Log In

Reviews

Review: Brothers & Sisters – Compromises

Pin it

Brothers & Sisters - CompromisesSérie: Brothers & Sisters
Episódio: Concessões (Compromises)
Temporada:
Número do Episódio: 28 (2×12)
Data de Exibição nos EUA: 17/2/2008
Data de Exibição no Brasil: 10/12/2008
Emissora no Brasil: Universal

Enquanto Sarah e Kevin tentavam lidar com seus novos/velhos problemas amorosos, Kitty mais uma vez teve que enfrentar os seus maiores adversários: os filhos de Robert. Rebecca às voltas com seu desemprego permanente. Saul lidando com sua sexualidade. Basicamente esses foram os principais pontos do episódio. Não tivemos Tommy. Justin foi um mero figurante e Nora dessa vez foi mais coadjuvante.

Essa história paralela da vida de Holly e Rebecca até que está interessante. Cada vez mais eu acredito que tem alguma coisa errada, que não sabemos a verdade sobre a relação de Holly com o William. A ligação de Becca com David vai crescendo, depois de uma rápida conversa com Nora e Justin, logo no início do episódio, parece que, a agora caçula dos Walkers resolveu usar o seu aparente talento em fotografia para tentar dar um rumo em sua vida. E o ex-namorado de sua mãe, fotógrafo também, está disposto a ajudá-la. E com isso, a pulguinha que fica atrás da orelha sobre a paternidade dela volta a pinicar. Será à toa toda essa afinidade?! Será genética?! Rebeca olhando para a fisionomia da sua mãe nas fotos tiradas por ela me fez pensar. Realmente, Holly não estava nada a vontade durante a sessão de fotografias recheada de perguntas sobre o seu passado. De certa maneira, estou feliz por essa temporada só ter 16 episódios. Acredito que todas as perguntas serão respondidas logo (assim espero).

Em algumas situações Kitty me lembra muito Ally (McBeal) porque tudo parece acontecer com ela nos piores momentos possíveis. Ela, numa atitude bem intencionada, vendo que o marido está estressado com os problemas da campanha e com saudades dos filhos e do irmão, resolve trazê-los para perto. E aí começam os problemas: (1) Isaac foi o responsável pela notícia anos antes sobre a sexualidade de Jason; (2) os enteados ficam doentes; (3) ela pega o resfriado dos enteados e ainda tem que cuidar deles sozinha porque Robert não pode ficar doente também. Num momento carente e precisando de socorro resolve ligar para a mãe que fala uma das maiores verdades sobre a maternidade:

Nora:

Algumas vezes a maternidade significa ‘engolir’. Então, Kitty, vá engolir.

Eu ri bastante porque apesar de não ser mãe ainda, eu sempre tive essa consciência que não é igual a comercial de TV. Algumas vezes você simplesmente tem que enfrentar várias coisas sozinha. Pronta ou não. Porém, mais uma vez, eu termino um episódio incomodada com os McCallister. Primeiro que o Robert não parece ser o cara família que ele fala ser. E aquela conversa dele com o Jason justificando o fato dele estar trabalhando com o Isaac não me convenceu. Talvez a culpa seja da lembrança forte de Rob Lowe em The West Wing. Já no caso do Jason. Ele se tornou pra mim a nova Lena. Eu só quero que ele suma. E olha que ele faz um bem enorme para os olhos.

Eu preciso abrir mais um momento para confissão (desculpa aos que detestam quando a review fica muito pessoal e foge um pouco do seriado). Eu assisto muitos seriados e toda vez que no elenco aparecem atores que me marcaram em outros papéis minha cabeça vira um cross-over (aqueles episódios divididos em duas séries diferentes) ambulante. Quando Saul resolveu ir visitar Milo e quem abre a porta é o Enrico Colantoni eu só conseguia pensar: MEU DEUS O PAI DA VERONICA MARS VAI DISPUTAR O PAI DA SUMMER COM O SLOANE. Precisei reassistir a cena porque não seria capaz de escrever nada sobre ela. De concreto realmente vemos que Saul está tentando se aceitar mas ainda está longe disso. Realmente não deve ser uma situação fácil. Principalmente devido a idade e a criação que ele teve. Cada vez mais temos referências de o quanto a mãe de Saul e de Nora não é um pessoa fácil (lembram da primeiria temporada?). Está na cara quando ele menciona que gostaria de ver a reação da mãe ao ser apresentada ao Isaac que o problema é que, além dele não ser judeu, ele é negro.

E vamos ao melhor momento do episódio para mim: Kevin e Sara no karaokê. Sara recebeu finalmente os papéis do divórcio e está irritada porque o marido vai levar a atual namorada (e ex-mulher) para Paris. (Eu gostaria de saber com que dinheiro). E Kevin após conhecer os amigos de Scotty resolve provar que não é careta. Então a irmã tem a idéia de saírem juntos e fazer o que os Walker fazem de melhor: beber. Kevin escolhe o bar gay que Scotty costuma ir (sem avisar a Sara) com os amigos e começa a beber para tomar coragem de cantar no karaokê e provar que pode ser divertido. No entanto quem acaba se divertindo muito é a irmã. Ela cantando “Believe”, da Cher foi o máximo. Essa música é realmente perfeita pra quem foi abandonada. E ela cantou com gosto. O Kevin cantando bêbado, completamente desafinado, e ao mesmo tempo com a cara mais apaixonadinha do mundo para o Scotty mostrou que existe um lado fofo dentro do advogado durão e um tanto quanto elitista.

Brothers & Sisters - CompromisesE não foi só de bebidas e música que a noite da mais velha dos Walker se resumiu. Ela acabou finalmente tendo sua primeira noite com Graham. Como ela mesmo disse, ela estava bêbada mais sabia muito bem o que estava fazendo. É claro que isso não impede a vergonha do dia seguinte, principalmente, porque ela vai encontrá-lo todos os dias no trabalho. Resta saber como o relacionamento vai ser levado a partir desse ponto.

O episódio ainda teve espaço para cena fofa de Isaac e Nora, discurso de Robert, e Holly não resistindo aos encantos do ex. E que venha a próxima semana.

Tati Leite está substituindo interinamente a colunista Bárbara Reis.

Séries citadas:

Pós-graduada em História Contemporânea, pretende fazer mestrado usando séries como fonte. Seriados fazem parte da sua vida desde sempre. Magnum, Casal 20, Macgyver, Super Vicky são alguns deles. Assiste aproximadamente 40 séries (incluindo algumas já canceladas). Está aprendendo a abandonar séries mas sempre acaba colocando outras no lugar.

22 Comments

  1. Alessandro

    Brothers and Sisters sensacional como sempre. E aguardem pois a terceira temporada, na minha opinião, está até melhor que a segunda. O episódio 3×10 foi perfeito. Pena que quem acompanha pela Universal ainda vai esperar 1 ano pra assistir!

  2. Oi Tati,

    Também adorei este episódio, amei a Sarah cantando e amei mais ainda o Kevin… ele é muito fofo.

    E eu também quero que o Jason suma, não gosto dele, embora seja realmente lindo, mas acho que é um péssio ator… não me convenceu aquela disscusão com o Robert, não me convenceu como padre e não me convenceu como gay, então o ator é ruim mesmo.

  3. Alessandro,
    Nem me fale eu andei lendo un spoilers e estou curiosíssima e danada da vida com algumas coisas. Mas achando outras perfeitas.

    Um ano!??!!! :(

  4. joelma

    pois eu não vou esperar mais, assim q acabar de ver a 2 temporada pela Universal, vou ver a 3 temporada

  5. anderson

    Adorei o episodio, alias nessa temporada estou adorando todos.
    E o review, otimo como sempre.
    Mas mesmo se a Sally Field ficar quietinha sem fazer nada num cantinho, ela sera mais que uma coadjuvante. Vivas para a melhor atriz atual na Tv americana.
    E Rachel Griffits, excelente tambem.
    Kevin e Scotty possui uma sinergia muito boa.
    E no que diz respeito ao Saul, acho que teremos uma boa historia para ele.

  6. Ivonete

    Como sempre, excelente review.
    Mas na parte “Kevin escolhe o bar gay que Justin costuma ir”??
    Justin em bar gay, não seria Scotty?

  7. Tati Leite

    Ivonete: é Scotty. Nem percebi o erro. Valeu. Vou pedir para mudar.

  8. Patrícia

    Ótima review, episódio muito bom também, o melhor pra mim foi a Sara cantando também…

    Essa história de Rebecca e Holly também está me intrigando… qual será a verdade disso tudo?

  9. neto paes

    Sinceramente, eu acho que o sloane,ops, o tio saul merecia um storyline melhor…eu não consigo imaginar o sloane sendo gay…nada de preconceito, mas é que não bate, não encaixa, sei lá…preferia q ele fosse um vilão, ou coisa assim…

  10. Rafael

    Achei este episódio de B&S muito, muito ruim.

    Não foi nada mais do que uma cópia barata de “The West Wing” – que deve ter feito o Rob Lowe corar de vergonha…

    As cenas do Kevin no karaokê foram constrangedoras.

    De bom neste episódio apenas a atuação de Rachel Griffiths, que já faz por merecer um Emmy ou Golden Globe há algum tempinho…

  11. Claire

    Concordo com o Rafael no que diz respeito a Rachel Griffiths.Já passou da hora dela ter seu talento reconhecido.

  12. marília

    Rachel G. é perfeita… uma personagem sem grande estereótipos, ou forçações ou excentricidades… e ela faz do jeito que tem quer ser fácil w gostoso de ver.

    eu amo kevin & scotty!!! Kevin tá tão apaixonado que até passou vergonha… fofo!

  13. anderson

    Gente, serio eu não sei o que está acontecendo com esse povo ultimamente. No teleratings falaram que Lost gira em torno de locke, e agora neste aqui dizem que B&S é uma copia de The West Wing (????)
    è brincadeira né? nunca vi tantos absurdos, precisamos de férias urgentes.

  14. Rafael

    Anderson,

    eu disse que este espisódio especificamente foi uma cópia de “The West Wing” e se você acomapanhou aquela série deve ter percebido as semelhanças.

    (Semelhanças no conceito, pois na execução os produtores de B&S foram muito infelizes).

  15. anderson

    Rafael,
    depois de 8 maravilhosas temporadas de The West Wing, qualquer outra série que aborde política como tema, estará inevitavelmente sendo semelhante a The West Wing.
    Acredito que fora a coincidencia de Rob Lowe participar de TWW e B&S, a trama política de B&S nã tem intenção de copiar TWW.

  16. Mônica A.

    O melhor desse episódio foi a Sarah e o Kevin no karaokê. A Rachel Griffiths é ótima. Também acho que está mais do que na hora de ter seu talento reconhecido.

    Eu já estou acompanhando a 3ª temporada e garanto que está cada vez melhor. Quem não viu ainda não perde por esperar.

    Anderson, The West Wing (série que eu adorava) teve sete temporadas e não oito.

  17. Rafael

    Eu espero que B&S não copie TWW. Se isso acontecer, eu vou ficar muito decepcionado com a série.

    Mas acho que não existe este risco. Vai ver os produtores de B&S apenas erraram a mão neste episódio.

    E TWW teve realmente sete maravilhosas temporadas… (Só falta a última para eu completar minha coleção em DVD).

  18. Tati Leite

    Já que a discussão foi para se B&S está ou não imitando TWW tenho a dizer que: TWW lançou um jeito diferente de tratar política na TV. É natural vermos qualquer semelhança.

    B&S não é uma série política. É uma série que tem referências a política. Acredito ser intencional não desenvolver melhor esse lado. Até pq, não é o público alvo.

  19. Isamar

    quero saber o nome da música e da cantora da chamada da série.Obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account