Log In

Reviews

Revenge – Ashes e Meteor

Pin it

Série: Revenge
Episódios: Ashes e Meteor
Número dos Episódios: 4×03 e 4×04
Exibição nos EUA: 11/10 e 18/10/2014
Nota dos Episódios: 8

Os dois últimos episódios da atual temporada de Revenge provam uma das características mais marcantes da série: sua oscilação. Enquanto Ashes foi bem mediano (e isso eu percebo também pela quantidade de vezes em que eu checo meu celular enquanto assisto) Meteor foi um dos mais bem construídos episódios da série.

Como é recorrente em Revenge, há muitos episódios escada, que só servem para elevar a tensão para o seguinte. Foi assim em Ashes. Nele, Victoria continua seu plano, assim como continua usando o mesmo vestido desde a season premiere, e como se não bastasse, ainda colocou uma jaqueta jeans por cima. Acho que só por ser obrigada a usar jeans Victoria já justifica sua vingança. A agenda da Greyson consistia em monopolizar David Clarke, mas ela logo percebe que inevitavelmente tem que somar Charlotte à equação da nova família. Ao apresentar Charlotte para seu verdadeiro pai, Victoria mente dizendo como foi a adolescente que conseguiu a confissão de Conrad que inocentou o amante, tirando, claro, a participação de Emily nisso tudo. O quanto ir6onico é ela se orgulhar dessa ação de Emily?

Já a própria Emily resolveu não denunciar Charlotte pela tentativa de homicídio e ainda convenceu Jack a deixar pra lá o incêndio criminoso que a garota provocou. Tudo bem, é só o lugar em que o cara passou toda a sua vida e a única herança de seu pai, então, pra que ligar pra coisas bobas como incêndios criminosos. Não é como se ele fosse um policial.

Nolan e seu novo penteado conseguem rastrear o celular de Charlotte e descobrem a cabana da nova família Clarke. E Emily resolve ir lá bater um papo, e é aí que nossa tensão começa. Será que ela vai encontrar o pai vivo? Bom, não dessa vez, porque o que a recebe é Victoria com uma espingarda. Emily desafia a rival a atirar, e Victoria praticamente responde “not today” #arya #GoT. Segundo Vic, morte é algo muito fácil para se dar a alguém que destruiu sua família, e temos certeza de que Emily não só entende o sentimento quanto pensa o mesmo. Mas será que a loira realmente falava sério quando pedia pra Victoria puxar o gatilho ou só estava blefando? Emily parece cansada nessa temporada, mesmo reafirmando em episódios passados que a vingança é o que a motiva. Aparecer na cabana assim, de cara lavada, sem plano algum, é um indício de que ela não é mais uma jogadora tão ávida quanto nas temporadas anteriores. Sua falta de planejamento também fica evidente em Meteor.

O episódio do último domingo foi um alívio pros fãs de Revenge. Estávamos já achando que não tinha mais suco pra espremer dessa laranja, quando os realizadores nos dão um episódio tão refrescante como os da primeira temporada. k inicia com os desdobramentos do acontecimento que fechou o episódio anterior: David Clarke, manipulado para crer que Emily é uma ameaça à vida de Charlotte, faz uma visita noturna à antiga casa de Victoria com o intuito de matar a moça que nem imagina ser a sua filha. David quase realiza seu plano, mas algo em Emily lhe parece familiar, e enquanto encara a filha dormindo, Nolan já chega atirando no invasor.

No dia seguinte, Emily, pensando que o atentado se trata de outra investida da irmã Charlotte, não quer denunciar a invasão, e mesmo sob seus protestos, Nolan o faz. O hacker, além de ter sido obrigado a usar um penteado ridículo nessa temporada, ainda não tem storyline própria e parece um pouco perdido, mas ao menos já vemos nele um poder maior sobre Emily, ao ignorar seus protestos e agir com suas próprias convicções. Ora, a verdadeira Amanda Clarke age, desde que chegou nos Hampstons, segundo sua própria ética, fazendo-se de acusadora, juíza e executora. É compreensível que a polícia nunca será uma opção em sua microrrealidade construída baseada na perda do pai. Por isso ela precisa tanto de Nolan, um visitante que a trás de volta pra realidade em alguns momentos, lembrando que pessoas normais, quando sofrem invasões, chamam a polícia.

Avisado de que há um criminoso provavelmente mancando a solta, Ben acaba identificando David Clarke já na delegacia. Porém, sua prisão, que roubou na cara dos policiais em uma loja de conveniência, era planejada: David se chicoteou e se fingiu de desorientado para cometer o roubo, ser preso e alegar que passara os últimos vinte anos sendo torturado por Conrad, ainda fazendo uma cara dissimuladíssima de surpresa quando informado que seu algoz já estava morto. Parece que a capacidade de bolar planos é de família.

O acerto dos roteiristas foi adiar o encontro de Emily e David, produzindo uma tensão que dura todo o episódio. É claro que, desde que sabemos que Clarke está vivo,   esperamos esse encontro, e é claro também que é um argumento para os produtores nos deixarem ansiosos. Preso, David vai para a fila de reconhecimento, e é aí, atrás do falso espelho, que Emily vê o pai pela primeira vez. Totalmente desarmada, ela só quer falar com ele, mas é impedida pelos policiais federais que iniciam sua investigação. A constatação de que o pai ainda está nas mãos dos Greyson vem no estilo Revenge: durante uma coletiva de imprensa, David convoca Victoria e Charlotte ao seu lado e as presenta como sua família. Emily, no ódio ao ver a cena, deixa de lado a emoção de rever o pai e toma seu sentimento preferido desde que a série começou: o propósito de reagir.

 

PS1.: Não é engraçado ver no arco de Daniel que o rapaz, seduzido por Louise, é sempre uma peça de manipulação para os inimigos de Victoria?

PS2.: Daniel é tão sedutor que consegue fingir que está trabalhando na beira da piscina com o Macbook desligado e ainda assim conseguir o emprego.

Séries citadas:

  1. Pingback: Destaques na TV – quarta, 29/10 » TeleSéries

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account