Log In

Reviews

Review: ER – Oh, Brother

Pin it

ER - Oh, BrotherSérie: ER
Episódio: Oh, Brother
Temporada: 15ª
Número do Episódio: 315 (15×06)
Data de Exibição nos EUA: 6/11/2008
Data de Exibição no Brasil: 15/7/2009
Emissora no Brasil: Warner

No início do ano, Greg Pratt perdeu a vida de maneira abrupta. Foi tudo tão rápido e insensato (ele estava muito bem de vida e essa é a última temporada) que tudo parecia ter sido parte de uma fantasia ou piada de mal gosto. Isso porque raras foram as vezes que Pratt foi mencionado por alguém. Pra falar a verdade, apenas Morris citou seu nome nesses últimos episódios, e isso sem se mostrar muito abalado.

Lutos não precisam ser prolongados e vida que segue, é verdade. Mas Pratt morreu e merecia um pouco mais de saudação por parte da produção nessa última temporada. Saudação que finalmente veio, e na forma de seu irmão Chaz Pratt em Oh, Brother. Mesmo que às custas do foco de Morris.

Por mais surpreendente que isso possa parecer, Archie Morris acabou se tornando o personagem mais versátil de toda a série. Hoje, ele não é apenas o alívio cômico, mas também uma referência de bom profissional e amigo. E isso é muito mais do que eu esperava do Morris que conheci no 10º ano. A proeza é tamanha que relevo a exagerada mudança de caráter (mesmo que pra melhor) e algumas histórias deixadas de lado, como a terapia que ele prometeu fazer.

Depois da situação de reféns em Under Pressure (foi na temporada passada, mas se você não se lembra, não se culpe tanto, afinal a Warner exibiu esse episódio há mais de um ano), Morris perdeu um pouco de seu humor caricato e chegou a ter momentos de depressão. Ciente disso, eu esperava uma temporada muito down de Archie, já que o início de terapia coincidiria com a morte de seu melhor amigo. Mas não foi preciso tanto. Morris continua o mesmo.

Claro que a morte de Pratt deixou algumas marcas no ruivinho, que já chegou a gritar com Banfield, desabafou com Abby e vagamente lembrar o colega com Ray, mas o verdadeiro sinal de saudade foi na interação com Chaz Pratt, novo estudante do PS e que Morris espera lapidar à imagem de Greg. Aí, pela primeira vez no ano, Archie errou.

Empolgado com a idéia de trabalhar com o irmão de seu falecido amigo, ele ignorou as regras e até mesmo a lógica, colocando Chaz em situações complicadas como na (tosca) cena da ressonância magnética ou na entubação do boxeador filho de Apollo Creed (Eye of the Tiger!). Esses erros foram notados inclusive por Gates e, cara, quando Gates tem razão em algo, é porque a coisa foi feia.

Não gosto de Tony Gates. Fãs do personagem, sinto muito, mas dei todo o benefício da dúvida pra ele nesse último ano, e a impressão continua a mesma: não gosto do personagem. Notaram a condução do atendimento do mendigo (eu odeio muito esse mendigo!) e como ele novamente fazia pouco de Sam? Patético. Tudo bem que eles tiveram mais um pequeno conflito, mas… Que diabos. Taggart não teria uma pontinha de razão nessa história?

No momento, a 11ª temporada está sendo reprisada e hoje foi o episódio em que Sam deixa a casa de Luka… É uma história repetida, eu sei, mas Sam sabe desse padrão: morar junto é complicado. Pena que Gates resolveu ser um pouco articulado no final do episódio e convenceu Sam e Alex que, aliás, desesperadamente precisa cortar os cabelos. Nas reprises do 11º ano, passamos exatamente pela troca de atores que fazem Alex: sai o exclente Oliver Davis, entra Dominic Janes, tão mal ator que a produção precisou esconder o personagem.

O filho dela não aparecia desde que fora mandado prum internato no From Here to Paternity, da 13ª temporada. Sam chegou a citar o filho dele algumas vezes, mas o guri nunca aparecia. Isso pode soar confuso para alguns fãs, que até cogitavam se Alex estava morto. Seguir com história fora de cena pode resultar em confusão também no caso de Daria. Lembram-se que no review passado mencionei que Tracy sugeriu, em cena editada, que Daria se afastasse de Gates por causa de Sam? Hoje, a exitação da jovem estagiária soou estranha demais sem essa explicação.

ER - Oh, BrotherPelo menos na defesa dos estagiários está Banfield (ela não defendeu Daria hoje e não tem como interferir na edição de um episódio, mas eu precisava seguir minha linha de raciocínio). Defendendo os estagiários e suas idéias de melhoramento do PS, Banfield apresentou hoje seu melhor momento na série até agora. Apesar de eu ainda achar a atuação de Angela Bassett inferior ao que seu currículo de indicada ao Oscar pede.

Claro, Cate continua com sua fachada emocional. E não parece ser pessoal, já que até mesmo o marido sofre com sua atitude rabugenta. Marido dela, aliás, interpretado por Courtney B. Vance (Law & Order: Criminal Intent), marido de Bassett e que também não me convence com sua atuação. Paciência. ER conta um número grande de atores competentes, entre ele Troy Evans, que faz do rabugento Frank um personagem cada vez mais agradável. Agora, além dos pacientes, Morris e Frank parecem cada vez mais atravessar essa fachada de Banfield. Talvez é só ser um pouco educado, e ter paciência. Exatamente o que Neela não teve.

Parminder Nagra pode ser o primeiro nome do elenco, mas é a mais fraca dos personagens nesse ano. Perdida como sempre, nem mesmo a aquisição do simpático Andrew parece ter ajudado. Claro, relembrando as grosserias do novato Benton pra cima de um Carter ainda mais novato, alguns possam discordar de mim, mas… a prática de ensino de Neela na OR não é extremamente porca e falha? Quero dizer, se nem como cirurgiã ela serve (simplesmente não a vejo tão competente quando Corday, Benton ou Romano), falhar como professora é péssimo. E querer se impor sem bons argumentos pra cima de Banfield é o fechamento do caixão.

Não bastasse seu núcleo profissional defasado, Neela sofre demais com os fantasmas do passado por causa de Ray. Ele saiu da série há mais de uma temporada e ainda assim impossibilita qualquer envolvimento afetivo dela com outra pessoa, pois isso soaria como uma grande ofensa e traição aos fãs de Barnett. Logo, encontrar com os amigos de Brenner no Ike’s não ajuda nada pro lado dela…

Tenho a sensação estranha de ter esquecido de comentar algo, mas não faz mal: qualquer coisa, complementamos nos comentários. Aliás, preciso agradecer e muito ao feedback que vocês estão dando aqui. Tem sido ótimo. Dessa vez, talvez não tenhamos muito o que comentar pois o episódio não colaborou: tirando as situações de Morris, ele não foi tão bom. Mas já projetando, quero força total no próximo review. Apesar de a Warner não colaborar muito, vamos tentar seguir sem spoilers e com foco em Oh, Brother até o evento da semana que vem, quando Mark Greene estiver de volta…

PS.: É importante fazer um pequeno adendo extra-seriado. Como já noticiado no TeleSéries, Maura Tierney revelou estar com um tumor no seio. Então, ficam aqui os votos de saúde para a atriz, assim como os desejos de melhoras para Deezer D., o enfermeiro Malik, que se recupera de uma cirurgia feita nessa terça feira para reparos na aorta e uma válvula cardíaca. Ele deverá ficar uma semana na UTI até ser liberado para outro departamento. Sendo assim, espero no próximo texto noticiar melhores notícias sobre os dois.

Séries citadas:

26 Comments

  1. Lara Aurich

    Bom, deixa eu ver…Cruzeiro X Estudiantes na Globo, e Flamengo X Palmeiras na Bandeirantes….desculpa Warner!!! hehe

  2. Aline

    Droga esqueci de assistir! @#$%$#@¨&*¨!!!! Me ferrei, né. Warner dos infernos, viu!

  3. Vania.

    Thiago,
    Eu era uma das defensoras ferrenhas da permanência de ER, mas não sei o que aconteceu, perdi o interesse.
    Admito agora que você tinha razão, ER não empolga mais (logo eu, que assistia todos os dias).
    Com certeza vou assistir na próxima quarta, porque Mark é meu médico predileto, mas o de ontém eu pulei, deixei para quando reprisar.

  4. sonylena

    Não achei que o episódio tenha sido tão ruím assim….para ser sincera até achei engraçado a cena da maca….ficou meio pastelão!!!!
    O que eu achei mais chato mesmo, foi o Gates convidar a Sam para morar com ele, e eu pensei que já tinha visto esta cena antes….acho meio chato quando os persanagens não evoluem, e que cabelo é aquele????? tesoura nele já!!!!!
    Sabe o que eu mais gostei no episódio?????? as cenas do próximo!!!!!! confesso que fiquei emocionada e aguardo ansiosamente a semana que vem….então até!!!

  5. Eduardo

    Esse foi um episódio-padrão e transitório. Bem executado, com alguns defeitos, mas que vale ser visto mais de uma vez. Stephen Cragg sabe dar ritmo e movimento nas cenas, ainda mais já sendo seu 13º episódio.

    Chaz nunca foi um dos meus personagens preferidos, mas gosto desta forma para Morris dar continuidade a memória de Pratt. Nunca achei que o personagem de Sam Jones fosse passar de 2005. Acabou chegando em 2009.

    Nunca achei que fosse sentir falta de Oliver Davis. Até porque Dominic James realmente deixa a desejar. ER sempre teve essa mania de trocar atores mirins (Rachel Greene é outro exemplo).

    Gates e Sam morarem juntos não foi tão inesperado, mas a aparição de Alex me chocou. Levam o garoto pra longe de Chicago, e volta sem explicação (e mais alto que Gates).

    Interessante que eu gostei da história do mendigo veterano do Golfo. Um detalhe de Gates que sempre me manteve interessado foi seu passado de guerra no Iraque, na década de 90. Isso ajudou a definir o personagem, e sua ligação desfocada com outras pessoas (mesmo que Stamos não consiga convencer isso na atuação).

    Muitos personagens de ER possuem backgrounds fascinantes (Kerry Weaver e Cate Banfield estão entre eles). Gates sempre teve esse lado, apesar de seus problemas. Felizmente, essa história me agradou.

    Já Cate Banfield, esse episódio me agradou por introduzir Russell Banfield. Gosto de casais e familiares que lidam com a pressão do trabalho mantê-los separados por tempo prolongado. Isso me lembra muito de Mark e Jen, ou até mesmo Peter e a irmã Jackie.

    Acho que Courtney B. Vance fez um bom trabalho como Russell. Gosto da tensão entre ele e Cate. Quando ele pergunta como ela consegue trabalhar naquele lugar, fica mais do que claro que há um passado naquele lugar.

    Isso foi uma das histórias mais bem construídas. No segundo episódio, entrou Banfield. No quarto estabeleceu que Banfield tinha um passado obscuro após quebrar a família da Yokas. Por fim Russell entra agora, estabelecendo a penúltima peça do quebra-cabeça. E na próxima semana, tudo se explica finalmente.

    Eu bem queria que ela tivesse entrado mais cedo na série, para ter mais tempo para explorar a personagem. Por sinal adoro o fato de que ela foi para a Indonésia ajudar as vítimas da tsunami após ficar dois anos e meio trancada em casa.

  6. Diego Presti

    Bom episódio. Gostei bastante da presença do Carl Weathers. Fazendo um ex-pugilista que quer o filho (um saco de pancada) fora dos ringues.
    Morris é o cara. Foi legal ele assessorando o Chaz, um modo de ficar junto do grande amigo Pratt.
    As histórias do Pratt com os irmãos sempre foram interessantes. Mas acho que seria mais interessante a presença daquele grandão que o chamava de G.
    Angela Basset continua muito diva e canastrona.
    Parminder a mesma coisa.
    Brenner jogou rugby e bebeu.
    Gates…
    A Linda é a melhor atriz da atual temporada. Só que a história de Sam e Gates já encheu. Vamos ver como fica eles morando junto agora.
    Nesse episódio os convidados foram melhores que os fixos.

  7. Claire

    Eu tbm achei um episódio bom,não esperava mais do que isso.Não sou do clube “nós odiamos a Neela”,até simpatizava com ela às vezes… o problema é que acho o personagem tão perdido,não sei mto bem de quem é a culpa,enfim não dá nem pra comentar direito.Não gosto da Sam e o Gates juntos.. tbm não gostava dela com o Luka.. vai ver o problema é a Sam!rs… e Thiago,não vi nada de mal no cabelo do guri hahah… me chamou atenção o fato dele ter “esticado” tanto.Como já disseram tbm gostei da tensão entre a chefona e o marido.E amei o Frank,ele anda derretendo meu coração!hehe.
    E não sabia do Malik,boa sorte pra ele… e pra “Abby” tbm,claro… que as próximas informações sobre eles sejam todas boas!
    Muito ansiosa pelo próximo epi…saudades daqueles personagens!

  8. Carlos T.

    Foi um episódio bom, mas realmente não é empolgante. Ficou faltando algo, mas foi um bom passatempo. A maior parte do episódio foi focada na medicia, isso já é um grande ponto positivo.

    Gates e Sam, eu simplesmente não estou nem aí, concordo com a maioria que ele merecia coisa melhor e como está grande o Alex! Foi realmente uma grande pena que trocaram os atores, o anterior era muito melhor e mais carismático. A Neela estava meio apagada no episódio, levou um fora da Banfield e aos poucos ela vai se envolvendo com Brenner.

    Gostei da atitude da Banfield defendendo os estagiários, lembro das temporadas em que Abby, Neela e Ray eram estagiários e o Pratt e o Morris ficavam só falando que eles eram péssimos médicos, odiava aquelas cenas! E só pra constar: o episódio da morte do Pratt foi um dos meçlhores da série, mas pra mim ele nunca precisava ter entrado na série.

    Já que estpu falndo de Pratt… não sou muito fã do Chaz, pra mim não faz falta, mas o desempenho dele no episódio foi bom e quando vi pela primeira vez no ano passado eu fiquei um pouco irritado com o Morris e tenho que concordar com Gates e Banfield, mas eu entendo, ele sentia falta do amigo e as últimas palavras de Pratt foram muito marcantes pra ele, ele só estva tentando fazer o que o amigo pediu para ele antes de morrer.

    Não tenho nada contra o ator que interpreta o marido da Banfield, mas entendo o Thiago, ele não é aquilo tudo mesmo. Concordo com o Eduardo que a história dela foi muito bem planejada (coisa difícil nas últimas temporadas de ER – arcos bem planejados) e por causa do próximo episódio eu agradeço por criarem essa personagem.

    E como falei na semana passada, assisti o episódio ansioso pela promo, semana que vem é IMPERDÍVEL, nunca tinha imaginado que iria rever MARK GREENE em ER!

    Aguardo um texto especial da quinta de manhã, Thiago!

  9. Heloísa Helena

    Olá Thiago! Como sempre vc perfeito em seus comentários, sempre assisto pensando: “O que o Thiago está achando dessa cena, será que ela vai escrever o que eu tô pensando?”…rsrs.
    Gostei do episódio,mas realmente ficou longe de empolgar. Destaco a hilária cena da maca presa; O Morris é uma figura, perfeita a definição da frase da Banfield na cena com ele no elevador: “Como vc consegue ser tão bom médico sendo um retardado!” ( ou-assim); ele tem um bom coração, mas é super atrapalhado, inseguro, estabanado, uma comédia…rsrs. Tô passando a gostar mais da Banfield, ela é uma incógna que ainda se revelará, mas com certeza tem muitos conflitos por baixo daquela cara carrancuda. Morris e Frank conseguem às turras tocar o coração de pedra dela, mas como sempre Neela (aquela besta lerda) passou sua total insegurança e só faltou fazer xixi nas calças com medo e sem argumentos…ponto pra Banfield!
    Também detesto Gates! Mas também não gosto de Sam! Só que ele é beeeeemm pior. A estagiária apaixonadinha por ele, chega né! Ele é médico ou é galã (nenhum nem outro, pô!), que forçassão de barra!
    Estou assistindo a 12ªtemporada animadíssima! Confesso que sou fã da Abby e do Lucka, e como vc sabe, sou fã novata e seus textos antigos têm me ajudado muito a entender toda a trama. Me prometi acordar nas madrugadas desse mês para assistir na íntegra (meu marido tá uma fera disse que tô ficando louca…rsrs).
    Ih, caramba escrevi muito! Meu filho tá chorando e já vou dormir. Beijos! Valeu!!!!

  10. marília

    eu assisti!

    bom, tbm não achei lá essas coisas o episódio e me aborreci até com certas coisas:

    1. NEELA: que porre é esse meu pai? e além de td péssima professora e querendo se botar pra banfield sem a menor segurança. eu agora nem quero que simon fique com ela… e Benton era Benton…

    2. MORRIS: pq ele voltou a ser sem noção? eu pensei que essa fase tivesse passado. pensei que a frase de pratt pra ele não estragar as coisas ia ficar na cabeça dele… não que eu não tenha gostado da premissa da história… e ´´e bem morris mesmo o que aconteceu, só que, agora que simpatizo não quero que ele faça merda… quero que brilhe!

    gostei da Cate mais humana com a ajuda luxuosa de Frank o rabugento mais simpático do mundo (mas ainda assim não ganha de jerry no meu coração)

    e olhe que engraçado vc mencionou a história de Sam e Luka e pasme, eu nem me lembrava. ha!

    quase tive um constipio qnd vi o promo da próxima semana! será que vou aguentar? TIPO: É O MARK GREENE, CAMBADA!

  11. Thayse

    Eu gostei desse episódio, mas senti que ficaram uns buracos… Primeiro a Daria, não entendi mesmo porque diabos ela tav tão nervosa perto do Gates, pareceu que perdi alguma coisa. Bizarro. E segundo, a história do mendigo. Me pareceu que ele ia ser algo mais no episódio, com a perda de consciência a esclarecer, a tatuagem do exército, a preocupação com a bolsa… fiquei pensando “desembucha logo a tua história”. Aí o episódio acabou e ficou naquilo mesmo. Não disse a que veio, acho que nem precisava ter colocado ele na história, senão iam explorar direito.
    Outra coisa que não entendi (se bem que perdi um episódio): o Dubenko voltou a trabalhar no County? E ficou tipo um daqueles personagens que são só mencionados mas nunca vistos?!

    Bom, aquela cena da maca grudada na máquina de ressonância, achei bem patética, tipo “WTF??”. No ER, um cena daquelas. Achei nada a ver.

    Continuo não gostando da Banfield, acho que a cada episódio ela faz uma cara pior, acho que ali todos têm dramas pessoais e ninguém fica descontando nos outros, acho ela sisuda demais. Mas, achei até legal ver ela preocupada em agradar a sogra, querer cozinhar, discutir com o marido (ela é gente como a gente, hehe). Sei que ela tem história escondida na manga, mas sinceramente não tenho a menor curiosidade de saber(até já faço idéia do que seja).

    Mas, pela primeira vez concordei com a chefa: Morris errou e feio. E só porque o guri é irmão do Pratt, porque se fosse outro M1 ele não ia dar a mínima. Mas ele é médico, e não deveria ter deixado a ética médica de lado ao permitir um inexperiente colocar a mão num paciente. Ele sobreviveu, mas poderia ter acontecido coisa pior. As tarefas que ele deu pro Chaz são de nível de residente, Morris se passou totalmente (e os R1 com a maior cara feia, com razão! Tirando a chance deles!). Pior é que a Banfield avisou e mesmo assim ele foi lá e fez de novo. Até o Gates avisou (e isso é sinal de que a coisa tava feia mesmo). Enfim, a gente dá um desconto porque o Morris ainda sente muito a morte do Pratt, e no final ele aprendeu a lição, um passo de cada vez. Mas, pelo bem dos pacientes, que isso não se repita. (PS: achei meio estranho a artéria intercostal sangrar tanto daquele jeito, até na hora achei que o tubo tivesse entrado no baço. Whatever.)

    A Neela, enfim, eu adoro ela, acho que até hoje não acertaram a mão com ela, o que é uma pena, porque acho que a personagem tinha muita coisa boa pra render. Parece que ainda não sabem o que fazer com ela, aí pra terminar aquilo, embebedam ela num bar. Que derrota.
    Achei meio sem noção a atitude dela com o Andrew; apesar da Cirurgia ter um método de ensino diferente da Emergência, ela tinha que ensinar o guri, e naquele momento, que eu me lembre, o paciente não estava instável, tinha tempo pra ele tentar pegar a veia (se bem que ele tentou num local bem complicado). Pra ser professor tem que ter paciência, né. E depois, a conversa da Neela com a Banfield, achei também meio sem noção, pareceu que a chefa falou qualquer coisa só pra terminar logo com aquilo, parecia apressada, achei que ficou estranho.

    Gates é aquela lenga lenga de sempre, né. Foi só ficar irritadinho com a Sam pra logo pisar no ponto fraco dela (tipos “vai lá fazer teu srvicinho de enfermeira e não amola”!). Até a Daria tentou amenizar a situação, pedindo pra pegar a veia. Mas a Sam, também, né, muda de namorado e a história continua a mesma, “eu sou indpendente, me viro, não quero que tu se envolva com o meu filho, meu filho é só meu”. Tipos, disco arranhado. Se dá uma chance, mulher! Vai ser feliz e não amola.

    E o Frank, querido, tentando quebrar o gelo com a chefa? Adorei a atitude dele.

    Por fim, não dá pra deixar de falar da promo!!! Achei que esse epi fosse mais pra frente! Fiquei emocionada só de ver a promo, imagina quando eu assistir o episódio???
    será que vou aguentar? TIPO: É O MARK GREENE, CAMBADA! [2]

  12. Renata

    Thiago, é um prazer poder dar este retorno, pq admiro muito a maneira como vc se esmera em comentar até os menores detalhes da série.
    Bem… achei comum. Nem um grande momento, mas tb não foi um episódio ruim. Espero de verdade me surpreender ainda nesta final season. Morrendo de curiosidade para saber como será a participação do Greene semana que vem. Imagino que deva ser um sonho, mas ver este grande personagem e em cena inédita, vai ser tudo de bom. Ahhh concordo com tudo que vc falou sobre a troca dos atores que fizeram o filho da Sam.

  13. rosangela

    Thiago, espero toda quinta os seus comentarios q p mim sao senpre os melhores. tipo(e exatamente o q eu achei do episodio), mas a sua implicancia com o Gates eu acho q ta meio sem razao, ate qdo ele ta certo vc diz q e pq a coisa ta feia. coitado!!eu particulamente nao acho o Morris la essas coisas!! ele nunca foi tao amigo de ninguem assim e o q ele fez com o chaz nao tem nada a ver!!! a historia de sam e gates na minha opiniao ja esta enchendo por causa da sam. ela sempre foi chata , lembra com o luka?? era a mesma coisa.. de resto eu gostei de tudo!! gente!! qdo vi o Mark greene ate chorei de emoçao, eu nao esperava!! e comigo nao tem futebol certo, ( e olha q eu amo futebol), mas aqui em em casa eu ja aviso a todos q o ER esta sempre em 1º lugar.. bjs!! esperando sempre ansiosamente o proximo comentario….

  14. Thiago Sampaio

    Sonylena (4) Não que o episódio tenha sido ruim, mas foi meio fraquinho mesmo. Quanto a maca, ri muito na primeira vez que assisti. Mas depois vi o quanto sem sentido era aquilo então… Vá lá, valeu a risada. E o rolo de Sam com Gates parece mais do mesmo novamente outra vez de novo. Mas são 15 anos. É difícil ter uma idéia original… como o Mark Greene semana que vem =) Isso vale a pena mesmo!

    Eduardo (6) Pra mim, Stephen Cragg é um wannabe sem sucesso do Chulack. Ele treme a câmera demais e simplesmente não consegue ser tão bom qnto o Exec.Prod. da série, mas… vá lá, ele tenta. Nunca gostei de Chaz, porém ele vai se acertando. Sempre gostei do Alex original, por isso acho que sempre tenho essa atitude com o novo. Quanto ao cabelo… esse é o corte do Alex antigo. Não cola mais com o novo guri: tem q passar a tesoura já. Quanto ao núcleo de Banfield: Vance pode até fazer seu papel de cônjugue em conflito, mas não gosto de… sei lá, seu tom de voz. Falta algo. E a evolução de Banfield é mesmo digna de nota. Só não sei se terá espaço pra isso no texto que vem… E a história do mendido eu odiei muito! Você nem tem noção, cara.

    Diego (7) Sou fã da franquia Rocky. Também achei muito bom rever o Apollo Doutrinador. Sobre a idéia de rever Leo, o irmão adotivo de Pratt. Ele é “ingênuo” demais, talvez não compreendesse a morte do irmão e só causaria melodrama desnecessário. Não foi preciso. Aliás, acho que só Gallant sabe o paradeiro de Leo, e pra averiguar isso com Michael e Greg, só através de seção espírita. E Linda é o oposto de Angela: está atuando muito bem, só precisa ter mais sorte com a personagem…

    Claire (8) Pior que também não odeio a Neela. Negócio que fica difícil empatizar com o trem descarrilhado que é a personagem. Simplesmente, deixo de me importar. Sobre Sam e Gates, vai por mim: o problema é o Gates hauhauauhauahuaahu Quanto ao Alex, deixei de explicar mais sobre o cabelo, falha minha. Pra mim, esse tipo de cabelo é o do Alex original, e com a troca de atores tentaram fazer o mesmo. Mas além do filho de Sam já ter crescido, não precisam mais “fingir” que esse é o mesmo ator. Cortem o cabelo e pronto, uai. E Frank está conseguindo: está pau a pau com o Jerry dos primeiros anos da série. Quanto ao adendo, reli o texto e vi o tom “down” do informe, mas, paciência, são notícias meio ruins. Mas sim, desejos de total recuperação pros dois.

    Carlos (9) Os episódios das mortes de Romano e Pratt são dois dos melhores da história da série, mas com dois das piores consequências. Verdade que com Freefall a coisa é maior, mas… dá pra entender. Concordo com você. Já não tanto com a compreensão das atitudes de Morris hoje: foi demais. Coisa de Archie do 10º ano, de irresponsabilidade total. Foi até uma idéia boa prum episódio, mas na execução ficou forçado… Pelo menos foi a primeira e última. Sobre minhas impressões do casal Banfield, estão lá no feedback ao Edurado. E já tô vendo que a pressão é zero pro texto de semana que vem, né? Huhauhauhauhauahuahaua

    Heloísa (10) Huahuahuahauah Legal ouvir isso. Muito obrigado =) Sobre Morris e a maca, foi legal, eu sei. Pastelão demais… mas de novo, revelo por causa das boas risadas. Sobre a evolução de Banfield, é sempre assim: todos os novatos são exagerados em suas atitudes, e com o passar dos episódios há uma correção de cursos. Mas a verdade mesmo é que a história por trás de Cate é muito bem planejada e… falamos disso semana que vem. Quanto à Sam, não vou poder mudar opiniões, é verdade, mas… gosto muito da enfermeira Taggart =T Hey, se está assistindo à 12ªtemporada, de vez em quanto poste comentários sobre o episódio que te agradar no orkut. E seu marido só não compreende porque acho que nunca viu ER =P Enfim, tudo de bom pra sua família e… segue o guia do 12º ano: http://www.orkut.com.br/CommMsgs.aspx?cmm=49675254&tid=5357772819005104667

    Marília (11) Neela é um trem sem rumo. E claro, nada igual ao Benton. E Morris teve sua vez de errar hoje, depois de uma maré ótima de acontecimento. Tudo bem, foi só um deslize. E como assim não se lembrou de Sam e Luka? Bloqueou isso da mente? Huahauhauhauhauhua E o episódio da semana que vem é mesmo o episódio… Mark Greene is back, baby! XD

    Thayse (12) Odiei muito o que fizeram com a Daria. Ela parecia tão promissora no começo… Essa apaixonite dela pelo Gates foi horrível. Sobre o mendigo, fica calma que ele volta. Na verdade, não fique calma porque ele é um péssimo personagen. E Dubenko voltou sim. Brenner fez uma petição pra ele voltar no 15×02, meio que pra agradar Neela. E Banfield vai cedendo cada vez mais… Verdade que ela exagera, mas, tudo vem a tona semana que vem. Sam e Gates? Não gosto dos dois como casal. Na verdade, não gosto do Gates de maneira nenhum, e adoro a Sam, logo, acho que ele a atrapalha. Neela em baixa, Frank em alta… tudo pra segundo plano quando Mark Greene entrar em ação =)

    Renata (13) Agradeço muito por isso =) E garanto que você ainda vai se surpreender nesse último ano. Verdade que quase sempre por causa dos nomes dos passados, mas alguns bons momentos de Brenner e Morris farão valer a pena tbm. Quanto ao Mark Greene aparecer em sonho? O que você acha que ER é? Grey’s Anatomy? XD Espere algo muito mais lógico do que isso. Pode apostar =)

    Rosangela (14) Aaaaah… Desculpa =T Tem sido uma tendência minha essa implicância com Gates. Vem desde os textos do 13º ano. Meu santo simplesmente não bateu com o cara, mas… juro que quanto ele tá certo, dou o braço a torcer. Negócio que hoje, com Sam, simplesmente não apoio essa decisão. Quanto ao Morris, acho o contrário. Ele é aquele cara pra cima, bem humorado, que não faz mal a ninguém e… por incrível que pareça, vai ser o foco de confidência de muita gente no County esse ano. Mas que ele errou com Chaz, ah errou sim. E lembro sim da Sam com Luka… Olhando pelos lados da produção, queriam separar os dois pra Abby ficar com Kovac, já que Carter tinha acabado de sair da série. Pelo lado de Sam, ela simplesmente não queria mais nada com ele. Ele parecia muito grudento, sei lá… Forçando nos “eu te amo”, em morar junto (com menos de um ano de namoro?) e ainda mais nesse desejo descontrolado dele de querer uma família (ele chegou até a se apaixonar por Carol, quando grávida de gêmeos). E semana que vem não importa o jogo: Mark Greene, o personagem unânime, está de volta! =)

  15. eloisa

    epi fraquinho
    nao gosto do casal sam e gates, e ela morar junto de novooooo aiiii ja vi isso antes, e esse filho dela e um porre!!!!
    a neela e chata chata!!! nem vou comentar
    Claro q o morris errou mas acho ele tao inocente as vezes tem um coraçao de ouro nao fez por mal, so queria ajudar, tanto q ate a chata da Banfield nao fez nada
    quero ver msm semana q vem, me emocionei so de ver a chamada

  16. Marianna

    Episódio realmente fraquinho.
    Neela esta totalmente perdida, Ray tem que voltar logo para dar um rumo na vida dela.
    Tenho que confessr que ri muito na cena da ressonância! De tão ridículo foi engraçado.
    Sbre Gates se desfazenda da Taggart… Por Favooooooooooooooooor… a Sam é areia demais para o caminhãozinho dele.
    Eu sempre lamento a troca de atores que fazem o personagemd e Alex. Parte da antipatia que tenho pelo personagem veio depois dessa troca, o primeiro era tão carismático. Já esse Dominic tem cara de bunda!

    E que venha Mark Greene! :D

  17. sonylena

    Já comentei mas vou comentar de novo….a única coisa que me importa agora é esperar pelo Mark Greene na 4º feira, vai ser um momento especial, maravilhoso e acho que vou chorar só de olhar para ele….já assiti o epi de sua morte 2 vezes e choro que nem bezerro desmamado….vai ser fantástico, e Thiago estamos todos esperando seus comentários depois..que pressão heim???
    Bjs á todos…PS- meu marido tb acha que eu sou louca!!!! sou capaz de não assistir jogo do Corinthians por causa do ER!!!

  18. Giselle

    Gostei.
    Achei um bom episódio.
    Estou gostando muito do Morris nesta temporada.
    Esta tendo bastante destaque. Nunca detestei ele mas achava o personagem tão bobinho. Ainda bem que ele deixou de ser apenas o alívio cômico .
    Ele realmente pisou na bola e mereceu as broncas.
    E nossa adorei rever o Apollo do Rocky . Ele está muito bem eheheheh !!!!

    Sobre o Gates eu já estou acostumada com a implicância do Thiago eheheheeh !!!!!
    Eu gosto do Gates e não tenho nada contra o Stamos.
    Até que eu não achei a história do mendigo ruim .
    Poderia ser melhor explorada mas como vc disse que ele vai voltar então vou aguardar.
    Na temporada passada eu até cheguei a gostar da Sam e do Gates juntos mas não estou gostando.
    Tô achando meio sem sal os dois. E de novo a Sam vai morar com outro médico . Aff !!!
    E o Alex como cresceu !!!!!!

    Estou gostando da Banfield . Adorei aquela cena no final com o Frank . Muito fofo ele . Adoro o Frank.
    E a Neela ? O que dizer desta mulher?
    Continua uma chata,perdida e indecisa.
    Nem o Brenner merece isto !!!
    E no próximo episódio aguenta coração !!!
    Mark !!!!!!!!!

  19. gabriela

    Geeente, nunca vi tanta gente ansiosa pra rever um personagem hahaha é claro, né? Mark Greene é Mark Greene. Com um pouco menos de cabelo, mas ainda assim é Mark Greene hahaha
    confesso que também to louca de vontade de saber qual a interferência dele na vida da Banfield…tem certeza que não pode contar? Hehe..tudo bem, eu espero até quarta-feira. Acho que vai ser O episódio! Espero não me decepcionar.

    hmm…chega de implicâmcia com Gates, ok? hehe ele é tão lindinho. e consciente (às vezes). pena que as histórias que o envolvem são tão mal resolvidas…o que foi aquele mendigo? me diga, o que vai acontecer? o.O

    porque gostam tanto de mudar as ‘crianças’ em er? rachel greene, alex…que mania. aff ¬¬’

    enfim, aguardo ansiosa o episódio de quarta-feira, enquanto revejo os últimos episódios da primeira temporada. oooh, saudade!!

    PS: TIPO: É O MARK GREENE, CAMBADA! [3]

  20. Tati Siqueira

    Bom vamos, lá……para começar perdi Er(dessa vez culpa minha que programei o video errado 2x)pela Warner, dai recorremos na net, e olha que grata supresa, baixei um episodio legendado por quem??????? Nosso querido Thiago,parabéns pela ótima legenda……mil(mas mil vezes mesmo)vezes melhor que da Tv a cabo…..

    Bom, Qto ao episodio, vc sabe que eu até gostei……fraco, mas suportável;

    *Ponto positivo:
    A bronca que a chefona deu nos estagiários e professores, mas do que merecido; Afinal é um hospital/escola ali.

    *Nella simplesmente dispensável(o estagiario tem horas que parece se impor mais do que ela);E esse comentário inclui a bebedeira com os meninos no bar;

    *Morris expressando toda a sua dor e sofrimento e com isso “criando” uma cópia do Pratt – não dá certo mesmo;

    *A chefona é bipolar né???????Só pode……parece a mãe da Abby;

    *Frank, sempre dando um jeito de ajudar;

    *Sam não aprende, errar é humano mas vc continuar errando, dai é burrice demais.O que é aquele filho dela,chato demais.

    *Thiago tudo bem que a Sam não merecia toda aquela cena que o Gates fez, mas ela provocou não dando a resposta na hora.(na verdade parecia duas crianças conversando).

    Acho que comentei demais novamente…..rsrsrsr; Até o próximo :)

  21. Thayse

    Bah então aquele mendigo vai voltar?? Bem que achei estranho, porque ele não disse a que veio. Resta aguardar.

    Agora, pressão pra semana que vem é bobagem, hein?!! Espero que a gente não se decepcione. Tô curiosa pra ver como vão encaixar isso, já que ER não é Grey´s Anatomy!!

  22. Thiago Sampaio

    Eloisa (16) Essa de Sam morando novamente com médico é um repeteco infeliz, mas sobre o Alex… não dou a mínima pro moleque, mas garanto que ele não é mais o incendiário de antes. E o Morris tá tão bem na série que até estão relevando erros graves dele. Legal =)

    Marianna (17) Tbm ri da ressonância. Mas foi pastelão demais huahauhauhua E Neela, coitada. Ficou presa ao vínculo com Ray. Gates é mesmo um atraso para Sam… E que venha Mark Greene!

    Sonylena (18) Os episódios das participações especiais são mesmo os mais relevantes da temporada e… esse é um dos mais importantes, afinal Mark Greene está morto há mais de 7 anos… E vou tentar fazer algo legal sim. Não ficando bom, não faz mal… O episódio é bom demais e compensa qualquer coisa =)

    Giselle (19) Ah, eu já odiei muito o Morris. Principalmente por culpá-lo pela morte de Romano. Mas deu que hoje ele é meu personagem fixo favorito do último ano. Quanto ao Gates, sinto muito huahauhauahuahua E na próxima semana… Vai ter até Gates, mas vou ignorá-lo por completo XD

    Gabriela (20) A expectativa é justificável, não? =) Ele é o protagonista da série, referência de ER… e um dos únicos personagens que ninguém odeia. Confesso que não será O episódio, mas será O momento. Negócio que “O Episódio” fica mais pra frente nesse ano… Sobre o Gates, prometo tentar pegar mais leve. Só que não sei se conseguirei XD E hey, já que está revendo os epis, passa na comunidade do Orkut. Também estamos revendo os episódios do primeiro ano, e comentando um por tópico =)

    Tati (21) Vlw pelo elogio à legenda, Tati. Mas devo dizer que de vez em quando deixo escapar uma frase, concordância, acentos (sou dislexo, e só o P. Antunes, editor do Teleseries, sabe o que é editar meus reviews XD) mas fiz mesmo o máximo que pude, afinal… legendava de ouvido =T Gostei tbm de Banfield defendendo os interesses dos estagiários, apesar de ainda canastrona e robótica, Morris e Frank são dois dos mais carismáticos da série e Sam… tadinha. Não fica muito fácil dizer “não, não vamos morar juntos” de uma vez, né? Ehr… Já deu pra perceber que dificilmente ficarei contra Sam? Pra isso, terão que ler minhas reviews anteriores XD

    Thayse (22) É. Ele volta. Em diveros episódios, sendo que causa um grande impacto em Tony. Eu achei muito fraco esse arco. Quanto ao texto da semana que vem… Bem, abertamente critiquei Abby sem levar ovada das fãs dela. Vamos ver se dá pra agradar tbm com os que todos gostam =) E não, definitivamente não é GA. Além do mais, o argumento pra volta dele é bem engenhoso. Garanto que mantem sim as expectativas.

  23. Luciana

    Puxa,quando vi que seria um episódio com o Chaz já foi meio desanimador,talvez eu implique um pouco com ele por causa de Smallville,mas ele realmente é chato.Bom ver que a Banfield está amolecendo e o Frank foi um amor.Neela está mesmo perdida,mas fazer o que ,ela está assim desde a morte do Gallant,que na minha opinião combina muito com ela.O Morris a cada episódio me agrada mais,estou começando a ficar sem palavras para elogiá-lo.Nesta semana ele não deixou a vivência pessoal fazer com que fizesse o óbvio e aconselhasse o paciente a continuar lutando boxe..foi justamente o que gates não fez a 2 episódios atrás,quando acusou a mãe da menina de bater nas filhas.A vontade de socar a Daria tida vez que a vejo ainda não passou,eu espero que o máximo que apareça do Alex seja isso,lembro que quando comecei a assistir lá na 10 temporada,eu gostava bastante da Sam,mas toda cena dela era Alex,Alex,Alex,mais ou menos o que aconteceu com a Abby na 13 temporada.

    Ai,tenho que confessar que me diverti com a cena da maca na RM,foi muito ”Pronto-Socorro Histórias de Emergência”,queria que a Tracy fosse mais aproveitada,poxa ela só apareceu pra mexer no computador foi estranho.O Gates melhorou em relação à 13 temporada,mas isto não significa que ele seja um personagem legal,infelizmente,foi estranha a abordagem com o mendigo.Mal posso esperar pela semana que vem,ver o Dr.Romano deu um arrepio..

  24. Paula Salatino

    O Morris me irritou profundamente nesse episódio, pelo menos até a cena do elevador com a Banfield quando ele explica as atitudes ridículas e totalmente antiprofissionais com o Pratt Jr.
    A Neela, cada vez mais cretina. Da Sam eu gosto muito, sempre gostei, é uma das minhas preferidas nesses últimos 5 anos. Pena que 95% das cenas dela sejam interagindo com o Gates.
    Até estou gostando da Banfield e com certeza adorando o Brenner, que tem se mostrado profissional, carismático e gentil. No episódio passado só não torci por ele no “embate” contra o Ray porque acho que definitivamente ele merece coisa melhor que a nhaca da Neela.
    O Frank simpaticíssimo.
    Aguardando ansiosamente Dr. Mark Greene.
    Review perfeita, como sempre.

  25. Thiago Sampaio

    Luciana (24) Também nunca fui muito com a cara de Chaz. Até tentaram criar com ele um núcleo família pra Pratt, já que Denny Glover nem sempre estava disponivo, e até o arco com Chaz gay, mas.. Nhá. Mas foi razoável. E sobre o Morris, é verdade, nem falei sobre ele pouco interferindo na vida do boxeador. Bem notado. Quanto a Daria… bem, socar eu não quero, só uns puxões de orelha mesmo huahuahuahauh

    Paula (25) Depois de Oh, Brother, ficou provado que dificilmente terei raiva de Morris. Ele cheguo num ponto tal que gostarei dele sempre, mesmo adimitindo que ele errou muito hoje. Neela, tadinha, toda perdida. E no mais, Benfield, Brenner, Frank… todos abrindo espaço para a entrada de Dr. Greene!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account