Log In

Reviews

Review: ER – Blackout

Pin it

ER - Blackout
Série: ER
Episódio: Blackout
Temporada: 14ª
Número do Episódio: 297 (14×07)
Data de Exibição nos EUA: 08/11/2007
Data de Exibição no Brasil: 20/12/2007
Emissora no Brasil: Warner

Desde que sua premissa mudou, há muito tempo, ER não é mais a mesma coisa. Porém, é nesse “muito tempo” que o seriado encontrou um novo formato, em que não há mais tantos casos médicos nos episódios (que passaram a focar “um único grande trauma”, onde temos que encarar a temática de “paciente da semana”) e um enfoque maior no drama pessoal dos personagens. Ainda assim, apesar de alguns trancos e barrancos (como algumas decisões imbecis da produção) a série continua agradando… mesmo usufruindo menos de 1% da importância que um dia já teve na TV.

O que não mudou nessa quase uma década e meia é que, quando precisava, a série podia contar com um ator forte, que sendo necessário, a “carregaria nas costas”. George Clooney (Doug) disse isso sobre Anthony Edwards (Mark), logo após as exibição do episódio ao vivo Ambush, mais de uma década atrás. Quando precisou, Noah Wyle (Carter) fez isso diversas vezes. Assim como Juliana Margulies (Carol) e Laura Innes (Weaver). O problema é que, antigamente, esses “nomes fortes” existiam aos montes; eram vários os personagens/atores que você olhava com confiança e pensava “tenho orgulho de que ele faça parte do seriado”.

Hoje, apesar dos ótimos atores no elenco, salvo uma ou outra exceção, apenas uma dessas pessoas é aquela que nos faz pensar “tenho orgulho de que ela faça parte do seriado”, e nos trazer a certeza de que ela carregaria a série nas costas se precisasse. Hoje, essa pessoa é Maura Tierney (Abby Lockhart).

Apesar de muito acima da média, não há muito o que se registrar em Blackout exatamente por causa dela, que eclipsou a participação do restante do elenco. Por diversas vez, Maura disse que adoraria ver Abby bêbada novamente, e depois deste episódio, podemos entender seu desejo completamente: uma complicação pra um personagem é um prato cheio pra um ator, que pode ter a oportunidade de explorar outras facetas durante sua interpretação – e Maura explorou isso de maneira satisfatória… de maneira brilhante.

O apesar do seriado, mencionado logo no início deste texto, são algumas de suas decisões imbecis, como amputar/matar Romano, enviuvar Neela e mutilar Ray. Todas essas três recentes decisões equivocadas são verdadeiras tragédias físicas para com os personagens. Creio que podemos incluir mais uma hoje: a decisão de colocar Lockhart pra transar com Moretti, apesar de não envolver nenhum derramamento de sangue, também entra no hall das tragédias do seriado. Isso, claro, olhando pelos olhos do “culto” formado pelas fãs do casal que Abby faz com Luka.

Não quero entrar no mérito da coisa. Apesar de gostar dela na maioria das vezes, a Abbytch exagerou de vez ao deixar-se cair no vício da bebida depois de tantos anos, apesar do apoio incondicional dos amigos, só por causa da viagem de Luka que precisou ver o pai doente em estado terminal. Todos sabemos que Abby é uma personagem (apesar de alguns a tratarem como se fosse real) e que essa é uma decisão da produção (David Zabel!), mas isso não impede de culpar Lockhart, “coitadinha” com mania de perseguição, egoísta, e que, segundo Moretti, talvez seja “incapaz de lidar com um superior sem ter que dormir com ele”.

Mas mesmo com esse exagero do produção, o seriado contou com Tierney pra fazer isso da maneira correta. Ela fez tudo de maneira brilhante, desde quando chegou “alta” no Ike’s, até sua lamentação no aeroporto, quando juro que vi uma lágrima brotar e escorrer de seu olho direito, 15 segundos depois do início da cena! ER não tem mais audiência, não tem mais destaque, não tem mais importância e está fazendo mais do que devia numa temporada cercada de baixas expectativas…. mas seria demais pedir uma indicação ao Emmy pra Maura depois desta brilhante atuação?

Ela é a última atriz do elenco principal a receber uma indicação ao Emmy, há mais de sete anos atrás (exatamente pela temporada que vem sendo reprisada… apenas pelas manhãs) e se ela recebesse esse agrado, eu ficaria satisfeito. Sou o último telespectador do seriado que gostaria de admitir isso, mas preciso dizer que no ponto em que chegamos, não há mais ER sem Abby. Não porque ela seja a melhor personagem da história da série. Em minha opinião, há outros muitíssimos melhores. O porém é que hoje ela tem uma importância vital: é a única de apelo no seriado.

ER - BlackoutUm grupo de pessoas parava de ver a série após a saída de seus personagens favoritos, como Doug, Carol, Benton, Mark, Romano… mas sempre que estes partiam, havia muitos outros pra manter o forte. Isso até chegar num ponto crítico, temporada passada, quando tinhamos apenas três com apelo: Abby, Kovac e Weaver. Hoje, só sobraram Lockhart e uns oito milhões de espectadores. Não é um demérito aos personagens restantes! Bem, eu talvez desmereça apenas Gates e Neela, mas apesar de apreciar o trabalho dos outros personagens, tenho que reconhecer que o apelo de peso diante do público fica apenas à cargo de Abby Lockhart.

Blackout teve outras situações interessantes, mas sei que seria inútil comenta-las porque a massa queria mesmo era saber o que aconteceu entre Abby e Moretti (ainda mais por causa do spoiler na promo do canal). Bem, depois de descrever o que podia sobre protagonista, peço licensa pra dar uma geral no restante do episódio:

– Morris, à frente de Abby, é o melhor personagem da temporada em minha opinião (só não tem “aquele” apelo). Ele não passar no comitê de medicina foi uma pena, ainda mais depois de tudo o que ele estudou e provar-se extremamente competente nas salas de trauma. E não seria Morris não fosse o humor, como quando virou paciente por causa de Harold.

– Harold é um personagem idiota, que não segue o tom do seriado (mesmo neste novo tom) e está piorando a situação de Neela, sumida nesse ano e que não prestou nem pra dar atenção à Abby. Pelo menos Dubenko viu o quanto esse Rain Man é sem noção, tanto quanto o merchandising descarado na apresentação do carro de Morris. Quando uma série precisa de dinheiro, ela se vende legal mesmo…

– Gates teve que lidar com Julia, que trouxe dois hippies pra tocarem no PS. Foi okay. Mas eu não estou Nem aí pra Gates e seu biquinho. Pelo menos ela apareceu um pouquinho, ao contrário de Skye, a médica novata.

– Sam apareceu de camiseta regata e molhadinha de suor por causa do calor…. Semana passada, chegaram a se ofender com o “banho de espuma” que eu gostaria de receber da enfermeira do PS, então, em respeito à todo mundo, vou manter minhas fantasias só pra mim dessa vez. E algo muito, muito legal nessa cena, além da maior interaçao de Sam com as enfermeiras, foi Chunny (Ethel?) sendo um pouco saudosa e lembrando dos tempos que Mark Greene e Doug Ross mandavam no PS. Logo depois, vemos a situação dos fãs recentes na resposta de Sam e Dawn: “Quem?”. Mark morreu há mais de cinco anos… Uau.

– Pratt parece mesmo ser um amigo da onça. Não quero empurrar pra ninguém a culpa do adultério de Abby, mas começo a ver um padrão aqui quando Greg “cuida” de um amigo bêbado. Ele mandou Ray pegar um táxi no casamento dos Kovac e deu no que deu. Pelo menos, Abby não perdeu as pernas.

Enfim, acho que foi tudo o que eu tinha pra falar deste último episódio do ano, que não será reprisado neste domingo por causa da maratona de Friends. Não sei quando Warner retomará os episódios inéditos, mas é já no próximo episódio que Kovac retorna pra ver uma Abby que precisa confrontar seus demônios. Enquanto esse dia não chega, desejo um ótimo Natal e feliz Ano Novo a todo mundo que visita, lê e comenta meus textos. Sem este retorno de vocês, garanto que não seria a mesma coisa. E no ano que vem, esperem por mais comentários (juro que mais curtos) e talvez uma celebração especial por causa do episódio 300. Até lá.

PS: fugindo completamente de meu ideal, e pensando no “culto” que formando pelas fãs do casal Abby e Luka, fiz este texto, em formato de roteiro, que narraria a conversa do casal após os eventos de Blackout. Completamente livre de spoilers. Fica a dica: www.fanfiction.net/s/3886161/1/

Séries citadas:

36 Comments

  1. Cristiano (Highlander_Master)

    Abri o teleséries agora justamente pra comentar isso, apesar do pesares E.R. está me agradando…

    Realmente a Maura Tierney está muito bem.

    O Morris não passou justamente pra fazer um drama que eu chamo de “clichê E.R.”

    O Gates quase sumiu nesse episódio, se ele apareceu durante 5 minutos durante o episódio inteiro já foi muito…

    Aliás eu ia ver só no domingo pq eu tinha um filme pra ver no Film & Arts, mas como eu vi que não ia ter reprise no domingo por causa da maratona de Friends, não ia deixar de ver um episódio daquela que no momento, é minha veterana favorita. Pelo menos enquanto C.S.I e 24 Horas não voltam…

    Eu também fico alucinado com a Sam nessas cenas… hehe. Mas sei lá, não gostei muito do papo das enfermeiras, me pareceu mais uma cena de Sex and the city do que de E.R…

    Foi um episódio nota 9, me agradou bastante mesmo.

  2. Rafaelly

    Só colocando meu comentário no lugar adequado…hehehe

    Vamos lá:

    Haleh botando pra quebrar foi demais!!!

    Fato: Abby bêbada???Hilário.

    Mas minha pergunta é: ninguém sabe que a Abby é alcóolatra???Só o Carter, Kovac e Colborn que sabem???Deu uma amnésia básica.

    É por isso que aquele menino só vive chorando, coitado…A mulher tá maluca!!!hehehe

    E aqueles voluntários chatos cantando foi um horror!ER não é Scrubs ou qualquer coisa parecida.Já basta o Morris (adoradores do ruivo, por favor, não me batam…hehehe)

  3. Vanessa VM

    Adorei tua review, Thiago. Já vou sentir saudades de ler.
    Gostei do episódio. Até Gates (que eu detesto) me agradou na cena da sinuca. Pela primeira vez ele pôde fazer caras e “bicos” com motivo!!! Afinal, a capelã deu um show nele.
    A parte das enfermeiras também foi legal. Sam só sofre, coitada. Ela merecia se divertir um pouco. Ela e as outras enfermeiras estavam bem entrosadas na cena.
    Quanto à Abby, acho que se eles queriam que ela sofresse ou sei lá o quê, deixassem ela alcoólatra apenas (como se fosse pouco!!!), mas não trair o marido em sua própria núpcia. Muito absurdo o que fizeram. Abby nunca traiu Luka ou Carter, mesmo dividida entre os dois. Pode ter pintado vários climas entre eles, mas só!!! Podiam ter parado no beijo, pelo menos (detestaria mesmo assim), mas nunca chegar “às vias de fato”. Foi repugnante, nojento.
    Mas dou vários pontos à Maura. Ela foi ótima em suas cenas. Tiveram a idéia até de deixá-la corada, prá mostrar que estava bem altinha. Perfeita.
    Enfim, foi um bom episódio, mas como sempre eles estragaram tudo no final…

  4. Leyla_lp

    Opa…Que review brilhaaaante! Arrasou nos comentários e acho que fez todos concordarem ;D

  5. Vanessa VM

    Ah, Thiago, vc podia ter escolhido outra foto prá não ficarmos toda hora lembrando da traição dela… ;(

  6. Luciana

    O episódio,pra mim,foi o melhor da temporada:flashbacks,referências ao passado,Gates aparecendo SÓ quando necessário,Haleh sendo Haleh, Morris voltando a ter cenas realmente engraçadas e Abby,simplesmente,Lockhart

    Quando o Pratt disse à Abby ”pegue um taxi e vá embora” eu pensei: só que pegue mesmo um táxi,não atravesse a rua e não atenda ao celular! :)

    E eu só queria que eu não tivesse visto a promo da Warner porque realmente estragou,a partir de agora não vou mais me estressar e só vou ver a promo da Nbc…

    Acho mais certo mostrar o lado mais fraco da Abby,ninguém é de ferro,afinal e , é o último ano dela,qualquer coisa que dê destaque á personagem é bem-vindo

    Por essas e outras atuações eu digo que a Maura Tierney é a Sandra Bullock da Tv,porém,assim como aconteceu com o ator que fez o paciente de Jigsaw e com o Forrest Whitaker: o Er não leva indicações ao Emmy porque não o levam mais em consideração,agora pode ser uma atuação digna até de Oscar,mas os indicados e vencedores serão apenas 24 Horas , Grey’s,Ugly Betty e outras ”maravilhas”

    Tiago,excelente o texto no fanfiction,dava até pra visualizar a cena…e é ótimo que nesse site só há spoilers pra quem quer

  7. Cristiano (Highlander_Master)

    Eu sou adorador do MOrris, Rafaelly sinto muito mais eu vou te bater… hehe, zoeira.

    Os carinhas cantando, foi pros médicos ficarem com raiva, e pra ficar um clima caótico no episódio.

    Luciana concordo com vc, essas promas da Warner são muito cheias de spoiler mesmo… Absurdo.
    “Maura Tierney é a Sandra Bullock da Tv” bela frase.

  8. George

    Eu, que acompanho desde a primeira temporada ( lembram que se chamava “Plantão médico” e passava na globo?) e também estou desanimado com os rumos que o seriado tomou nos últimos anos, confesso que me senti meio deprimido com o episódio. Mas talvez não num sentido ruim, afinal o episódio me deixar deprimido é melhor do que me deixar indiferente. Acho que o episódio conseguiu me conectar a Abby, não sei até que ponto pela interpretação da Maura ou pelo roteiro, de modo que me senti angustiado no final. Até a pequena cena, comentada pelo Thiago, quando Chunny comenta sobre Mark Green, que foi meu personagem predileto de todas as temporadas, e as outras enfermeiras respondem com um “Quem?” serviu para compor meu clima trágico.
    Estou curioso pra ver como vai se desenvolver esta trama pois, quando começa a ocorrer muitos problemas com um personagem, historicamente é só uma questão de tempo pra ele deixar o elenco. Acho que Abby será a bola da vez. (Se alguém já souber por favor não me diga, quero descobrir assistindo na TV e não por spoiler)

  9. Thiago Sampaio

    Cristiano (1) Sam virou meu objeto de desejo no seriado, desde que Susan foi embora uns anos atrás =p E eu acho que algumas mulheres conversam assim, viu? Não só em Sex and the City XD Achei bem natural

    Malu (2) Ehr… Thank =)

    Rafaelly (3) Poxa. Esqueci total da Haleh. O texto ficou meio grande, e deixei de elogiar até a direção, assim como falar do porre que é o Joe. E o Morris tá a coisa mais agradável da temporada, pô! huahuahauhauahu

    Quem deve saber sobre o alcoolismo de Abby: Carter, Susan, Luka, Weaver, Coburn, não sei se a mãe… e acho que só. Não me recordo dela ter mencionado isso com outras pessoas (não é um assunto fácil, né?)

    Vanessa (4) Gates precisava mesmo fazer aqueles bicos? Eu queria mais era que ele sumisse, meu =p E eu mando uma série de fotos do epi pra ser escolhida pelo editor do site. Mas garanto que não havia uma melhor que essa pro epi huahuahuaha

    Leyla (5) Nunca consigo agradar ninguém pq sou meio sincero. Mas vamos ver se dessa vez dá

    Luciana (7) A miserável da promo da Warner tirou metade da graça do episódio! Em minha opinião, deveriam mostrar a trombada de Morris, e Abby bebada dando tapa em Chunny e discutindo com Pratt. No máximo, o desespero dela no saguão do aeroporto. Não colocar nenhuma referência à Moretti ia ser o correto. A surpresa seria muito melhor.

    Quando ao Emmy, nada é melhor do que o “momento”. Cheque a primeira temporada e você vai ver 28 indicações. 28!!! Todo paciente e todo médico coadjuvante era indicado, assim como todos os protagonistas. Se ER ainda fosse importante, vários atores, protagonistas ou coadjuvantes, seriam indicados com certeza.

    E muito, muito obrigado por ter lido a fic =)

    George (9) Pois é. Na cena de Chunny tbm fui da alegria à decepção. Quando a permanência de Abby na série, depende da situação da greve. Ela tinha contrato pra toda essa temporada, mas como tá tudo interrompido, e fizeram apenas 13 epis, não sei se ela terá q participar dos 9 restantes, ou de um 14ª ano… É tudo uma incógnita

  10. Eduardo

    Thiago,

    Só uma correção. No primeiro ano, ER foi indicada pra 23 prêmios do emmy, levou 8 prêmios, e mesmo assim perdeu melhor série de drama pra Nova York contra o Crime. Foi só no segundo ano que ela levou melhor série.

    A única série que atingiu 28 indicações foi The West Wing, também produção de John Wells.

  11. Eduardo

    Dei uma lida nessa nova fanfiction, deu pra ver a influência de 300 Patients na estrutura.

    Agora que passou Blackout, posso comentar um pouco a reação ao que Abby e Moretti fizeram. Eu adorei esse novo rumo pra ela, acho que tirou a série um pouco da repetição. A atuação dela foi excepcional, e a direção de Christopher Chulack foi perfeita como de se esperar.

    O que eu não esperava foi a reação do público americano, principalmente entre os fãs de Abby e Luka.

    Fui olhando pela internet, e houve gente desejando que Luka voltasse pra “salvar” Abby e punir Moretti na base da violência.

    Cheguei a ler acusações de fãs, alegando que Moretti havia estuprado a Abby. Houve debates de que Moretti havia embebedado a Abby de propósito pra levar ela pra cama, e que isso seria classificado como estupro.

    Ouvi até boatos de que houve gente mandando mensagens de ameaça pro Stanley Tucci, como se o ator e o personagem fossem a mesma pessoa.

    É inacreditável como tem gente que não se toca, e não consegue separar ficção da realidade. Dessa forma fica difícil pros roteiristas levarem seus personagens pra novos caminhos, ainda mais se os fãs querem que o casal fique inalterado e puro.

  12. Eduardo

    Mais um detalhe: o próximo episódio novo a ser exibido pela Warner foi dirigido por Laura Innes. Kerry Weaver pode ter deixado o ER, mas sempre pode-se contar com Laura na direção.

  13. Eduardo

    E o episódio depois do de Laura foi dirigido por Paul McCrane (Romano).

  14. Tati

    Aguardei ansiosa por esse episodio, juro que quis matar a Abby da metade do epi até quase o fim…….a cena final ela sentada no aeroporto, doeu até a alma……Dava para ver o desespero total da personagem, palmas para Tierney. Adorei a cara do Morris qdo ele não passou, e qdo ele pediu pro Pratt não dizer nada, esse é o morris;

    Thiago – li seu texto e como sempre excelente e pra variar vou ficar na curiosidade.

    Pelo jeito só deve ter episodio novo pra depois do carnaval.

    Thiago…..Feliz Natal e um Ano Novo excelente a vc e sua familia :)

  15. mauro

    Momento de nostalgia! Eu gostava muito da Susan, da personagem oriental que eu esqueci o nome, da Elizabeth, e daquela residente fofa que foi assassinada dentro do hospital quando o Carter foi esfaqueado nas costas. Para mim, foi a morte mais chocante da série. Bons tempos aqueles.

  16. Vanessa VM

    Thiago, sei que não havia melhor foto para esse episódio, tava só brincando. É que dói na alma olhar prá ela…
    Também não gosto de Gates, mas desta vez, ele não estava em uma cena de morte e fazendo “caras e bocas”. Os bicos foram prá fazer charme prá capelã apenas, então, dá prá passar.
    Li sua FanFiction. No começo fiquei apreensiva, mas adorei o desenrolar da história, da 3ª parte em diante e principalmente do seu final. Muito bacana. Você podia fazer mais vezes.
    Feliz Natal, Thiago!!!

  17. Rafaelly

    Desculpe Cristiano…hehehe…mas não engulo o Morris em ER!

    West Wing recebeu 28 indicações em um ano???Merecidíssimo!!!

    Poxa, Thiago, achava que pelo menos a Neela pudesse sbaer.Por isso que estranhei todo mundo tratá-la de forma tão natural.Realmente não lembrava desses detalhes.

    Ah é…esqueci de falar da lembrança da Chunny e a Sam falando “Quem???”.Eu lembro que pensei na hora: como é que vc não sabe quem é Mark Green???O melhor médico que já passou por aí!Ou vc acha que tá pegando o melhor da festa…hehehehe
    Fiquei meio revoltada nessa hora!hehehe

  18. Thiago Sampaio

    Eduardo (11-14) E mais uma pra minhas série de “informações não checadas”. Confundi o número de indicações com o de premiações. Coloquei 8 no final, e saiu 28. Valeu a errata. E obrigado pela lembrança dos competentes diretores dos próximos episódios.

    E a fic é bem “Lubby”, eu sei. Mas fiz ela pra ser “comercial” mesmo =p E a escrevi logo depois de assistir o episódio 14×08, pois nos EUA, o 14×09 passou 2 semanas depois… e eu não tinha visto 300 Patients ainda. Negócio que ER tá tão previsível que é fácil imaginar o fechamento de seus arcos.

    Desisti de tentar entender as fanáticas Lubbys, que podem ser tão irritantes quanto as Carbys. Não são todas, mas tem umas rebeldes da causa que vou te contar, viu? Realmente, não sabem diferenciar ficção de realidade. A coisa mais absurda que li foi a hipótese dela ter engravidado de Moretti. Nesse ponto, Abby só pode engravidar do novo Messias, já que fez uma histerectomia.

    Tati (15) Valeu pela leitura =) E “curiosidade”? Viu que tem 5 páginas com as 5 partes da fic completa, né? E epi inédito na Warner só lá pro fim de janeiro/início de fevereiro mesmo…

    Maura (16) A “fofa” era a Lucy =/

    Vanessa (17) Vlw de novo, Vanessa. Quanto a Fic… essa foi a minha 20ª (pra ver as anteriores, é só clicar na minha conta do fiction.net) e a fonte tá esgotando. Não sei mais o que escrever de original sem plagiar a série. Ainda mais, a maioria das que fiz (14) ainda tinham Susan, Carter e Weaver no elenco, onde era mais “fácil” de fazer. Hoje, os mais legais de escrever são Abby, e Morris. Morris, alías, é legal paca de construir =p Tanto quanto a Susan. Mas dá um trabalho do caramba escrevê-las XD

    Modéstia a parte, tenho idéias legais pra uma série de 4 fics, mas como a maioria quer fic Lubby, o retorno não compensa tanto. Já leu minha Bloodline? Essa é legal. Tbm tem as 14 da 11ªtemp, mas… estão tão num estilo Grey’s Anatomy que chego a me envergonhar.

    E feliz Natal =)

    Rafaelly (18) Respeito o ruivinho, Rafaelly! XD
    E não tenho certeza se a Neela sabe. Lembro-me de uma cena da NICU, quando ela reclama da Cidra que Abby ganhou de Weaver, e ela ouve de Lockhart: “Weaver sabe que eu não bebo”. Então…

    Hoje em dia tem gente dizendo que Abby é a melhor médica da história da série, né? Um absurdo! Mas acontece. Tem quem nunca viu Mark… como a Sam. Tudo o que a gente pode fazer é ter paciência com isso…

  19. Luciana

    O incrível é que as promos da Nbc são tão bem feitas que parecem trailers de filmes e lá a audiencia do Er não tá boa,na teoria,não precisava a promo ser tão bem-feita,mas lá eles reconhecem que Er é uma série clássica e fazem tudo bem-feito,o site é simplesmente uma obra-prima

    Já a Warner…veja a inteligencia: Er é a sexta série mais vista do Brasil? Tire as reprises à noite que todo mundo gosta e faça promos ou sem nexo ou cheia de spoilers. Old Christine já estava entre os 15 mais vistos na sua primeira temporada no Brasil? Ganhou Emmy? Tire da programação.

    Eu achei que o Pratt sabia que a Abby era alcoólatra e,mesmo se a Neela sabia,sendo Neela ela iria estragar tudo de qualquer jeito :)

    Cominh Home,pelo que vi na promo da Nbc , promete ser um bom episódio e assim espero

  20. Leonardo Toma

    Ótima review!

    Esse foi o melhor episódio da temporada pra mim. Concordo que a atuação de Maura foi espetacular. Abby po$#@ louca é a coisa mais engraçada, no sentido mais malvado, de se ver.

    Não acho que o caso com o Moretti foi um erro da produção. Só reforçou a idéia de que a protagonista tem problemas demais quando o assunto é ela mesma, e que nesse quesito que ela é muito “fraca”.

    A conversa das enfermeiras no Ike’s me fez lembrar das looongas cenas em steady-cam que aparecia no começo de todos os episódios, com falas para todo o elenco coadjuvante.

    E aquele momento em que Morris descreve o carro seria merchandising mesmo? Porque, pelo que me lembro, esse episódio foi naquela semana da NBC em que todas as séries tinham temáticas “green”. Mas, vai saber né…

    E no próximo epi que volta toda a melação de novo…

  21. estela

    Adoro er, e gostaria de saber se realmente a abby sai do seriado?
    se a resposta for positiva er vai ficar sem a personagem que esta segurando as pontas do seriado.
    estela

  22. Maju

    Bom, eu era fã incondicional de ER. Até a saída do maior apelo do seriado depois de Mark Green: Carter. Prometi a mim mesma que o último episódio da série que veria seria sua última participação. E assim fiz. Muitas vezes tenho saudades e penso que me arrependi. Uma dessas vezes foi na última quinta….

    Vi o episódio inteiro, cheio de personagens novos (afinal, eu não via há mais de 1 temporada. Até me interessei pelo início e tal…mas já tive a certeza de que tomei a decisão certa.

    Quando vi a Neela conversar com aquele cara que, se eu não me engano, chamou a Abby pra sair (o de oclinhos) sobre um novato do hospital. O cara tinha fé no novato e Neela não. Ela “lhe deu” um mês para que a convencesse do contrário.

    Ok, isso me lembra algo: fizeram exatamente a mesma coisa com ela, sendo que o Carter estava no papel do sem fé.

    Poxa, ER tem que ou aceitar seu fim e terminar a série ou criar coisas novas.

    Reviver o passado com personagens e histórias mais fracas é pedir pra fracassar.

    Minha série favorita de todos os tempos, mas que está, claramente, em decadência…

    Em tempo: a Sam morena mudou muito. Só descobri que era ela no meio do capítulo =O

  23. Rafaelly

    Achei legal a Sam morena…Quando ela estava loira o cabelo era muito “palha”.
    Bom…pelo menos ela convence como enfermeira.Se dessem umas histórias melhores pra ela até que ela poderia ser considerada uma das melhores profissionais dali. O problema é que só lembram da Sam pra fazer historinha de romance.

    Aliás, falando em romance…Meu querido Stanley Tucci entrou arrasando e agora tá ficando de lado tb…e ainda me inventam essa besteira com a Abby. Sei que ele era provisório e tal,mas custava aproveitar um pouco melhor o ótimo ator que ele é enquanto ele está lá?

  24. Tati

    Vi sim Thiago e adorei a sua “historia”, vc daria um belo roterista para ER, já que os de lá estão de greve mesmo………rsrsrsrs

  25. Giselle Bauer

    Gostei muito do episódio e vou começar o meu comentário pela Abby.Pra mim ela não estava tão bêbada assim a ponto de não saber o que estava fazendo. Tava alta mas não completamente bêbada .
    Transou com o Moretti porque tá carente,talvez com raiva mas na minha opinião ela está totalmente perdida e o Moretti também se aproveitou da instabilidade emocional dela.Mas repito tava lúcida sabia o que tava fazendo. E outra coisa porque aquela criança não para de chorar? Muito irritante aquilo.Bebês choram mas como aquele eu nunca vi.Outra coisa que me irritou
    profundamente foi aquele casal de hippies cantando.Chatérrimo.Eu até que gosto dos biquinhos do Gates mas eu acho que ele exagerou um pouco. Conseguiu me irritar.A Reiko ainda não disse ao que veio nem me lembro do nome do personagem dela. E a Neela continua sem graça.

  26. Fernanda C.

    Até a Chuny não acredita que a dupla de ER agora é Pratt e Mprris, ha ha… Foi muito legal ela lembrar de Mark e Doug.

    A Sam é legalzinha, mas… pq a Haleh não é a chefe de enfermagem? Só assim ela apareceria mais. Adoro ela.

    Quanto a Abby: é muito fácil e tentador xingá-la de tudo qto é nome, mas para mim o maior sacana nessa história foi o Moretti.

    E Maura realmente deu um show. Foi uma das melhores atuações dela em todos esses anos de ER. Só mesmo uma boa atriz para despertar tantos sentimentos contraditórios em relação ao personagem. Estou adorando essa polêmica toda. A série tava muito morna, foi bom para dar um up.

    E Appletinne? Isso é Scrubs!:-D

    Feliz Natal para vcs!
    Até o próximo review, Thiago, sabe-se lá quando. Maldita greve…

  27. Thiago Sampaio

    Luciana (20) Eu nã gosto das promos da NBC. Eles dão um tom de suspense… filme de terror desnecessário, que não combina em nada com o seriado. Parei de ver as promos da NBC pq sempre vendem uma idéia que não condiz com o episódio. Pelo menos, não tem tanto spoiler…

    Old Christine ficou pro Mid-Season americano. É que não tem episódio disponível mesmo… Mas o descado com ER, sucesso de público no Brasil (por mais absurdo que isso seja) não poderia perder o horário das 23:00

    Leonardo (21) Cara, Morris falou quanto combustível o carro queima, as qualidades… a câmera mostrou todos os detalhes… fora que ele consegiu um “acordo com um amigo pra ter o carro que ainda não está à venda”. Money, dude! XD E não se preocupe: não próxima review, NÃO terá melação.

    Estela (22) Há controvérsias sobre a permanência da atriz. Ela tem contrato pra essa temporada, mas por causa da greve, terá apenas 13 episódios. Acredito que ela volte pelo menos pra fazer os 9 que o contrato dela prevê… ou por milagre, uma 15ª temporada completa (isso se a 14ª terminar com treze epis mesmo)

    Maju (23) Compreendo e muito você. Mas observe o primeiro parágrafo do texto: há muito tempo o seriado vem mudando. Esse intervalo sem assistir a série não fez vc se adaptar. Claro, muita gente parou de ver tbm. Só não parei pq amo o seriado. Tbm torço já pro fim da série…

    Rafaelly (24) Sam virou minha musa. E infelizmente mudaram o rumo das coisas, e parece que Moretti serviu só pra ser o cara que comeu Abby…

    Tati (25) =)

    Giselle (26) Realmente esqueci de falar do baby Joe, um verdadeiro porre ambulante. Teve um paciente bebê nesse episódio, e juro que não aguentava mais ouvir choro! E a Abby, realmente, de santa não tem nada. Foi carência, safadeza e falta de estrutura, tudo em conjunto, pra explicar o que ela fez: menos bebida.

    Reiko – que se chama Julia – só vai mostrar a que veio no episódio 100. Infelizmente, ela está atatada ao inútil do Gates. E sinto que quebrei sua resistência sobre ele huahuahuahauha

    Fernanda (27) Chunny tá desde o penúlitmo epi do 1ª ano. Era OB nursy no parto de Chloe, irmã de Susan. Tem mais é que estar acostumada com Mark e Doug =p Já a Haleh, em diversas vezes, já se mostrou incapaz e sem vontade de ser a Chefe de Enfermagem. Quando substituia Carol só fazia besteira, tadinha, que preferia ficar com os filhos. No 9ª ano, ela disse que não faz questão de ser chefe.

    E culpa não é só do Moretti não, viu? =p

    Appletine? Me dá asas. “Eaaaaagleeeee” huahuahauah
    Feliz Natal =)

  28. Giselle Bauer

    Falta de estrutura estas são as palavras certas
    para as atitudes da Abby. Agora com aquele filho chorão dá pra ficar maluca.Eu tenho duas sobrinhas
    e elas não choravam tanto como aquela criança.
    Quanto ao Gates neste episódio ele tava chatinho.
    Tô achando a Julia meio sem graça acho melhor o Tony ficar sozinho ou então cuidando de crianças.
    Ele tem jeito com elas. Thiago e toda galera que curte ER um Feliz Natal !

  29. Fernanda C.

    Bem, vou complementar minha opinião sobre o Moretti (estava meio com pressa =D). A cena que mudou minha opinião e achar que ele foi um tremendo sacana foi quando ele pediu um drinque para a Abby, qdo ela volta da discussão com Pratt. Ela claramente estava bêbada; uma pessoa de bom senso não faria isso. Mas não eximo a Abby de culpa.

    E Gates who? =p

  30. Luciana

    Ok,Tiago,só não dá pra continuar essas promos da Warner :(
    Pelo visto em outras séries,a Warner deve começar reprisando o segundo episódio da temporada,reverei todos,menos a duplinha péssima The Test e Under the influence

    Uma coisa que eu esqueci de dizer sobre o episodio é o seguinte: o dr Dubenko e a neela podem estar se sentindo desconfortáveis com o dr Rain Main,porém é como ‘provar um pouco do próprio remédio,eu não esqueço da cena do An Intern’s Guide to the Galaxy (pudera,vi 4 vezes) em que ele desenha um átomo de oxigenio na parede e fica dando aulas de teoria em plenos casos de trauma e a dona Neela sempre foi meio ”gênia” também,os dois personagens foram suavizados,eles não me incomodavam,porque não eram abobados como o Harold

    Visoto que ficaremos sem inéditos por um tempo,vai aí uma dica para quem gosta de programas médicos : é o Pronto Socorro Histórias de Emergencia,que voltará a passar no Discovery a partir de 2 de janeiro as 21 hs, o show mostra dramatizações das historias dos médicos de um pronto-socorro,muitas vezes com as proprias pessoas envolvidas,os casos me lemram muito o Er,porque parecem tão insólitos que a gente espera só ver na ficção,houve o caso do cara que estava com uma faca enfiada nas costas e queria ir embora porque não estav sentindo nada;do motociclista que ficou com um galho atravessado no pescoço,etc

    Houve um caso do episodio Tell me no secrets que foi baseado num episodio do Historias de Emergencia,o do que tinha o picador de gelo no ouvido,é realmente um programa muito bom e interessante,a unica coisa ruim é que é dublado..

  31. Maju

    Thiago,

    acho que não vi uma mudança do seriado. Talvez por isso mesmo, por não acompanhar mais perdi o fio da meada. Às vezes tenho umas recaídas, mas sinto que fiz o certo ao tentar manter na memória os melhores anos da melhor série já produzida.

    Enfim, quando acabar a série venho te perguntar se vale a pena ver o que eu perdi. ^^

  32. Marina

    Li seu texto no fantiction…
    Adorei, mas não consigo imaginar Luka tomando algumas atitudes que você escreveu. Quem dera!!!!
    Na minha opinião, o Luka sempre fuito muito “fraco”… as mulheres que sempre fizeram o que quiseram dele (Abby, Sam).
    O meu desejo era vê-lo embarcando, definitivamente, para a Croácia com Abby e Joe… e todos eles dando adeus ao seriado…
    e, quem sabe dando adeus, o próprio seriado…

  33. Thiago Sampaio

    Marina, eu acho o contrário. Luka não é nada fraco: no primeiro encontro com Abby, matou um assaltante em legítima defesa. Deu um cacete em Stevie, ex de Sam. Reagiu contra homens armados em 21 Guns…

  34. Paty

    Thiago, vc é dezzzzzzzz!!! Amei o diálogo!!! Quero maissssss…..Devoro os seus textos e adoro, salvo uns errinhos de português, rs…Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account