Log In

Reviews

Review: Criminal Minds – Soul Mates

Pin it

Criminal Minds - Soul Mates
Série: Criminal Minds
Episódio: Soul Mates
Temporada:
Número do Episódio: 77 (4×12)
Data de Exibição nos EUA: 14/1/2009
Data de Exibição no Brasil: 29/9/2009
Emissora no Brasil: AXN

Sigmund Freud:

Nenhum mortal pode guardar um segredo. Se seus lábios estão silenciosos, eles tagarelam com a ponta de seus dedos. A traição escapa por todos os seus poros.

Soul Mates muda tudo, quem sabe um pouco na linha de Masterpiece, já que não existe um perfil a ser definido: o criminoso é preso logo de saída. Epa, eu disse que não havia um perfil a ser definido? É isso que o roteiro nos indica, mas o caminho dá uma virada e a equipe precisa não só definir um perfil como precisam fazê-lo rápido, primeiro porque existe uma vítima em perigo, depois porque é a própria filha de William Harris que corre risco de morrer.

William Harris é mais um dos que provam a regra de que é um grande vilão sempre garante uma boa história: ele é arrogante, um pouco absurdo, mas nunca caricato. Particularmente eu havia achado o vilão de Masterpiece uma caricatura de super vilão.

Criminal Minds - Soul MatesE George Newbern, que depois do bom moço de Providence parece ter se especializado em fazer pontas como vilão, também não se saiu mal, apesar do pouco tempo na tela. Confesso que eu teria preferido um pouco mais de mistério sobre sua identidade… Mas, aí, lembro que os episódios têm apenas quarenta minutos e não dá para fazer milagre.

Hotch e Prentiss não tiverem especial destaque num episódio centrado, mais uma vez, na atuação de Morgan em uma sala de interrogatório e em Spencer desvendando segredos, desta vez em textos publicados em um blog particular. Apesar de sua pequena participação, é visível a melhoria de Prentiss em relação ao ano passado – ela não é mais a novata da equipe nem tem sobre sua cabeça a desconfiança de que ela não é merecedora da posição que ocupa.

Já Jordan… Bem, ela não comprometeu o episódio, mas sua presença continua me parecendo totalmente dispensável.

Séries citadas:

5 Comments

  1. bia mafra

    pois eh, nao focaram nos agentes e sim na familia. juro que torci para que a equipe estivesse errada porque me simpatizei de cara com o pai compreensivo e a filha.
    ótimas atuaçoes, uma primazia a direçao;

  2. Lu

    Concordo com a bia. No começo, eu achava que os agentes tinham errado o perfil e torcia pra que eles achassem outro suspeito. Não foi tão ssensacional quanto o da semana passada, mas foi muito bem escrito.

    Eu não sou grande fã da Jordan, mas parece que ela sofre do mesmo problema dentro e fora das telas: substituir a J.J. pra gente e pra equipe.

    Pra mim, dispensável é o Rossi. O programa ia bem, mesmo com a saído do Mandy. O personagem dele acrescenta e é bacana, mas não é essencial.

  3. Debora..

    Apesar de amar a serie achei meio morno o episodio ..faltou a adrenalina dos outros, mas vendo por outro lado mostrou que pessoas pessoas bem sucedidas e com uma vida estavel podem escondender um lado podre e por ai vemos como as aparencias enganam ..
    Como eu comecei a acompanhar a serie da terceira temporada em diante,estou adorando assistir desde o começo ..que a AXN esta passando no periodo da tarde..OBS.. ainda bem que a Jordan já está de partida .. rs

  4. Sonia Gonçalves

    Não gostei da Jordan em nenhum momento, o que me pareceu um pouco absurdo porque na verdade, o defeito dela é ser humana!de se importar e ter medo de errar… a vá lá é muito humana para minha cabeça.Mas a enfase deste episódio é que também torci para que o perfil estivesse errado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account