tinha antes. Prova disso foi a festa de Abertura da Temporada, que normalmente é feita na Buddy Motors, mas dessa vez passou a ser feita no rancho de um amigo do treinador.

Li todos os comentários que foram feitos em relação ao review do episódio passado. Procurei entender a opinião de cada um sentindo, é claro, que todos estão bem divididos em relação ao início dessa temporada. Não é difícil de entender a choradeira de Tami Taylor. A família Taylor sempre esteve junta e se “separa” logo em um momento difícil onde, por mais que a Tami seja experiente, é impossível não sentir quando não se tem a pessoa que você mais ama por perto, para te ajudar a criar sua filha.

As atitudes de Julie é outro ponto muito fácil de tentar explicar e que a série vem explorando muito bem. Com o seu pai longe, ela vive um período que, tenho certeza, muitos de nós já vivemos. O momento em que fazemos as nossas escolhas, acertando ou não, e que sentimos, por algum motivo, raiva dos nossos pais. Julie não quer ser como a mãe. Não tem o desejo de ficar presa em uma relação com um jogador de futebol e ter que viver da forma que ele vive. Todo essa situação será muito explorada ainda pela série nos próximos episódios e o desenrolar vai ficando cada vez melhor.

Friday Night Lights -  Bad IdeasO final desse episódio foi digno de uma série que tem a pretensão de se tornar grande. Landry e Tyra estão mais unidos do que nunca, e o beijo entre eles em prantos, representa um amor que nasceu também por parte da amizade que tinham. E ainda tem gente que diz que não pode namorar um amigo. “Todo grande amor nasce de uma grande amizade.”

Séries citadas:

17 Comments

  1. Pedro Jayme

    Sabe, esse lance do Landry e Tyra não rola na vida real..está sendo mostrado de forma bacana, os atores são ótimos, etc..mas, nao rola, são mundos totalmente diferentes. Só mesmo no bizarre world do Seinfeld. Só os vejo juntos no seguinte caso: Landry, 10 anos depois se torna um milionario, um bill gates da vida, e Tyra se casa com ele pra fugir da mesmice da cidadezinha , ou seja, por interesse mesmo.
    Quanto a Julie, não gosto desta idéia..ah, ela faz m…, tá perdida pq é adolescente. Gente, será que todo, todo adolescente tem que ser porra louca? Não concordo. Só concordo com Julie no seguinte: Matt é mesmo mto previsível..esse sim, merecia uma sacudida, podiam mostrá-lo fazendo besteira, tomando uns porres, errando, sendo mais humano.
    Enfim, FNL tem mta gente que se prestaria melhor ao papel de adolescente rebelde sem causa, como p/ex Lyla que vem sendo desperdiçada. Anyway, é uma seria muito acima da média.
    Só um off-topic…Eugifran não comentará mais Brazilian Next top model? Sabe que deu uma melhorada? Difícil é conter a indignação diante dos jurados invejosos…a palomino não esconde a raiva das garotas mais bonitas. Pena que minha favorita Karin saiu. Que gauchinha linda!
    Ah, parabéns pelo review Vinícius, tenho notado que os novos colaboradores estão caprichando e o site só tem a ganhar com isso.

  2. Paulo Antunes

    Eu vi os comentários do outro review criticando a Julie e eu não concordo com eles. Achei muito interessante a motivação dela para “desgostar” do Matt. Gostei mesmo, achei legítimo, ela simplesmente “desapaixonou”.

    Mas Vinicius, eu continuo assistindo e gostando da série, mas discordo de ti, é evidente que as coisas mudaram. FNL era drama, agora está virando novela. Não é o fim do mundo, mas ele pode estar próximo…

    O Landry estava ótimo, ficou tudo muito real – exceto pelo fato de que no mundo real nunca um cara como ele ficaria com uma garota como Tyra…

    E Tami Taylor roubou o episódio, a Connie Briton estava incrível!

  3. Darth Cesar

    Mas o Landry e a Tyra só estão vivendo o momento, estão no embalo, e neste caso pode dar certo momentaneamente, mas futuro é outra história e pra Tyra é algo novo, um cara sincero e diferente.
    A Julie ta de sacanagem, bem que dizem, o cara ser bonzinho só se ferra, tem que pisar mesmo.

  4. Thiago Sampaio

    Pedro, eu acho que acontece. É mais fácil vc ver uma gata com um “cara feia” do que um boa pinta com uma mulher não tão atraente. Certo, não vejo um futuro muito longo pra eles (por favor, sem spoilers q só vi até esse epi) mas ficarem depois do que aconteceu é normal. Acontece.

    A cena de Jason agradecendo a sra. Taylor pelo sonho foi tão… sei lá, “fofa”, mas “fofa” do tipo “este é um personagem altamente coadjuvante”. Sei lá. Se alguém visse essa série pela primeira vez, classificaria Jason como um personagem coadjuvante… quase figurante. Não sei se me fiz entender, mas é isso.

    A choradeira da Tami. Além do marido estar longe, e a filha uma aborrecente, podemos contar com o fator ‘depressão pós-parto’ tbm?

    Já a pequena Julie: repito que essa fase dela é coisa mais normal e natural do mundo. Mas podemos não gostar, né? =p

    E tô com o Paulo: foram só dois epis, mas a série mudou demais em relação à primeira temporada. Pra pior =/

  5. Paulo Fiaes

    olha só

    a série aumentou o tempo de tela de todos os personagens, mas com isso faz com que a historia deles sejam desenvolvidas aos poucos, Smash ganha muita importância mais pra frente, mas a historia dele esta sendo desenvolvida ai.

    O que Paulo quis dizer que um cara como Landry n fica com uma garota como Tyra, nao é a questão da beleza, como alguém frisou acima, existe inumeros casais na vida real que a mulher é gata e o cara não é nada demais. e em muitos casos, é sentimento verdadeiro e não interesse. no caso de Landry e Tyra, a diferença do mundo deles que é de estranhar eles ficarem juntos, mas é de entender que Landry é o primeiro cara que a trata como pessoa e não como objeto e isso queira ou não mexe com as pessoas.

    Serio Thiago, está achando a temporada pior do que a primeira? rapaz, lembro que ano passado Eric fivaca colocando FNL la em cima e eu falando menos, menos. de certa forma, Paulo até concordava comigo fazendo as reviews mostrando falhas da série. nessa temporada coloquei FNL em primeiro lugar, na frente de Dexter e House(e va por mim, ficar na frente de Dexter e House, com a temporada que essas duas séries estão fazendo é muito dificiL), mas FNL ficou, não porque todos seus episódios são otimos, mas sim porque a regularidade dos eps(nenhum ep ruim ate agora) e como disse acima, eles estão criando historias para os personagens que estão sendo desenvolvidas em 3 ou 4 episodios, lembro muito qndo vc falava de ER, onde antigamente as historias nao eram criadas apenas em um ep e sim em um arco de episodios, a mesma coisa esta acontecendo com FNL, e pra mim, o arco criado para todos os personagens, Tim, Tyra, Landry, Lyla, Bud, Smash, Julie, Matt, Tami e coach é simplesmente sensacional. e uma coisa que eu consegui sentir na série, é real, é real que chega a assustar. essa mudança que alguns criticam em Lyla, eu tenho pelo menos 02 amigos que foi assim, quando eu menos percebi, eles estavam falando de Deus, tentando me levar para igreja e tpo, realmente eles pensam que a religião melhorou a vida deles. isso é impressionante e é verdadeiro, e tpo, esses 02 amigos meus que se tornaram crentes. se morassemos nos estados unidos, poderiamos dizer que o homem era um atleta e a mulher lider de torcida, sei la, é questão de opinião mesmo, mas eu acho essa temporada está espetacular.

    sobre o assassinato, eu tb sou contra, sempre falo de Dawson’s por isso, todas as séries, incluindo a primeira de todas, barrados no baile, colocava um assassinato,ou pelo menos tentativa de homicidio para atrair publico. menos Dawson, a série, mesmo criticada por alguns, trabalhou aos longos da seis temporadas o crecimento do ser humano. one tree hill teve sorte com o episodio de Jimmy, mas quase mata a temporada com o falso Derek. qndo eu vi esse lance de FNL, eu pensei comigo, fudeu, mas como Anderson disse na review passada, o desenrolar desse assassinato ficou fantastico, e ca pra nós, ate o assassinato em si, nesse caso da para entender, e ele em nenhum momento quis matar, apenas foi se defender, revidar e principalmente defender a Tyra.

    chega, otima review e FNL está fantastico.

  6. Thomaz Jr

    FNL mudou e para pior.

    Estragram o Landry. Ele de nerd passou a jogador do Dilon, namorado de Tyra e assassino. Td em 2 episódios. Td o potencial de Landry de garoto nerd, que era explorado de forma perfeita na 1a temporada, caiu por terra qdo ele entra para o time e comete um assassinato.

    Bem, uma Tyra da vida só ficaria c um Landry em uma situação EXTREMA. E os 2 estão vivendo ela uma situação EXTREMA agora.

    Acho a reação de Tami normal e bem interpretada. Depois de um parto uma mulher fica mto sensivel e ela nem o marido junto dela tem e a filha mal fala c ela. Mas o caminho que está tomando está forçando. Ficou um clima entre ela e o prof de ciencias. Será que ela nao podia chamar um taxi? será q ela nao tem uma amiga? forçando demais e apelando p cliches baratos.

    Julie é a personagem que mais tenho gostado. Ela foi a mudança positiva da temporada. Ela e Matt já nao rendia mais nada para a série. Eu gosto do Matt e espero que ele volte a ter vez na série.

    Smash virou figurante! Obrigado,roteristas.

    Lyla e Tim? Acho que seria legal os 2 juntos. Alem de que foi interessante a conversão dela. FNL explora mto a cultura protestante nos EUA. Citaçoes e comportamentos. Isso é mto profundo na cultura americana e mtas vezes ingnorado nas séries.

  7. Eric Fernandes

    Não entendo essa galera, realmente. Foram dois episódios maravilhosos, com direito a atuação brilhante da Connie Briton, e ainda criticam.

    O que seria um inicio bom para vocês então? Ela está mais séria e seus personagens estão sendo melhor explorados e desenvolvidos. O fato do futebol ficar em segundo plano neste inicio e deixar seus personagens crescerem, foi um dos acertos. Roteiro, direção, fotografia, edição, estupendos. Não consigo ver falhas nesse inicio de temporada de FNL. Não mesmo.

  8. Thiago Sampaio

    É a pressão, Eric e Fiaes.
    Garanto que foi mais do que paciência o que me fez passar pelo episódio piloto. Se não tivesse lido seu preview (Eric), talvez não chegasse até o final do episódio e continuasse até hoje. Mas desde lá, a série me conquistou com histórias simples, reais, quase que como se fossem um docomentário. Hoje ela tá se afastando disso.

    Tá caindo no lugar comum, infelizmente. Fiaes, li todas as reviews de Antunes, e sei o quanto ele pode ser crítico (e meio diferente na abordagem), e lembro que mesmo quando ele meio que falava mal, eu meio que falava bem. Gostei mesmo do primeiro ano. Esta segunda temporada ainda não me cativou.

    Não é imposição =p Só não bateu com meu santo. Vinícius, por exemplo, tá se dando bem com essa temporada. Eu não. Maaaaas… ainda faltam uns 20 episódios, isso se a greve deixar. Vai que mudo de opinião até lá.

  9. Gisele G.

    Eu continuo achando que esta estória do assassinato está desvirtuando a série.
    Vejam bem, não o ASSASSINATO EM SI, pois foi um acidente, possível sim de acontecer. Mas o que achei totalmente fora de própósito foi o ACOBERTAMENTO DO CRIME, o descarte do corpo, principalmente vindo de um filho de policial. Achei muito forçado, muito “criar um vínculo fortíssimo entre Tyra e Landry”.

  10. Pedro Jayme

    Concordo com vc gisele. Queria ver o Landry se apresentando à justiça, às consequencias, a reação da tyra, do povo da cidade…seria bem melhor e até poderia criar um laço bem forte entre os dois.

  11. Vinicius Silva

    Esse assassinato desvirtua, de certa maneira, e me faz lembrar o lance do pysco derek em One Tree Hill. A diferença é que eu acho que o tema tratado em FNL parece ser muito mais real, em relação à OTH. Considerando o estilo que a série sempre foi, o lance do pysco Derek acaba desvirtuando uma série que sempre teve como ponto principal, o lance dos casais, das famílias, dos meio-irmãos. Claro que eles tentaram mudar, assim como FNL tentou criar algo novo, mas é uma coisa que vem desde a temporada passada. Tem sim um corte no tempo, e ele até nos ajuda a compreender isso.

    Eu nao sei, tenho gostado bastante desses dois primeiros episodios. Eu vou ter que assistir os dois primeiros da 1ª temporada e os dois primeiros dessa nova pra fazer uma análise melhor sobre o que está acontecendo.

    Valeu pelos comentários. Abraços!

  12. Giselle Bauer

    Do primeiro episódio eu não posso comentar porque não consegui ver mas assisti o segundo e gostei.Achei muito bom. A Lyla continua uma chata e ficou pior ainda com este negócio de ser crente.
    Sei que muita gente não gosta do Tim mas eu gosto e ele continua com aquela carinha de carente. E a Julie? Cara como ela tá irritante não é por ser adolescente que ela tem que ser uma mala. Pô nem pra dar uma força pra Tami.Por falar em Tami entendo que ela tá longe do marido mas cara não precisa aquele drama todo. E é o seguinte que bagunça a casa dela. Acho que dá pra cuidar de um bebê e cuidar da casa ou então sei lá contrata uma babá ,empregada não precisa passar por tudo aquilo de chorar,pedir pro professor ir buscar no hospital.E vou te contar que olhos grandes que tem aquela criança.Credo! Quanto ao Matt tô achando que vai rolar alguma coisa entre ele e a enfermeira latina. E deixei pro final a relação entre o Landry e a Tyra concordo com o seu comentário Vinicius o relacionamento foi construído de forma natural e que linda aquela cena final dos dois.E matei a saudade do meu querido Aaron do 24 Horas fazendo o pai do Landry.

  13. Rafaelly

    Cara…tô meio sem saber o q dizer sobre FNL…Algumas coisas eu gstei, outras ne mtanto,mas é certo que a série mudou totalemtne a abordagem e é muito cedo ainda pra eu dizer se gostei ou não.

    Sobre o assassinato, tb acho que seia mais válido ele assumir a culpa pra polícia até pq o importante não foi o assassinato do cara,mas sim a formação definitiva de um vínculo entre o Landry e a Tyra,pois agora ela pôde ver até onde ele iria por ela. E isso é algo que ea nunca achou que um homem poderia fazer por ela, já q sempre foi tratada como um objeto. Na vida real, duvido muito que esse relacionamento acontecese, pois vamos dizer a verdade: a beleza e riqueza comandam o mundo, infelizmente (vide Ugly Betty ou Gossip Girl). E um nerd feio não ficaria com uma garora popular como a Tyra…A verdade é essa!Vamos admitir!
    Mas q eu tô amando isso justamente pelo fato de que quebra com essas relaçãos superficiais q surgem pelo mundo afora…Torço muito pelo Landry e Tyra, apesar de achar que isso não vai muito longe não.Uma hora ou outra a cultura dominante vai puxar o tapete do Landry….Pode apostar!
    Mas de qualquer maneira, espero que ele se dê bem nessa história…

    Julie tá prassando por uma fase difícil e é compreensível.Tb gostei do motivo de ela ter terminado com o Matt.Interessante mesmo.
    Pouco Tim, pouco Smash, pouco Jason e pouca Lyla, ou seja, a 2ª temporada é o paraíso !!!!Ufa!

    Quanto a Tami estar chorando muito…gente, pelo amor de Deus…É o mesmo pensamento que se tem em relação aos psicólogos…A mulher é conselheira da escola e tal(aliás, ela é psicóloga?),mas antes disso ela é um ser humano…ela tem direito de sofrer tb!!! E é perfeitamente compreensível.Mas que todo mundo sabia que essa história de ele ir morar em Austin não daria certo, isso todo mundo sabia mesmo!!!

    E a única coisa que, claramente até agora, eu tenho pra reclamar desa temporada é isso: Eric ter ido pra Austin…Ele ficou muito separado de tudo.Das família e por consequencia da trama…Até pq eu não tenho o minimo interesse em saber o que vai acontecer com o jogador problemático do time de lá.

  14. Olga Nogueira

    Foi opção da Tami não ir para Austin com o Erick. E ela já sabia que estava grávida. Optou por se manter acompanhando os alunos da escola de Dillon e seguir o trabalho que vinha desenvolvendo. Ela está mais para Orientadora Educacional do que para Psicóloga mas se desestruturou de tal maneira que todas as forças que tinha e lhe davam firmeza se foram; justamente aquela força que a fez optar por ficar em Dillon. Aí o marido vai para Austin – é tão longe assim que ele tenha que ficar 8 meses sem ir ver a família????? – Julie segue com suas rebeldias, que já estavam se instalando há tempos, ela tem o bebê e se desestrutura toda. Está que nem sabe o que faz, andou horas no sol empurrando o carrinho de bebê… Realmente se desestruturou totalmente. E quanto ao bebê, bem lembrado, a menininha é horrível! Vai ver que é por isso que Tami chora tanto…

  15. Lucas

    Putz, ainda bem que alguém percebeu que o bebê é horroroso, pensei que fosse só eu! Quem sabe fique mais bonitinha com o tempo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account