Log In

Reviews

Review: Everwood – Goodbye, Love (episódio 87)

Pin it

cena de Goodbye, LoveSérie: Everwood
Episódio: Goodbye, Love
Temporada:
Número do Episódio: 87
Data de Exibição nos EUA: 29/5/2006
Data de Exibição no Brasil: 8/6/2006
Emissora no Brasil: Warner

O momento é de dizer adeus, tomar as lembranças, resgatar momentos especiais do passado e guardá-los no coração e em nossa mente, para quando a saudade apertar podermos nos lembrar deles com muito carinho. Goodbye, Love, me fez pensar nisso, em encontrar uma forma de me despedir de Everwood, de deixar a série ir. Se meu coração não entende isso que ao menos minha razão o faça, aceitando essa despedida que deixa uma enorme saudade e sensação de trabalho bem feito. Se nesse episódio eles se despedem de um grande amigo, nós vamos tentando fazer o mesmo, aproveitando os últimos momentos de Everwood e preparando nosso adeus. Não sei explicar que sensação de perda é essa, mas só sei que ela existe, que a sinto. Como serão as noites de quinta daqui pra frente? Não sei, no momento tenho apenas uma resposta, serão vazias. A série que nos faz refletir tanto sobre as mais diversas faces do ser humano sairá de cena. Estamos como Edna, dizendo e suplicando “não houve tempo o suficiente” mas Everwood ainda tenta nos dizer “foram tempos vividos, nós vivemos”.

Mostrar a importância de Irv na vida de todos, o quão especial ele era, o quanto sua presença foi sentida em Everwood e tudo o que aprenderam com ele foi a forma dos personagens darem adeus a esse grande homem. O episódio começa com Andy, Nina e Ephram indo ao velório de Irv, enquanto Eugene Brown, o pai de Andy, fica em casa com Delia, uma vez que não deve ser muito fácil para ela entender ou vivenciar novamente a morte de alguém. Essas primeiras cenas já são interessantes, principalmente porque Eugene Brown começa a ler o livro de Irv, “Uma cidade na montanha”, o que em outras palavras provavelmente seria o mesmo que acompanhar a vida de Andy nesses últimos quatro anos em Everwood.

E as surpresas não páram por aí. No velório, Harold está falando sobre Irv e é quando Everwood nos leva há um tempo muito antes de Andy chegar na cidade. Voltamos no dia que Edna e Irv decidem se casar (seis meses após a morte do seu primeiro marido) e no quanto isso foi condenado pela cidade, especialmente por Harold. Se vocês lembram bem, Everwood começou com Edna e Harold brigados porque ele não aceitou o novo casamento de sua mãe. Hoje isso são águas passadas e Harold pode finalmente dizer que errou ao julgar mal Irv, pois ele percebeu o quando sua mãe foi feliz com ele, assim como o bom homem que ele foi. As cenas do passado fora descontraídas, divertidas até, mas ao voltar ao presente sem dúvida alguma nos emocionaram.

O episódio não apenas mencionou o significado de Irv na vida de todos, como se utilizou dele para dar rumo aos personagens em seu momento presente, rumos que podem decidir seu futuro. A morte repentina fez Ephram repensar tudo que poderia ter feito e não o fez, das coisas que se arrepende ou se arrependeu, porque a verdade nessa vida é que não somos tão perfeitos assim. Esse papo de ator/atriz global do tipo “não me arrependo de nada do que fiz ou do que deixei de fazer” não se aplica a realidade das pessoas, porque sempre podemos deixar de fazer algo, pode não ser tão grave ou importante, mas poderia ser diferente. Ephram transmite bem essa mensagem ao mencionar sua cicatriz – no dia que perdeu sua mãe ela tentou abraçá-lo e ele nervoso com seu recital não deixou. Mais do que essa cena agir sobre Ephram ou ele ser o foco dela, essas lembranças vêm quando ele tenta passar sua experiência a Nina e fazê-la ver o que realmente importa, com relação a Andy. Quando Ephram relembra a última vez que viu Irv, nós descobrimos uma conversa entre Andy e Ephram, em que Andy revela que comprou um anel para Nina, para pedí-la em casamento, mas que ele não fará isso, pois é o momento dela perceber que o ama e querer ficar com ele. E essa cena é tão tocante porque Ephram reconhece todo o esforço de Andy nesses últimos anos, seus erros são esquecidos, perdoados e tudo que importa a Ephram é ver seu pai feliz. Bonito isso, não? Lembram deles na primeira temporada? O caminho não foi fácil, mas recompensou Andy.

cena de Goodbye, LoveAs cenas se sucedem e é a vez de Bright falar um pouco de como Irv passou por sua vida. Na terceira temporada, após o problema de assédio sexual, ele se vê perdido, sem saber que rumo tomar e tenta se alistar no exército. Numa cena engraçada, Irv impede isso, fazendo uma leve crítica a Bush. Nos faz rir ao mencionar a Bright que também há mulheres no exército, lembrando como exemplo sua avó, uma vez que Bright achou que se alistando evitaria mais problemas em sua vida com as mulheres. Mas Irv o faz ver o quanto ele mudou, o quanto se esforçou e que ele precisa ver isso. Como Irv disse:

Eu o via como um vagabundo, como os que me roubavam o lanche na escola. E você mudou demais Bright, ajudou sua irmã quando Colin morreu, se esforçou e melhorou suas notas e tudo que vejo é que você será grande Bright e dividirá isso com uma grande mulher.

Após essas palavras foi que Bright se tocou sobre seus sentimentos por Hannah. E tudo isso Bright está contando a ela, julgando não merecê-la. Hannah em troca a isso pega na mão dele e notamos uma leve e carinhosa aproximação entre os dois. Mesmo que o momento seja de apoio e amizade, é óbvio que existe amor.

Mas o melhor fica para o fim não é? Talvez Amy não tenha recordado nenhuma grande cena com Irv, mas a mínima lembrança que ela teve dele foi suficiente para lembrar de um momento tão especial na vida dela que influenciará tanto em seu presente. Irv se foi mas deixou a Amy a lembrança de algo que ela quer em sua vida, Ephram. Em sua recordação voltamos a segunda temporada, quando Amy morava com Edna e Irv, estava deprimida e revoltada pela morte de Colin e namorava Tommy. Na época Ephram estava com Madison, e ele e Amy pouco se falavam. Numa noite os dois saem e conversam, reavaliam seus relacionamentos, falam sobre almas gêmeas e Amy se mostra desacreditada. É um momento muito especial, pois Ephram diz lhe diz que ela precisa voltar a acreditar nisso, pois o amor dela pode estar na sua frente e ela só perceberá isso quando acreditar. A cena é linda, meio rápida, até a musica de fundo mostra a dinâmica e aceleração da cena, mas mesmo assim é formidável. Relembrar de Madison, até mesmo Tommy e de quebra nosso casal juntos, conversando, faando sobre o que tem no coração deles naquele momento e que cabe perfeitamente no presente foi de emocionar qualquer fã. Linda cena, tanto eles no parque, quanto na cozinha na casa de Edna.

Um episódio que senão fosse o momento triste e de despedida poderia ser melhor sentido pelos fãs e aproveitado. Poderia ter sido até mais histórico porque as cenas do passado pareciam cenas adicionais que não foram ao ar na época e que hoje nos são exibidas e isso se encaixou tão perfeitamente no episódio que foi um encanto aos nossos olhos. A fotografia, as palavras, os sons, o silêncio, enfim, tudo se encaixou no propósito do episódio. Bright e Hannah sentados no banco no jardim da casa de Irv, a xícara que Amy quebra no passado e quebra novamente agora no presente e Ephram é quem tenta arrumá-la dessa vez, também temos as cenas entre Nina e Andy no carro e seus olhares, e no final do episódio ouvimos o eu te amo que Andy diz a seu pai. Se Nina estava decidida a ir embora com Jake nesse episódio, agora ela fica em dúvida. Ela mesmo vê o significado disso através da partida de Irv como alguém que todo dia estava ali, fazia parte da vida dela, mesmo que fosse apenas um bom dia, mas sempre o via e agora isso mudou de vez. Enfim é muita coisa a se mencionar num único episódio.

Mas um episódio tão belo que fez todos se emocionarem, um episódio importante nessa reta final da série teve defeitos ou algumas faltas? Sim, ele teve. Pelo menos eu achei que assim, por exemplo: Andy parecia muito normal o episódio todo para quem perdeu um grande amigo, faltou ele demonstrar mais tristeza (a impressão é que apenas a partida de Nina que o incomodava), faltou uma cena entre Andy e Edna (mas havia tempo para isso se o episódio também foi corrido?), a ausência da filha de Irv foi estranha (embora a participação dela não coubesse no idéia do episódio) e provavelmente o mais estranho e atípico foi a recuperação fulminante de Bright. Mas todos sabemos da real situação de Everwood nesses episódios finais, a correria para tentar dar um final digno, tentar arrumar tudo e com isso acontece situações como essas, um episódio lindo mas onde tudo acontece muito rápido. Porém, toda vez que Everwood retorna em algum momento de sua segunda temporada eu me reencontro na série, pois foi onde me apaixonei por ela, onde ela série realmente me tocou e me emocionou e hoje me faz ainda escrever essas resenhas. Sendo assim Goodbye, Love não facilitou em nada minha despedida a série, pelo contrário, me fez ficar com o coração mais apertado. Mas como eu disse no primeiro parágrafo, nossa sensação é a mesma de Edna, e esse episódio de Everwood, que buscou um pouco de si mesmo em cada uma de suas temporadas, nos disse qye “nós vivemos isso juntos”. Algo que deve significar, “o que importa se o tempo foi breve demais, se o que valeu mesmo foram a intensidade do que sentimos nesse período, de como o vivemos?”. Quem sabe um dia entendamos isso…

Everwood foi buscar no passado da série, dos personagens e nos seus dramas o conforto para o presente e esperança para seu futuro. Na ausência de Irv muitos personagens descobriram quais caminhos tomar para continuarem suas vidas. Pai e filho estão na mesma situação, finalmente se entenderam e por ironia os dois esperam por seus amores. E os dois sofrem no momento, Andy já se declarou a Nina e ela escolheu Jake, Ephram já se declarou a Amy e ela também escolheu outro caminho, mas quem sabe isso não mude, não é? Pois tanto Nina quanto Amy conseguiram enxergam algumas coisas nesse episódio. E o episódio termina numa das cenas mais belas dessa temporada. Ao som da regravação de Eva Cassidy com “Fields of Gold”, Edna conversa com Irv, se despede de seu amor, a mulher forte nos mostra toda sua dor, desaba em nossa frente, chora pedindo por favor a ele que não se vá, que não a deixe… Arrepiante essa cena! Quem não se emocionou e chorou junto? Quem não está pedindo o mesmo? Porém agora nos resta apenas, Foreverwood…

Séries citadas:

11 Comments

  1. Heitor

    Esse episódio foi perfeito. Não sei como podem dizer que foi ruim. Os flashbacks se montando entre cenas que nós ja tinhamos visto, os dialogos e acima de tudo o “don’t leave me” da Edna fechou com chave de ouro.

  2. Carla

    Tbm gostei mto de Goodbye, Love. Acho q foi um dos episódios mais emocionantes de toda série, mto comovente e triste tbm.
    Ontem tbm me emocionei mto, não consegui não chorar ao ver pela última vez Everwood. Foi td tão lindo, ainda não consegui processar td… =P

    Marquinho, parabéns por mais uma bela coluna! Tu sempre conseguiu transimitir nos teus textos a emoção dos episódios e desta vez não foi diferente. Vou ficar aguardando a coluna de Foreverwood!

  3. samanta

    por favor marquinhos… escreva logo a coluna do foreverwood, pois eu perdi…e nada estou sabendo sobre esse ultimo episodio…agradecida

  4. Eudes Antonio

    Realmente esse eppy foi lindo e preparando-nos para o ultimo episódio.Pra mim a melhor parte foi o final com Edna qdo ela questina que o tempo que ela viveu com Irv foi pouco,mais como ele disse:”O importante é que vivemos!” O importante é que tivemos Everwood em nossas vida para poder mudar(ou naum) nossa visão do ser humano,sem apelar,sem tanta ação explosoes,brigas,sexo e videotape como nas outras séries.Everwood foi melancolica,triste,engraçada,mto humana.E agora eu quero todos os episódios!Todas as temporadas!Minha tv acabo vai ser cancelada(ainda bem que pude ver o fim de Everwood,tbm nada anda me empolgando na tv,a naum ser Smallville e Gilmore Girls),mais nehuma dessas séries me toca tanto como Everwood fez.Nem mesmo Dawson’s Creek que me fez apaixonar pelas séries americanas.

  5. Michelle

    Eu não assisti mas a maneira como você escreveu é como se eu tivesse assitido.É tão difícil vermos fimes ou séries que mostrem a vida como ela realmente é, os nossos defeitos e qualidades, angústias, perdas, ultimamente é tudo tão mecânico, violento, que ver uma série como Everwood, nos fascina, pela simplicidade e os conflitos que nos são tão familiares, isso tudo com um pouco de humor, nunca esqueci da cena de Andy indo ao cursinho pré-vestibular de Ephram e o próprio não acreditando nisso, foi emocionante…

  6. ana luiza

    é verdade que esta série encerra-se por aqui? ou , quem sabe, terá nova temporada ? quem souber mande-me informações …

  7. Rodrigo

    Ana Luiza. Infelizmente a série foi cancelada. O último episódio (“Foreverwood”) foi exibido quinta-feira passada! Uma tristeza…

  8. Viviane Gomes

    Eu concordo plenamente com Eudes Antonio(5)e Michelle(6),era exatamente oque eu iria dizer.Chorei demais,demais mesmo,porque me fez lembrar da morte da Mãe do meu amigo de infância e todos nossos amigos fomos no enterro e depois fomos visitá-lo e consolá-lo pela perda.Sentados ali na sala de estar, relembrando momentos ótimos com a mãe dele que era um amor de pessoa.Foi esquisito porque dissemos coisas que nunca pensamos em dizer,nos conhecemos até melhor,descobrimos que unidos éramos um só.Neste momento que me senti como uma personagem de “EVERWOOD”,vi que tudo se encaixava,cada pesssoa de minha vida era como um personagem e me identifico com Amy, porque faço ballet e namoro um grande pianista que se apresentará fora do Brasil!Me apaixonei quando o vi,mas foi amor a primeira conversa,ele também estava apaixonado,encantado por mim(foi oque ele disse)mas antes de ficarmos juntos éramos ótimos e grandes amigos por muito tempo e fui eu que tomei a iniciativa de dizer que o amava,eu não vi direito que ele era o amor de minha vida e que ele me amava , fui completamente cega!A conversa sobre almas gêmeas entre Ephram e Amy abril meus olhos,mas não tinha coragem de dizer que o amava,só no final do último episódio,em que Amy se declara a Ephram e eles se beijam e acaba,eu grito:”Meu Deus!É isso que tenho que fazer!”, desligo a TV e corro até a casa dele(só que não levei uma roda-gigante,hahaha)bato na porta dele e digo tudo o que tenho que dizer e ele diz:”Você me ama mesmo!É sério?”e eu aceno com a cabeça,fico desesperada,não sabia mas oque fazer,só sei que no último segundo ele me puxa e me beija diz que me ama,explica tudo e eu vivo uma das mais lindas realidade!!!

  9. Roseli Alves

    Oi…estamos em 2009 e ,tive o prazer de baixar e assistir a série Everwood..4 temporadas….Foi a melhor série que já assisti….Fiquei triste gdo soube que não teve 5 ou 6 temporada……Sera que ela pode voltar? vou torcer…maravilhossaaaaa…
    beijinhos a todos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account