Log In

Reviews

Review: ER – Crisis of Conscience

Pin it

Cena de Crisis of ConscienceSérie: ER
Episódio: Crisis of Conscience
Temporada: 13ª
Número do Episódio: 283
Data de Exibição nos EUA: 15/2/2007
Data de Exibição no Brasil: 5/4/2007
Emissora no Brasil: Warner

Eu não faço críticas negativas à esmo nos reviews. Quando o episódio é bom eu elogio, e a média dessa temporada é próxima à 50% em críticas positivas. Crisis of Conscience facilmente entraria no ranking dos bons episódios, não fosse o momento de sua exibição. Infelizmente, foi no mesmo dia que a Warner após muitos anos reprisou a morte de Lucy – justo quando retiraram o horário da tarde. “Parabéns!”. Com isso, vou logo avisando que qualquer coisa que eu falar sobre o episódio, vai ser prejudicada justamente pelas minhas memórias de All in the Family.

Algo que posso traçar, sem ser influenciado pela exibição de um dos melhores episódios da série é que Gates é um dos mais inúteis da série. Malucci e Cleo pareciam deslocados na inchada sexta temporada, mas eles não apareciam além de sua capacidade. Não agüento mais Gates. Não engulo o romance com Neela, que passou por uma baita tragédia com o suicídio de Meg, já passa a noite com a indiana como se Sara nunca existisse. Egoísta, desligado ou mal-escrito, o negócio é que o Gates não consegue passar na tela o”amor” que sente seja por Neela, seja por Sara.

Sean Young, que conseguiu algo em sua carreira no passado, é a paciente da semana. Justamente o caso que poderia fazer Gates reviver o suicídio de Meg e o danoso instinto maternal que Sara faz pra compensar a falta da mãe, mas nada disso deu certo. Fez a lição de casa e conseguiu fazer uma massagem cardíaca meio que convincente, ao contrário do resto de suas atitudes; ele completamente se esqueceu da paciente e resolveu trabalhar com o filho revoltado, inclusive ao abandonar a sala de traumas durante uma parada.

Personagem mal-escrito ou mal-interpretado? Stamos não precisa fazer seu personagem sempre “galã”. Quando Clooney inclinava a cabeça nos tempos de Ross, era pra ler o roteiro que ele escrevia pelo cenário; Gates não precisa ficar o tempo todo fazendo seu “olhar 43”. O ponto positivo desse caso foi seu desfecho; após discutir com Kovac sobre a causa da morte (e mostrar todo seu “talento” no elevador), Tony descobre que o suicídio fora arranjado pra tomar o dinheiro do seguro. Ouch.

O fim dessa história teve um bom desfecho: seus personagens não. Gates queria ver Neela a todo custo, mas não a encontra e vai pra casa e é recebido por Sara, que a todo custo tenta suprir a falta da mãe. E esse cara nem pra atuar como pai dela… E a Neela, que recebeu mais uma dura de Dubenko, este por ser a favor de venda de órgãos, também procurou consolo nos braços de Tony, mas se contentou com Ray. O que temos aqui é uma incrivelmente forçada criação de triângulo. Eu, que era pró Neela-Ray, não engoli essa. Soou forçado como os comentários de Dubenko sobre venda de órgãos. Ele só se salvou por soltar a frase que fez Heroes conhecida:

Save the Cheerleader, Save the World.

E tem Abby e Luka. É frustrante o que está acontecendo em ER. Nas últimas temporadas, a única coisa que vem sendo constante é o casal de protagonistas. Não digo que minha frustração é por não gostar de ambos. Pelo contrário – são dois dos melhores atuais. O problema é que ER não pode se limitar à dois personagens, que por melhor que sejam, vivem em seu mundinho, causado pela saída dos colegas. Pratt não supre a falta que Carter faz à Kovac, assim como Susan e Weaver renderiam boas conversas com Abby, que ainda tem Neela no hospital, mas essa vive na OR.

Com esse isolamento, todas as cenas de Abby e Luka… são só de Abby e Luka. Pra quem contariam sobre o casório? Eles nem mesmo falaram sobre o sequestro de Ames. Isso aliás é outra daquelas coisas abandonadas ao relento em ER. O sequestro já era? Nunca aconteceu? Luka sarar a mão instantaneamente é uma prova disso.

Cena de Crisis of ConscienceResolvem manter em segredo? Ok. Maura ainda trabalhou com o colega dos tempos de NewsRadio Andy Dick. Ótimo. Conseguiram algumas cenas simpáticas, mas… eu gosto do conflito. A relação entre os dois está com jeito de calmaria antes da tempestade. Ano passado eu disse que a gravidez seria complicada e teve tiroteio. Hoje, digo que o casamento será um problema e Goran diz que quer sair. Não leio spoiler, mas… parece que a coisa vai ser boa.

Boa como a relação de Creenshaw com Jane? Espero que não! Alguém mais se sentiu incomodado com o exagero desses dois ou foi só eu? Algo a salientar é a falta que faz Morris num episódio. Ele é engraçado e cativante, mas ER sentir falta de um personagem como ele serve apenas pra mostrar que o seriado ainda deve e muito.

Não posso fazer comparações com House pois infelizmente não tenho Universal, mas o fiz com Grey’s, o drama médico do momento; comparei com as primeiras temporadas de ER; comparei com outros seriados da mesma produção. Em todas
as vezes sempre tinha alguém que reclamava… Bem, o que uso como parâmetro pra avaliar a qualidade atual de ER? Tem que ser alguma coisa. Hoje, infelizmente, foi com um dos melhores da série.

Na quarta feira, Be Still My Heart se encerra numa cena brilhante dirigida por Laura Innes, e sua Weaver encontra Carter e Lucy no seguinte All in the Family. Os personagens estão bem construídos, Abby ainda não mostrou seus pavores, Mark e Corday viviam felizes, Romano formava com Lizzie, Benton e Anspaugh uma OR que põe no chinelo os tempos de Neela, Dubenko e Creenshaw…

Enfermeiras participavam de todas as cenas, a direção e roteiros funcionavam de maneira certa e até o sol parecia mais brilhante nos corredores do hospital. Crisis of Conscience foi um bom episódio pra 13ª temporada, mas bastante abaixo da média do seriado. Eu culpo All in the Family por isso.

Na semana que vem a produção finalmente dá um jeito no irritante Alex, que tem a mãe interpretada pela melhor atriz do seriado, e o episódio até que será legal. Destaques pra Pratt, Morris e Hope… Eu prometo não me influenciar tanto com um episódio passado no próximo review. Mas que eu só tô vendo ER pelo o que ele foi, ah, se estou.

E em tempo: a propaganda que (finalmente) substituiu Open Your Eyes tem como música In this Together de Apoptygma Berzerk. Já vou respondendo só porquê… as dúvidas são frequentes.

Séries citadas:

20 Comments

  1. Paulo Antunes

    Thiago, vou te dizer uma coisa, que pena que você não viu “All in the Family”, porque isto teria te dado a noção exata do que foi este “Crisis of Conscience” – um lixo. Um dos piores eps. da temporada, sem dúvida. Você foi generoso.

    Creenshaw e Jane? Quem se importa?
    O enfermeiro da Sam foi embora? E daí?
    O médico indiano que apareceu só em um episódio se vendeu? E eu com isto?

    Luka contou que está noivo pros Wiccas? Patético, só tem médico sensível e boiola neste hospital. Detesto ver o Luka fazendo papel de bonzinho, de apaixonado, acho ridículo.

    Pra mim, curiosamente, o melhor do episódio foi o que você não gostou – a investigação do Gates, que eu achei genuína, e a dura do Dubenko, que a estas alturas já é um dos meus personagens favoritos da série, por falta de opção.

    Estes dias dei uma dura no Paulo Fiaes porque ele escreveu um review de Veronica Mars e esqueceu de citar a dupla Enrico Colantoni-Laura SanGiacomo. É sempre bom rever o passado. Mas este reencontro da Maura Tierney com o Andy Dick foi patético. Primeiro porque o Andy Dick não é ator, é comediante e por isto é incapaz de fazer um paciente realista em ER. Segundo porque o papel dele na série foi ridículo – dar uma de vidente para forçar o reencontro dela com o pai. Tenha dó.

    Você estava sentimental, cara. Foi muito pior do que você descreveu!

  2. Thiago Sampaio

    Ooooouch XD

    Mas eu vi All in the Family. Duas vezes ontem. Qndo eu vi esse epi, eu tinha achado ele passável. Foi depois de ver a reprise com Lucy que eu resolvi mudar as coisas:

    *’Crisis’ ficou na média do 13ª – baixissima
    *Rever Lucy morrendo fez mudar minha opinião
    *Eu meio que me enchi de escrever reviews e falar mal de vez em quando. Enchi mesmo pq… ER já foi o melhor dos shows, e hoje eu tenho que “catar” bons momentos pra fazer uma avaliação positiva.

    Tá dose escrever as reviews de ER. Tô dizendo: só continuo vendo pq ER me viciou anos atrás. Eu espero com ansieadade um cancelamento.

  3. Vanessa

    ‘Na semana que vem a produção finalmente dá um jeito no irritante Alex, que tem a mãe interpretada pela melhor atriz do seriado…’

    Desculpe, Thiago, mas não posso discordar mais de vc… Linda Cardelinne, melhor atriz? Sou 1000 vezes Maura Tierney. E espero que a superexposição de Alex seja só para se livrar dele para sempre. Não agüento mais as cenas de mãe e filho dos dois. Juro, nunca vi pior ator mirim do que ele.

    Pior do que isso foi ver a Kirstin do canal E! dizendo que essa temporada é a melhor da história da série…

    Como fã de NewsRadio, esperava mais da reunião de MT e Andy Dick.

    Sem querer soltar spoilers, Thiago, vc soube o que vai acontecer com Ray? Fiquei chocada…

    Ótima review, como sempre. Bem que vc podia fazer um review nostalgia de All in The Family, um dos melhores episódios da história de ER.

  4. Ana

    Eu era daquelas que assistia E.R TODAS as quintas, as 22.
    Agora, eu tento ver a reprise e olhe lá.

  5. Paola

    Ôpa… foi mal aparecer neste tópico para falar algo que não tem nada a ver com ER, mas é porque esse foi o único motivo que encontrei para pedir uma matéria especial sobre a Segunda Temporada de Ídolos (do Sistema Brasileiro de Televisão).
    Obrigada desde já pela atenção.

  6. tatiana

    Acho que estão correndo com uma possivel reaproximação da Neela com o Ray pra dar um fim à participação dele na série.Também não tá me agradando nem um pouco isso.Encheção de linguiça…

  7. luci

    Sou fã de ER desde sempre. O episódio All in the Family é, sem dúvida, dos melhores da série, junto com o episódio da morte do Mark. Toda vez que reprisa, assisto.
    Como já disse em outro comentário, a qualidade caiu e esta temporada começou bem e está decaindo. Estão faltando “ganchos” aos episódios para despertar a curiosidade sobre o que está por vir.
    É uma pena porque a série tem carisma, bons episódios e bons atores. Mas nesta temporada, o Alex já devia ter desaparecido prá sempre, o Gates insuportável e com desempenho mais que sofrível já passou da hora de sair, o Pratt sumido, com pouca projeção. Realmente, está faltando Carter, Carol, Benson e Cia. Agora, se as saídas de Ray, Luka e provavelmente da Abby se confirmarem, o que vai sobrar? Sem a Weaver, então… o que nos restará???

  8. Julaino Cavalcante

    Thiago, bem-vindo ao clube dos colunistas desencorajados.

  9. Carol

    olááá!

    Por mais que eu odeie a Sam, a Linda é um arraso! Foi super fofa a cena final dela com o Alex (se bem que, na minha opinião, ele tinha que levar uma surra!). Ao contrário do Stamos que é um idiota. Cara, ele quer MUITO ser o Doug! Ele imita (mal e porcamente) jeito do Doug de “danem-se as regras”. Nada a ver. Espero que ele tenha consciência que o George é trocentas milhões de vezes melhor que ele, e que Gates NUNCA vai chegar aos pés de Doug.

    O episódio é lentinho, não chega mais gente atropelada, baleada, esfaqueda. Eu gosto de tragédia. Mas até que eu gostei :)
    É decepcionante assistir ele depois de “All in teh family” (faz uma review nostalgiaa, cara!), mas ele é legalzinho.

    Aaaaaaaaaaaaaaaah! Filho maldito da mulher estranha! E o Gates ainda fez a cabeça do Kovac, pra falsificar a causa mortis! Gente, nunca que um filho faz isso com a mãe, ajuda ela a se matar! Que coisa terrível!

    E olha.. essa relação Jane/Crenshaw tá longe de ser engraçada! Foi a coisa mais estranha/bizarra/nojenta/assustadora que eu já vi na minha vida. Oo’

    As cheerleaders eram esquisitérrimas, e eu ri quando o Lucien falou a frase de Heroes! Lucien, por sinal, me desapontou por ser a favor de um cara vender órgãos! aaaaain >

  10. Carol

    Teleséries maldito comeu meu comentário!
    ¬¬’

    anyway,

    Neela e Ray no elevador foi legalzinho, o que ele falou é verdade mesmo, Neela tem um dispositivo ético no cérebro.

    Agora, o Ray não aprendeu ainda que tem que ignorar a Neela um pouquinho! Aff ¬¬’

    beijos!
    até semana que vem :)

  11. Thiago Sampaio

    Carol, espero q o “comido” tenha sido o 9ª =)
    As vezes, o comentário demora pra aparecer, e só surge no site quando alguém escreve algo a mais.

    E Juliano, num kero fazer parte desse clube não =/
    Essa tranqueira de ER tem é q melhorar já!

  12. Leonardo

    Discordo com alguem aí em cima. Acho que a Linda Cardellini é 1000000 de vez melhor atriz que a Maura Tierney.

    Num aguento mais ver ERRRRRRR!!! (obrigação de fã de ver a série até o final começando a se esvair)

  13. Bernardo

    Esse foi um eps bem + ou -, pendendo mais pro – … quando aparecem o Gates e, especialmente, o Alex, o eps tende a ser uma droga (exceto quando estão apenas fazendo figuração como o primeiro eps dessa atual temporada).

    As reprises diárias de ER são show, fazia tempo que eu ñ ia a antiga equipe em ação – tô na expectativa pro eps final da Carol (lembro quando vi na exibição original e achei muito bacana o destino dela).

    E tb voto pela review nostálgica de “All In The Family”.

  14. Naiara

    Era a Sean Young memo, não estava delirando ohoho

    Episódio bom… Também não suporto Gates, isso não é novidade. Tenho a maior curiosidade de saber quem foi o IMBECIL que teve a idéia IDIOTA de colocar ele como personagem fixo. De carismático ele tem o dedinho do pé (se bobear nem isso). Bah! Imagina ele como protagonista no lugar do Luka, se a série fosse além da 14ª temporada! Que mer** ia ser… Aliás, essa temporada é uma das piores salvo alguns episódios.

    A propósito, quero matar o Alex! Pra variar auauhauhauha

    Beijo pra você Thiago

  15. Daniela

    “All In The Family”… sem dúvida um dos melhores da série. Vi “Crisis of Conscience” depois de ter visto “”All…” Até parece outra série. Aliás, com essas reprises da 5ª e 6ª temporadas que a Warner ta fazendo, da mesmo pra notar a diferença, que é gritante, das temporadas antigas p/ essas mais novas (da 10ª p/ cá). E assim sou obrigada a entrar para o Coro: “Acabem logo com essa série!!!!”. Pq do jeito que vai ela será lembra como uma série mediana (e olhe lá!).
    Ah, eu tb acho a Linda a melhor atriz da série e deixa a Maura no chinelo, de longe…

  16. Daniela

    Ah! Thiago, obrigada por comentar algo sobre “all in the family”. Como é um ep. antigo e eu nunca tinha assistido, achei que ninguém fosse nem comentar, e fiquei tão tocada com esse epsodio, que queria comentar pelo menos alguma coisa em algum lugar. Não achava que deveria passar em branco. Obrigada!

  17. Katia

    All in the family é sem dúvida um dos melhores episódios! Lembro quando passou a primeiríssima vez…Quase morro junto com a Lucy.

  18. Thiago Dieguez

    Realmente, assistir “All In The Family” faz relembrar a época em que acompanhava e era fã de ER. Honestamente, deixei de acompanhar fielmente a série na 12ª temp e hoje vou lendo um review e assistindo um ou outro. Para mim, a queda de qualidade da série começou com um certo “inchaço” do elenco mas o divisor de águas foi a saída do produtor Jach Orman. Se observarem os créditos, a maioria dos ótimos e alguns clássicos epis da série na sua época foram ou escritos ou dirigidos por ele (inclusive o All in the Family). Concordo com muitos aqui, se fosse possível fazer o review de epis clássicos seria ótimo! É isso, valeu!

  19. Thiago Dieguez

    Realmente, assistir “All In The Family” faz relembrar a época em que acompanhava e era fã de ER. Honestamente, deixei de acompanhar fielmente a série na 12ª temp e hoje vou lendo um review e assistindo um ou outro. Para mim, a queda de qualidade da série começou com um certo “inchaço” do elenco mas o divisor de águas foi a saída do produtor Jack Orman. Se observarem os créditos, a maioria dos ótimos e alguns clássicos epis da série na sua época foram ou escritos ou dirigidos por ele (inclusive o All in the Family). Concordo com muitos aqui, se fosse possível fazer o review de epis clássicos seria ótimo! É isso, valeu!

  20. michelle

    não é sobre o episódio.é sobre o gates.ele estragou a série.baixa na audiência depois que ele entrou.por isso que eu digo que quem é tola(tony+neela)é mesmo uma tola(idiota).é o relacionamente mais ridículo que eu já vi!!!!estou mesmo muito trite!:-(

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account