Log In

Reviews

Review: ER – Officer Down

Pin it

ER - Officer Down
Série: ER
Episódio: Officer Down
Temporada: 14ª
Número do Episódio: 293 (14×03)
Data de Exibição nos EUA: 11/10/2007
Data de Exibição no Brasil: 22/11/2007
Emissora no Brasil: Warner

Quem se recorda do último episódio de Carter como protagonista de ER? Depois de seu último turno, ele passa por Morris, que enfrentava uma ressaca terrível, e fala a célebre frase: “You set the tone, Morris” (você dá o tom). Mark disse isso pra Carter, pouco antes de viajar pro Havaí, muito tempo depois de ouvir isso de Morgestern no episódio piloto. A frase virou quase um rito de passagem para o protagonista do seriado, e quando Carter deixou a bola pra Morris, mesmo de maneira irônica, houve quem ficasse irritado, pois esse “rito” deixou de existir. Mas não é que hoje Morris dá mesmo o tom no PS?

Archie Morris é dos personagens que mais foge das características do seriado, mas após tantas saídas, precisou mudar e se adequar no papel de médico plantonista, e acabou fazendo um bom trabalho. Na 10ª temporada, ele era um maconheiro insuportável e péssimo profissional. Já hoje, depois de muitas despedidas (Elizabeth, Chen, Carter, Susan…), Scott Grimes foi promovido ao elenco fixo e pouco a pouco vem se tornando mais crível. Em Officer Down, acredito que pela primeira vez, seu lado dramático esteve mais evidência do que o cômico.

Fiquei muito preocupado com a ligação que ele recebeu: achei que iam dizer que o avião de Hope caiu (um empréstimo do destino do Coronel Blake, da comédia médica M*A*S*H) mas fora “apenas” o pai dele que morreu. Senhor Morris já foi citado em algumas ocasiões anteriores, sendo a mais relevante após a promoção à chefe dos residentes, quando disse que estava doido pra jogar a notícia da cara do velho.

Foi bom poder ver algo de palpável (pra não dizer “existente”) na motivação de Morris como personagem, e garanto a vocês uma coisa: todas às vezes em que ele não participar de um episódio, vocês sentirão sua falta.

Quem sentiu falta de algo, literalmente, foi Betina. Eu não precisava saber, mas Pratt não é bom de cama. Agora que ambos têm uma relação de confiança, bom pra ele, mas ruim pro personagem de Mekhi. Desde sua viagem pra África no final do 12ª ano, Pratt virou outro – está bem mais agradável – mas infelizmente não evolui. Hoje, tudo o que ele faz é ser gordo e dar conselhos como se fosse o cara mais centrado do mundo. Pratt está bonzinho, beleza. Não é o “punk” treinando por Mark Greene, mas precisa ou pegar mais um turno complicado no PS, ou ganhar um drama sério. Ele está precisando disso faz tempo.

Enquanto isso, Gates ganha vários casos dramáticos de bandeja, mas ainda assim continuo com meus problemas diante desse cidadão. Mas vá lá, hoje ele foi okay. Sarah voltou, fugitiva, mas ficou em segundo plano pra ele, já que procurava incluir Josh nos testes pra amenizar sua doença degenerativa – e ganhou pontos com Dubenko ao diagnosticar um raro distúrbio sannguíneo num policial baleado. Vá lá, ganhou pontos comigo também. Hoje, vou deixá-lo em paz.

Outra coisa que vou perdoar, e pra valer, é a movimentação do PS. Há anos que reclamo do marasmo que estavam os corredores, completamente vazios. Talvez seja o toque de Chulack na direção – aquela briga envolvendo o policial é típica dele – mas ultimamente, o local voltou a ser aquele hospital movimentado de sempre, e meio que camuflando o elenco reduzido. Além de ser apenas um sexteto, Neela segue fora do hospital se recuperando depois de perder seu peso em sangue, e serviu de alívio cômico enquanto cuidava do porre do Joe (Nagra foi um doce na cena), ao lado de Dubenko. Justamente no dia dos primeiros passos do bebê de Abby.

ER - Officer DownLockhart, a protagonista, ainda tem aquele seu toque mágico de atrair todos os homens solteiros que frequentam o County General Hospital. A vítima da vez foi Grady – e acredito que ainda não mencionei o estagiário novato. Bem, ele vem sendo um personagem agradável e é só o que tenho a dizer sobre ele. Além, claro, do “importante” diagnóstico de coagulopatia, destacado na promo da Warner (?!?). Quanto à Abby… certo, Maura Tierney é bonita, mas Grady não prestou atenção na Sam nenhum pouquinho? Talvez a produção possa olhá-la um pouquinho também, pois falta um pouco de histórias pra enfermeira, coisa que não acontece desde a fotógrafa de episódios atrás.

Jerry deu um sinal de vida; mandou uma foto dele no Alaska, tomando cerveja, mas não sei se com a Anne Heche. Hoje, Moretti não deu turno, pena. Mas Morris o substituiu… à altura. Por mais absurdo que isso seja. O casting desta vez acertou, e me agradou na escolha dos pacientes. E… o episódio não foi dos melhores, mas foi o suficiente.

Semana que vem, foco na Abby, mais uma vez. Só que os melhores atores do episódio serão os gêmeos que interpretam o bebê Joe. Isso mesmo…

Séries citadas:

25 Comments

  1. Paulo Antunes

    House 7 comentários. ER 0.
    Éééé, até aqui as coisas estão fracas.

    Pior é que a temporada de ER não está mal. Eu não gostei da season premiere, mas estes dois últimos foram bons.

    Mas ainda acho que o Jerry fez bem em ficar cuidando de um bar perto de Anchorage. Men in Trees me dá muito mais prazer do que ER ultimamente.

  2. Thiago Sampaio

    You break my balls, Paulo. Break my balls
    A premiere de ER teve 40 coments, viu?
    E a terrível finale do 13ª ano quase 100 XD

    Eu me lembro de quando via a 8ª temporada na Warner, naquela parte com os lances de Corday-Mark-Susan-Carter-Abby-Kovac mais, claro, o tumor de Greene.

    Eu vi chorando toda a reta final dessa temporada, via a reprise de sexta de noite, a do final de semana… Via com o maior prazer do mundo. Isso acabou faz tempo. Concordo. A série não tem mais vapor. Mesmo esteja agradando, não vai ser mais a série de antes. Tem uma boa trama com Abby, mas…

    Pelo menos a Sony tirou CSI e agora passa Ghost Whisperer. Assim, ER fica meio que livre de uma concorrência forte. E “prepara” a noite pra House…

  3. Rafaelly

    Gostei realmente desse episódio!!!Sem brincadeira…
    E tenho que dar o braço a torcer pois o Morris foi o destaque desse episódio e eu gostei dele.Foi a primeira vez q o vi como um personagem de ER e não apenas um médico bocó colocado pra fazer graça.
    Maura foi bem tb. E logo vi q o motivo do Grady ficar nervoso perto dela seria esse, até pq a Abby é sempre legal.E ele me parece um boa aquisição, se bem aproveitado. Um estudante que finalmente pode dar em alguma coisa.Lembrei do jovem Carter…
    E o Joe irritou muito a minha nãe chorando daquela maneira…hehehe…Ela até falou pra Neela dar logo um soco na cabeça da criança.hehehe

  4. Cesar

    Estou gostando da temporada. Está simpática, agradável de ser vista. Talvez este seja, no fim das contas, o maior problema de “ER” atualmente: a série é apenas simpática.

    Dois comentários:

    Já estive nos estúdios da Warner e onde é gravado ER. Vale a pena visitar, quando puderem. Vou ver se posto algumas fotos no blog.

    E acho que sou dos poucos que não tem nada contra Gates. Talvez porque tenha visto um “True Hollywood Story” (confesso, eu vi!) com ele, passei a respeitá-lo. No programa há, inclusive, um comentário do Scott Grimes, que disse ter ficado chocado quando disseram que Stamos entraria na série. Engraçado.

  5. Luciana

    Officer Down me enganou,mas,ao contrário de The honeymoon is over,de um bom jeito,o modo como começou parecia a 13 temporada,a Abby de roupa social e com o Joe,as peripécias amorosas do Pratt,o Gates com a Sarah,mas,após a abertura,parecia outro episódio.Fiquei assustada com a quantidade de pessoas nos créditos,mas adorei os múltiplos traumas,esse é o Drama&Caos que eu gosto no Er.
    Me lembrei muito da minha sobrinha quando vi o Joe(vale dizer,ela não chora tanto)e eu tenho que confessar que sou tão jeitosa quanto a Neela para cuidar dela

    Eu sabia que tava bom demais pra ser verdade a Sarah ir embora para sempre,mas que bom que não tomou tempo demais do episódio.

    Fiquei emocionadíssima com o Morris,aí quando o episodio terminou,nada de promo,fiquei colérica,além da promo sem pé nem cabeça,agora não teria mais..Aí quando foi umas 16:40 da tarde,no meio do comercial de Gilmore passa a promo,e ,finalmente!uma promo de verdade

    Muito legal memsmo foi a referência do Jerry,estava pensando nisso esses dias,”no Alasca”,genial!

    Não falarei,porém,uma palavra da temporada até chegar o quinto episodio, a 13 tava boa até Ames v.Kovac(é,Tiago,nisso nunca vamos concordar)

  6. Mica

    Eu não gostei do episódio. Não no sentido de ter odiado, mas não consegui me empolgar. Ainda não sei se foi algo de errado com o episódio ou se sou eu que não tenho mais a capacidade de ‘sentir’. :-(
    Agora, sou obrigada a concordar que Morris tem realmente dado o tom. Ele é uma das melhores coisas de ER ultimamente e a pessoa que sem dúvida nenhuma mais cresceu como médico.
    E o estagiário novato…uma graça ele. Não digo apenas por achá-lo bonito, mas eu acho ele uma gracinha de personagem. O típico personagem que entra cru e pode ser moldado (se não avacalharem ou sumirem com ele).
    Sem maiores comentários por enquanto, senão perderei NCIS.

  7. Tatiana

    Eu achei um episodio normal……sem nada de OHHH!!!!!Mais gostei do Morris, ele realmente tem me agradado de um tempo prá ca……….Um comentário…..não precisava daquela cena do Pratt, ficou mal pra ele…. :)

  8. Giselle Bauer

    Gostei deste episódio achei muito movimentado como nos velhos tempos de ER.O Morris me emocionou
    e a interpretação do Scott Grimes me surpreendeu quase chorei junto com ele. E o Pratt coitado a Betina acabou com o cara.E sabe também reparei que ele tá meio cheinho mas deixa ele.Eu sempre gostei do Pratt e acho que ele ficou melhor depois que voltou da África.E a Neela? Nem o Joe aguenta aquela mulher.Mas uma coisa eu admito ela teve muita paciência.Estou gostando do Grady tomara que ele fique até o final. E pra fechar.Aleluia Thiago! Você até que pegou leve com o Gates.E bah! a chatinha da Sarah voltou.Tenho problemas com crianças e adolescentes
    trabalhando na tv ,no cinema, em novelas enfim.
    E Cesar é bom saber que eu não estou sozinha.Eu também não tenho nada contra o Gates talvez porque eu sempre gostei do Stamos desde os tempos de Full House. Eu também vi o THS com ele e de repente se a galera ou até mesmo o Thiago assistirem podem começar a gostar um pouquinho dele.E bem lembrado o Scott Grimes achou no ínicio que ele não tinha muito a ver com ER.E Thiago muito bom o seu comentário.Consegui concordar com quase tudo que você escreveu.

  9. Thiago Sampaio

    Rafaelly (3) Por favor, Grady como jovem Carter não “^^

    Cesar (4) Minha maior frustração é saber que não tenho condições de por os pés na fachada do County, num passeio pelos estúdios da Warner =/ E manda as fotos sim =)
    E vi o E!THS do Stamos: Continuo não gostando dele =p

    Luciana (5) Eu vou mais além. Gostei do 13ª ano até o Jigsaw, dois episódios além de Ames v Kovac. Infelizmente, continuo com uma imagem de alguém que vive reclamando de tudo =p Tendo tempo, checa o q eu cheguei a falar do 13ª ano, até ele perder o vapor inicial:
    http://teleseries.com.br/blog/2006/12/25/review-er-jigsaw/

    Mica (6) Ocultei (esqueci) de comentar, mas o epi foi escrito pela Janine Barrois, a pior roteirista da fase atual de ER (Darfur, Dying is Easy). Quando ela é a encarregada da trama, fica sempre aquela sensação de “está faltando algo”.

    Tatiana (7) Eu tbm não precisava daquela cena XD

    Giselle (8) Yey! Foi só falar bem do Gates (ou tirá-lo do paredão) que conseguir agradar na review huahuahuah

    E muito obrigado pela leitura, e pelos comentários =)

  10. Pingback: O que anda acontecendo nos blogs da Sociedade « Sociedade dos Blogs de Séries

  11. Leonardo Toma

    Review excelente! Concordo que a temporada tem sido boa. Isso somente em comparação com as duas últimas, porque com a série toda ainda falta muito. Acho que deviam dar uma história dramática fora do PS para Morris. Talvez ele indo visitar sua cidade natal e sua família problemática-não-comunicativa para o enterro do pai. Isso faria muito bem pro personagem.

    Esse tipo de episódio fora do hospital (tirando os da Africa), como do Mark na 4ª temporada e do Benton na 5ª aproxima o público com o personagem.

    Sobre esse episódio eu achei mediano. Os próximos serão bem melhores. E discordo com você Thiago que no próximo epi as atuações não são boas… Justamente no próximo epi que as coisas começam a esquentar.

  12. Gustavo

    Realmente, este episódio me surpreendeu. Para mim, a qualidade da série pós 11 temporada caiu muito, com muitos apelos na 12 temporada e muita bobagem na 13… Mas este episódio em especial foi muito bacana. Morris mostrou ser de verdade, e Scott mandou muito bem, Neela sustentou o lado cômico, e até mesmo Gates parece que encontrou o tom certo para seu personagem. Mais calmo, mais dedicado a medicina, mais preocupado com os pacientes, teve uma boa cena com Sam (acho que formariam um bom par romântico, mas enfim). As sequências na emergência foram ótimas e inteligentes, como nos velhos tempos. Briga de policiais? Tiroteio e vítimas fatais? Diagnósticos rápidos? Médicos dando duro? Residentes em conflito? Ok, tivermos ER de novo neste episódio, resta saber se será até o fim da temporada… Mais duas coisas: primeiro, adorei Morris se referindo a Guerra, segundo, quando teremos notícias de Kovac?

  13. Thiago Sampaio

    Leonardo (11) A série não tem mais força, e se ousasse exibir um episódio de Morris fora de Chicago, ia ter uma audiência mais patética ainda. Infelizmente ele ainda não tem “aquele” apelo”. E eu não disse que as atuações do epi sequinte serão fracas. Falei é que a perfomance dos gêmeos que interpretam Joe roubarão a cena =p

    Gustavo (12) Kovac dá as caras em breve. Muito breve

  14. Marília

    Fico cada vez mais satisfeita com Morris na série, ainda mais agora. Pela primeira vez vemos o “lado dramático” dele… esse episódio só fez aumentar minha simpatia por ele!
    Também achei que algo tinha acontecido a Hope, mais “ainda bem” que não foi!

    Já Pratt… ainda não vou com a cara dele! Ele é um bom médico, mas não tem destaque na série. E algumas atitudes dele eu não gosto.

    Concordo com o que você disse sobre Gates. Ele estava melhor nesse episódio. Toda vez que aparece alguma cena com Sarah, eu acabo simpatizando mais com ele.

    Uma coisa eu tenho que dizer: Parminder ARRASOU! Muito engraçada as cenas dela com Joe!! E a cena com Dubenko também me agradou. Não que eu queira que os dois fiquem juntos.

    Pra ser sincera, não gosto muito do Grady. Atualmente, sinto que falta em ER algum estagiário com Carter era nas primeiras temporadas… o PS está precisando.

    Também percebi que o movimento do PS melhorou, estava mais agitado!

    Enfim, gostei muito desse episódio… mostrou que a frase “You set the tone, Morris” é verdadeira.

  15. Juliana

    Esse é o meu primeiro comentário aqui no TeleSéries, então se ficar confuso não reparem, por favor.
    Bem, eu acompanho ER desde os primórdios e fiquei muito triste com os rumos que a série tomou certas vezes. Mas ao mesmo tempo fico feliz de ver uma nova temporada como essa. Claro que ainda não chega perto da minha amada 2ª temporada, mas depois de um season finale a cada episódio vemos uma melhora.
    Eu particularmente gosto desse episódio por destacar o Morris. Assim como o Thiago, no início eu odiava ele e realmente agora ele é um dos melhores nesse 14º ano.
    Me lembro de quando vi a promo desse epi e fiquei preocupada com ele e tal…
    Concordo sobre as cenas de Pratt e Betina. Ela é uma personagem que eu sinceramente não gosto, e acho extremamente descartável.Acho que o personagemdo Pratt cresceria muito se não estivesse com ela e tivesse cenas mais centradas na medicina (eu falo no caso desse episódio).
    Gosto das cenas da Neela com o Joe e no fim com o Lucien. E outra coisa que eu tenho que concordar com o Thiago, os melhores atores de Gravity serão os gêmeos, tenham certeza disso!
    Esse episódio me faz ter saudades do Jerry… E o Grady, eu não sei… Ainda não me cativou.
    E que venham os próximos episódios, pois pelo que eu andei vendo estão bons!

  16. Luciana

    Tiago,eu sei que houve episódios bons após Parentwood,mas não era mais algo frequente,entendeu?No geral era Gates,Gates e mais Gates ,incrível como uma pessoa pode fazer tanto estrago.

    Na verdade,eu não gostei de Ames v.Kovac por causa das cenas de tribunal,é que já há 4 Law&Orders,Close to Home,Justice,In Justice,pra que tribumal em outras séries?Enfim,não gostei de Ames v.Kovac assim como não gostei das cenas de tribunal em I”ll Be Home for Christmas e Drive

    E eu já li as review de Jigsaw,não se preocupe,é melhor alguém que não deixa passar os pontos fracos como vc do que aquele pessoal do Globo.com/seriesetc…

    Esqueci de falar sobre o Grady,até que gostei um pouco dele,mas todo med student tem de gostar da Abby?Já não basta o Jake?

  17. Eduardo

    Apesar da Janine Barrois nem sempre ter acertado a bola nos roteiros de ER, acho que Officer Down foi disparado o melhor roteiro que ela já produziu pra série. Não me pareceu que tava faltando nada nesse episódio. Ela finalmente escreveu um roteiro do mesmo nível de seu trabalho em Third Watch.

    A atuação de Scott Grimes graças ao roteiro de Barrois e a direção tensa de Christopher Chulack garantiram um dos melhores resultados desse ano até agora.

    Finalmente o Morris ganhou minha admiração. Jigsaw foi o primeiro passo, e agora Officer Down. Acho que ele tem muito mais potencial de protagonista do que Maura Tierney, que já deu o que tinha que dar.

    Não me empolguei muito com o episódio Gravity da próxima semana. Melodramático demais pros padrões de ER. Pra mim, o melhor desse ano por vir vai ser o episódio The Test, daqui a menos de 3 semanas.

    Minha preocupação é como essa greve vai cortar a temporada. Pelo menos a série vai atingir 300 episódios ainda nesse mês.

  18. Eduardo

    Não sei quanto a falta de empolgação, pois eu me empolguei muito com esse episódio.

    Acho que Officer Down trouxe de volta o que tava faltando em ER, um enredo sério centrado num personagem com enorme potencial, sem cair nos clichês e sem apelação desnecessária.

    Essa apelação era padrão na 13ª temporada. ER deixou de tentar copiar Grey’s. Isso pra mim já é uma vitória.

  19. Giselle Bauer

    Ok Thiago você está um pouquinho certo mas além de você não sentar o pau no Gates concordei em relação ao que você comentou sobre o Morris,Grady e o Pratt.Eu gosto dos seus comentários só não concordo quando você diz que o Luka não faz falta.
    Quanto ao Gates eu já me acostumei se você viu o THS do Stamos e continua odiando ele então não tem jeito mesmo hehehehe.

  20. Maurício

    Bom, eu sou um dos que não tem nada contra o Gates. Gosto do personagem. Tb achei muito legal a Neela, ela cuidando do Joe foi ótimo! Agora, concordo que Morris hoje é outro personagem, comparado com o imprestável que era quando entrou no ER. E, alguém aí comentou o óbvio: um novato entra, e mostra interesse na Abby. Caramba, o pessoal é cego ou o quê? Tudo bem, Tierney é bonitinha, mas a Sam e a Neela são muito bonitas (além de serem mais jovens – maldade hehe)! Aliás, tb acho que desde o episódio com a fotógrafa, Sam tem sido deixada pra escanteio.

  21. Rafaelly

    Thiago:

    Não quis dizer que o Grady seria o novo Carter.Falei no sentido de ele ter potencial de crescimento como médico e ser um cara aparentemente competente e meio atrapalhado nesse episódio.Isso me fez lembrar do Carter.
    Porém isso de ele se apaixonar pela Abby foi demais mesmo. Acho que mãe passou talquinho na Abby quando ela nasceu…hehehe

  22. Mica

    Eu já disse, mas volto a dizer pq gosto de ser repetitiva ^_^. Eu acho o Grady legal. E para mim ele é o típico personagem que pode crescer e ser alguém se for bem trabalhado. E a sua paixonite pela Abby foi cortada pela raiz, muito bem. Acho até legal o cara ter uma queda por ela (todo novato sempre tem queda por alguém que está há mais tempo), mas foi melhor ainda ele ter levado o fora logo de início, abre espaço para focarem o personagem dele em outras hipóteses.
    E…a série precisa de um estagiário. Os últimos já estão láááá avançados.

    Finalmente alguém comentou que o Pratt tá gordo. Pensei que era nóia da minha cabeça.

  23. Eu não acredito que perdi este eps de ER. Alguém sabe onde consigo baixar?

    :(

  24. Thiago Sampaio

    Juliana (15) Posta sempre =)

    Luciana (16) Tbm não sou muito fã dessa de Abby fazer todo homem de Chicago se apaixonar por ela.

    Eduardo (17,18) Vai além de minha compreensão o desempenho de Barrois em ER. Ela ia tão bem em Thid Watch. O currículo dela com Wells a colocou como Exec Prod de vários epis de ER (junto com Joe Sachs, Scott Gemmill..), logo em seu primeiro ano (o 12ª), escreveu o epi 250 e simplesmente não dá certo.

    Quando ao Morris, pensa só numa chamada da NBC, anunciando que o próximo episódio será centrado em Morris fora do hospital, com sua família problemática durante o enterro do pai. Eu adoraria! Mas as massas não =/ A massa quer Luby… Ia ser um fracasso de audiência

    Fê (23) Comunidade ER no Orkut, o local com o maior número de informações da série, por byte²

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account