Log In

Reviews

Review: Criminal Minds – Our Darkest Hour

Pin it

Criminal Minds - Our Darkest Hour

Série: Criminal Minds
Episódios: Our Darkest Hour
Temporada:
Número dos Episódios: 105 (5×14)
Data de Exibição nos EUA: 26/5/2010
Data de Exibição no Brasil: 5/7/2010
Emissora no Brasil: AXN

E de fora da escuridão vieram as mãos que chegaram através da natureza, moldando o homem. – Alfred Lord Tennyson

É indiscutível que esta temporada de Criminal Minds tenha sido mais sombria que as anteriores. Apesar de alguns finais felizes, muitas foram as mortes e em muitos momentos em que um ou mais membros da equipe chegaram a aquele ponto em que quase se perde a fé na raça humana.

Our Darkest Hour foi mais um desses episódios em que ficamos realmente incomodados com a selvageria de cada crime e, mais ainda, com a falta de motivos para serem cometidos. Neste caso em especial eu fiquei com um horror absurdo do criminoso, podre por dentro e por fora, como diria Rossi – interpretado por Tim Curry, que tem se tornado um especialista em interpretar tipos estranhos.

E o cenário não poderia ser mais adequado ou assustador: uma cidade totalmente no escuro. Você consegue imaginar quase todos os dias você conviver com blecautes? Sem luzes em casa ou nas ruas? A cena em que a moça chega com seu filho em casa, tudo escuro, os dois tão expostos, acabou sendo uma das mais marcantes para mim, até mais que as mortes.

Criminal Minds - Our Darkest Hour

A descoberta de uma série de crimes ao longo do país, a descoberta de que o assassino seria o responsável pela morte dos pais do policial e, finalmente, toda a cena final, em que ele mata o policial na frente de Morgan e depois leva a menina, só tornaram tudo mais difícil de ser digerido.

Talvez por isso eu tenha ficado tão incomodada com o final, com o fato de ficarmos sem um fechamento. Talvez eu tenha apenas ficado incomodada com o fato do gancho da temporada ter sido tão parecido com o da temporada passada, só que dessa vez ao invés de Hotch temos Morgan, peça principal em todo o episódio, como o homem que irá em busca de vingança – ou justiça, a linha que os divide é tão fina.

* * *

Texto publicado originalmente no weblog Só Seriados de TV.

Séries citadas:

19 Comments

  1. Eza Tarragô

    Que bom Simone,ler teu comentário sobre o episódio final desta temporada de Criminal Minds .Concordo em genero e número.Eu não suporto ver criança sendo maltratada pois são traumas que ,verdade,não esquecerão jamais! Depois o final ” com obra aberta” muitíssimo similar a anterior me incomodou também, mas o que fazer…é esperar e ver como resolverão.

  2. Andrea

    O que me incomodou foi o vacilo de Morgan entrar num quarto sem checar nada. Sim, ele deve ter ficado abalado por ver as moças daquele jeito, mas…
    Outro clichezinho incomodativo foi o policial não seguir a indicação de Morgan e fazer o que o bandido ordenou. Sim, ouvir a filha implorando dever ser impensável, mas…
    MAS adoro fim de temporada com agonia! Esse negócio de resolver tudo é um saco.

  3. Flávia

    Gente, ouvir a filha implorando é impensável. Acho que nenhum pai ou mãe ouviria os conselhos do Morgan naquele momento. Eu, que sou mãe, não ouviria!
    Agora, esse foi o vilão mais asqueroso da história da TV, dava nojo de olhar, hein?

  4. Eduardo

    Sabe, eu gostei até do episódio, gostei principalmente do unsub, mas assisti de novo semana passada e continuo achando que forçaram demais a barra.

    Principalmente porque o Spicer primeiro acreditava na versão da morte dos pais no acidente causado por um motorista bêbado, depois da entrevista cognitiva com o Morgan… olha só, que mágico, ele lembrou de tudo com todos os detalhes! Se eles tivessem mostrado a cena como se fosse em um sonho do Spicer, eu engoliria, mas isso foi ridículo demais, sério.

    E eu também achei um pouco forçado ele matar tantas pessoas pelo país em tantos anos e ninguém achar ligação nenhuma. Todos os crimes eram iguais, com queda de energia na casa e sempre um membro da família vivo.

    Exageraram. Até agora pra mim o pior final de temporada da série.

  5. Fernando dos Santos

    Achei esse um final de temporada apenas razoável, nem dá pra comparar com o ótimo To Hell…And Back(quarta temporada).Aliás de maneira geral a quinta temporada me pareceu um pouco inferior a quarta, mas nada que chegue a comprometer.
    Eu também achei que em Our Darkest Hour houveram momentos em que os roteiristas forçaram demais a barra.Compreendo que as vezes eles precisam tomar algumas liberdades mas nesse final de temporada os autores exageraram.

    Felizmente a média de Criminal Minds ainda é muito alta e acho que a série hoje é até melhor do que há três anos atrás quando despertou um súbito e fugaz interesse da mídia americana, chegando a ser exibida no cobiçado horário pós-Super Bowl.

    As expectativas para a próxima temporada a princípio não me parecem muito boas devido as já bastante mencionadas mudanças na equipe com a saída da JJ,a diminuição das aparições da Prentiss, a possível entrada de um novo membro e o desgaste causado por seis anos no ar.
    Contudo, espero que os produtores consigam contornar tudo isso e tragam uma boa temporada.

  6. bia mafra

    Eduardo, a parte da entrevista nem eh tao inverossimel assim, nao, funciona quase como uma hipnose, o olfato eh nosso sentido que mas nos traz memória, apesar de ser um sentido meio que menosprezado pela gente.
    O que achei forçado mesmo, ai concordo com Andrea, foi o fechamento. ta, o cara eh pai, mas o morgan falou, o cara eh policial, alem de pai, saberia que deixaria a criança muito mais exposta largando a arma do que se continuasse com ela. a gente se desesperaria, não temos treinamento, ele tem e saberia lidar com a razao. de repente o emocional dele tava abalado por saber que eh omesmo cara que matou os pais, ainda assim, forçando a barra para uma explicação.
    resumindo, excelente unsub, excelente episódio, mas uma deram uma forçada de barra para termos o gancho da próxima temporada.

  7. Lu

    Eu gostei do episódio, apesar de não ter sido o melhor. Deu um gancho legal pra próxima temporada. E eu tenho medo dessa sexta temporada. Sem JJ, Prentiss atuando pouco. Não entendo por que mexer em algo que dá tão certo.

    Nada a ver com nada: o Reid está uma gracinha com o corte de cabelo novo! Pronto, parei.

    Sobr eo policial não ter obedecido o Morgan, acho que foram duas coisas: o trauma de infância e o terror de ver a filha naquela situação. Tudo bem, ele é um policial. Está acostumado com situações de stress. Mas ele também é um ser humano. E que comete erros. Neste caso, um erro que custou sua vida. No fundo, eu acho que ele estava meio que esperando por aquele momento. É um pouco como o Hotch e aquele outro serial killer.

  8. Fernando dos Santos

    A reação do Spicer no final do episódio até não me pareceu tão forçada.

    Difícil é acreditar que ele passou mais de vinte anos sem descobrir a verdade sobre a morte dos pais.O sujeito continuou morando na mesma cidade e pelo que entendi permaneceu até na mesma vizinhança ou próximo dela.Ainda por cima entrou para a polícia e seu parceiro já era policial naquela mesma localidade quando o casal foi morto 25 atrás.
    Não bastasse tudo isso, o Spicer ainda se destacou pela atuação como policial naquela comunidade tornando-se bastante conhecido e chegando até a ser tema de reportagem na imprensa local.
    Então como explicar que durante todo esse tempo ele nunca conheceu ao menos uma pessoa que lhe contasse a verdade sobre a morte de seus pais?
    Se tivessem mandado ele pra morar bem longe(tipo em NY) durante esses 25 anos, até dava pra acreditar que ele passasse todo esse tempo sem descobrir a verdade.No entanto ele permaneceu no mesmo distrito.

  9. Fernando dos Santos

    P.S.:O fato dele haver bloqueado a lembrança durante tanto tempo me pareceu plausível assim como sua reação ao ver filha tomada como refém no final do episódio.O que me soou forçado como já disse antes foi ele não ter descoberto a verdade durante todos aqueles que passou vivendo no mesmo lugar onde os fatos ocorreram.

  10. Fernando dos Santos

    correção:”ele não ter descoberto a verdade durante todos aqueles ANOS que passou vivendo no mesmo lugar onde os fatos ocorreram.”

  11. Eliane Moura

    Só pra esclarecer: serial killers NÃO perseguem policiais! É exatamente o contrário, policiais PERSEGUEM serial killers!!
    Conta aí um caso em que o SK perseguiu um policial, foi na casa dele, matou alguém da família! Nunca, né? Pq SK é psicopata, mas não é burro! Ele sabe que se fizer alguma coisa com um policial, TODA a força vai atrás dele.
    Ademais, um detetive e um agente do FBI não sabem que o carro patrulha chega em 4 minutos se chamado? Pq eles não mandaram um uniforme pra casa do detetive? Não!!! O SK chegou primeiro e ainda ficou esperando pra se vingar (!?!?) do menino, que agora é detetive, etc, etc… ridículo!
    Outra coisa; fala aí o nome de um SK horroroso e asqueroso como esse do Tim Burton! Os SKs têm sempre boa aparência, são discretos pq eles não querem chamar atenção e tb não podem espantar a vítima, né? Quem não sairia correndo ao ver aquela versão pós-moderna de It?
    A Dorothea Puentes era uma doce velhinha adorada pelos vizinhos; a polícia desenterrou 8 cadáveres do jardim dela. Jeffrey Dahmer era uma cara bonitão que parecia um modelo, ele matou, violentou e comeu (nessa ordem) a carne de 17 rapazes! Albert Fish era um respeitável senhor, pai de 4 filhos, que raptou uma menina e depois mandou uma carta pra família dela contando a barbaridade que fez com ela. E Ted Bundy, BTK, etc.

    Francamente! Tanta história real boa, e eles não aproveitam.

  12. Gilberto Guerra

    Apesar das falhas foi um bom final de temporada, mas longe de ser o melhor… Dependendo de como for o season premier, as besteiras deste final podem ser concertadas e passar a ser um grande final.

  13. Augusto Galvão

    Eliane, entendo o que vc falou e até concordo com alguns argumentos, mas se for por esse caminho como entender o caso do SK que matou a mulher de Hotch ?

    Concordo com o Fernando, realmente fica dificil acreditar que ele tenha morado tanto tempo no mesmo lugar e ninguém tenha dito a verdade a ele, mesmo que sem querer.

  14. Fernando dos Santos

    Esse clichê do serial killer que persegue o policial ou sua família é de fato uma coisa inverossímil mas já faz parte do gênero,já está enraizado.Cito como exemplo Red Dragon(1981)o primeiro livro do personagem Hannibal Lecter.No final da história um agente do FBI é atacado em sua própria casa pelo SK chamado de Red Dragon.

    Contudo, é errado dizer que Criminal Minds não se aproveita de histórias reais.Em diversos episódios o modus operandi do SK se assemelha ao de maníacos que realmente existiram.Esses casos verídicos inclusive são citados durante os episódios.Quem acompanha a série sabe disso.
    Não se pode julgar a série toda, por causa de ocasionais episódios mais fantasiosos como esse Our Darkest Hour.

  15. sonia gonçalves de araujo

    Gente com tudo que tem acontecido no Brasil, vcs acham inverossimel o Criminal Minds?, eu acho eles estão absolutamente lights, e só para lembrar eu achei inverossimel quando um sk matava os mendigos e dava para os porcos? O episodio foi fantastico eu só lamento que ele tenha atirado no policial e não concordo com a Eliane Moura, todos sk citados já tiveram suas histórias contadas e recontadas inumeras vezes, absurdo e inverossimel é só uma questão de data.

  16. Fernando dos Santos

    Dentre as séries policiais que assisto(e assisto várias), considero Criminal Minds uma das que mais citam casos verídicos.

  17. mazinha

    o final foi forçado sim,mas até que gostei do episódio, porém meio fraquinho para uma SF…pra mim foi a mais fraca SF de CM que vi, e olha que acompanho desde a S1.

  18. Leonardo

    “Criminal Minds” tem crédito de sobra comigo, então eu relevo certas coisas que, no fim, acabam não influindo no resultado geral.

    O fato do sujeito não saber a verdade sobre a morte dos pais, embora pareça fantasia, é bem possível de acontecer…
    O Jack Nicholson (só pra citar um exemplo) descobriu que quem ele chamava de irmã era a mãe e quem ele chamava de mãe era a avó aos 38 anos. Então, não é dificil aceitar o fato de que ninguém contou a verdade pro cara.

  19. José Luís

    Pessoal, nada tenho a acrescentar quanto ao epísódio em questão, eis que todos antes de mim abordaram um pouco de tudo o que se podia falar sobre o mesmo.
    O que me deixa temeroso quanto a qualidade da série, e a saída de alguns atores que deram “cara e corpo” ao seriado. Isso eu considero desrespeiro e trapaça com o público (apenas quando a saída do ator não se dá de forma particular quando, p.ex., pretende se dedicar a outro projeto), o dizem que acontecerá na próxima temporada com a saida da J.J. e da Prentis.
    Lembram como foi com a saída do Gideon e a entrada do Rossi?
    abraços fraternos para todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account