Log In

Spoilers

Reality Time: The Amazing Race, American Idol e Survivor

Pin it

The Amazing Race 16 - You're Like Jason Bourne, Right?

A coluna Reality Time retorna este domingo comentando os episódios da semana dos realities The Amazing Race, Survivor e American Idol. De acordo com nosso reviewer Bruno Piola, o The Amazing Race 16 vai se recuperando de um início de temporada fraca e o Survivor – Heroes Versus Villains se recompôs depois de um episódio fraco. O mesmo não se pode dizer do American Idol, que segundo o Ivan Guevara segue em má fase, e só não teve um desfecho chocante esta semana porque os jurados interferiram no resultado. A crise continua!

The Amazing Race 16: You’re Like Jason Bourne, Right? (16×08)
Data de exibição: 4/4/2010
MVP: Jet e Cord
LVP: Steve e Allie

The Amazing Race está voltando aos trilhos: o oitavo episódio foi bom, por incrível que pareça! Não chegou a ser memorável ou excelente como vários outros do passado, mas serviu para nos divertirmos, e é para isso que existem esses realities, não?

Os seis times restantes voaram para a Malásia, que já foi visitada várias vezes pelo programa. No entanto, dessa vez não importou muito que o país fosse novamente palco dos desafios, já que as provas montadas lá foram interessantíssimas: entreteram o telespectador e deram trabalho para os participantes. Primeiro, tivemos a visita ao templo das cobras, que poderia ter sido melhor aproveitada. Não seria legal termos uma prova em que os jogadores tivessem que ficar cara a cara com as cobras por muito tempo? Aqui, ela infelizmente, elas serviram apenas de enfeite.

Mas o Desvio compensou essa tarefa: a escolha entre dois rituais tradicionais malaios (equilibrar bandeiras enormes ou acender velas em um templo) foi bem realizada, já que a opção mais rápida (a das bandeiras) parecia ser a mais complicada de se terminar. De quebra, ficamos conhecendo um pouco da cultura da Malásia, o que não acontece todo dia. Finalmente, tivemos um Bloqueio com mais manifestações culturais do país: a quebra de cocos e a oferenda do mesmo aos mares. Não era muito complexo nem estimulava a competitividade entre os times, mas foi uma prova bonita de se ver. Resumindo, um bom episódio.

Tenho que acrescentar o quanto a edição foi previsível hoje: dedicou uns bons minutos ao ódio que Brent e Caite e Michael e Louie nutrem pelas lésbicas. Eles disseram que até queriam retorná-las. No preview do próximo episódio, as lésbicas aparecem bravas com algo que foi feito por Brent e Caite. Logicamente, as duas foram “retornadas”, ou o segmento do episódio de hoje não faria sentido. E já que falamos deles, vamos comentar mais uma vez os times, um a um:

1 – Jet e Cord: Deram um show hoje, completando as provas rapidamente e saindo de último lugar para primeiro. E olha que eles tinham um Speedbump para cumprir! Pena que são bem inconstantes: uma hora estão no topo, em outra estão lá em baixo.

2 – Carol e Brandy: Foram mais uma vez eficientes e não brigaram nenhuma vez. Estão se mostrando cada vez mais fortes, e espero que cheguem pelo menos até à final. Tá mais do que na hora de um time feminino vencer!

3 – Michael e Louie: Foram corretos na etapa, nada mais. Continuam invisíveis pra mim, já que nunca fazem nada memorável.

4 – Brent e Caite: Meu Deus, alguém consegue assistir essa dupla por dois segundos sem querer espancá-la? Estão muito irritantes, e a rivalidade com as lésbicas não tem nenhuma justificativa (eles ficaram bravos com um comentário delas no PRIMEIRO dia… Superem, por favor!).

5 – Dan e Jordan: Erraram muito hoje, principalmente quando dispensaram um bom taxista (o que gerou todos os outros problemas que tiveram). Com apenas cinco times, os irmãos precisam ficar mais atentos, ou as chances de serem eliminados serão grandes.

6 – Steve e Allie: quando começaram a aparecer, foram eliminados. Erraram o mesmo tanto que os irmãos, mas escolheram mal o Desvio (se não eram bons de equilíbrio, porque escolheram justo a prova das bandeiras?). Pelo menos, não farão falta à competição. (Bruno Piola)

Eliminados:
The Amazing Race 16 - You're Like Jason Bourne, Right?

Survivor – Heroes Versus Villains: Expectations (20×08)
Data de exibição: 8/4/2010
MVP: Sandra
LVP: Coach

Survivor - Heroes Versus Villains - Expectations

Quando o oitavo episódio de Survivor terminou, a sensação que tive foi de alívio. Depois do primeiro episódio regular na temporada, o reality voltou aos eixos. E dessa vez a melhora não se deu apenas por causa das jogadas dos participantes, mas também da edição, que há muito não enganava tão bem os espectadores.

Dessa vez, não vou nem me prolongar para falar das provas (não passavam de boliche, e depois, corrida com obstáculos), que foram bem simples e sem nenhuma graça. E pra piorar, os Heróis mais uma vez derrotaram os Vilões nos dois desafios… Queria muito que um dos cinco heróis remanescentes (e bem dispensáveis) fosse eliminado, mas não se pode ter tudo. Pelo menos tivemos uma segunda parte do episódio emocionante.

Tudo parecia estar apontando para a saída de Courtney, a mais fraca da tribo. A aliança de Russell (Parvati, Danielle e Jerri) estava na maioria e poderia eliminar quem quisesse. Mas não foi isso que aconteceu. O motivo? Um só: Sandra. Neste episódio, ela mostrou a que veio, e provou que é bem melhor que Boston Rob em matéria de estratégia. Ela fica calada, só observando, para, quando mais precisar, “usar sua mágica”, como disse no episódio. E funcionou: ela contou para Coach que Russell queria eliminá-lo, o que era uma mentira. Ela fez isso apenas para salvar sua aliada Courtney. Mas ele caiu como um patinho e convenceu suas aliadas de fazer o mesmo! Não é incrível? O “rei” Russell foi manipulado, e por participante que ninguém ali dava bola! Ele deveria perceber o perigo que Sandra representa e tirá-la do jogo, mas acho que ele está muito preocupado se achando para considerá-la uma ameaça.

O melhor foi que a edição ora apontava para a eliminação de Coach, ora a de Courtney. Isso criou uma tensão para o público que só terminou com a leitura do quarto voto para Coach, selando seu destino no jogo. Algo que é relativamente comum é a edição deixar muito na cara o resultado final, mas neste episódio ela foi primorosa, não deixando nada tão às claras assim.

E, finalmente, Coach saiu. Ele só foi chamado para esta temporada porque foi um dos participantes mais malucos que já jogaram – só que dessa vez, de maluco ele passou a ridículo! Chamava-se de “último dos moicanos”, dizia-se “íntegro” para esconder sua covardia de escolher lados, não esboçava qualquer estratégia que seja… Já foi tarde. Agora, que venha a fusão, para que o programa esquente de vez! (Bruno Piola)

Eliminado:
Survivor - Heroes Versus Villains - Expectations

American Idol: Top 9 Perform (9×28) e 1 of 9 Voted Off (9×29)
Data de exibição nos EUA: 6 e 7/4/2010
Data de exibição no Brasil: 10/4/2010
MVP: Lee Dewyze
LVP: Todos os jurados

American Idol - Top 9 Perform

Depois do polêmico episódio da semana passada, envolvendo Didi Benami e o joselito do Ryan Seacrest, a calma aparentemente voltou a navegar os mares do American Idol.

Aparentemente. O que tinha para se tornar em uma das eliminações mais chocantes e interessantes (até mesmo bacana, do meu ponto de vista), acabou sendo vetada pelos jurados. Assim como aconteceu no The X Factor de 2009, onde Danyl era sempre elogiado pelos jurados e acabou se tornando em um dos candidatos mais soberbos e metidos, o mesmo está acontecendo com o grandão Michael Lynche. E para constatar isso, basta ver a expressão do cara quando Simon Cowel o criticou pela sua atuação nesta semana. O lado positivo disso é que o público americano percebeu esse comportamento do aspirante a Idol e tentou defenestrar o rapaz. Caso ele não mude isso para próxima semana, torço para que ele seja o próximo eliminado.

Mas o programa não se resumiu apenas a isso. Fomos presentados com um tema que rendeu ótimas perfomances de Lee Dewyze (que, tirando a entrada constrangedora de uma espécie de escocês que chamou mais atenção que qualquer outra coisa do programa, teria sido perfeita) e Crystal Bowersox. Beatles sempre é bom e podemos comprovar o quão certo dá esse tema se lembrarmos da sétima temporada, aquela que o pequeno Archuleta levou Paula Abdul às lágrimas quando cantou “Imagine”. Siobhan Magnus, uma das minhas favoritas, conseguiu se recuperar um pouco depois da não tão boa apresentação da última semana. Ainda torço pela total recuperação dela no próximo programa que terá um mentor bastante conhecido pelos fãs de American Idol: Adam Lambert.

Se o ex-participante vai ser uma boa ajuda aos candidatos desta temporada, não resta dúvida de que sim. Mas não há muito mais que se possa ser feito para salvar o American Idol como um todo. Simon Cowel está visivelmente entediado com o programa. A química entre os jurados entre sí, e deles com Ryan já não existe mais. O lado positivo disso tudo é o fim da era AI para o início do The X Factor USA. Só isso poderá salvar o formato do programa. (Ivan Guevara)

Salvo:
Michael Lynche

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

6 Comments

  1. Tina

    Sobre American Idol, eu acho que a Siobhan está meio perdida na competição, ela ainda não conseguiu achar um estilo que sirva tanto para ela quanto para o público. Quando os jurados elogiaram a performance que rendeu uma bela nota alta pra finalizar com chave de ouro, ela achou que isso poderia ser uma assinatura, uma marca em suas próximas performances, mas o problema é que ela ficou repetitiva, sem originalidade. Mas quando ela canta sem as notas altas as performances ficam monótonas e como o randy falou, sonolentas. Os jurados dizem que gostam dela porque ela é imprevisível, mas acho que ela é imprevisível porque está perdida, ainda não conseguiu achar uma personalidade como cantora e ser consistente nas apresentações, como a Crystal, que pra mim consegue ser imprevisível e consistente com seu estilo musical.

  2. Roberto

    A final será Lee x Crystal, isso é fato.
    E aposto que Lee ganha, o vocal dele é mais comercial que a Bowersox.

  3. Flávia

    Também aposto em Lee e Crystal – e torço por ela! -, mas acho que o Casey pode surpreender e abocanhar uma vaguinha na final…

  4. George Dantas

    Bruno,
    Eu não sei se você reparou mas o Russel voltou atrás em sua idéia de eliminar Coach e, seguindo a tática de Danielle, votou em Courtney. Ocorre que Parvati, Danielle, Sandra e Courtney foram as que eliminaram Coach. Vou esperar o próximo episódio mas me pareceu que o próprio Russel foi enganado e as 4 arquitetaram o plano pra eliminar Coach. Vamos ver se ele reverte esta união das mulheres e volta a tomar conta da situação.

  5. Bruno Piola

    Não acho que aquele voto dele na Courtney foi arrependimento do Russell, se não a edição iria aproveitar isso. Não seria legal ver a cara assustada do “rei” de Samoa?? Acho que foi combinado isso, ou ele sabia que já haveriam votos suficientes no Coach e votou em outra pessoa.

  6. Paulo Serpa Antunes

    Acabei de ver o episódio. Depois de umas quatro semanas horrendas, finalmente o Idol voltou a ser Idol

    Pra mim o Lee Dewyze arrebentou com Hey Jude, com escocês e tudo! Acho que foi a primeira vez na temporada que vi a plateia cantando junto com um candidato. Este tipo de conexão é essencial no programa.

    O Big Mike assassinou Eleanor Rigby, pra mim a melhor canção dos Beatles. Gostei de ver ele na berlinda, porque a performance foi um desastre. Curiosamente, os jurados erraram na avaliação, o público acertou (e geralmente é o contrário).

    Também aposto numa final Lee versus Crystal.

    Amo a Siobhan, mas ela está com sérios problemas. Curiosamente, ela parece esgotada, enquanto a Katie, que era pra ter saído no Top 11, vem crescendo e hoje está num momento melhor do que ela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account