Log In

Reviews Spoilers

Review: 24 Horas – Day 8: 4:00 P.M.-5:00 P.M. e 5:00 P.M.-6:00 P.M.

Pin it

24 Horas - Day 8: 4:00 P.M.-5:00 P.M.

Série: 24 Horas
Episódio: Day 8: 4:00 P.M.-5:00 P.M. e 5:00 P.M.-6:00 P.M.
Temporada: 8ª
Número do Episódio: 169 (8×01) e 170 (8×02)
Data de Exibição nos EUA: 17/1/2010

24 Horas começa sua temporada de uma maneira bem diferente do que nos acostumamos. Jack agora é vovô e muito próximo de sua família. Exatamente por isso a série começa sem tantas ações centradas em Jack Bauer. A parte interessante se desenvolve mais na sede da ONU, onde a presidenta Taylor tenta fazer um acordo com um líder representante do Oriente Médio para um acordo de desarmamento nuclear. Também temos a volta da CTU e uma perdida Chloe no meio da nova reestruturação na agência.

Achei que esses dois episódios careceram da costumeira ação que sempre marcou o começo de cada temporada. Nada de perseguição de carros, batidas ou grandes tiroteios. Na CTU, diferentemente de outras temporadas, o clima é mais high tech, diferente da CTU inicial que possuía uma atmosfera bem fria. Vale destacar que a neta de Jack Bauer encanta qualquer um e realmente parece que é neta dele, o que não é fácil de conseguir já que a menina é bem nova.

As tratativas entre Taylor e Omar Hassan na sede da ONU também são destaque. Hassan se mostra um líder ponderado e respeitado, mas parece ter um casamento de aparência.

As coisas se complicam quando uma repórter é implicada em sua tentativa de assassinato. Como não poderia deixar de ser a história permanece um mistério. A princípio os personagens de Katee Sackhoff e Freddie Prinze, Jr. não acrescentaram em nada nestes dois primeiros episódios, pois ambos parecem dois namorados trabalhando na CTU, uma nova versão de Tony e Michelle. O diferencial é que o personagem de Sackhoff parece esconder uma identidade obscura que ela teme que seja revelada. Do lado de Hassan, parece que o principal objetivo será desacreditá-lo perante os demais lideres do Oriente Médio e enfraquecer o seu poder, e tudo orquestrado pelo seu irmão, mas ainda sem saber o que ele lucraria com isso.

24 Horas - Day 8: 4:00 P.M.-5:00 P.M.

O novo chefe da CTU, para variar, também promete dificultar a busca de Jack pelos autores do atentado a Hassan O momento mais marcante para Jack nessa sequência de dois episódios foi o momento onde Chloe pede a ajuda dele, pois ela desconfia que a repórter não seja culpada e está sem do incriminada. Foi uma cena bem triste quando Jack se nega a ajudá-la, apesar dos sacrifícios que ela já fez por ele, que apenas quer ir para Los Angeles com sua família e recomeçar uma relação com sua filha.

Mas para a série poder se desenvolver é obvio que teríamos uma virada e o bacana é que Kim, mostrando conhecer bem Jack, o deixa ir. Interessante ver Kim que tanto odiava o trabalho do pai tomar essa decisão. Estes dois episódios careceram de ação. Mas a necessidade de mostrar uma nova etapa na vida de Jack foi uma maneira de mostrar que Jack mudou bastante e que muita coisa mudou em sua vida nesse intervalo de temporada.

Séries citadas:

Luiz Marcelo é advogado. Fã de Lei & Ordem, Desperate Housewives, Grey's Anatomy, 24 Horas, The Good Wife e The Shield.

11 Comments

  1. Thiago Sampaio

    Sou fã de 24 Horas, mas… acho que pegou leve, Marcelo. Os episódios não careceram só de ação. Faltou foi muito mais coisa. Talvez oito anos sejam demais e os novos personagens são comparados aos clássicos (Tony e Michelle), mas dessa vez quase nenhum personagem deu certo e foi tudo muito, muito cadenciado.

    Pra não dizer que odiei tudo: gostei da nova vida de Bauer. Foi meio forçado, tudo muito “vida feliz” e cheio de exposition, mas eu gostei mesmo. O cara tava precisando disso! Mas acho que voltar à ativa por que queriam matar o presidente do Irã? Tipo, não sou um cara frio, mas precisa arriscar o pescoço pra isso tudo? Não foi nenhum “when I think I was out, they pull me back in”. Foi uma motivação fraca para o retorno.

    E a CTU? Minha nossa, como ela está tosca e idiota. Hi-tech demais. Não gostei nenhum pouco desses paineis de vidro e tuneis sombreados pela ventilação. A Starbuck tá péssima (aposto que o segredo é uma cirurgia de troca de sexo), Freddie Prince Jr. não foi mal (mas ele é o Fred de Scooby Doo!), Chloe está muito subalterna (ela nunca que ficaria atrasada em tecnologia) e o novo chefe da CTU é um babaca incompetente (e essa corcunda que não se endireita?!)

    Na área política, a presidente dos EUA continua muito bem, mas o do Irã tem um topete que não convence, seu irmão exagerou na chapinha e foram cenas até demais com diálogos arrastados.

    24 é conhecida por suas boas cenas de ação e falhas de roteiro. Tenta acreditar na força da premiere em seus fracos roteiros e diálogos não foi a decisão certa. Mas.. o jogo pode mudar. O 6º ano teve um início bombado de adrenalina e deu no que deu…

    Ah, mais uma coisa: NY. Se a produção mudou a ambientação pra NY, porque diabos não filmam logo em NY?! As cenas externas estão falsas demais. É chroma-key muito na cara e não tá dando certo… Isso pode acontecer em séries sci-fi, BSG e Caprica por exemplo, pois a cidade futurística não existe, mas compramos a idéia do “tá bem feito, quase real”. Por outro lado, isso não pode ser feito com a NY de hoje, pois mesmo com avanços gráficos, ficamos pensando no “tá mal feito, não se parece nada com NY”.

    Ehr… não me empolguei nenhum pouco com esse começo de série. Jack apareceu pouco, Chloe tá uma caricatura careteira, o staff da CTU é anêmico… só gostei mesmo da Kim (quem diria), dizendo que o pai pode salvar o mundo antes de ir pra casa.

    Bem, ainda faltam algumas horas. Vamos ver como as coisas ficam até lá

  2. Cristina

    Com certeza faltou açao a cena inicial bem que podia começar de um forma excelente: A morte de Kim Bauer! Bem sonhar naum custa nada….

  3. Roberto_R

    Quem quiser ver o mesmo de sempre em 24 Horas é so assistir as 5 primeiras temporadas, a 6ª pessima e a 7ª mais ou menos. Gostei do inicio, mudou coisas que ja estavam cansativas. O que me encomodou foi a CTU hi-tech. Aquele diretor vai dar muito problema, não por ser corrupto ou coisa do tipo, mas sim pelo ego dele, o cara se acha o bam-bam-bam.

  4. Cristiano

    alguém pode me dizer quando essa nova temporada de 24 horas estreará no Brasil?

  5. Tom

    Achava que era só a mim que me incomodava aquela “corcunda” do novo chefe do CTU…

    Oq me surpreendou foi qdo a Kim finalmente mostrou entender o pai… Já a Teri Bauer, não tem como não adorar aquela menina hehe, atua mto bem.

    Já o Freddie, não me convence, não é nem pela atuação… acho que chamar alguém mto famoso p/ fazer outro tipo de papel q tá acostumado, precisa ser um excelente ator p/ convencer…

    Ah, eu tou adorando a relação da Chloe com o novo chefe, me lembra dela no começo da 3ª temporada, toda rabugenta…

  6. Eduardo

    Vou discordar e afirmar que pra mim esse foi um dos melhores inícios de temporada que já foram escritos na série.

    Não partilho da opinião de que 24 Horas possui a obrigação de começar a ação com uma bomba seguida de um tiroteio logo nos primeiros cinco minutos. As primeiras temporadas nunca precisaram disso. O primeiro ano, especificamente, não engatou o suspense até o sexto episódio da temporada.

    Uma coisa que Howard Gordon, Evan Katz, Manny Coto e Brannon Braga (os autores da série) acertaram foi em dar mais espaço pra trama respirar, e pra introduzir os novos personagens, mantendo um pouco de mistério nas motivações deles. Acho que é apenas o início, e muito bem executado pela direção sempre excelente do produtor Brad Turner.

    Katee Sackhoff foi um pouco inconsistente e forçada na primeira hora, mas começou a pegar bem o papel na segunda. É uma questão de desassociar ela de Starbuck.

    Nunca tive esse preconceito com Freddie Prinze Jr. por causa de sua fama. Já apaguei Scooby-Doo da minha memória há muito tempo. Na verdade, achei ele bastante surpreendente no papel. Esse tem potencial para suceder Jack Bauer. Ele dá a impressão de um agente não-testado mas capaz, só que muito mais realista do que Chase Edmunds.

    O ator que viveu o novo chefe de estado também me impressionou. Esse pode, com mais tempo, suceder Ethan Kanin, que também fez um belo trabalho nos passos de Mike Novick.

    Visualmente, a nova CTU foi exatamente o que a série precisava. Mais apelo visual atrelado a inovações de arquitetura. Já tinha cansado da velha CTU. O FBI foi uma bela quebra do visual por uma temporada. Agora a nova CTU quebra isso novamente, mostranto sua revitalização nos olhos do governo, que foi um tema relevante na temporada anterior.

    O primeiro tema evidente nessa temporada é o fato dos velhos heróis estarem claramente “velhos demais pra essa onda”. Ethan Kanin já reduziu sua carga, e Jack Bauer já é avô. Tem tudo pra ser sua última jornada no mundo no qual está acostumado.

    O fato de Chloe não ter se acostumado aos novos protocolos e reestruturações da CTU também mostra que ela já está ultrapassada. Pra mim isso é tão relevante quanto a utilidade de Jack no mundo atual.

    A jornada de Jack voltou para o mesmo ponto em que estava quando voltou a morar com Teri no primeiro ano. Após 7 temporadas de sofrimento, a vida lhe deu uma segunda chance de felicidade, e mais uma vez, ele vai ter de botar essa chance no risco. Kim também impressionou ao apoiar Jack em sua decisão.

    Quem também deixou uma boa aparência foi Anil Kapoor como Hassan. Ele já havia chamado minha atenção no filme do Milionário indiano. E adorei ver Horace de Lost como vilão.

    Ainda tenho de ver o que rola das 6 as 8 da noite. Finalmente uma temporada começou no final da tarde. Estou antecipado.

  7. Mica

    Eu ia fazer uma pergunta…mas aí me dei conta que esse é o review só dos dois primeiros episódios O.O

    @Eduardo, concordo plenamente com você. Eu não me importei nem um pouco com o ritmo mais lento. foi tudo cliché, pq sempre sabemos o que irá acontecer em todo santo episódio, mas gostei da diminuída no ritmo.

    Também concordo sobre o Freddie Prinze Jr e todo o resto. Só que quando eu vi o assassino, não foi do Horace (de LOST) que eu lembrei, mas sim do Eugene Tooms (de Arquivo X) ^_^.

  8. Cristina

    Nossa eu achava que só eu que lembrava dele como Eugene todo a vez que o via. hahaha!

  9. Pingback: Tweets that mention Review: 24 Horas – Day 8: 4:00 P.M.-5:00 P.M. e 5:00 P.M.-6:00 P.M. » TeleSéries -- Topsy.com

  10. Gabriel Paixão

    Acho que eu estava esperando uma coisa e apareceu outra. Não achei ruim, mas concordo com o Thiago que faltou um pouco de cada coisa. Especialmente senti falta daquele Cliffhanger acontece sempre que uma hora cheia termina e me faz ficar esperando pela próxima hora.
    Nenhum dos cliffhangers dos quatro primeiros episódios foi empolgante para mim e essa história de interferir na compra de armas já foi batida lá na monótona 3ª temporada. Vamos aguardar.

  11. Heloisa

    Acho que ninguém vai voltar aqui depois de tanto tempo. Mas mesmo assim vou deixar minha opinião: DETESTEI esses 2 primeiros episódios. É mais do mesmo, e muito, muito sem graça… Acho que entendo porque desistiram de dar continuidade à série… Meu Deus! Apesar de amar Jack Bauer, minha paciência com a série se esgotou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account