Log In

Especiais

Retrospectiva 2006 – I – A consagração de 24 Horas

Pin it
Cena de 24 Horas

Já participei de diversas discussões, tanto aqui no Teleséries quanto em outros sites sobre o tema Cinema X TV. Por incrível que pareça ainda tem gente que simplesmente joga as séries em um patamar abaixo, fechando os olhos para o enorme salto de qualidade (tanto técnico quanto narrativo) que a mídia vem tendo nos últimos anos. E um dos argumentos mais interessantes sobre esse “conflito” é que até mesmo a premiação da TV está se mostrando mais liberal/mente-aberta do que sua contraparte cinematográfica. Vejamos: o Oscar preferiu não dar ao prêmio ao filme que retrata o amor de dois homens (Brokeback Mountain) e entregou-o ao drama racista sobre o racismo (Crash). Uma saída completamente covarde. Enquanto isso, o Emmy premia 24 Horas – série de ação com grande crítica política. Seria muito mais fácil escolher Grey’s Anatomy (que também é uma ótima série, mas não é esse o ponto), drama o sobre a vida – sexual – de médicos internos de um hospital.

Alguns das razões que confirmam o acerto da premiação para 24 Horas este ano:

A série possui cenas de ação com produção e ritmo e cinematográficas – ou até mesmo superiores, já que aqui não temos irritantes câmeras lentas (Michael Bay) ou uma edição altamente masturbatória (Tony Scott), apenas para citar dois, errrr, ícones dos filmes do gênero. Jon Cassar ganhou o Emmy de melhor diretor em série dramática, a prova de que firulas demais são desnecessárias para deixar o espectador instigado.

Além disso, o protagonista é o asskicker-mor do audiovisual na atualidade: Jack Bauer, carinhosamente chamado de Deus por espectadores mais fanáticos (\o/), ele começou a série “apenas” como um agente federal dos mais competentes, mas com o tempo foi se tornando uma “máquina de resultados” de um frieza assustadora, frieza essa causada por causa da sucessão de eventos própria série – daí a genialidade do trabalho de composição de Kiefer Sutherland. Ele é a mola propulsora da série, tanto que anda influenciando diversos personagens do cinema. Ou alguém ainda não sabe da onde saíram as novas roupagens de Missão Impossível – que pegou mais coisas de Alias, por causa de J.J., mas tá valendo – e – agora sim – James Bond?

Dificilmente o Emmy seria entregue para algo “descerebrado”. Ou seja, a ação pela ação não garantiria nada. Mas eis que entra o mais delicado dos ingredientes: a subtexto político. Depois de quatro temporadas onde terroristas de todas as partes do globo foram usados como ameaça aos EUA – a série deu uma de suas guinadas mais inteligentes e ao mostrar que o perigo pode vim da própria Casa Branca, numa sensação que várias pessoas, principalmente quem não mora por lá, sente todos os dias. Gregory Itzin, na melhor interpretação de sua vida (daquelas que a gente nem precisa ver as outras pra afirmar isso), criou a simbiose perfeita entre Bush e Nixon – refletindo o que um grande número de pessoas pensa de seus governantes, não só os EUA. E o pior/melhor de tudo: ele é facilmente o mais real dentre os presidentes da série, já que não é excessivamente (e utopicamente) correto como David Palmer (e Keeler não chegou a aparecer muito).

Ainda por cima, há o fator “conjunto da obra”, que aqui cai que é uma beleza, já que além de reconhecer os cinco anos de trabalho (da mesma forma que Família Soprano em 2004), o prêmio vai pra aquela que foi realmente a melhor série da temporada.

Foram dois anos seguidos em que o Emmy fez justiça. Mas esse ano a coisa parece ser mais difícil, já que algumas das melhores séries da temporada estão em canais menores, como Battlestar Galactica (Sci-Fi) e Dexter (Showtime). Se bem que a sexta temporada de 24 Horas chega em janeiro nos EUA e em março no Brasil. Até lá, as coisas devem mudar. Ou você ainda duvida da força do “Drop the Gun!”?

Séries citadas:

64 Comments

  1. André M.

    e isso sem falar na outra brilhante interpretação da Jean Smart…

    me preocupo um pouco com o Wayne Palmer como presidente… tomara que ele seja bem diferente do irmão…

    e vem aí ainda o Globo de Ouro… ainda com a quinta temporada na mente…

  2. Thomás

    Parei de ler quando você criticou o Oscar, pois infelizmente discordo de você. Não é preciso acabar com uma premiação para exaltar a outra. Ainda acho que os filmes estão muito acima das séries, até pela repetitividade das mesmas. “Crash” não é um drama racista e “O Segredo de Brokeback Montain” não “perdeu” o Oscar porque retrata o amor de dois homens. Fato é que o filme chamou tanta atenção por ser um romance gay, que as pessoas acabaram achando que o filme ia ganhar o Oscar.

    E no último Academy Awards a estatueta de melhor trilha sonora foi para uma banda de rap (ou hip hop, não entendo disso). Isso não é muito conservador…

    Acho que seria muito mais fácil dar o Emmy à 24 Horas do que à Grey’s Anatomy. 24 Horas tem um formato inovador, mas é apenas mais um dos infinitos dramas policiais norte-americanos. Tem até agente chamado “Jack”.

    As séries ainda são uma mesmice sem fim comparadas ao cinema. E olha que assisto várias, e, coincidência ou não, as séries que assisto (desta fall season) são as séries menos populares das 3 maiores redes dos EUA (ABC, CBS, NBC), mas todas ganharam temporadas completas, e aposto que nenhuma vai ganhar um Emmy.

  3. Thiago Sampaio

    Somando o comentário de Thomás, uma saída covarde seria era dar o prêmio à Grey’s, pois ela é a líder de audiência e queridinha do público. Falar depois é fácil, mas o excesso de indicações de GA foi puramente pra aumentar a audiência da premiação, pois a coisa mais justa seria premiar 24 Horas. Além do conjunto da obra, é pra ficar “na história tbm”.

    No post Engolindo Jack Bauer
    http://teleseries.com.br/blog/2006/08/28/engolindo-24-horas/
    tem-se uma recordação dos últimos vencedores: todos deram o tom em suas área. O tom de GA é o romance, e talvez demore um tempo pra isso ser agraciado com um prêmio. E o anti-terrorismo de Jack Bauer é a coisa mais propícia nesses nossos dias

    Eu nunca vi ‘Brokeback Mountain’, mas tendo assistido aos outros quatro indicados, ‘Crash’ foi bom demais pra mim. Adorei a ótica de q somos todos racistas. E com essa ótica em mente… não consigo levar à sério a proposta de um filme sobre dois cowboys gays.

  4. danny

    Achei o Emmy para 24 Horas muito justo, embora quem deveria ganhar nem sequer foi indicado: Lost ou Six Feet Under.

    Em relação ao Oscar, vi Brokeback Mountain e Crash e gostei dos dois. É impossível não se emocionar nos dois. É impossível não se emocionar na última cena de Brokeback. É impossível não se emocionar naquela seqüência altamente dramática de Crash. E embora Brokeback seja muito bom, Crash é claramente o filme do ano (entre os dois, não vi os outros). Para mim, o Oscar foi mais do que justo.

    Bom Ano Novo!

  5. Juliano Cavalca

    SPOILER DE CRASH

    Sequência altamente dramática de Crash não seria a da capinha, seria? Esse é um dos porques eu acho o filme medíocre.

    Thiago: não levar à sério a proposta de um filme sobre dois cowboys gays é um preconceito dos mais estúpidos. Você não vai ser menos homem se assistir.

    E BBM nem era meu preferido esse ano, e sim Munique.

  6. Thiago Sampaio

    Juliano, acredito que a sequência dramática mencionada seja a do carro capotado e em chamas. E vou me auto-citar pra explicar o que quis dizer sobre Brokeback:
    “‘Crash’ foi bom demais pra mim. Adorei a ótica de q somos todos racistas. E com essa ótica em mente… não consigo levar à sério a proposta de um filme sobre dois cowboys gays.”

    Viu? Adimiti desde o início q é meio q preconceito. E não assisti até hoje não por me tornar “menos homem”, mas por não me interessar mesmo. Não sou homofóbico, só não quero “ver”, entende. Mas Brokebak Mountain 2 eu vejo! =p
    http://www.chrlen.ch/fun/pix/brokeback_mountain2.jpg
    huahauhauahuahauhauahauhauahauha

    E me desculpa se tamos desviando do assunto.

  7. Juliano Cavalca

    Um dos problemas de Crash é que o filme TAMBÈM é racista. Dois negros conversando sobre como eles são marginalizados quando de repentem eles puxam suas armas e assaltam um casal de brancos?! Meu, que porra é essa?

  8. Des

    eu ñ acho Dexter lá essas coisas. Uma série razoavel como muitas por ai.

    Já Battlestar Galactica eu nem vejo. E Esses dramas médicos como Grey’s são um saco.

    Enfim pra mim quem deveria ganhar o Emmy é Prison Break, 24 ou Lost.
    Outra serie q merecia destaque é Smallville.

  9. Thiago

    Smallville?! Destaque no Emmy?! Ahn, hein, como? Só se for no Kids Choice Awards!

  10. danny

    (POSSÍVEL SPOILER DE CRASH)

    Ainda sobre Crash e Brokeback…

    A sequência que eu falei eram essas que vocês referiram (carro em chamas, capinha, Sandra Bullock caindo na escada…). E em relação ao que você disse, Juliano, sobre os dois negros conversando sobre o preconceito que eles sofrem antes de assaltaram o casal branco, na minha perspetiva, eu entendo isso como uma das mensagens do filme, a tal que o Thiago referiu: todos nós somos um pouco racistas, sejamos brancos ou negros, asiáticos ou muçulmanos… Todos nós somos racistas, temos preconceitos porque ninguém é perfeito, faz quase parte da natureza humana ser “imperfeito”. E eu acho que é isso que faz Crash tão bom. Essa mensagem conjugada com um argumento bem estruturado, com um dos melhores elencos que eu já vi em cinema, com uma boa montagem, fotografia (embora a de Brokeback seja melhor) e com uma grande banda sonora (a de Brokeback também é melhor) faz de Crash o filme do ano, para mim.

    E em relação ao Brokeback Mountain, eu o encaro como se fosse uma história de amor como todas as outras. Porque é isso que ele é, uma história de amor banal entre duas pessoas que têm dificuldades em assumir e expressar seus sentimentos. A única coisa que faz de Brokeback tão marcante é o fato de ser uma história de amor homossexual, porque se fosse uma história entre um homem e uma mulher seria um filme como qualquer outro. E eu acho que se ele tivesse ganho o Oscar, aí sim a Academia estaria sendo hipócrita, pois estaria entregando o prêmio ao filme apenas para marcar diferença, apenas para mostrar que não é conservadora e que está aberta a novas mentalidades, apenas para ganhar audiência (um pouco o que teria acontecido se Grey’s tivesse ganho o Emmy). Se Brokeback tivesse ganho, ganhava apenas pelos motivos que eu já referi e não por ser o “Melhor Filme”.

    Peço desculpa por estar fugindo ao verdadeiro tema do site: as nossas queridas séries. :wink:

    E em relação a Smallville… Quando dizem que ela merecia mais destaque no Emmy se estão a referir ao seu elenco secundário (Michael Rosenbaum, Allison Mack, John Glover), concordo. Esses 3 atores dão show na série e não seria um escândalo se fossem indicados, mas ser nomeada para outras categorias como Melhor Drama… Aí não…

    Bom ano de 2007. :wink:

  11. Paulo Antunes

    Juliano, na boa, você é a primeira pessoa que eu vejo dizendo que Crash é racista. Acho que você interpretou mal o filme.
    Inclusive acho que esta tua abertura trai o teu texto. Você acusa o Oscar de ter sido politicamente correto, contrapondo-o ao Emmy. Mas o Emmy também foi politicamente correto, afinal premiar o belicismo americano é politicamente correto. Fazer uma alusão a um governo corrupto, onde a verdade sempre vem a tona também é politicamente correto.

  12. Eric Fernandes

    Thiago, não me venha falar que as indicações de Grey´s Anatomy foram para aumentar a audiência, Please!!! Até quando vocês, que odeiam a série, vão ficar arranjando desculpas pelas indicações a prêmios? Foi assim com o Emmy, e agora o Golden Globe. Ta bom que metade das indicações foram duvidáveis, mas a série tem teus méritos sim e essa justificativa não é nenhum pouco coerente.

  13. Jussara

    Adorei o texto, não vou comentar nenhum dos filmes e temas polêmicos pq não tem nada a ver fazer isso aqui ;)
    Concordo q o prêmio foi justíssimo, as interpretações de todos foram espetaculares, convincentes, perfeitas!!! Gregory Itzin é muitooooooooo bom, eu queria q ele tivesse ganho o Emmy, assim como a Jean Smart q tb esteve impecável em toda a temporada!!! :) Parabens p/ todos eles, e q a 6ª temporada venha ainda melhor!!!

  14. Marcos Almeida

    Concordo com que o Paulo disse. E só pra completar: Crash é do carai*. hauhauah Bom demais esse filme e sem sombra de dúvidas, o melhor entre aqueles que disputaram o Oscar.

  15. Marcos Almeida

    Ahh, faltou falar que esse conversa de que “o excesso de indicações de Grey’s Aanatomy foi puramente pra aumentar a audiência da premiação” é pura balela. Se fosse assim, séries como CSI, NCIS, Criminal Minds, Lost, Heroes, House etc estariam cheinha de indicações…

  16. Caio

    Opa!!

    O texto ta otimo. 24 foi a série do ano e ponto. Paulo, acredito que o politicamente correto nao existe, ou se perde, quando vc acusa e joga tao nao na cara um presidente corrupto. Os Americanos sempre veneram seus presidentes, nunca vi o contrario, e o momento historico contribui pra polemica.

    Quanto CRASH!!! Quem leu a Set desse mes, eu sei que sou masoquista, viu que Juliano chupou a declaraçao do Alerrando Inarratu, diretor de amores brutos e 21 gramas. Ele diz que crash é um filme racista que fala sobre o racismo, e nao queria seus filmes comparados a ele. Exatamente igual ao comentário de juliano, que com certeza teve forte influencia dae.

    Mas chash é um filme fraco mesmo, sentimentaloide, vazio, e sim, racista. Boa noite, boa sorte mereceu mais.

  17. paulo fiaes

    algumas coisas q concordo

    esse ano foi o ano de 24 horas e o emmy foi corajoso qndo deu o premio a serie justamente na temporada onde mostrou o presidente corrupto.

    concordo que Michael Rosenbaum, John Glove poderiam esta na lista de atores coadjuvantes, e nao seria errado se eles ganhassem.

    sobre brokeback mountain, eu n consegui assisti o filme todos, e concordo com quem falou que o filme ser premiado so por ser uma historia de amor gay seria injusto com os outros concorrentes.

    e sobre crash, assisti e nao vi nada demais. um bom filme, mas pra mim longe de ser o melhor do ano.

    enfim, estou de volta galera, q venha 2007 e que jack bauer arrebente novamente

  18. Lucas R.

    “Exatamente igual ao comentário de juliano, que com certeza teve forte influencia dae.”

    Não, não teve não. Se não estou confundindo, o Juliano Cavalcante é o Cavalca do cinemaemcena, e essa frase já era usada neste fórum desde que Crash ganhou o Oscar (ah propósito, eu sou o Yoh de lá) . O fato do Inarattu ter feito um comentário idêntico foi pura coincidência.

  19. Lucas R.

    “esse ano foi o ano de 24 horas e o emmy foi corajoso qndo deu o premio a serie justamente na temporada onde mostrou o presidente corrupto.”

    Vc tá brincando, né? É a coisa mais fácil hj em dia criticar o presidente. É POP isso. Fora que 24 horas a partir da quarta temporada resolveu imitar Nip/Tuck. Nada pode ser levado a sério na série. Se fosse, por exemplo, The West Wing que mostrasse um presidente corrupto, seria uma coisa totalmente diferente, pois apesar de se passar num mundo perfeito, TWW ainda tem um pé na realidade, coisa que 24 horas não tem desde sua quarta temporada.

  20. Lucas R.

    Sobre os filmes:

    BBM: Nunca vi. Não por preconceito (depois de ver sexo homosexual no espetacular Má Educaçao vcs acham que uns beijinhos iam me assustar?), mas por falta de interesse mesmo. Todo ano tem filmes que todo mundo diz ser superfoda e eu não tenho nenhum interesse de ver. BBM e LITTLE MISS SUNSHINE são filmes assim. Devo ver quando passar no Telecine. Acredito que seja um ilme bom, mas nenhuma obra prima.

    Crash: Um ótimo filme. Sim, tem muitas coisas forçadas na história, mas todo filme de múltiplos personagens tem isso. Se alguem vê o filme como racista, então não viu o filme por completo e é tão idiota quanto aquele que diz que o filme tem um final pra cima, feliz, esquecendo completamente da cena em que por preconceito o policial loirinho mata o assaltante sem que este não tenha feito nada contra ele. Todos os acontecimentos do filme estão interligados em significados. Apesar de ter muitas forçações de barra, o filme tem bastante inteligência por trás de sua aparente simplicidade (assim como o superior Marcas da Violência). Para mim, Crash mereceu a indicação, mas não a vitória.

    Dos filmes com chances reais de vitória, ou seja a lista dos indicados ao Globo de Ouro e ao Oscar de melhor filme, vi 4 filmes: Crash, Boa Noite, Capote e Marcas da Violência.
    Se tivesse de dar notas, daria 7 para Boa Noite, 8 para Crash, 8,5 para Marcas e 9 para Capote. Apesar disso, ainda preciso ver Match Point (no mínimo, pois era um dos filmes que eu mas queria ver da listagem) para poder julgar de forma justa se a indicação de Crash foi justa. A vitória eu discordo, mas não saio odiando e xingando o filme por causa disso. Me considero superior a essa choradeira toda de “meu filme favorito não ganhou -buaaaaaa”.

    Quando ver Match, Munique, Jardineiro, Brokeback aí sim eu poderei ser mais justo. Até lá, mostro simpatia à Crash não por amar o filme, mas por achar imbecilidade esse ataque infantil contra o filme. Afinal, eu tb não amo os EUA de paixão e isso não me impediu de odiar os filmes panfletários que Lars Von Trier lança contra os EUA (Dançando no Escuro, Dogville, Manderlay e futuramente WaSINgton), apesar de só ter visto até agora Dançando e notar que o filme tem outros objetivos mais inteligentes além de ser um simples ataque aos EUA, coisa (um objetivo secundário) que os ataques infantis de fóruns de internet à CRash não tem.

  21. Eric Fernandes

    Sem dúvidas foi o ano de Jack Bauer. O Emmy foi mais que merecido.

    Eu vi Crash e Brokeback Montain. Não gostei do primeiro, pois aquilo ali me pareceu tão forçado quanto a própria mensagem que o filme queria passar. Brokeback Montain não me fez ser menos homem, como o Juliano disse. O filme é uma historinha de amor impossível e bacana.

  22. Lucas Barreto Gomes Leal

    concordo com TUDO q diz o texto sobre o 24h…porem discordo quando criticou o Oscar acho q a premiação vem se modernizando aos poucos…ou não foram nos ultimos anos q vimos dois negros recebendo premio de melhor ator e melhor atriz?
    sendo que antes deles N outros mereciam os premios e não recebiam simplismente por serem negros…sem me aprofundar mais na questão só quis dar um exeplo
    voltando ao texto discordo tb quando vc diz que Crash é racista…racista são as situações do filme e a sociedade em si!
    o filme se é “racista” em algum ponto e pura e simplismente por refletir a realidade…
    mtos cliches no filme como bem disse o José Wilker durante a transmissão do Oscar porém foram cliches usados de uma forma diferente ousada e totalmente real q fizeram o filme merecer mto mais o Oscar que BBM na minha opnião…
    é facil falar agora que Crash não mereceu só pq estava aquele oba-oba da critica falando q BBM ia ganhar o Oscar mas eu sinceramente nunca achei que fosse e via Crash como um filme melhor que o mesmo…inclusive os já citados Munique e Jardineiro Fiel eu achei MTO melhores que BBM!
    ps só pra deixar claro nada contra BBM gosto mto do filme mas acho q tem melhores

  23. Juliano Cavalca

    Yoh: exato. Foi o Inaratu que me copiou. :)

    E gente, olha que eu nem odeio Crash como boa parte dos cinéfilos que tem por aí. Gosto bastante do elenco (Haggis é um bom diretor de atores, apesar de tudo). Mas o filme é pontuado por forçações de barra.

    Outra que me vem a mente: um personagem atropela alguém (acho que é um mexicano, não lembro agora) e exclama algo como:

    “Nossa, atropelei um chicano!” – como se alguém fosse se importar com a etnia de alguém que atropelou.

  24. Lucas Barreto Gomes Leal

    Juliano entendo a sua opinião mas se formos analisarmos a fundo veremos que 90% das obras são compostas de “forçações” de barra (tah talvez eu esteja forçando a barra em falar 90% mas vc entendeu!)
    o que eu acho é que não se pode dizer que o filme é ruim pq força a barra…a historia do filme é maravilhosa e as forçadas de barra são necessarias pra tal…não acho que elas se percam ou seja idiotas como na maioria dos filmes que usam dessa tatica…
    e olha não sei se vc já atropelou alguem mas dependendo daonde vc atropelou vc vai se importar sim com a etnia

  25. HELCIO JOSE FIGUEIRA

    Acho que não deve misturar coisas oscar e para o cinema, globo de ouro para tv e assim deve ser, o cinema caminhando lado a lado com a tv tem espaço para todos, quanto a Greys Anatomi acho uma porcaria, bem como todos os dramas de hospitais atualmete exibidos, quanto a 24 horas concordo que tem que ser o grande vencedor.

  26. Lucas R.

    Alias, a lista do Globo de Ouro para cinema foi bem mais interessante do que a para a TV.Quando vi que Studio 60 não foi indicada, parei de ler. A de cinema tb tem omissões tristes, mas todos sabem que os prêmios (especialmente os maiores) raramente acabam premiando o melhor fime do ano mesmo. Aí as premiações são divertidas só como referenciais para as listas de apostas dos Oscar, onde tem maluco que chega a apostar dinheiro mesmo de verdade.

  27. beck

    HELLOOOOOOOOO MR PRESIDENT!!!!!!!!!!!!!!

    uhiauhiaiuhaiuhauhiauhiauhiuhiaiuha

  28. Ale Rocha

    Sou um apaixonado por 24 Horas. Desde a primeira temporada, acompanho Jack Bauer em sua luta (anti) heróica contra o terrorismo.

    Do ponto de vista técnico, o seriado é quase perfeito. Ótimo roteiro, bem realizado a partir de interpretações excelentes e uma direção precisa.

    Claro que tenho minhas ressalvas. Concordo que o seriado tem um contexto político. No entanto, ele não ficou claro apenas na quinta temporada. É possível observar isso desde o primeiro ano, que teve sua estréia em 6 de novembro de 2001, menos de dois meses após o 11 de Setembro.

    Na primeira temporada, Jack Bauer e o candidato Palmer são vítimas de um ato de belicismo dos EUA. O comportamento “polícia do mundo” é retratado nas demais temporadas, sem nenhuma crítica. Palmer, que é retratado como um presidente ponderado, sempre autoriza as barbaridades propostas por Bauer, sob a alegação de que só assim é possível conter o terror.

    Não parece uma clara estratégia Bush de ser?

    Mais do que isso, o seriado refletiu o novo mundo que surgiu após os atentados de 11 de Setembro. As coisas mudaram na quinta temporada pois, novamente, há uma mudança no comportamento norte-americano. A Guerra do Iraque é um fracasso e até mesmo setores conservadores da sociedade criticam o presidente.

    Sobre o debate cinematográfico, concordo que muitas séries estão um passo a frente de boa parte da produção atual de Hollywood. Porém, discordo quanto às críticas sobre Brokeback Mountain. O filme não é apenas sobre o romance de dois cowboys gays. É sobre opressão e liberdade. O namoro entre os personagens principais serve de metáfora.

    Ale Rocha
    Poltrona.TV | o blog sobre televisão
    http://www.poltrona.tv

  29. Osório Coelho

    Brokeback Mountain e Gay’s Anatomy. Finalmente tudo faz sentido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account