Log In

Reviews

Review: Arrested Development – Prison Break-In (episódio 47)

Pin it

cena de Prison Break-InSérie: Arrested Development
Episódio: Prison Break-In
Temporada:
Número do Episódio: 47
Data de Exibição nos EUA: 12/12/2005
Data de Exibição no Brasil: 18/4/2006
Emissora no Brasil: FX

Fazer um review de uma série de comédia é bem difícil, agora fazer de Arrested Development é ainda mais difícil. É uma série onde cada episódio possui diversos detalhes que poderiam ser abordados, e onde muitas vezes só depois de ver vários episódios (e revê-los) é que entendemos alguma citações e fatos passados.

Sobre este episódio, Prison Break-In, achei que foi pior que o último e que realmente não trouxe nada de muito relevante para a história da série, parecia um episódio independente. Não gostei também daqueles tombos que o Tobias acaba tomando na cadeira de rodas, achei desnecessário e de mau gosto, Arrested Development não precisa usar este tipo de recurso para nos fazer rir. Mas o episódio teve seus momentos inspirados que mostram o porquê gostamos tanto da série, e vários momentos muito engraçados e que irei listar no final.

Pequeno Resumo: George Sr. tenta fugir novamente e consegue, mas no final acaba voltando a estaca zero. E também acaba se acertando com a Lucille novamente. O Michael, após o final de seu romance, volta suas atenções para sua mãe e a relação de seus pais e aprende que é melhor não tentar entender os dois. Tobias faz um transplante capilar que não dar certo: o transplante acaba rejeitando seu corpo e ele não quer retirar seu cabelo, mas se não o fizer morrerá. Os Bluths fazem um novo evento para arrecadar fundos em cima de uma doença (adivinham a escolhida?), o que acaba se transformando numa verdadeira rebelião quando os participantes descobrem que a doença tem uma cura: basta retirar os implantes!

cena de Prison Break-In Destaques do episódio:

– Teve a participação especial de James Lipton (apresentador do Inside the Actor’s Studio, que passa no Multishow), como Warden Gentles.

– Seu personagem tinha escrito um roteiro sobre a penitenciária. Os trechos onde são mostrados os netos dele interpretando esse roteiro como uma peça escolar é super engraçado!

– O título do episódo é uma referência a Prison Break, outra série da Fox.

– Outra referência (entenda-se paródia) a Prison Break é quando o Michael e o Gob querem entrar na prisão onde está ocorrendo a arrecadação de fundos dos Bluth e, como não conseguem (tentam com a mochila foguete, lembram do episodio Mr. F?), Michael fala “gostaria de conhecer a planta deste lugar.”. E Gob levanta a camisa e diz que já tinha pensado nisso e que desenhou na barriga o planta do lugar. Ele desenhou a caneta e a planta ficou de cabeça para baixo (se imaginem desenhando). E, imaginem como outra pessoa conseguiria ver o desenho direito, e irão visualizar a cena como ela foi, hilária.

– O George Michael acha que terá o melhor momento de sua vida quando pensa que irá passar uma noite inteira trancado com Maeby numa cela. Acontece que na verdade ele tem é o seu momento mais infeliz, quando entra na cela errada e passa a noite com o seu moribundo tio Tobias.

– Falando em George Michael, numa das arrecadações anteriores mostradas, aparece novamente aquele vídeo onde ele está imitando um guerreiro jedi.

– É mostrado que o Gob tem um trauma (ele viu seus pais tendo relações no trailer conjugal na prisão a dois anos), mas havia recebido um golpe na cabeça e esquecido o ocorrido. No final do programa, no entanto, ele encara esse trauma de novo. Essa parte é genial e vejam o que ele fala nessa hora:

Espere, eu já vi isso antes. Oh, Deus, eu já vi isso antes!

– É feita uma referencia a Seinfeld por George Sr., quando se fala em encolhimento. O site traz TV.com traz mais detalhes: no episódio The Hamptons, George Constanza é flagrado nu e com “encolhimento” após nadar. Segundo o IMDB.com, descobri que esse episódio de Seinfeld é o 20° da quinta temporada.

– O Oscar volta a aparecer, só para ser preso no lugar de seu irmão novamente.

– Esse trecho, que é narrado após a confusão no evento que aconteceu na prisão, vale a pena ser posto aqui:

Assim como os prisioneiros provaram que poderiam dar um jantar como os ricos, os ricos provaram que poderiam fazer uma revolta como os prisioneiros.

É isso. Há varias outras coisas que de poderia falar do episódio, como da tartaruga do Buster, mas o texto iria ficar gigante. Até a próxima.

Séries citadas:

12 Comments

  1. fer

    pois é, os episódios da terceira temporada eu só vi uma vez até agora. mas pelo que eu lembro, esse foi um dos que eu menos gostei, tbm.

    mas é claro, como eu sempre digo, ver um episódio de AD apenas uma vez é vê-lo pela metade, pq metade da graça está nas revisões ;-)

    gostei muito dessa review tbm, beijos pra ti!

  2. Anderson Vidoni

    Como minha única leitora não poderia deixar de agradecer a mensagem que deixou, então obrigado!

  3. Lobato

    Vale notar que não havia muito com o que fazer paródia a mais com Prison Break. Afinal de contas, a 1a temporada de Arrested é tiração de sarro total com o que um homem branco rico americano possa ter no imaginário em relação a prisão (afinal, Arrested Development SEMPRE foi meta-linguístico. Não só em “S.O.B.”). Como o seriado sempre lidou meio que com expectativas de ficções de prisões e essa inversão de classes (talvez até uma razão a mais pelo título da série, que é o nome de uma banda de hip-hop dos anos 90), ja canibalizou total qualquer ficção que poderia vir a ser feita no futuro com prisões.

    Ver, p/ exemplo, os episódios “Key Decisions” que Gob fica no papel do “Not so frighten in-mate #2” e os que Tobias passa tempo também lá dentro. Enquanto Gob se acha super-f#da, extreme e machão por fazer a proeza (numa trama quase espelho da de Prison Break — entrar na prisão para se encontrar e reconciliar com uma figura paterna, depois de, é claro, ‘lidarmos’ com medos que uma prisão viria a trazer), o show trata ele com um humor tão sardônico que faz Gob pegar a “Tocha-Olímpica” de Tobias (seu ‘medo de compromisso’ com Marta; a viradinha de mão nas cores do arco-íris; seu senso de inferioridade com Marta e o pai; “engolir chave” com “Jameson” como “lubrificante”; “facadas” etc)

    Detalhe extra:
    – Quando Michael convence de Gob entrar na prisão, o ilusionista diz “não é um Mambo Juice. Vai ser fácil entrar”. Enquanto no Prison Break, a fala era “Não é um loja Mambo Juice, rapazes.” (mambo juice é uma loja natureba de sucos etc)

    Dá uma checada no Wikipedia, Television-Without-Pity e no The O.P. Todos episódios comentados com cada detalhezinho FDP…

    Tá de parabéns, cara! Trazer atenção para Arrested (ou sequer assistir!) sempre merece um tapa nas costas!!!

  4. Anderson Vidoni

    Lobato chamar a atenção para a série foi uma de minhas intenções.

    O site do Wikipedia, eu já conhecia(Além de o usá-lo) e os outros já tinha dado uma passada além é claro de consultar o tv.com que faz um trabalho parecido com o do wikipedia.

    E achei maravilhoso seu comentário, e visão desse universo de Arrested, não sei se conseguiria faze-lo tão bem.

    E quanto aos “detalhezinho FDP”, há diversas sitações a varias coisas, além da propria série, que ficaria inviavel escrever sobre todas elas, como disse no começo de meu texto.

    Assistir a série é um prazer, assim como escrever sobre ela. Ler o seu comentário assim como o das outras pessoas que o fizeram, mostram que não estou indo tão mal, nessa tarefa, quanto achei que seria.

    Muito obrigado pelos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account