Log In

Reviews

Review: ER – Dying is Easy

Pin it

Cena de Dying is EasySérie: ER
Episódio: Dying is Easy
Temporada: 13ª
Número do Episódio: 282
Data de Exibição nos EUA: 8/2/2007
Data de Exibição no Brasil: 22/3/2007
Emissora no Brasil: Warner

Sempre que ER exibe um episódio acima da média, os fãs menos exigentes soltam o discurso de que “o show está melhor do que nunca” ou “ele pode durar mais dez temporadas”, e criticam os que criticam negativamente o seriado – no caso, esse que vos escreve. Isso acontece porque a euforia causada por episódios como o da semana passada camufla o que predomina nas atuais temporadas: episódios abaixo da média. Dying is Easy foi mais um grande revés do seriado, mas acredito que muito(a)s não pensarão assim, pois a cena final camuflaria qualquer critica negativa ao 282ª episódio de ER

Coloquemos de novo os pés no chão. Ninguém foi preso, baleado, incendiado ou torturado. A rotina voltou e o roteiro tenta priorizar a premissa do seriado: um pronto-socorro em Chicago. Mas não deu certo; ele foi infinitamente inferior a Murmurs of the Heart. Isso significa que ER agora deve ser baseado apenas na rotina pessoal de seus personagens e deixar o hospital pro segundo plano? Se sua resposta for “sim”, está redondamente enganado. Parodiando o título do episódio, pro seriado, morrer seria mais fácil.

A Weaver de Laura Innes foi embora e seu último plantão foi há várias semanas. Mas só agora sentimos sua falta, pois finalmente tivemos um episódio com cenas no PS… onde ela não trabalha mais. O Luka de Goran Vinsjic parece estar com os dias contados – eu vi essa mesma novela de bastidores com Edwards (Mark) e Noah (Carter) – e mesmo que isso seja incerto, a possibilidade já é terrível: Dr. Kovac não deu plantão nesse episódio e o PS pareceu pateticamente vazio. A ampliação feita temporadas atrás não ajuda, mas nada complica mais do que a redução de elenco.

ER é um série de John Wells e eu respeito muito dois de seus outros trabalhos: a pouco valorizada Third Watch e a multi-premiada The West Wing. Os paramédicos e policiais de New York tiveram seis temporadas, enquanto que os bastidores da Casa Branca teve sete. A relação que quero fazer com essas duas é sobre a 14ª (e talvez última) temporada de ER. Os dois outros shows tiveram ótimos começos, e com o passar dos anos, personagens foram saindo (principalmente em TW) até o momento em que nas suas últimas temporadas personagens recentes viraram protagonistas, enquanto que os mais antigos e adorados pouco apareciam (principalmente em TWW).

Como ER também é de John Wells, pode acontecer o mesmo no PS do County. Os outros dois seriados não tiveram um final infeliz – foram bem, obrigado – enquanto que não vejo isso em ER. A qualidade está caindo caoticamente, os personagens antigos estão indo embora e os medalhões que sobraram são insuficientes pra segurar o rojão.

Não estou exagerando na importância de Luka Kovac. Eu não o colocaria entre o Top 10 de melhores personagens do seriado, mas é o que mais de importante restou, ao lado de Abby. Sem ele, além do vazio que notamos sem um atendente importante, a personagem de Maura Tierney ficaria fadada ao declínio, exatamente como Carol sem Doug.

Vai ver não gostei de Dying is Easy por ele levar a assinatura da rasa Janine Barrois. O fato d’eu não conhecer Freddy Rodriguez, de A Sete Palmos, pode ter colaborado com minha sensação de que seu personagem com leucemia tenha sido a coisa mais sem sentido possível. A cena Disney + Sessão da Tarde onde o pessoal da igreja entra na audiência pra ajudar Pratt não ajudou nenhum pouco, assim como Ray de uma hora pra outra se unir à Neela, que teve chatíssimas cena na OR e segue na mesma.

Cena de Dying is EasyMeu desgosto com o episódio termina na “fofa” cena Lubby, onde Abby chorou, se declarou pra Luka e ele se ajoelhou pra fazer o pedido – a quem reclame da cena parar no meio, mas às vezes o melhor é o que não vemos. Mas voltando a cena: eu nunca mais vou usar a palavra “Lubby” nos meus textos. Nada contra! Sério. Só… chega. Fiquem felizes por eles, mas não espere tanto o mesmo de mim. O episódio foi uma bomba, daqueles que só pode ser visto sem controle remoto do lado para você não mudar de canal o tempo todo.

Infelizmente, esse será o último “inédito” que teremos por uns tempos. Não sei precisar a grade da Warner, mas teremos algumas reprises nessas semanas: Dying is Easy, 15ª episódio dessa temporada, foi exibido dia 8 de fevereiro no EUA, e o último inédito por lá foi o 17ª, exibido dia 22 de fevereiro, há exato um mês. O 18ª só chegará 12 de abril, e como nos EUA ER terá uma parada de um mês e meio(!), sabe-se lá quando teremos um novo por aqui. Sem reclamações, okay? Acho que a Warner faz o que lhe é possível… e não dá pra passar episódio aqui se nem lá teve ainda.

Damos uma pausa nas reviews e nos encontramos novamente em Crisis of Conscience. Também não muito brilhante. Fiquem de olho é nas reprises diárias da primeira semana de abril: teremos o primeiro de Abby, Lucy e Carter esfaqueados, e depois o maior dos clássicos, All in the Family. Já que teremos um longo tempo sem inéditos no 13ª ano, vai que eu escreva umas linhas sobre esses episódios. Aí sim vou ficar contente.

Séries citadas:

19 Comments

  1. Paulo Antunes

    Boa review Thiago.

    Particularmente discordo sobre a crítica ao Freddy Rodriguez. O papel foi meio esquisito mesmo, mas ele é um grande ator – inclusive fiquei pensando como seria ele atuando em sitcom, ele fez umas pontas em Scrubs e mandou muito bem.

    O que foi frustrante foi perceber que eles não souberam usar em nada os ganchos da semana passada. Além de não conseguir pegar um balão de oxigênio, o que está se passando na mão e na cabeça do Luka? Nada é preto no branco, mas não pareceu que a frase do comediante teve mais efeito na Abby do que o Luka ter quase morrido? Até mesmo a trama de Gates foi fraquinha.

    E o Pratt não tinha direito a advogado e a uma estratégia de defesa?

    Sobre a cena Lubby. Pior que não dá pra dizer que não foi bonitinha, porque a Maura Tierney sabe engasgar e embargar a voz como ninguém e quando a gente vê, os nosso canais lacrimais começam a funcionar sozinho… Mas a minha opinião é a seguinte: se for pra fazer uma cena de casamento sem a Sally Field e o Tom Everett Scott, não o façam.

  2. Tati

    Oi Thaigo, ótimo review!!!! Como sempre. Sobre esse episódio, realmente muito chato, poxa com tantos ganchos do outro episódio, eles se prende a um comediante, me poupe………..Gente cada dia que passa eu acho aquele Gates cada vez mais chato……..pelo amor de deus, ele se acha o próprio Deus……graças a deus ele não aparceu tanto nesse epi. É incrivel como é bem mais gostos ver o Ray e a Nella(acho que é assim o nome dela, sei lá……rsrsrs)mesmo qdo só ela que fala…..quem sabe ela acorda para a vida né, agora que o “chato” tem uma filha e contou o belo passado, sobre o Pratt, fiquei morrendo de dó dele, poxa quis ajudar e só se ferrou, ainda bem que ele saiu dessa…….ele se tornou uma grata supresa junto com o Morris(que eu detestava – confesso). Amei a cena final do Luka e a Abby, pelo menos um final melhor para um epi, fraquinho…….Ainda bem que tem as reprises, com ótimos epi.

  3. Cristiano (Highlander_Master)

    Olha… Vamos por parte. Eu acho que essa temporada tá boa, mas mesmo assim acho que a série já deveria ter acabado. Pq eu sou a favor das série acabarem por cima, no estilo de seinfeld, que ainda dava audiências altas, e ainda era muito engraçada. Pra que a série seja lembrada pra sempre como uma grande série, e eu gosto de grandes finais.

    Sobre o episodio de ontem, eu não gostei. Não fui com a cara, achei bem fraco mesmo.

    Bom, a série ta renovada pra próxima temporada, e espero que a próxima, seja a última.

  4. Simone Miletic

    Acho que dei sorte: quando consegui sentar na frente da tv só consegui ver o finalzinho da cena do Pratt na comissão e a cena fofíssima de Luka e Abby.

    Foi lindo ver esse fechamento de camêra nos dois. vamos falar sério: protagonista de ER sempre se ferra! Vou dar o mesmo conselho que dei no review de Grey’s: deixem agora o casal principal quieto num canto e feliz e aproveitem para trabalhar as tramas paralelas.

    Eu perdi 3 ER em seguida e isso nunca seria imaginável até a penúltima temporada, quando, eu acho, tudo começou a decair.

    Espero que ER termine nesse ano, com honras, ao invés de agonizar a olhos vistos sem Luka e Abby na próxima temporada.

    Adoraria ver seus textos sobre os antigos. Para os fãs será um presente e tanto!

    Vocês sabem quando esses 3 reprisam? Se der me avisem. Gostaria de assisti-los.

    Beijos

    http://www.soseriados.zip.net

  5. Bernardo

    A cena do casamento renderia um bom cross entre E.R. e GA, já que o pai da Abby é o mesmo cara que faz o pai do Denny … (loucura pouca é bobagem :P )

  6. Thiago Sampaio

    Bernado, nem de brincadeira! huahuahauaha

    Paulo, nada contra o ator; foi com o personagem mesmo. Enfatizei é q se eu acompanhasse ‘À Sete Palmos’ talvez simpatizasse mais. E é vero, faltou isso no texto mas escrevi demais nos outros: ER tá com uma mania série de não continuar seus arcos.

    Simone, não perdeu muita coisa não =p
    Sobre as reprises, se a Warner não pular o episódio de natal qui29, fica assim:
    seg02-Abby no elenco
    ter03-Facadas em Lucy e Carter
    qua04-‘All in the Family’
    Se pular, basta somar um dia às datas

  7. Mônica

    Thiago, ótima review!
    A série realmente deveria aproveitar melhor os ganchos de episódios anteriores, embora eu tenha gostado desse. Não foi dos melhores, é verdade, mas já teve piores. Muitos.
    Mas a cena lubby foi mesmo fofa, fala sério.
    Uma pequena correção. The West Wing (série que deixou saudades) teve sete temporadas e não oito, ok?

  8. Ana

    Sem comentários sobre o epi.

    O que foi aquele cara com leucemia???? Pelo amor de Deus, o Freddy Rodriguez ainda se arrepende de ter feito um personagem chato, num roteiro chato, com Gates mais chato do que normal… E Neela? Bom, a Neela é um saco desde o começo.

    Mas a cena final ‘Lubby’ foi uma graça!
    A Maura Tierney é uma fofa!!!!

    Enfim, ótimo review!

  9. paulo_fiaes

    somente eu acha q Abby tinha mais haver com Carter. pow, se eh pra terminar, traz o carter por alguns eps, ele e Abby se declaram e terminam felizes para sempre
    rsrsrs
    E.R ja passou da hora de ser cancelado
    abs

  10. Eduardo Sales Filho

    Leio sempre seus reviews e realmente curto teus comentários, mas velho tu precisa parar de viver no passado.
    Também sou destes fãs antigos de ER que realmente assistiu todos os episódios da série até agora. É inegável que não é mais a mesma coisa, mas não podemos usar o passado como referência sempre.
    O fato é que nossa memória costuma ser muito afetuosa com coisas que gostamos, e a gente tende a não ver defeitos em coisas que adoramos há dez anos atrás.
    É evidente que o elenco atual não tem mais o mesmo brilho de antes, e é fato que as idéias originais se acabaram, mas ER continua sendo um bom seriado médico.
    Não caiu no esquema engraçadinho de Greys ou no estilo sacana de House, simplesmente manteve a sua cara durante 14 temporadas, e não é nada fácil conseguir isso.
    Numa época em que as séries se dividem entre policiais e dramédias, ter um seriado que é basicamente drama, é difícil, mas ER ainda segura a onda.
    Achei que a série morreria junto com Mark ou que desapareceria com a partida de Carter, mas ela continuou seguindo.
    Weaver fará falta, mas ER já não se baseava nela há muito tempo.
    No dia que Luka partir, Pratt assumirá o comando, depois dele pode vir Gates ou sei lá mais quem… o fato é que ER ainda tem fãs e ainda tem vida útil sim.
    Não veremos mais Carter, Benton, Mark e nem Doug, mas outros médicos continuarão a levar o ER pra frente.
    Abraços e continue com o bom trabalho!

  11. Danilo

    Vc podia passar os dias certos da reprise quando sera um episodio que vale muita a pena ver, como o do Carter e Lucy cendo esfaqueados, ou mesmo a primeira vez q a Abby aparece. Não da pra ver todo dia as 11:00 se ainda tivesse o horari das 6:30 seria perfeito. Sem saber o dia certo acabei perdendo a primeira vez que o Luka apareceu.

  12. Thiago Sampaio

    Monica, realmente falha minha. Fui checar no tv.com: eles colocam episódios especiais no espaço reservado pra “8ªtemporada”…

    Valeu as passagens Eduardo, mas.. poxa. Esse foi um dos reviews em q menos falo do passado =p Pelo contrário, falo é do futuro do seriado. E em minha opinião, ele já passou do prazo de validade (infelizmente)

    Danilo, meus textos não são exatamente pqnos, e se eu colocar as datas ficariam maiores ainda. Mas as vezes eu dou esses toques – a data de estréia de Luka foi mencionada no review do último de Weaver:
    “(…)também é relembrado o tanque de oxigênio que atravessou os corredores na primeira vez que Luka pôs os pés no PS (segunda feira, dia 19, no horário das reprises!)”

    Se tiver Orkut, pode facilitar mais. Checa a comunidade de ER. Lá sou moderador e coloco as datas bem organizado

  13. Juli

    thiago, concordo muitas vezes com muito do que voce diz, essa sua aversão ao relacionamento de abby e luka eu não entendo! Jah tava na hora de ter essse casamento mesmo…como vc queria q tivesse um pedido, bem frio? Uma série as vezes precisa de uma coisa melosa (tá q ER pode ta tendo ate demais), mas todos os episodios que foram focados neles foram os melhores! Tá, não é mais o ER dos traumas, do sangue, o er de verdade, mas não tem nada mais que se possa fazer! ficar batendo na mesma tecla sabe.
    Na 12 temporada mesmo, eu não vi, juro, essa overdooose de luka e abby que todo mundo dizia, não vi mesmo! e eu adoro os atores, acho que são os melhores, e se er não esta legal, não é por culpa deles! é porque os personagens secundarios que não são bons, isso sim! não sei porque toda essa aversão ao casal…
    e olhe que eu não sou nem tão fã de ver relacionmantos assim em series, mas releve…
    e desculpa qlqr coisa…

  14. pedro

    concordo com vc, ‘er’ já foi melhor, e não acho que a gente não deva usar os episódios antigos como parâmetro. pra ficar só numa série que vc citou aqui, ‘the west wing’ foi excelente, do primeiro ao último episódio, e não há pq não querer isso de outras séries.

    ‘all in the family’ é mesmo um dos meus momentos favoritos de ‘er’. vc podia aproveitar a pausa na série e fazer uma eleição dos melhores episódios da série.

  15. Carol

    Eu REALMENTE queria comentar cada cena do episódio, como eu gosto de fazer, mas só li sua review e não to com paciência pra falar do epi. sorry =/
    acho q não teve nada de AI MEU DEUS!preciso-comentar-senão-eu-morro!

    beijão,
    ótima review!
    =D

  16. Thiago Sampaio

    ERRATA: a Warner me surpreendeu, e no dia 5 de Abril já tem episódio inédito!

    Juli, nada contra os dois. Sério mesmo =) Eles são indiscutivelmente a melhor dupla de personagens que restou seriado. Eu apenas disse que não usaria mais o termo “Lubby”. “Luka e Abby” tá bom pra mim =p

    Vlw, Pedro. Alguém conseguiu entender esse paralelo

    Não se preocupa, Carol. A frequência constante já tá ótima pra mim ;)

  17. Vanessa

    Tb acho que seria interessante ter Carter de volta. Não precisaria ser necessariamente como par romântico, mas adoraria ver os dois atuando juntos de novo. Sempre achei que eles tinham uma boa química, mais na fase em que eles eram amigos, do que qdo eles ficaram juntos. E seria uma boa estratégia dos produtores para o público não sentir tanto a saída de Goran.

  18. Soraya

    Eu nunca fui mto fã do Luka não! Não porque ele nao era um exelente médico, mas porque o personagem dele perdeu o rumo(na minha opnião). Mas tbm nao queria mesmo q ele saisse! Concerteza vai ser uma perda terrivel. Mas essa poderia ser uma otima deixa pra tentar fazer uma 14ª temporada com o ritimo q teve a 1ª! Até porque estamos mto carentes com a saida dele, da Weaver(a melhor personagem pra mim) e do Ray. Incnluir novos medicos q nos lembrem um pouco o Mark, Ross ou até mesmo um “med estudant” a la Carter nao seria má coisa! Outros personagens totalmente dispensaveis são a Neela e o Gates… por mim casavam e se mudavam pra índia com a pirralinha chata! e Neela so fazia sentido com o Michael ou o Ray!
    Outro assunto seria o ruivinho(esquevi o nome dele ahuhauhau)! Cade ele? ele eh um personagem totalmente agradavel e faz a série andar!
    E a Abby? qual será o enredo dela, agora sem o Luka?
    outro par romantico? espero q não!
    apesar de tudo… E.R. vai tá sempre no meu coração!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account