Log In

Notícias Opinião Reviews

Review: Força-Tarefa

Pin it

Força-TarefaA única conclusão possível após assistir a estreia de Força-Tarefa, o novo drama policial de rede Globo, é que o caminho da teledramaturgia brasileira até o domínio da fórmula dos seriados de TV será longo, árduo e penoso. Mas o caminho está sendo trilhado, inclusive pela Globo, e é isto que importa.

Em seu episódio piloto, Força-Tarefa apresentou algumas ideias muito interessantes e também vários erros de execução.

A maior das boas ideias é sua premissa: fazer uma série sobre a Corregedoria da Polícia Militar. É uma ideia que cai bem com o momento da segurança pública no Rio de Janeiro e mesmo no Brasil, onde a força policial inspira medo e está associada ao crime. E também que protege o seriado das inevitáveis comparações com os seriados americanos – lá, a “internal affairs” ainda é a antagonista das histórias policiais, e eu realmente não me recordo de nenhum seriado, não que tenha feito sucesso, que mostrasse policiais do órgão no centro da ação.

E não sei se foi proposital, mas a ideia de Força-Tarefa também protege a Globo de algumas problemas – mascara o problema do maniqueísmo do seriados policiais, evita polêmicas com a corporação e, especialmente, minimiza eventuais debates sobre violência e segurança pública, que geraram muita publicidade mas também ruído para o filme Tropa de Elite.

Foi também uma boa sacada dos roteiristas Marçal Aquino e Fernando Bonassi imaginar um grande elenco – o núcleo policial tem Murilo Benício, Milton Gonçalves, Hermylla Guedes, Rodrigo Einsfeld, Juliano Cazarre, Henrique Neves e Osvaldo Barauna. A série funcionaria com menos gente, mas isto é sinal de que eles estão pensando no seriado para frente e com isto tem uma gama de personagens para desenvolver. Também não faço ideia se a Corregedoria trabalha daquele jeito, equipes grandes reunidas em uma sala de reuniões, mas conceitualmente funcionou muito bem. Estas cenas do briefing da equipe foram as melhores do episódio (mas se eu estivesse lá eu não tomaria café num copinho, eu usaria direto um canecão!).

O último elogio ao roteiro é a sacada de colocar o protagonista, o Tenente Wilson (Benício), dialogando com o policial-defunto Jonas (Rogério Trindade). Curiosamente, este mesmo recurso narrativo está sendo usado atualmente em outras duas séries da TV americana, que são Grey’s Anatomy e Fringe, irritando muita gente. Mas aqui ele funciona perfeitamente. Wilson me parece um homem de intelecto limitado (ora bolas, ele é um policial, e ainda por cima honesto!) e o roteiro precisava criar uma forma do personagem expressar seus sentimentos, sem que fosse dialogando com a namorada (Fabíula Nascimento) ou algum parceiro. As alternativas (ele narrando em off, ou se consultando com um terapeuta) não teriam um resultado tão bom como este.

Quais os problemas da série? Do ponto de vista do roteiro, o desapontamento é que a primeira história, o primeiro caso da série, tenha sido tão simplório. É um problema comum também na série brasileira 9mm: São Paulo: a dificuldade do roteiro de encaixar uma história mais sofisticada, ou de ao menos fazer a história parecer mais sofisticada, em um curto período de tempo.

Força-TarefaA verdade é que os grandes problemas de Força-Tarefa não estão no texto. Estão no resto. A direção de arte foi exagerada, criando imagens belíssimas (a cena de abertura no lixão é boa) e outras estúpidas (os motociclistas largando as motos e correndo em direção ao helicóptero, a mulher do policial corrupto assistindo TV sentada num engradado e depois dormindo sobre uma mesa na casa vazia).

A direção dos atores poderia ser melhor (algumas falas ainda não soam naturais). E o pior foi a cena final, má dirigida e má editada, tornando a cena final, da morte do policial corrupto, previsível e sem emoção. A trilha sonora é confusa (misturando música brega e aquela trilha sonora incidental óbvia e irritante de novela das oito); E, falando em trilha, uma versão de “Polícia” dos Titãs, sério? Foi o melhor que eles puderam pensar pra uma música-tema? Me senti assistindo a um daqueles vídeos toscos, que fazíamos na faculdade de comunicação, há uma década atrás. A trilha coroa uma abertura veloz, que não combina com o ritmo do programa, e que termina com uma logomarca da série que também não combina com o programa.

Força-Tarefa ainda está longe do que buscamos em termos de excelência no gênero para a TV brasileira. Mas é um começo. E é bem provável que faça sucesso, como quase tudo que a Globo faz. Para milhões de brasileiros, Toma Lá Dá Cá é uma comédia engraçada e Prison Break começou em fevereiro e é o melhor seriado de TV de todos os tempos. Mal sabem eles…

* * *

Força-Tarefa vai ao ar nas noites de quinta-feira, às 23h, na rede Globo.

Séries citadas:

É jornalista, pós-graduado em Jornalismo Digital pela Pucrs e trabalha com produção de conteúdo para Internet desde 1995. É editor de internet do Jornal do Comércio, de Porto Alegre. Fundou o TeleSéries em agosto de 2002. Na época, era fã de The West Wing, The Shield, Família Soprano e Ed. Atualmente é viciado em The Good Wife, NCIS, Game of Thrones e Parks and Recreation.

69 Comments

  1. Cesar Adriano

    Esse “começo” já teve vários começos e nunca deu em nada.

    O problema não é que Força tarefa não se iguala as séries policiais americanas, mas sim, que Smallville, The OC, As visões de Raven, são produções mas sofisticadas.
    Isso é que me deixa cabrero, até quando esse pessoal no Brasil vai ficar dormindo no ponto,que dificuldade é essa de produzir algo um poquinho interessante? Não sou contra produção nacional, mas quando ela fica abaixo de programas teens americanos, não é bom sinal.

  2. Bruno A.

    “que serie no piloto mostrou tudo que realmente é?”

    ALIAS, LOST…

    “É da Globo? O povo fica pichando!”

    A Globo, com certeza, é a melhor rede de TV aberta. Investe no Rio de Janeiro e em diversas outras cidades e faz com que todas as outras emissoras que queiram fazer um produto de sucesso façam o mesmo (a Record, é um exemplo). Não é como o SBT, Band e Rede TV!, que acham que o Brasil se restringe a São Paulo.

  3. Gilberto Guerra

    Que esse piloto foi muito ruim foi, mas torço pro sucesso da série. O televisão brasileira precisa de mais do que comédias mal feitas e novelas água com açúcar. Daqui umas semanas assistirei de novo e verei se vale ou não a pena acompanhar.

  4. marília

    é Bruno, esses pilotos que vc citou são masterpieces!!!!

    a grande questão é que da mesma maneira que não se pode desculpar uma série cujo piloto foi ruim, só pq é o piloto, não se pode condenar ao fracasso uma série que não tenha começado tão bem.

    até aqui, é o material que se viu, e, portanto, só se pode emitir opinião sobre ele. Porém, apesar de achar uma tremenda burrice errar no cartão de visita, admito que estou sendo condescendente porque aquilo que vi de positivo no piloto (muito do que o Paulo Antunes tbm citou em seu texto) me anima a ter esperança de que pode vir coisa boa.

    se os erros apresentados serão corrigidos, só saberemos próxima quinta, eu prefiro acreditar que sim, pq não tenho problemas com a produção nacional, tenho visto a globo investir no horário de sexta – que nem é de muito prestígio – em coisas diferenciadas e mesmo concordando que não ocorre na velocidade que gostaríamos, já está próximo o momento que a globo vai precisar rever sua programação, especialmente pelos ibopes reduzidos, diminuir um dos horários de novela talvez, casseta e planeta, grande família já estão a um bom tempo no ar… quem sabe uma coisa e nova e legal não surge para substituir…

    bom, veremos.

    Paulo, vai ter que ter review do segundo episódio!

  5. Pedro Paulo

    Marco – 18/04/2009

    “e noto uma má vontade as vezes aqui nos comentários: só pq é tv aberta, ou globo ou sei la o que, é certo que é um lixo.

    vamos ser um pouco flexíveis.

    E daí, se o troço é tosco temos que ser condescendentes só para exercitar o recorrente ufanismo barato do brasileiro?”

    MARCO, VC NÃO SE FAÇA DE BESTA. O problema que alguns comentários aqui e no review da Maysa foram do tipo: “tv aberta? passo longe” “tudo na tv aberta é porcaria” “faz anos que não vejo globo”, “tv aberta só tem silvio santos”, enfim, comentários mais que PARCIAIS.

    AS séries brasileiras da HBO são ótimas, tem muitos filmes nacionais REALMENTE bons, a novela PODER PARALELO está me impressionando pela qualidade técnica que melhorou absurdamente e um texto muito bem escrito.

    E podem dizer qualquer coisa, mas A GRANDE FAMÍLIA eu amo de paixão e acho os roteiros da série melhores que os de muita comédia americana.

    Ressaltando: eu disse roteiros, e não qualidade técnica.

  6. Giselle

    marília
    Vc não está sozinha !!!!!
    Eu gosto do Murilo Benicio . Liga não !!!!

    Sobre a série eu achei a história um pouco fraquinha mas deu pra ver. Vou continuar assistindo. Foi apenas o piloto.
    9MM também começou meio devagar mas depois melhorou já o piloto de A Lei e o Crime foi o melhor dos três.
    E pra encerrar muito forçado colocarem Polícia dos Titãs como o tema de abertura. Aff !!!!

  7. Cesar Adriano

    O que acho interessante é que vocês querem que incentivemos uma produção nacional, da Globo. Claro que temos que valorizar o nosso produto, é até justo, lógico.

    Mas a mesma Globo, é famosa por comprar produtos e engavetar, pra ninguém ver, (ou não liberar pras outras emissoras, como o Oscar desse ano) e que se dane os interessados.

    Ou então pegar séries clássicas do momento, como Lost e 24h, e enterrar a meia noite, nas férias do Jô. Sendo que se fossem bem trabalhadas, seriam ícones na cultura nacional, como foram as séries exibidas em horário nobre nos anos 80 e inicio dos 90.

    Hoje quase todo brasileiro sabe quem é Macgyver, Hulk, As panteras, O homem biônico, Barrados no Baile e até Jornada nas Estrelas, graças aquelas exibições. Mas Lost hoje em dia no Brasil? só é conhecida pela turma da tv a cabo e internet e vocês ainda querem que fiquemos valorizando esse tipo de atitude?

    Longe mim querer ser dono da verdade, mas analisando, por que a Globo não vinculou a exibição de uma temporada de 24h(a última quem sabe) com Força Tarefa? Imagine, você assiste um episódio de FT e depois acompanha Jack Bauer!Seria uma forma de aumentar a audiência e de respeitar seu público.

  8. Lídia

    Olá pessoal
    Uma coisa engraçada é que não há, entre a população brasileira em geral, um debate tão amplo (como vemos neste e em outros posts do blogs) em relação à qualidade das atrações da tevê brasileira. É nítido que estas discussões não existem porque a grande maioria da população não têm acesso a outro padrão televisivo que não seja a tevê aberta nacional.

    Todos os leitores do teleséries, no entanto, são exceções. Não é possível julgar este Força Tarefa ou qualquer outro seriado sem levar em consideração que existem por aí The Closer, Dexter e tantas outras.
    O mesmo que acontece agora acontecerá quando a Globo estrear “Tudo Novo de Novo”, promovida como a Brothers and Sisters(!) brasileira(!): é óbvio que será impossível compará-las.

    Ou vocês acham que teremos um roteiro à altura? a mesma densidade dramática? ou atuações espetaculares como as de Rachel Griffiths ou Sally Field?

    Concordo com quem defende as comédias da Globo: eu particularmente não gosto da Grande Família,de Toma lá dá cá ou Os Normais. Mas adorei A Diarista e Sai de Baixo, por exemplo. Em relação a esse tipo de comédia, os produtos nacionais (até mesmo os seriados que eu afirmo detestar)são de grande qualidade.
    Mas não há nada no sentido de se fazer comédias com um tom mais realista!
    Este é o problema da Globo, na minha opinião: se eles fizerem com os seriados algo com um tom mais realista, seria um tiro no pé: criariam um parâmetro p/ a população comparar a novela com o seriado. Respondam: quem assiste séries americanas e gosta das novelas da Globo? a minoria.
    Na Record, eles até tentam mostrar um pouco a realidade, mas é só em relação a favelas, ao tráfico e à violência. E fazer isso para conquistar o público é simples. Mas em termos de densidade dramática, fica devendo e muito a determinadas séries.

    Nossas novelas, em sua grande maioria, são um crossing-over da estória da Cinderela com o mais-do-que-desgastado Quem matou Fulano!
    Geralmente é um produto popular (o que não é desculpa p/ ser ruim) feito para uma população que só aceita esse lixo porque nunca viu coisa melhor.

    Concordo com o comentário do Gilberto:
    “Que esse piloto foi muito ruim foi, mas torço pro sucesso da série. O televisão brasileira precisa de mais do que comédias mal feitas e novelas água com açúcar. Daqui umas semanas assistirei de novo e verei se vale ou não a pena acompanhar.”

    Aos fãs do Murilo Benício,
    nada contra os atores brasileiros, mas os atores emendam uma novela na outra: uma hora vilão outra hora mocinho, com a mesma aparência sempre e em papéis quase idênticos…
    daí se vc é corajoso e vai ao cinema conferir as produções nacionais: seja bom o ruim o filme lá está o mesmo elenco das novelas…

    nos EUA, embora seja comum que haja transição da tevê para o cinema e vice-versa, há grandes atores dedicados só ao cinema e outros quase que só à tevê.
    no Brasil não. Curioso é que as exceções fazem grande sucesso: vejam o caso de ALICE do HBO, ou de CAPITU, da Globo…

    no caso de FT, pareceu que eu estava assistindo uma novela. Só que da Record.

  9. marília

    Pra começar, ninguém que defendeu a série (a.k.a eu e mais alguém) defendeu a emissora globo.

    e se vcs querem saber, fico extremamente confortável pra me posicionar, porque eu adoro uma boa novela, que admito são raras. Por gostar, é que qnd algumas pessoas usam o termo “novelão” pra insultar, eu acho completamente nada a ver, defendo qualidade, o que independe de formato.

    a globo faz coisas ótimas e outras nem tanto. Mas, especificamente Força Tarefa, considerei que há sim potencial pra melhorar, e minha argumentação foi toda baseada no fato de que acredito haver má vontade dos leitores com a produção nacional, quando outros pilotos péssimos ou séries ruizinhas com atores de doer, passam incólumes por serem americanas.

  10. Angel

    ““que serie no piloto mostrou tudo que realmente é?”

    ALIAS, LOST… ”

    hey o piloto de lost mostrava uma serie interessante com conflito e resgate de dividas pessoais. Em momento nenhum eu vi referencia de que viagens no tempo-espaço seriam algo facil e/ou comum como pipoca de microondas.

    mas o que eu quero dizer é simples… O piloto foi ruim e dai? Milhares de series tem pilotos ruins e melhoram, não se pode garantir que a serie não presta por conta de um episodio ruim… Deixa a serie se desenrolar um pouco até a gente poder dizer é realmente é uma merda e não deveria ter sido produzida

  11. eduardo

    Concordo totalmnete com vc ANGEL.
    Esse pessoal só sabe elogiar as séries americanas, e esquecem, desprezam totalmente o q é nosso, onde chegam até a desistir, por uma simples falha.
    Que isso pessoal, isso só foi o primeiro episódio, eu também num gostei muito do primeiro episódio,e daí, pelo menos é uma inovação, calma aos poucos vão aprendendo.
    E outra coisa, da muita raiva quando vejo a comparação da globo com a record, peraí! se nós pararmos para analisar, ela está em segundo lugar e sempre vai apelar para vários contextos q chamem atenção do público.

  12. Vinicius

    Primeiro: a série não mostra a corregedoria da policia como diz o texto. Ela mostra a P2, que investiga a própria policia é só então vai para a corregedoria para que seja decidido o que fazer, é como chamar a policia civil de forum.
    Segundo: o texto fala tanto nos pontos negativos mas apresentar uma idéia boa não apresenta, o autor deve ser mais que faz parte da teoria da conspiração: “se é Globo não presta.” Sejamos sinceros a série não é nenhum seriado americano ou uma super produção, mas da pra assistir, foi interessante e como o diretor da série disse o primeiro epsodio é para apresentar o pessoal. Com certeza nos próximos epsódios as coisas vão melhorando. Peço ao autor do texto que expõe bao idéias no texto pra mostrar o que ele aprendeu na faculdade comunicação a dez anos atras. Se olhar que o site é do UOL e o UOL é do grupo Abril ja podemos imaginar que não sairá nada de bom mesmo.

  13. Bruno A.

    Em nenhum momento, eu comparei FT com séries americanas (só quando falaram que nenhum piloto era bom). E, se não podemos compará-la com A Lei e o Crime (série de temática parecida), me diz aí com o que devemos comparar.

    Quanto à Lost, realmente não dá para saber que a série abordaria viagens no tempo pelo piloto, mas ele deixava óbvio que algo surreal estava acontecendo ali.

    Tampouco sabíamos que Alias traria a mãe de Sydney Bristow em um papel extremamente importante no futuro.

    Um piloto não deve deixar nítido tudo o que vai acontecer futuramente na série, mas ele deve ser interessante o suficiente para que continuemos assistindo.

    E, Vinicius, nada a ver o que você disse. Você que está aderindo a uma teoria da conspiração.

  14. Bruno A.

    Pô, galera, quando for defender a série, usem mais argumentos do que os já batidos, como “só porque é nacional, todo mundo critica” ou “só porque é da globo…”. Pô, falta a vocês nos comentários o mesmo que faltou à FT. Falta criatividade.

  15. Cesar Adriano

    Falando de Lost, será que eu estou louco?! Aquele episódio piloto foi sensacional!!! Digno de grandes filmes de suspense e ação.

    Essa é outra questão, muitas séries americanas como Lost, já estão em outro nível, comparando com outras americanas.

    São produções de nível cinematográfico, assistir a episódios de Alias, Arquivo X, BSG, 24H… é como ver um filme de 1h.

  16. Carl

    Acho louvável a tentativa e acho que merece mais chances (3 para mim é o bastante). Achei a narrativa realmente um pouco disconexa porque a história não era das mais sofisticadas, o que na TV brasileira vejo que os produtores ainda tem muito o que aprender (não conseguem contar uma boa história investigativa / ação em 20 e poucos minutos). Mas vamos lá às alternativas:
    * Se fosse igual CSI (quase que totalmente investigativo) = seria imitação.
    * se fosse como Tropa de Elite (que ninguem conseguiu convencer o Padilha a fazer uma série, ainda que acho que ele vai tentar)= seria imitação.
    * se fosse só dramalhão focado nos personagens = seria metido à novelinha,etc.
    * se fosse Sci Fi com efeitos e poderes = seria metido a Heroes ou sei lá o que mais…
    Ou seja, TUDO sempre irá cair nas comparações, pois TUDO se reinventa, muito difícil mesmo achar algo que seja inovador e inédito hoje em dia (na TV, na Música, e por aí vai).
    Merece o crédito por tentar sim e acho que vale continuar, tende a melhorar (atuação, efeitos de ação, diálogos, construção dos personagens, etc.) mas comparar com série americana que está aí a 30 e tantos anos criando isso (entre muitas coisas boas e muitas ruins) é um começo.
    Opiniões pessoais sobre as iniciativas:
    Lei e o Crime tem a vantagem de serializar a história, que é mania de noveleiro das duas produtoras / canais, e conseguem contar melhor a história. O primeiro capítulo gostei, 2º também mas agora perdeu um pouco o compasso, está ficando um pouco novela. Mas merece também o seu crédito.
    9mm achei a produção excelente, casting também bom (pecou um pouco no começo com diálogos do mesmo modo) mas as histórias também rápidas para o tempo disponível.

    Quem só curte material americano que continue curtindo, não dê opinião se já vem com paradigma de somente gostar do “modelo americano” e sinceramente, recomendo não perder tempo vendo se já acha que não vai gostar (eu por exemplo não gosto de 24 horas, excelente produção, atuação, efeitos mas a narrativa é longa demais e cansa para a mesma trama – minha opinião).

    E quem não viu a série não entendo como pode opinar. É igual nunca tomar um porre e falar de ressaca.

  17. luiz

    Ola pessoal esta faltando um pouco de realismo na serie Força tarefa, vai minha sugestao nao presisa em todos os episodios terminar com o tenete wilson desvendando os casos se eles formam uma equipe. sou policial do grupo de inteligencia da policia e sei que geralmente oficiais de policia e delegados sempre esperam somente os resultados para darem entrevistas e sairem na midia, quem efetivamente faz o serviço de risco sao os soldados, cabos, sargentos e agentes da policia civil (somos nos que damos a cara pra levar tiro)nao ficando assim valorisado estes profissionais nesta serie televisiva estes sao apenas meros coadijuvantes ou figurantes e uma pena que isso aconteça vai acabar a populaçao descobrindo esta falha e a serie tornar-se enfadonha por ja sabermos. antes de começar ja sabermos o final. Nao substimem a capacidade e a intelectualidade do povo Brasileiro, pois no começo vi nesta serie que a tv Globo estaria contribuindo para evidenciar a verdadeira situaçao do policial Brasileiro. façao pesquisas nas unidades policiais pois este campo e grande a ser explorado materia policial nao falta exemplo baixos salarios, a lei do pec que esta pra ser aprovada no senado federal, pessimas condiçoes de trabalho, viaturas com mais de dez anos verdadeiras sucatas que sao usadas no combate ao crime pois nao e dificil nos depararmos com policiais empurando viaturas ai a fora fora alguns policiais que investem de seus propios salarios na aquisisao de materiais e armamentos de serviço que deveriam ser fornecidos pela propia policia observem, fico feliz com esta serie pois para mim e um grande elogio sou policial de açao amo oque faço a policia e tudo pra mim primeiro Deus segundo a familia e a policia sem isso nao seria realisado nao seria feliz nao seria nada na vida, amo minha policia por favor ve se voces que fazem esta serie tentem mostrar a verdade para poder acreditar na televisao brasileira, afinal nao podemos viver so de sensacionalismo barato, isso ate queima a imagem dos atores e repercutira mal contra a tv Brasileira. pensem nisso obrigado.

  18. Pingback: O que NÃO vou assistir hoje na TV – terça, 22/6/2010 » TeleSéries

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account