Log In

Opinião Reviews

Review: A volta do American Idol

Pin it

Cena de American IdolSimon Cowell jamais demonstrou empolgação ao participar do American Idol semanalmente, mas no episódio de estréia desta sétima temporada, que a Sony exibiu nesta quarta-feira, o jurado impiedoso não demonstrou excitação nem mesmo em criticar ardilosamente os candidatos. Quando seus companheiros de bancada, Paula Abdul e Randy Jackson, riam escandalosamente, eis que ele permanecia num olhar remoto, e só após alguns instantes esboçava alguma reação. Não sei até que ponto pode ser divertido ver um programa (ou ao menos um pedaço dele) em que a maior atração parece tão cansada e infeliz na tela.

Como conjunto, a premiere do reality teve tudo, mas nada desse “tudo” esteve completo. A edição imprimia um ritmo rápido que tanto por parte dos participantes quanto dos jurados e do apresentador não houve retorno ou o suficiente para alimentar essa velocidade. Alguém pode argumentar que foi o caso de uma cidade sem grandes destaques e por isso faltou a diversão costumeira, e eu não apenas concordo como espero que tenha sido exceção. Mas, ainda assim, pergunto-me: até que ponto as piadinhas visuais e o cinismo dos jurados dependem do lugar em que a caravana do programa se encontra?

Os melhores momentos do episódio também foram estranhamente posicionados. Em nenhuma temporada, uma audição classificada pelo próprio apresentador como “possivelmente a mais estranha de todas as temporadas” ficaria no terceiro ou quarto bloco. Sim, estou falando daquele rapaz das notas graves e que cantava com a língua dobrada. O resultado foi um episódio mais emocionante que divertido, já que os participantes com maior destaque (aquela garota de dezesseis anos com a mãe na cadeira de rodas, mal respirando, por exemplo) estavam ali pela emoção. Talvez resida aí um dos sintomas para o vazio da estréia, e um episódio de audições sem graça ninguém quer ver. O dedo fica coçando para mudarmos rapidamente canal e ver o relógio da própria tevê mostrar por dez segundos contados qual é a hora.

American Idol realmente cresce lá pelo final de fevereiro e início de março, quando a palavra “top” (24, 20, 16, 12…) fica no topo de vocábulos mais usados pelo idol-maníaco. Analisar nota por nota, ficar esperando terminar o programa para elogiar um agudo ou um grave de determinado participante com amigos ou em algum fórum online e, finalmente, exercitar o puro prazer de ser fã é o melhor que o programa proporciona. Nos shows, o programa jamais falha, porque a edição é competente e o apresentador, apesar de seus detratores fazerem muito barulho, também funciona. Quando algum episódio não vai bem, a culpa é sempre dos participantes, porque foram mal. Eu não me recordo de um show em que a direção do programa falhou, por isso mesmo acho que o programa mereça um Emmy – não por ser melhor que The Amazing Race, o vencedor burocrático, mas por ter competência e relevância sobeja para ao menos uma estatueta.

Cena de American IdolEspero que no episódio de quinta-feira o programa esteja melhor. De verdade. Se houvesse a opção de escolher apenas um adjetivo para a premiere, seria “desafinada”. A pior, mais dissonante das notas foi a final, quando uma participante comum como água cantou e a narração do apresentador por mais de três vezes tentou nos vender a idéia de que ela era “uma das melhores” e que “o final guardou o melhor”. Isso eu jamais imaginei ver no American Idol: uma opinião empurrada. Fosse dos jurados, a gente poderia (e provavelmente iria) discordar com força. Vindo do apresentador e de forma tão consciente, aquela nota foi um tanto quanto aguda, provando que, de acordo com os princípios da física, elas incomodam.

Como Randy Jackson disse ao início, não dá para acreditar que seja a sétima temporada – é muita coisa, e não dá para acreditar que o pior episódio de audições do reality tenha vindo a essa altura, aonde experiência deveria ser uma das virtudes inflexíveis do programa. Mas agora já foi ao ar. I’m finished.

17 Comments

  1. Pedro

    Gostei do premiere… masss estranhei o Simon tão xoxo!!
    Agora a hora do carinha cantando o “grave” me acabei de rir junto com Paula e Randy!!! hahahaha

  2. Paulo Antunes

    Gustavo, sempre tive minhas diferenças com tuas opiniões do AI, mas nesta aqui tu leu a minha mente.

    Eu estava assistindo pelo DVR e ficava avançando e torcendo pra chegar no finalzinho da gravação!

    Achei tudo muito artificial e forçado – tanto os candidatos emocionantes como os engraçados (o espaço praquela Janis Joplin carnavalesca foi completamente exagerado. Parecia que estava assistindo luta livre, tudo parecia arranjado).

  3. sandra

    [b]Eu comecei a assistir AI na 5a. temporada, e a atração principal sem dúvida é o Simon, os participantes são meros detalhes… mas vamos ver se melhora, eu também como o colega acima assisti gravado e passava rapidinho… mas vai melhorar…[/b]

  4. Josias

    Eu gostei do 1º episódio…
    Se bem que o segundo ontem foi melhor.
    Fiquei com pena da menina que tinha a mãe doente e fiquei com muita pena daquela que tava de princesa Léia também!
    Por que ela pelo menos tentou e ela não cantava tão ruim, só que não era à nível do AI.
    O desabafo dela no final foi bem emocionante e ela tava certa sobre algumas coisas, por exemplo, quando ela fala que eles precisam de algo diferente no programa.
    Bom, mais como eu sou fanzasso do AI não vi muitos defeitos desse episódio.
    E que venha os próximos episódios…

  5. Darth Cesar

    Esse Simon é o cara mais mascarado da historia da tv, pode até ser competente, mas toda sua fama vem de fazer os candidatos de palhaço.

  6. Cristiano (Highlander_Master)

    Discordo de dizer que ela é uma cantora comum, pra mim era é uma das favoritas a ganhar o american idol. E como eu sempre acerto do inicio, podem ir marcando o nome dela pra lembra depois…

    E até que foi divertidinho os 2 primeiros dias…

  7. Tatiana

    e o cara com a capa…….que no fim estava vestido de dançarino do ventre(e a Paula pediu para ele se depilar)que papel ridiculo as pessoas prestam………eu gosto mais qdo chega nos tops…..ontem eu perdi……

  8. Josias

    Eu só sei de uma coisa:

    I AAAAMMM YOUUUR BROOOOTHEEERRRR
    YOUUUR BEEEESTTT FRIEEEND FOREEEEEEVEEEERRRRR

    “Quem assistiu ontem sabe do q eu tô falando!”

  9. Rodrigo

    American Idol é American Idol. O formato é assim e será assim até cancelarem. Os produtores disseram que iriam focar mais na história dos participantes, mas está ficando muito mexicano. Forçado demais…

    …a Paula é uma retardada. O cara cantando “I am your brother ontem” era muito sem graça e a Paula ficava fazendo umas gracinhas que eram de dar uma vergonha por ela…

    Mas American Idol ainda é o melhor reality show pra se assistir!

  10. Daniela

    Gostei do American Idol, mas tbém achei o Simon muito mole… Não tá brigando quase nada com os concorrentes. Mas que eu dou muita risada com os participantes “nada a ver”…. É muita cara de pau não saber cantar e ir passar vexame.

  11. Eu não consigo me divertir vendo os outros passarem vergonha, mesmo que seja por livre e espontânea vontade deles (ou imbecilidade mesmo).

  12. LucianaB

    Gente, Achei o episódio de ontem péssimo!! Vcs falam do Simon, mas a Paula não se dava nem ao trabalho de olhar para os candidatos, que aliás, eram em sua maioria patéticos e deprimentes. Os três jurados não disfarçavam o mal estar… E o canditado que disse gostar do Simon pois ele era sincero… a Paula e o Randy ficaram irados!!! Nossa, acho que não assistirei essa temporada, pois aparentemente, ela não irá ser grande coisa

  13. Rubens

    Essa nova temporada de American Idol estreou nos EUA com 4 milhoes de telespectadores a menos em relacao a 2007. Depois disso, só está perdendo audiência a olhos vistos… Alguma coisa vai ter que mudar, e rápido!

    estréia em 2007…… 37,5 milhões
    15/01/2008……….. 33,24 milhões
    16/01/2008……….. 30,28 milhões
    22/01/2008……….. 29,05 milhões
    23/01/2008……….. 26,80 milhões

  14. Dods

    Essa temporada do AI promete!!!!! Tem vários bons candidatos… A pior temporada foi a última que teve, mesmo com a Jordin sendo uma exelente cantora, os outros participantes não estavam no mesmo nível… A Melinda era a única que se salvava, o resto era péssimo! Pior do que a 6ª temporada dúvido que vai ser!

  15. Marcos_Ce

    Pessoal, não sei se tem aqui algum órfão da Carina Martins como eu, mas em época de AI eu sinto falta do Blog dela, o Zapeatrix. Comentando o post, eu discordo da opinião de muitos, que dizem que o programa melhora nos tops. As minhas fases preferidas são essas dos malucos e as dos grupos se apresentando ainda no hotel. As apresentações são legais, quando tem alguém por quem você realmente torce. Abraços!

  16. marcelo

    Um dos programas de maior audiência da tv ocidental, o “American Idol” vem mostrando vozes notáveis. masculinas e femininas – e só por isso, a meu ver, ele se justifica, numa TV que apresenta muitas vezes programas pra lá de medíocres. Saudades duma Fantasia Barrino, dum Clay Aikens, duma Melinda Doolittle – e isto pra mencionar só os últimos. Quanto aos jurados, gosto bastante dos três, particularmente do Simon, que faz o tipo meio esnobe e crítico mas que entende profundamente de música e de timbres. Vamos ver o vencedor (ou vencedora) do “AI” 2008…

  17. Maria

    Gosto mto de ver o AI as audições são mto engraçadas é uma pena que aqui no Brasil não se valorize os talentos que aparecem em programas de calouros, tem mta gente boa sim, mas aqui não há interesse. Outra coisa a imprensa brasileira tem mto preconceito pq até hj não li nada de bom a respeito da Kelly Clarkson(vencedora da 1a temporada em 2002), só sabem falar mal da menina que tem um talento inquestionável, inclusive a chamando de semi-profissional, fabricada e outras coisas, é uma pena que não saibam reconhecer uma grande artista simplesmente pq começou da forma que conseguiu, eu sou uma admiradora dessa garota que já provou que é uma grande estrela, e como disse o próprio Simon em uma entrevista…. “não foi ela quem teve a sorte de participar do AI, mas sim nós de encontrá-la, e o que ela vendeu no Reino Unido, Europa e Ásia, não tem nada a ver com o AI, mas sim com sua voz incrível e músicas excelentes”, concordo plenamente com ele!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account