Log In

Reviews

Review: ER – From Here to Paternity

Pin it

Cena de From Here to PaternitySérie: ER
Episódio: From Here to Paternity
Temporada: 13ª
Número do Episódio: 284
Data de Exibição nos EUA: 22/2/2007
Data de Exibição no Brasil: 12/4/2007
Emissora no Brasil: Warner

Está cada vez mais difícil fazer a análise dos episódios de ER: adorar esse show dificulta a produção de uma crítica negativa; fãs mais cegos que o convencional não compreendem que a fase é péssima e me criticam bastante; e tento agradar à gregos e troianos fazendo textos mais positivos do que devia. Reunir essas três idéias me fez repensar e de agora em diante serei frio sempre que puder.

Vai ver tomei essa decisão após me ver elogiando além do necessário Crisis of Coscience, um episódio que passou anteriormente ao da saída e Lucy. Ou então porque finalmente resolvi ignorar os que me criticavam cegamente: cansei de dizer que não falo só mal, e que quando o seriado merece eu elogio. Vou chutar o balde. Pena pra From Here to Paternity que infelizmente topou com meu lado negro.

ER já foi quase perfeito. A audiência era estratosférica, os personagens eram cativantes e os roteiros geralmente impecáveis. Isso é passado. O passado serve apenas pra recordações, e no máximo, comparações. O capricho do passado é que ele permanece intocável, imutável: está lá como parte da história e o presente não pode alterá-lo. Mas a atual temporada está conseguindo exatamente o que não podia: alterar o passado. A fase está tão ruim, mas tão ruim, que tem gente duvidando que ER um dia já foi grande.

Nos últimos episódios os personagens do County fizeram referências à dois hit shows: Heroes e Grey’s Anatomy. Dubenko falou “save the cheerleader, save the world”. Isso pode. Katey apelidou um médico de “McCreammy”. Isso não pode. Nada contra Grey’s (insisto), mas isso foi a coisa mais idiota possível: ela tendencia a imaginar que GA destronou ER (o que não vai acontecer) e pra piorar, essa cena envolvia a sugestão de uma masturbação.

ER está ficando barato e raso. Ou suas histórias e personagens são bastante infantis – vide Hope/Esperança – ou tudo parte pro exagero e baixo escalão – o palavrão está rolando solto. O drama médico da NBC foi um dos primeiros a dizer a palavra “shit” (merda) no horário nobre americano. Aconteceu no episódio On the Beach após Mark falhar em levantar-se sozinho da cama… Acredito que mesmo com o conservadorismo do FCC (Comissão Federal de Comunicações, que regulamenta a programação americana como uma freira nazista) Mark Greene poderia até falar “fuck”, que ninguém questionaria. Hoje ninguém questiona os “assholes” de ER

Pros padrões americanos, ‘asshole’ é um baita palavrão que só saia da boca dos personagens de TV à cabo, como HBO. Hoje, ER solta um todo episódio, e de graça. Impressionante como ninguém deu importância pra isso até agora. Acredito que seja pela atual audiência e importância do programa: ambas irrisórias.

Apelar de maneira rasa no roteiro é sinal de problema. O seriado tinha como ponto positivo a construção de seus longos arcos – uma história que é conduzida por vários episódios ou temporadas. Eles podiam ser simpáticos, como o triângulo Carter-Abby-Luka, ou depressivos, como o tumor de Mark. O negócio é que todas as suas histórias tinham começo, meio e fim. Hoje se a coisa chegar no meio é quase “milagre”.

O enfermeiro Ben babaca já foi limado (nem me dei conta de que Sam tinha falado de sua saida no episódio passado), provavelmente porque a produção viu o quão ruim aquele ator era. Alex também já foi pro saco. Depois que substituíram Oliver Davis por causa de um seriado que TODOS sabiam que seria cancelado (Rodney), a produção viu o quão ruim aquele ator era x2 (ele quase estragou a atuação de Linda no fim do episódio). Sam foi estuprada e seu filho a viu matando o pai, mas nada disso trouxe maiores consequências… fora o exagerado incêndio na casa nova, que não era mais do ricaço Elliot.

Cena de From Here to PaternityGates engatou de maneira instantânea um romance com Neela (logo em seu primeiro episódio) e de lá pra cá, descobriu que é pai e sua companheira se matou. Só que o personagem não evolui: continua num romance que soa muito falso e os sentimentos para com Sara não crescem. Não obstante, ainda criam um pai bêbado pra ele. Pra que? Neela ficou insignificante na OR e pra tentar alavancar sua importância a colocam beijando Ray de uma hora pra outra. Que diabos? Querem que eu acredite nessa situação? Vai ver isso só tá acontecendo porque Shane West (Ray) periga sair do seriado…

Quem periga sair do seriado é Goran, o protagonista. Não sei se ele fica ou não, mas se continuar, precisam com urgência dar pra ele histórias de PS. O arco de Curtis Ames foi a melhor coisa da temporada mas parece que nem existiu. Sua mão sarou de maneira fantasiosa e, fora Abby, ninguém sabe o que aconteceu. É uma pena. Ir pra África mudou o personagem. Matar alguns pacientes o fez repensar. O sequestro não teve impacto nenhum.

E eu só quero ver de quantas maneiras diferentes ER vai começar com um diálogo “fofo” entre Abby e Luka. Ou então algo que se tornou bem mais irritante: os pacientes da sala de trauma que, durante uma conversa importante, desmaiam.

Num momento em que arcos são criados à esmo, um personagem consegue se superar nessa fase: Greg Pratt. Garanto que mais da metade de quem o odiava resolveu mudar de time, e suas histórias ainda têm influência no personagem. Só pra citar, temos a viagem pra África, a morte de Gallant, a promoção como atendente e a prisão de seu amigo – que ele visitou esta semana. Estou impressionado com Pratt. Ele de maneira nenhuma me convence como médico (fica difícil vê-lo como atendente, sabendo que Carter, Mark e Weaver também já foram) mas o personagem vai melhor que a encomenda.

Mas eu tenho sentimentos conflituosos com Morris e principalmente Hope. Eu odeio adorá-los (o que é bem diferente de amar odiar). Os personagens não têm sentido, Morris não convence como médico e Hope não convence como gente, mas estão lá pra fazer rir e fazem sua parte. Melhor do que Crenshaw, que também está lá pra fazer rir, mas não consegue. Tomara que a produção veja o quão ruim esse ator é x3.

Mas e o episódio em sí? From Here to Paternity bem que tentou, mas algo está dando muito errado. O trauma da família da Pequena Miss Sunshine foi um tanto chato, e a história dos negros – segundo Morris – teve seus bons momentos, mas demorou muito pra engatar. O roteiro tentou priorizar os traumas, mas algo deu errado: não ficou bom…

Espero que o da semana que vem a coisa melhore. Mas eu ainda não o vi, porque… ER ficou um mês sem ser exibido nos EUA e só voltou nessa quinta feira. E no Brasil, a Warner exibe já na semana seguinte(!). Esse canal pode fazer a besteira de ocultar as melhores temporadas de ER às 10h da manhã, retirar a reprise das sextas às 23h… mas vai passar um episódio inédito com apenas uma semana de atraso. Bem, parabéns ao canal.

Então completamente às cegas dessa vez… bom episódio semana que vem.

Eu tinha a informação de que o inédito Photographs and Memories seria exibido quinta feira dia 19, mas a Warner vai exibir a reprise de Murmurs of the Heart. O próximo inédito será apenas 3 de maio. Desculpem-me pela informação equivocada. A boa notícia é que deste episódio em diante teremos apenas inéditos, culminando com o season finale no dia 7 de Junho.

Nota corrigida em 19/4/2007

Séries citadas:

17 Comments

  1. Gabiroba

    É Thiago não tenho o que acrescentar a sua crítica e concordo plenamente, não dá para se enganar…este “novo ER”, não é mais o seriado que me apaixonei no começo da minha adolescência e que me acompanha a longos 12 anos e não dá para se enganar, é como aquele namoro que depois de muitos anos esfria e para mim este namoro acabou, hj em dia assisto ocasionalmente e nunca reconheço o seriado que foi tão importante na minha vida, agora acontecem bons momentos ocasionalmente e mesmo quando os roteiristas tentam emplacar algo grande, sempre parece que falta algo… é uma pena mesmo!

  2. Mica

    Thiago, eu assino embaixo. Na verdade, eu estava esperando ansiosa pelo seu review para dizer exatamente o que vc disse.
    Eu não assisto as reprises dos episódios antigos, pq nunca dá (um dia eu ainda hei de pegar o negócio desde o início novamente, mas não agora), mas curiosamente esses dias eu vi duas cenas. O final de um episódio, onde o Luka e a … a..vixe, esqueci o nome da enfermeira, mas é quando uma mulher aparece e congratula os dois pelos belos filhos gêmeos e eles fazem aquela cara de playmobil. E a outra cena que eu vi, foi no dia seguinte, início do episódio, com o Carter e a vó dele na cozinha e ele segurando a faca falando que não tem dormido direito.
    Achei interessantíssimo, pq só em duas cenas eu senti toda a emoção do seriado, que eu não tenho conseguido sentir com um episódio inteirinho ultimamente.
    E pq eles tiraram a abertura de ER? Eu amava a abertura. Tenho notado a tendência dos programas de retirarem suas aberturas e passarem os créditos durante as cenas. Não gosto. Fora alguns casos (LOST e Supernatural, por exemplo), esse métido tira muito do brilho que era ver cada personagem e o nome dos atores e já sentir a emoção na musiquinha. Agora tenho que me dividir entre ver as cenas, ler as legendas e tentar ver os nomes por baixo das letras amarelas!!

    Achei este episódio bastante morno. Não posso dizer horrível, mas morno o suficiente para passar batido. Como eu não assisti os últimos três episódios (infelizmente perdi), fiquei super assustada com o beijo da Neela e do Ray. Para mim, ele não cabia naquele contexto (apesar de eu preferir mil vezes a Neela com o Ray do que com o Gates), mas fiquei pensando que era pq eu tinha perdido os últimos três episódios. Entretanto, pelo comentário do Thiago, vi que o problema não foi meu, mas de contextualização mesmo.

    Não aprendi a amar o Pratts, mas acho que estou aprendendo a não odiá-lo. De fato o personagem cresceu de forma incomparável no show. Ele quase deixou de ser ele.

    E quando todo mundo chamou o Morris de Archie eu até levei um susto. Demorei um tempo para me tocar que era com ele que todo mundo estava falando, hehehehe. Estava tão acostumada a ouvir Morris, que o Archie me pegou desprevenida (lembrando, 3 episódios perdidos).

    Sinto falta de ER. Chego a ter medo de assistir as reprises pois depois a decepção seria ainda maior.

  3. Ana

    Ótimo review!!!
    Você não é o único que se sente assim.
    Eles não estão aproveitando o que realmente importou no episodio anterior…
    Sei lá, eu imaginava que o sequestro da Sam e a morte do ex-marido ia trazer alguma consequencia, mas foi um nada como sempre ¬¬.
    Bom, vamos ver se na semena que vem eu assisto ¬¬

  4. Luciano Bruce

    Eu tmb ando assistindo E.R. esporadicamente…. desses episódios q vi, o único q realmente valeu a pena foi Jigsaw…é péssimo quando vc acompanha um seriado desde sua fase aúrea…. e sua derrocada…
    Pior vc só ando vendo cagadas, tirar o Romano, a Weaver…. só pra citar algums coisas…

    Enfim, acredito q um final digno pra o seriado virou uma utopia !

  5. Victor Hugo

    Pow cara muito bom a sua review, também ja estou ficando incomodado com essas estorias fracas…espero que ER de uma guinada agora no fim de temporada….é uma pena que um seriado começou tão bem. nessa temporada tenha se perdido….

  6. Gisele

    E.R tá parecendo Dallas, enquanto dá audiência está no ar. Mas a fórmula já desgastou há tempos, eles não têm mais o que inventar!

  7. Patrícia

    Nunca deixei um comentário aqui, mas sempre leio as suas reviews Thiago, e essa eu achei que foi ótima, expressou exatamente o que estou sentindo vendo ER nessas últimas temporadas… pra mim (e para muitos fãs, eu acho) ER foi bom até a saída do Mark, depois disso continuei a assistir meio que por obrigação… essa temporada então, tá horrível… como alguém disse aí em cima, é triste ver uma série que você tanto gosta decair desse jeito…

  8. Cíntia

    Concordo plenamente com vc, Thiago, apesar de adorar ER. Infelizmente ER não é mais o mesmo principalmente desde a saída de Mark, Carter, Weaver e tantos outros. Se realmente Abby e Luka sairem da série (por ER estar muito centrada nos dois personagens),quais serão os personagens principais? Acho q nao tem personagem com tanto carisma assim para segurar a série depois dos dois sairem. Pratt? Neella? Gates? Não sei não…tá complicado. Acho q não tem nenhum personagem realmente forte pra isso.

  9. Géssica

    Pra variar Thiago eu sempre concordo com as suas reviews…assino embaixo. E quem diria que a cada cena do Pratt eu iria agradecer por ele existir?? Imagina ER tendo q. apostar suas fichas nele? Mas realmente as melhores histórias estão saindo desse personagem. Não aguento mais uma cena com a Neela e Gates…fico p. com o que fizeram com o Ray nessa temporada, a Hope me irrita ainda mais com aquela legenda ” Esperança…”
    Qdo vc escrevia que a série precisava de um basta no inicio me incomodou mais agora uma temporada reduzida seria realmnete o melhor para um final mais digno.

  10. Gi

    Parabéns pelo review. Vc conseguiu descrever bem a indignação do que é ver um seriado que era excelente perder totalmente a mão, ir além do ponto. Pq não acabam de vez? É mto trsite falar isso, pq sempre amei ER, acompanhando religiosamente todas as semanas. Nos últimos tempos me vi deixando ER de lado, mudando de canal enqto passa, fazendo mil outras coisas e isso acontece pq a história não prende mais, as atuações não convencem. É mto decepcionante.

  11. Thiago Sampaio

    Hoje passou o último de Carol, amanhã tem um importante final de temporada pra Carter… bom saber que não tô duvidando dessa temporada só pelas reprises da Warner

    Muito obrigado à todos os comentários, e… Gisele, por ter falado em Dallas, espere por seu nome na próxima review =)

  12. Paloma Mariz

    Sua crítica ficou genial. Exatamente o que eu penso de E.R.! hehehehe

  13. Carina Martins

    O problema é que nos EUA a lógica é muito simples: enquanto o lucro for superior aos gastos eles continuam… Não quero nem pensar que ER possa vir a ser cancelado, seria muito humilhante!

    Não vou comentar o episódio porque eu concordo praticamente com tudo o que vc disse e não tenho o menor prazer em ficar apontando defeitos numa série que eu adoro. Mas comprei há poucos dias o box da 7ª temporada (que nem é uma das que me agradam mais como conjunto) e a diferença é gritante! Sério, eu nunca pensei que um dia fosse achar isso, mas fechem as portas do County, por favor!

    E uma cooisa super interessante que vc lembrou: palavrões. Eu também tenho notado que o pessoal de ER tá mais ‘solto’. As piadinhas sobre sexo sempre existiram em ER mas estão ficando cada vez mais chulas. Esse exemplo do McCreamy q vc deu é flagrante, mas lembra aquela cena da sweatshirt com esperma que a Chen emprestou pra Susan? Confesso que ri quando a mancha apareceu sob a luz, mas foi meio nojento e eu acho que ER é bem mais engraçado quando é menos óbvio…

    É o desespero.

  14. Gustavo

    Bom, é a primeira vez que escrevo, mas gostaria de expressar minhas idéias: em primeiro lugar, acho que a 13 temporada tem um erro grave, chama-se Gates
    Em segundo lugar, concordo com a review, não há mais começo, meio e fim nas histórias. Estava assistindo a sexta temporada e cheguei a conclusão que foi o melhor momento da série,acho até que meu desgosto com a atual deve-se a comparação com as reprises. Acho que a série está muito apelativa e não é mais inteligente como antes. Meu receio é a tendência de piorar as coisas, o que acham a respeito?

  15. Thiago Sampaio

    ___________IMPORTANTE___________
    Eu tinha a informação de que o inédito Photographs and Memories seria exibido quinta feira dia 19, mas a Warner exibiu a reprise de Murmurs of the Heart.

    O próximo inédito será apenas 3 de maio. Desculpem-me pela informação equivocada.

    A boa notícia é que deste episódio em diante teremos apenas inéditos, culminando com o season finale no dia 7 de Junho.
    ___________IMPORTANTE___________

    E Gustavo, a tendência infelizmente não é outra. Chegou num ponto em que mesmo que roteiros fantásticos sejam criados, o seriado já perdeu a credibilidade

  16. luci

    Adoro Er. Mas infelizmente, tenho que concordar que esta temporada está sendo uma desilusão total.
    Quem assiste as reprises das temporadas anteriors, principalmente as iniciais, tem uma decepção grande com esta última. Acho mesmo que, infelizmente, deve ser pensado o fim da série. Era ótima, ficou boa e está ruim. É uma pena.Com a saída de Luka e Abby, o que restará?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account