Log In

Reviews

Review: Californication – Slip of the Tongue

Pin it

Californication - Slip of the TongueSérie: Californication
Episódio: Slip of the Tongue
Temporada:
Número do episódio: 13 (2×01)
Data de exibição nos EUA: 28/9/2008
Data de exibição no Brasil: 11/6/2008
Emissora no Brasil: Warner

Um adesivo de nicotina. Poderia um mero objeto ser o principal personagem deste episódio?

“…son,
Your shit’s fucked up.”
I said, “my shit’s fucked up?
Well, I don’t see how!”
He said, “The shit that used to work–
It won’t work now”.

Warren Zevon, artista já citado na série, finaliza o episódio com sua música “My Shit’s Fucked Up” – perfeitamente inserida no contexto.

Zevon diz:

Cara, você está fodido.

Hank Moody se assusta:

Hã? Como assim eu estou fodido? Não vejo como…

Zevon encerra o assunto:

Aquilo que costumava funcionar, não vai mais funcionar.

Por que o adesivo de nicotina não vai funcionar? Hank conseguiu o que queria: sua esposa de volta; sua família. Mas algo ali, intangível, não funciona. Está ao alcance de sua mão. O maldito adesivo, que o recorda de todas as bobagens que ainda o assombram.

Hank tenta se explicar, tateando seu ombro:

Pô, é apenas um ADESIVO! UMA PORRA DE UM ADESIVO.

Não! Não é apenas isso. É a representação literal de uma vida de excessos, de irresponsabilidades, que agora cobra um alto preço. Ou será que a aparição de algumas das mulheres que caíram na sua cama foi mera coincidência? Não, elas estão ali representando a nicotina, enquanto a sua família é a porra do adesivo. Algo que incomoda, mesmo que esteja visando a um bem maior: sua cura dos vícios. Cigarros e irresponsabilidades.

Mas algo ainda mais subjetivo também critica acidamente certo tipo de pessoas. Uma fauna que nada de acordo com a corrente. A versão americana do “Maria-vai-com-as-outras”.

Em Laurel Canyon, em uma festa na casa de algum produtor poderoso ou artista de rock – não fica bem claro -, Hank conhece o novo namorado de seu ex-caso. Um escritor com pretensões filosóficas, rasas como os livros de Paulo Coelho. Nota-se o brilho nos olhos de Sonja (Paula Marshall) quando ela descreve como sua vida mudou após conhecer o escritor. O desprezo que Hank nutre por esse tipo de literatura, e por esse tipo de gente, é evidente. Fica claro que, por mais que Hank tenha um estilo de vida afeito a Los Angeles, seu coração ficou em Nova York.

Laurel Canyon foi uma espécie de epicentro da contracultura dos anos 60. O paralelo com esse episódio é evidente: o estilo hippie-chique de Mia e seu sucesso fake; “California Dreamin'” no despertador de Hank. O que antes era transgressor, hoje ganha um ar anacrônico. Tudo a ver com Los Angeles; nada a ver com Hank.

That amazing grace
Sort of passed you by
You wake up every day
And you start to cry
Yeah, you want to die
But you just can’t quit
Let me break it on down:
It’s the fucked up shit

Zevon diz:

Hank… o que era bom na sua vida, ficou para trás. Sua vida é uma merda, você quer morrer. Mas não desista, deixe-me acabar com isso, afinal você está fodido mesmo!

Californication - Slip of the Tongue
Hank, escute Warren Zevon. Não arranque seu adesivo. Ele não é somente uma porra de um adesivo. É a sua vida.

Contracultura? O que eu devo escutar?
1. “Déja Vù” – Crosby, Stills, Nash & Young
2. “Forever Changes” – Love
3. “Surrealistic Pillow” – Jefferson Airplane
4. “Moby Grape” – Moby Grape
5. “Winds of Change” – Eric Burdon

Séries citadas:

11 Comments

  1. Jorge P. - DF

    Preciso assistir a primeira temporada…URGENTE(2)

    Bem, essa que começou eu já vi. Posso dizer que o pique continuou o mesmo, vale a pena cada episódio, para muitas risadas e a dose exata de drama.

  2. Paulo Serpa Antunes

    Quando é que sai o DVD de Californication com comentários em áudio do Osório? :)

    Eu gostei desta season premiere, achei muito melhor do que eu imaginava, tendo em vista o jump the shark do final da temporada passada. Digo mais, acho que este foi o melhor episódio da série.

    Porque pra mim o problema é que Californication é uma comédia e por isto tem que pelo menos tentar tirar um sorrido da nossa face. E este episódio teve momentos realmente engraçados.

    E Osório, você não vai recomendar nenhuma canção do Fall Out Boy pra gente ouvir? Rerere.

  3. Osório Coelho

    Bem, o momento mais fraco foi justamente a aparição do Pete Wentz – sempre assustadora. Daí o meu esquecimento intencional…hehe.

  4. Silvia_05

    A cena do Hank botando gelo no seu “equipamento” me valeu a temporada.

    Pena que a outra cena, em que ele literalmente cai de boca na mina e ela “reclama”, não me pareceu muito real.

    Quem não gostaria de ter Hank “slipping his tongue”.

    Sorry, this is me having my Californication moment!

  5. Paulo Fiaes

    Osorio,

    excelente review

    n querendo comparar as séries, mas acho q vc devia ficar com a review da sexta temporada de one tree hill (n adianta negar, eu sei q vc assiste =P) e bom, digo isso pq acho q vc iria conseguir tirar leite de pedra lá, pq eu sou fã de californication, mas somente ao ler suas reviews entendo com clareza tudo q passou nos episodios.

    momemto puxa saco: off

    rsrs

  6. Osório Coelho

    Fiaes, obrigado pelo elogio, mas…One Tree Hill?? Até concordo que exista ali uma série de referências da Cultura Pop, mas…

    Sei lá, posso até fazer um teste e ver se o povo gosta, né? Abraços.

    P.S. Assisto à série sim. Tenho meu lado masoquista.

  7. Fernando dos Santos

    Eu achei esta season premiere do segundo ano muito hilária.
    Os roteiristas continuam conseguindo criar um sem-número de situações impagáveis em que merecem destaque o Hank “caindo de boca” na mulher errada e o agente dele descobrindo da pior maneira que havia uma camera escondida no escritório.

  8. Claudemir Antonio Zamproni

    Puxa vida, começou a toda a nova temporada de “Californication”!!! Acompanhei toda a 1ª temporada, comprei os DVDs e sempre que (re)assisto algum episódio, a sensação é a mesma: estou diante de uma pequena obra-prima. Não é exagero. Nunca vi uma série com tanta ironia, cinismo e sarcasmo embutidos. E que visão do mundo!!! Os personagens perambulam por um microcosmo (universo) em que as observações e as sacadas uktrapassam o bizarro. E, a julgar pelos 02 primeiros episódios exibidos pela Warner, na quinta-feira passada, dia 11, a barra vai continuar pesando. Excelente tudo: interpretações, roteiro (texto e diálogos), fotografia e trilha sonora precisos. Fica uma dúvida, que, espero alguém possa sanar: a Warner continuará a exibir, sempre, toda noite de quinta-feira, 02 episódios, como foi na semana passada???? Espero que sim… E, Osório, parabéns pela análise, simplemente “no ponto”.

  9. paullo kidmann

    ja assisti a 2° season!
    eu gostei mais da primeira!
    desse season os ultimos epis são os melhores!
    e esses 1° eu achei meio chatoo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account