Log In

Notícias

Review: Everwood – The Land of Confusion (episódio 82)

Pin it

cena de The Land of ConfusionSérie: Everwood
Episódio: The Land of Confusion
Temporada:
Número do Episódio: 82
Data de Exibição nos EUA: 24/4/2006
Data de Exibição no Brasil: 18/5/2006
Emissora no Brasil: Warner

Se o episódio da semana passada não agradou muito aos fãs da série, The Land of Confusion, o 15º dessa temporada, com certeza se redimiu em pelo menos alguns momentos e voltou a nos emocionar. Ele pode não ter sido voltado ao Dr. Brown mas não posso deixar de dizer que o que vemos nessa temporada é a redenção de Andy, é a evolução do seu personagem. Se logo após Julia falecer ele era um pai perdido, querendo fazer o certo mas agindo erroneamente, hoje nos rendemos a ele. É um Andy mais maduro e principalmente mais humilde, que mesmo amando Nina, mesmo tendo lutado por ela, aceita e respeita vê-la com outro. Na outra ponta da vida de Andy está Ephram, e se no passado a relação dos dois era a base de gritos e portas batidas, hoje se dá em conversas no sofá, olho no olho e principalmente com o coração. Pai e filho finalmente encontram seus caminhos e seguem juntos, confrontando suas dores e recuperando suas esperanças.

Após as discussões do episódio anterior entre Amy, Bright e Hannah, a situação do casal acabou se agravando mais. As coisas que Hannah fingia gostar para agradar Bright, a omitida insatisfação de Bright pela falta de sexo na relação e todas as concessões que ambos fazia e parecia serem corretas para manter o relacionamento acabaram virando idéia falsas e comportamentos falsos. E se uma relação encontra-se assim, qual a razão para ficar junto? Basta amar, quando são duas pessoas e mundos diferentes? Enfim, isso tudo desmoronou e assim acabaram brigando. Para complicar ainda mais, Bright reencontra uma amiga do passado e uma simples ajuda acabou se tornando uma traição, já que ele acaba transando com ela. É uma situação complicada: traição com certeza não é o caminho, ninguem quer ser enganado pela pessoa que ama, Hannah certamente não quer. Do outro lado está Bright, um cara com vida sexualmente ativa até namorar Hannah. Para ele essa relação não é nada fácil de se levar, e não estou justificando o que ele fez, só fica uma indagação de que forma essa relação poderia dar certo, como poderia continuar. Romanticamente e emocionalmente é lindo ver os dois juntos, ver o crescimento de ambos porém, no mundo real, o episódio mostrou algo que poderia acontecer. Quando Hannah descobriu que bastava apenas a sinceridade, para Bright já era um pouco tarde demais.

Nina e Jake também vivem um momento importante na relação, que certamente será um parâmetro para definir seu futuro. Nina a princípio quando vê Jake progredindo com o grupo de apoio, notando o dom que ele tem para ajudar os outros, se encanta com isso e imagina que tudo está indo bem. Porém, a forma e a paixão com que Jake se envolve no projeto, o tempo que isso toma dele quando ainda está em recuperação, faz Nina perceber que o relacionamento está ficando à margem. Ela sente que gostaria de casar com Jake, de ter uma família com ele, futuramente filhos. Motivada por isso Nina fica visivelmente abalada quando conversa com ele sobre o futuro e Jake diz nunca ter imaginado ter filhos ou algo assim. Na vida de um casal, que pretende continuar junto, isto é logicament um fator muito importante, determinante aliás para se saber se a relação atende ao desejos e sonhos dos dois. Se Nina tem algo em mente e Jake outra coisa, como estarão daqui a alguns anos? Satisfeitos, insatisfeitos, frustrados, felizes? Enfim, muito interessante essa história criada para os dois. Quando se imagina ou torce por Nina ficar com Andy, a razão que eu tinha sobre como isso iria acontecer era totalmente diferente – figurava dentro de informações que corriam na internet sobre o aconteceria nos episódios finais dessa temporada. Porém, percebo que se acaso eles não fiquem juntos, os motivos já estão sendo apresentados. Uma cena interessante foi quando Nina fala tudo isso com Andy e menciona em dar o próximo passo com Jake, casar, ter filhos e termina dizendo se existe algo para impedir isso. Andy não diz nada mas revela tudo com o seu olhar. Existe algo? Sim, sabemos do amor dele por ela. Quem sabe ela perceba isso novamente, e sinta isso, não é?

Foi um episódio que falou do mundo complicado das relações. Nada será é tão perfeito como imaginamos ou queremos, aliás nem tudo que pensamos é perfeito, cria-se a ilusão de perfeição em nossa mente que com certeza não equivale ao que outra pessoa vê como perfeição. Sempre teremos que fazer concessões, nos adaptar mas para isso não precisamos esquecer quem somos e o que almejamos, deve-se achar um meio termo, um equilíbrio. E isso é fácil? Lógico que não é, vimos isso tanto com Hannah e Bright, assim como Nina e Jake. Mas talvez o que seja necessário é apenas o que Hannah descobriu no final do episódio, que basta ser sinceros com o outro, não se omitir nem se impor demais e o que pode vir depois dessa sinceridade é a resposta que precisamos para perceber qual o rumo dessa relação.

cena de The Land of ConfusionPorém se a cena final do episódio foi entre Bright e Hannah e o episódio foi voltado a relacionamentos amorosos, provavelmente o que mais marcou os fãs e emocionou foram as cenas de Ephram. Kyle retorna muito feliz nesse episódio e conta a Ephram que conseguiu uma audição em Julliard, o que deixa Ephram realizado por todo o trabalho feito com o amigo. Pouco antes, Ephram revelava ao pai que ia pedir transferência para a faculdade que Amy estuda e Andy não parece muito favorável com isso. Se ano passado vimos Amy indo atrás de Ephram, tentando ir para a mesma faculdade, agora é a vez dele fazer isso, mesmo Amy não sendo o único motivo dessa decisão. Uma pausa aqui para a cena onde Andy diz a Ephram que ele não pode mudar seus planos por uma garota que talvez nem fique com ele e Ephram retruca dizendo: “igual sua vizinha”. É interessante que pai e filho não possam ter as pessoas que amam nesse momento.

Voltando ao assunto, Andy procura Ephram e tenta convecê-lo a fazer novas audições e pede a Ephram que o deixe ajudar com seus contatos. Assim os dois vão assistir a uma apresentação de um músico famoso e é quando a vida dá seus 360º. Ephram, ao ter a chance de se preparar para uma nova audição, descobre o que ele realmente quer, o que a música sempre significou pra ele. Sem dúvida foi um dos momentos mais sensíveis do episodio. Aliás a cena de Ephram no palco, vendo a platéia que se esvaziava e as cortinas e cenários subindo foi algo arrepiante, típico de Everwood. Foi lindo. No final Ephram percebe que essa carreira não é o que ele deseja e que lecionar é o que ele quer fazer. O que ele conseguiu fazer por Kyle o impulsionou mais, mostrou que ele gosta de ensinar e que no passado, após a perda de sua mãe e mesmo antes disso, a música servia como uma fulga para ele, um mundo onde ele se distanciava dos seus problemas. O que tenho a dizer sobre isso é que não foi algo do dia para noite, a verdade é que tudo está em constante mudança e o tempo e os acontecimentos vão nos moldando e nos dão o real sentido das coisas. Com isto, Ephram repensa algumas coisas e volta ao que viveu com Madison, a forma que a tratou naquele café quando ela contou do filho que tiveram. E a cena que ele liga para Madison, pede desculpas e reconhece seu erro foi comovente, linda e real. E a série trazer Madison de volta assim foi algo muito importante, pois por mais que Ephram siga sua vida é algo que sempre fará parte dele e que ele precisa ir entendendo e resolvendo aos poucos, como o que ele fez com essa simples mas profunda ligação. Assim como Andy, aos poucos Ephram vai se encontrando, superando os dramas do passado, seus medos e erros, transpondo obstáculos que o impediam de ver a vida com da forma que vê agora, com seu coração e sabedoria.

O episódio emocionou muito com Ephram e Madison mas eu não poderia falar dele sem mencionar a sensação que nos acompanhou ao vê-lo e provavelmente ainda estará presente nos próximos. Então aos fãs da série digo que escrever sobre ele foi difícil. O que seria mais um episódio numa noite habitual de quinta, veio acompanhado de uma sensação triste, já que nesse mesmo dia recebemos a noticia da não renovação de Everwood para uma quinta temporada. É um misto de tristeza e muita revolta, embora a série tenha tido índices de audiência melhores que algumas renovadas e indiscutivelmente uma qualidade que com certeza não estará presente em nenhum reality show do novo canal. Everwood foi precocemente cortado. Se poderíamos acompanhar o crescimento/amadurecimento de Amy e Ephram por mais um tempo, se veríamos Madison numa nova temporada, ou Andy e Nina construindo algo, além do jeito engraçado e irrevente de Harold, ou mesmo os novatos Reid e Kyle, infelizmente daqui pra frente nossas noites de quinta serão diferentes. Nos resta curtir com todo o carinho esses poucos últimos episódios e ter a certeza do belo e grande trabalho realizado nesses quatro anos. Pois esse abrupto corte serviu ao menos para mostrar toda a qualidade de Everwood, mostrou a indignação da critica, dos fãs e alguns não fãs e ficou marcada a injustiça cometida ao seriado! Sim, isso foi injustiça. Não se justifica o injustificável nem se desculpa o indesculpável! Eu sei que não há consolo, e eu nem tentarei isso, pois eu estou triste também, mas foi publicado na internet uma nota sobre o final da série: “Rina Mimoun, em entrevista ao TV Guide, garantiu que o último episódio da série será “bastante satisfatório”. Ela diz o seguinte:

Pedi para a equipe de roteiristas voltar no tempo, no nosso piloto e pensar em tudo o que os fãs que estão com a gente desde então gostariam de ver. O fim de um seriado é sempre difícil. Toda vez que um dos meus programas favoritos chega ao fim eu fico com medo de que deixem passar alguma coisa e tenho certeza que as pessoas pensam que isso aconteceu com a gente. Mas eu sinto como se tivesse deixado tudo resolvido.

Vamos torcer que o final seja assim, né? Que nos satisfaça! Uma vez que apenas unir rapidamente os casais no final não seria tipico da série, porque o ritmo de Everwood não é rápido assim, na série tudo se constrói aos poucos, com o tempo. E como eu acredito que o final não pode ter sido tão planejado como deveria (me parece que seria mais uns desfecho apenas dos assuntos dessa temporada), fica o receio de que o final não agrade tanto. Mas Everwood é Everwood, provavelmente mesmo que seja numa única cena, a serie dará um jeito de deixar mais uma mensagem ao nosso coração. Foi isso que a série fez nesses anos todos, emocionou e nos ensinou muita coisa, mostrou o sentido do que o ser humano é, através de seus erros e acertos, de suas dificuldades na vida e vitórias e suas alegrias e tristezas. E nós fomos crescendo junto com o seriado, aprendendo um pouco também. Porém dizer adeus nunca é fácil. Que um dia terminaria nás já sabíamos, porém não tão rápido assim, bruscamente, e essa lição de Everwood – dizer adeus – está um pouco difícil ainda…

Séries citadas:

7 Comments

  1. Paulo Antunes

    Tudo o que tenho a dizer sobre este episódio é: esta Kelly Carlson é boa pra cacete!

  2. Laís

    Ai ai ai.. olha o comentário do outro.. mas fae oq né.. liberdade de expressão! :/

    Qnt a esse episódio.. aii.. eu gostei muito mesmo.. me emocionou muito! Apesar de eu gostar mto da hannah e do Bright, eu não vejo futuro no relacionamento deles.. sei lá.. eu posso estar errada.. oq só c comprovará com o ultimo episodio dessa série q nos emocionou e quase sempre nos mostra um episódio em q nos faz pensar em nossas vidas! Qnt ao Andy e a nina.. acho q eles são perfeitos e deveriam sim ficar juntos no final.. pois afinal.. demorou mas ele descobre q o segundo amor da vida dele só poderia ser a nina!
    A Amy e o Ephram..aiii.. eu realmente não sei oq fazer com eles.. não sei c acho legal eles ficarem juntos.. amo os dois de paixão.. mas não sei.,. sinceramente não sei.. deixo o final pra Rina Mimoun mesmo.. eu no caso.. de ter q cancelar uma série assim do nada.. não sei se faria um final feliz pra todos.. alais.. tenho certeza q não.. afinal.. as coisas não são assim na realidade né!

    Por fim.. só deixo aki o qnt eu lamento o final de everwood.. :'(

  3. Lígia

    Nossa… primeiro comentário é que adorei o site assim q minha irma me mostrou!
    gostei muito do episódio , realmente dah pra ver o qnt o Andy e o Ephram cresceram, inclusive em seu relacionamento. É emocionante ver o cresimento dessa relação de pai & filho, os dois com o passar do tempo aprenderam a se ouvir e respeitar as opiniões.
    Como foi bom verque o Ephram decidiu a respeito do que quer fazer, foi mto bom eçe ver que tinha outras oportunidades e no meio disso descobrir o seu destino.
    Qnt a Nina e o Jake, ela jah passou por isso uma vez, ela queria uma relação por inteiro, e ele falou q daria isso a ela, que merecia outra chance, e o que temos? Novamente, deixo claro que em momento algum diminuo o q ele tem feito, eh um trabalho dignificante mesmo, mas ele tem colokdo a relação deles em segundo plano de novo!
    Bright e Hannah? foi decepcionante o q ele fez, qnd os dois ficaram juntos tipo, pareceu aquele negocio.. a menininha q naum tinha chance alguma coneguiu o q queria… e foi super legal, qnd ele fez isso ficou parecendo que num vale a pena mesmo kkkkkk, pensamento confuso o meu! Enfim me decepcionei mesmo…
    Princialmente com o fim da série… espero pelo menos q o final seja bom!
    deixe me parar por aki pq senaum vai akcabar virando um post hauhauhh
    Bjuzz***

  4. Eudes Antonio

    Realmente esse episódio foi melhor que o anterior e como o Marquinho disse na resenha abordou o “complicado” mundo dos relacionamentos nesse caso o de Hannah e Bright.O que gosto em Everwood e que naum vejo mto nas outras séries teen(The OC,etc)é a maneira como eles abordam os assuntos,mais próximo da realidade o possível.Bright tinha uma vida digamos “promiscua” antes de conhecer Hannah,daí ele se apaixonou por ela e teve que fazer uma concessão que pra ele naum foi nada fácil:a falta de sexo.Naum tõ falando que o que ele fez é certo ou errado,mais que isso acontece todo o tempo em vários relacionamentos.Enfim ótimo episódio,abordado da maneira que só Everwood faz.Ah!Realmente foi difícil ver esse eppy e naum pensar no cancelamento.

  5. Paulo Fiaes

    ia fazer um comentario mas n vale a pena

    nao sei do q vou sentir mais falta, se é da serie ou das suas colunas. os dois são otimos

    qndo vejo a serie ou leio a sua coluna, o q vem a mente é que everwood esta saindo por cima, como vc disse sendo injustiçado esse cancelamento. criticos, fãs, não fãs, a equipe que trabalhava na serie, ficaram todos sentidos. isso mostra o valor da serie. como eu ja li em uma coluna sobre um filme bom, quando critica e publico concordam é porque o produto é realmente bom. everwood esta saindo com esse status, pelo menos isso serve de consolo para a serie.

    sobre o ep, o que dizer, vou fazer um comentario parecido com o de uma pessoa que comentou sobre outra serie nese site

    “uma pena que algumas pessoas n entendam as mensagens que a serie passa”

    mas enfim, resumindo, existem otimas series, mas apenas um lugar se chama everwood

  6. eder roberto

    everwood e a vmelor serie que ja vi em muitos anos principalmente porque tenta retratar o cotidiano como ele é!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account