Log In

Reviews

Review: Friday Night Lights – A Hard Rain’s Gonna Fall

Pin it

Friday Night Lights - A Hard Rain's Gonna FallSérie: Friday Night Lights
Episódio: A Hard Rain’s Gonna Fall
Temporada:
Número do Episódio: 48 (3×11)
Data de Exibição nos EUA: 17/12/2008
Data de Exibição no Brasil: 19/6/2009
Emissora no Brasil: Sony

Foi debaixo de muita chuva que os Dillons Panthers enfrentaram a equipe de West Cambria pelas semifinais dos playoffs. A tempestade que caiu na cidade de Dillon fez com que o jogo ficasse ainda mais emocionante, além de mudar completamente a tática ofensiva do ataque da equipe de Eric Taylor. E, assim, JD McCoy, com toda aquela pressão exercida pelo pai, se viu sem saída a partir do momento em que o seu técnico lhe pedia para continuar com o mesmo jogo enquanto que o seu pai, no meio da torcida, gritava desesperamente para ele manter a bola no chão. A relação dos dois já não estava muito bem devido ao início do namoro de McCoy com uma garota do colégio. Possessivo e sempre contrariado quando o filho não faz o que manda, Joe McCoy perdeu completamente a cabeça e acabou batendo no garoto por ele ter desobedecido as suas ordens.

Às vezes, nem sempre o máximo que nós damos parece ser suficiente. Para provar isso, basta observar o que aconteceu com JD neste episódio. Pois a mesma coisa tem acontecido com Tyra, uma vez que ela tem se esforçado tanto para entrar em uma Universidade e melhorar as suas notas, mas nunca parece ser o suficiente. Além disso, ao organizar a despedida de solteira da sua irmã Mindy, é como se ela percebesse o tempo que está perdendo tentando alcançar um sonho que parece ser impossível quando, na verdade, ela só deseja encontrar a felicidade e uma pessoa de quem ela gosta.

E o mesmo também acontece com Matt Saracen. A deterioração da mente da sua avó atingiu praticamente o limite e ela já não consegue cuidar de Lorraine como antes. Por mais que ele tenha resistência em colocá-la em um asilo, Matt também percebeu que chegou o momento em que a sua avó precisa de cuidados especiais e que os seus esforços não estão adiantando. Além desses dramas familiares – que a série já sabe como abordar – Dillon está passando por uma “reconstrução”.

Na realidade, uma divisão do estado. Como a escola Dillon High está sofrendo com o número excessivo de alunos e pouco espaço para acomodar todos que estudam nela, o governo decidiu dividir a cidade e recuperar a East Dillon High. Esta foi a maneira que eles encontraram para desafogar uma das escolas e provocar investimento para a melhoria da educação. Obviamente, o acordo não agradou os investidores do Dillon Panthers, uma vez que boa parte do time mora do outro lado da cidade.

Assim, teríamos duas equipes rivais e isso, definitivamente, deixou Buddy Garrity e a sua trupe muito irritados. O que eles fizeram: ao invés de provocar uma divisão em linha reta, rechearam o mapa de curvas para manter os atuais jogadores em Dillon High. Decisão inteligente? Nessas horas, cada um protege o seu.

É notório que Friday Night Lights está caminhando cada vez mais pro seu final, e já estou ficando com saudades, confesso.. O que nos resta nesse momento, é apreciar da melhor maneira possível estes dois últimos episódios que restam da terceira temporada, e aguardar o inícoi da quarta temporada, que deverá abordar um pouco mais sobre esta divisão já supracitada.

Friday Night Lights - A Hard Rain's Gonna FallMesmo assim, gostaria de ressaltar aqui o amadurecimento de alguns personagens. O caso de Tim Riggins, por exemplo, a maneira como ele está cuidando de Lyla, agora que ela está enfrentando problemas com o seu pai, representa um pouco desse crescimento de um personagem que outrora só queria saber de comemorar as vitórias da sua equipe. Mas também mostra que, ao contrário da mensagem do episódio, Lyla precisará se esforçar um pouco mais para conseguir alcançar os seus sonhos de entrar em uma boa Universidade.

O mesmo vale para Tyra, que deixou de ser uma mera figurante. Desde a segunda temporada que ela vem evoluindo dentro da série, em meio às tramas e vivendo os seus próprios dramas familiares e lutando pelos seus próprios sonhos. Ela é uma das poucas que possui uma trama própria, que já dura duas temporadas. E isso nos faz perceber o quanto tem sido difícil. Afinal de contas, a sua família não é exatamente um exemplo de como perseguir os sonhos ou de se ‘aventurar’ nos estudos. Ela quer ser diferente. E, somente por tentar, ela já consegue ser.

No mais, foi aquilo de sempre: episódio sensacional. Aliás, a cena em que o pai de JD bate nele é de uma realidade impressionante. Principalmente porque conseguimos ver a fúria nos olhos de um pai autoritário, que está sempre tentando tirar o melhor do seu filho. Ele me lembra muito Dan Scott (da série One Tree Hill). Acredito que já cheguei a comparar os dois aqui em alguma resenha (se não, estou fazendo isso agora). Mas ambos são mesmo parecidos quanto a alta expectativas que colocam nos ombros dos filhos. Dan pressionava Nathan em relação ao basquete para ele alcançar o estrelato que ele não conseguiu. Em relação ao pai de JD McCoy, não sei exatamente se ele tentou ser jogador, mas acredito que ele vive amargurado por alguma coisa e por isso desconta no filho.

Adaptado de texto publicado originalmente no weblog Sob a Minha Lente.

Séries citadas:

5 Comments

  1. marília

    Oi vinicius! primeiro parabéns pelo convite do universal (não vou ler pq é sobre heroes… e.. né?)

    ah e tbm quero agradecer por ter atendido meu pedido de adiantar os reviews, apesar de vc ter levado um pouco na ironia (ou não?)

    sobre o episódio: FANTÁSTICO! Especialmente a parte da Tyra que me fez chorar. cena linda impactante, aliás como várias da cenas entra mães e filhos na cidade de Dillon!

    e o que dizer do pobre do Matt? é tão tocante e bem feita a situação dele e da avó… e como ele se vê forçado a aceitar a ajuda daquela que um dia lhe abandonou.

    sobre os MCcoy… finalmente aquela mãe tomou um jeito e viu a loucura do marido. concordo com o pai que a ruivinha é uma pirigueta, mas esse controlo sobre o guri… sem noção total.

  2. Ivan

    O menino tem q aproveitar msm!!!!
    q pai mala!! ele parece o Dan msm!!
    Abraços!!
    ps: mto bom trabalho!!!

  3. João da Silva

    Ótimo episódio! E repito: a ruivinha, interpretada por Whitney Hoy, é lindíssima. Ela deveria ter um papel fixo na série.

  4. Vinicius Silva

    @Marília

    Eu acho que o Matt começou a perceber a necessidade que ele tem de deixar a vó em um lar, mas ele ainda é resistente quanto a isso porque foi ela quem o criou, quem lhe deu educação, foi ela que nunca o abandonou. Isso pesa bastante, apesar dele saber que precisa também seguir a sua vida universitária e tudo mais.

    Em relação às reviews, não encarei como ironia. Eu vou tentar mandar mesmo os textos mais cedo, mas também existem outros posts na fila que o site deve publicar primeiro. Mas a demora, na maioria dos casos, foi por minha culpa mesmo. Questão de tempo, mas agora tudo está sendo normalizado.

    E obrigado pelos parabéns, apesar de ser sobre ‘Heroes’ (também não estou gostando da série) o convite foi bem legal, tanto para mim quanto aqui para o Teleseries.

    abraços, marília!

  5. Camila

    Realmente o pai do JD me lembrou um pouco do Dan. Mas assim como tudo em FNL, o personagem é mais real do que o de One Tree Hill.

    Essa divisão da cidade ainda vai dar muito pano pra manga.

    Eu fico me perguntando como vai ser a proxima temporada com praticamente todos os protagonistas ( pelo menos os jogadores) se formando e indo para a faculdade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account