Log In

Notícias

Primeiras Impressões – Chicago PD

Pin it

Chicago Fire tem pouco mais de um ano e já rendeu um filhote. Em Chicago PD, spin-off da série, Dick Wolf tenta repetir o sucesso da série dos bombeiros, agora com policiais. Em pouco tempo, a dinâmica de Chicago Fire conquistou o público ao mostrar os dramas e fantasmas pessoais frente aos casos de resgate e, também, a facilidade com que os plots se desenvolvem – apesar disso irritar muita gente, incluindo eu.

Chicago PD já vinha sendo esperada há alguns meses quando, pouco a pouco, alguns personagens da série tomaram forma e foram, na medida certa, aparecendo na série original. Essa tática dos produtores deu super certo e a série estreou com bons índices de audiência. E agradou grande parte do público.

Tendo antecipado a apresentação da maioria dos personagens, a função do primeiro episódio da série foi mostrar a rotina e o funcionamento do trabalho deles na Unidade de Inteligência, liderada por Voight, aquele que amamos odiar. A dubiedade de caráter ainda é um dos pontos mais fortes do personagem e esse jogo funciona muito bem desde suas aparições em Chicago Fire. Prova disso é que os roteiristas fazem questão de mostrá-lo ora bom, ora mau, e nos deixar nessa constante incerteza.

Antonio Dawson é outro personagem que já conhecemos bem. O irmão da paramédica do Batalhão 51 é mostrado em ação e se torna um dos pontos cruciais do episódio, visto que sua família é o centro do cliffhanger de Stepping Stone e o pontapé inicial pro episódio da próxima semana. O que mostra que, assim como a série original, a derivada também destacará o drama pessoal dos personagens, mesmo que a abordagem seja diferente.

Se por um lado, o que vemos em Chicago Fire são resgates precisos, situações agoniantes e com pouco sangue, por um outro, vimos em Chicago PD que sangue não faltará. Nem sangue e nem pudor – e muito menos ação. Os produtores não tiveram vergonha de mostrar situações de assassinato que deixariam aqueles de estômago fraco com uma repulsa por dias. As armas são usadas sem medo e a trilha sonora nas cenas de ação dá o complemento necessário para tornar a cena tensa na medida certa.

Mas um dos destaques mesmo foi, além da ação apresentada, a presença de Sophia Bush, interpretando Erin Lindsay. A personagem merece destaque porque sua intérprete foi um dos atrativos da nova série. Centenas de órfãos de sua personagem em One Tree Hill se sentaram em frente à TV para acompanhar a saga da policial badass do Distrito 21. Pouco sabemos sobre a personagem e, esse pouco, é relacionado à Voight. Lindsay tem uma eterna gratidão ao Sargento e, assim, é dado o pontapé inicial na trama entre os personagens. Além de sua relação com Voight, o episódio apresenta a relação da personagem com Jay – o policial bonitão que conhecemos em Chicago Fire – e, essa parte da trama, além de se tornar engraçada, promete um ar de romance entre os personagens.

Outro ponto que chamou a atenção no episódio foi a aparição – mesmo que rápida – de alguns personagens de Chicago Fire. Quem não adorou ver Dawson, Shay (que quase nem dava pra ver), Otis e Hermann fazendo uma pequena participação na estreia da nova série? Como já vinha sendo mostrado na série original, os crossovers prometer ser constantes. E, não sei até que ponto isso é um ponto positivo já que, dependendo da ocasião ess mescla de personagens pode deixar confuso que não assiste a série original.

Entre um detalhe e outro, o primeiro episódio não decepciona e cumpre seu papel de fazer com que as pessoas se interessem pelos personagens. Além disso, traz uma trama concisa, mas cheia de aspectos a serem explorados, abrindo um leque enorme de possibilidades que podem ser desenvolvidas e apresentadas ao longo dos próximos episódios. As cenas de ação prometem tirar o fôlego dos telespectadores e os personagens, bonzinhos ou não, cativam muito bem.

Séries citadas:

Tem 23 anos e é bibliotecária. No TeleSéries já foi editora de notícias e hoje escreve as reviews de Modern Family.

7 Comments

  1. Anderson Narciso

    Estou sentindo que assim como em One Tree Hill, Sophia Bush vai roubar a cena ao longo de Chicago PD. A personagem dela é ótima, e ela está disposta a tudo por Voight, de acordo com o piloto.

    Achei a dinâmica da série muito boa, e confesso que curti mais o piloto de PD do que o de Fire. A série é muito boa mesmo. A ação, os personagens… Dick Wolf está de parabéns!

    Ótima crítica Maísa, e vamos acompanhar… :D

  2. Claudia Braga

    Nossa, faz tempo que também estou esperando essa, acredito mesmo que vá ser uma ótima surpresa, mais uma série policial para eu ver, já que adoro a maioria deles!
    Obrigada por animar ainda mais com a ótima resenha.

  3. Hugo Hashimoto

    Depois de “Sophia Bush” e “muito sangue” eu decidi que vou assistir. :D

  4. Bruno Vormer

    Dick Wolf como sempre nos surpreendendo! Já não bastava Chicago Fire e Law & Order: SVU. Ancioso para próximos episódios!

  5. Gomez

    O segundo episódio foi tenso “pagarai”!! Se manter esse ritmo(coisa que o CF costuma fazer bem) vai ser demais.

  6. Maria Clara

    Olá Maísa,eu não acompanho a série Chicago Fire, embora tenha assistido o primeiro episódio e tal..e agora eu comecei a assistir Chicago PD e descobri aqui que se trata de um spin-off..será que eu vou ficar muito perdida?Voçê não pode contar como esses personagens surgiram em Chicago Fire não?Eu acho que ajudaria muito..
    Obrigada
    ;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account