Log In

Reviews

Review: Criminal Minds – …A Thousand Words

Pin it

Criminal Minds - ...A Thousand Words

Série: Criminal Minds
Episódios: …A Thousand Words
Temporada:
Número do Episódio: 112 (5×20)
Data de Exibição nos EUA: 5/5/2010
Data de Exibição no Brasil: 7/6/2010
Emissora no Brasil: AXN

“Um artista verdadeiro tenta criar algo que seja, por si mesmo, uma coisa viva.” – William Dobell, pintor australiano

O aspecto mais perturbador de …A Thousand Words é a união entre duas almas atormentadas, que acabam por destruir um grande número de vidas. Imaginar como elas se reconheceram, se identificaram e optaram por uma vida assim é um mistério que não sei se um dia conseguiremos decifrar.

Mais que isso: se o psicopata é incapaz de amar, de se conectar, por que então o assassino sacrificaria a própria vida para salvar a da parceira de crimes? Se não é amor só pode ser algum tipo de ligação ainda mais doentia.

Pensando apenas em Juliet, a assassina que se torna mãe: alguém consegue imaginar o quanto ela era atormentada após rejeitar o próprio filho, um bebê apenas, pensando que ele também lhe faria sofrer, repetindo um padrão que ela viu a vida toda?

…A Thousand Words é um episódio mais distante da realidade da pessoa próxima que pode esconder um terrível segredo, situação que se repetiu várias vezes nesta temporada, mas nem por isso é menos perturbador.

Falando do trabalho da equipe: Spencer sempre irá me surpreender. Não só por sua mente – ele lendo aquelas dezenas de diários daquela forma – mas pela forma como consegue entender a mente criminosa.

Criminal Minds - ...A Thousand Words


E Hotch pode ser o mais frio e distante, mas é em momentos como aquele em que ele conforta o detetive explicando sobre as vidas que foram salvas e o fato dele se lembrar daquela multa, que ele mostra como um líder deve agir.

Mais um episódio memorável.

Vi crianças superarem com sucesso os efeitos de heranças do mal. Isso se deve a pureza, sendo um atributo herdado pela alma. – Gandhi

P.S. Mais alguém aí curioso para entender o “pecar para ganhar”?

Séries citadas:

11 Comments

  1. mazinha

    Excelente episódio, e o o que mais me deixou curiosa foi o fato da Juliet ao dar a luz se desesperar com o fato de saber que seu filho era homem…”ele vai me magoar tambem” o que mostra que a ligação doentia que ela tinha com o assassino se deve a muitas frustações e abusos que sofreu dos homens em sua vida…isso que é incrível em Criminal Minds, mostra que por tras de uma mente perturbada e assassina geralmente tem um passado de sofrimentos, torturas e abusos…show essa temporada de CM…

  2. David de Carvalho

    Criminal Minds está excelente, mas tão pesado que estou preferindo gravar pra assistir depois.
    Ir dormir depois de histórias tão fortes não me parece interessante.

  3. Luiz Diez

    Criminal Minds é, hoje em dia, uma das melhores séries em exibição.
    Confesso que até pensei que com a saída de Mandy Patinkin a série iria dar uma caída, mas os roteiros continuaram bem escritos, os arcos bem estruturados.
    Joe Mantegna e Paget Brewster substiruíram muito bem a Mandy Patinkin e Lola Gaudini.

  4. Tati Siqueira

    euuuuuuuuuuu, muito curiosa……e cara do Spencer no final qdo perdeu o jogo…..parecia uma criança……

    Gostei muito do episodio, e o melhor de tudo, é que se vc parar para analisar o episodio todo, tudo leva a crer que ele não se matou, mas sim que foi o pai(nas entrelinhas) da menina, ou estarei enganada?

  5. Celia Regina

    Concordo com o Luiz, Criminal Minds é uma das melhores séries em exibição.
    É claro que sou suspeita. Meus comentários são de fã muito apaixonada.
    Ainda assim, fico triste quando percebo uma “pisada na bola”.
    Quem prestou atenção na hora do parto? Alguém viu a moça cortar o cordão umbilical? Eu não vi.
    Mudando de assunto… Eu tive uma infância terrível… um pai extremamente carrasco e violento. Ele nos abandonou quando eu tinha 13 anos. Minha mãe que nunca trabalhou porque ele não permitia, teve que arrumar um jeito de nos sustentar.
    Casei aos 17 anos com uma figura repetida do meu pai. Um homem violento e machista.
    Quando li ” Quem me roubou de mim?” do Padre Fábio de Melo, me identifiquei na hora. Compreendi que minha subjetividade havia sido sequestrada.
    E como Criminal Minds sempre reforça, existem aqueles cujo passado (de violência e abusos) os levam ao caminho do mal. E existem pessoas cujo passado (idem) os levam a combater o mal.
    Eu me incluo na segunda turma.
    Hoje, vivo com uma pessoa maravilhosa que nunca sequer levantou a voz pra mim. Sou graduada, pós-graduada, funcionária pública federal e professora de ensino superior na rede privada.
    Nas horas vagas, sou voluntária e ajudo pessoas, que como eu, foram vítimas da violência doméstica.
    Como diz o NX Zero, dentro de cada um de nós existe o bem, o mal e a escolha certa.

  6. bia mafra

    eh, esse paradoxo, celia, eh dito e reforçado na psicologia, vitimas de grandes tragedias tendem ou a repetir ou a seguir o caminho totalmente inverso. motivos, cada um tem uma teoria, eu acho que eh devido ao parco desenvolvimento emocional, a criança acaba acreditando que aquilo eh amor.

    bem, vendo o lado do entretenimento… eu tambem quero saber o que eh pecar para ganhar!!!! otimas atuaçoes e simone, quanto ao hotch, eu disse a mesma coisa para o meu marido na hora em que eu vi, essa eh a diferença entre o lider nato e o que gosta de liderar.

  7. Carol sm

    Eu gostei muito do episodio, no final quando o Spencer perde o jogo foi muito bom !!

    E eu li na internet esses dias que o Spin-off do Criminal Minds ja tem nome: “Criminal Minds: Suspect Behavior”. E parece que vai estrear lá pra outubro.

  8. mazinha

    PArabéns Célia a sua estória é muito bonita…Deus a abençoe…esse livro do Pde Fábio é lindo né?…
    Com relação ao meu comentário para ficar esclarecido eu não digo que todos que sofrem abuso se tornam pertubados, mas sim aqueles que sofrem de disturbios psicológicos normalmente tem uma causa para ser assim…inclusive em muitas palestras que eu participei em acampamentos na Canção Nova falam sobre isso…é por essa razão que a gente não pode julgar as pessoas pois não conhecemos s estória dela…felismente temos pessoas como você Célia…beijos

  9. Isa

    Eu também não vi a menina cortar o cordão…
    Mas, tirando isso, ótimo episódio!

  10. Daniele Nogueira

    Na primeira temporada o Hotch comenta com um assassino que trabalhava para a máfia que “algumas pessoas que vêm de lares abusivos também se tornam abusadores, mas outras dedicam a vida a persegui-los” – Sempre me perguntei como seria este lar abusivo dele, não foi muito explorado na série.

    Mas, o seriado é fantástico!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account