Log In

Preview

Preview: The Alzheimer’s Project

Pin it

The Alzheimer's Project

O cérebro humano ainda é o maior mistério a ser desvendado pelos estudiosos da medicina. Até hoje não sabemos exatamente como ele funciona, apesar de muito ter se avançado neste sentido ou como muitas vezes ele se regenera, com a substituição de uma função em uma parte por outra que antes desempenhava diferente papel ou nenhum – segundo nosso conhecimento, é claro.

O Mal de Alzheimer, mapeado pelo médico Alois Alzheimer em 1906, ainda é um desses assustadores mistérios do funcionamento cerebral, que afeta milhões de pessoas ao redor do mundo e que deve afetar mais ainda em decorrência do aumento da população acima dos 60 anos, já que é uma doença diretamente relacionada ao avanço da idade.

Numa iniciativa elogiável, a HBO produziu a série de documentários The Alzheimer’s Project, cujo papel mais importante é conscientizar a todos sobre a doença, como ela é diagnosticada, como é sua evolução e de que maneira a medicina avançou com relação ao tratamento da doença, incurável.

Na semana passadative a oportunidade de acompanhar o primeiro documentário, chamado As Fitas Perdidas da Memória (The Memory Loss Tape), que mostra a vida de sete pessoas afetadas pela doença em diferentes estágios, suas famílias, seus amigos, seu dia a dia. Foi impossível, durante a exibição, segurar as lágrimas decorrentes não só pela empatia dos casos demonstrados, mas também pelo sentimento de impotência com relação à doença e pelo medo de que, um dia, ela venha a tocar minha vida.

E eu, com certeza, não sou a única que se sente assim. Todos no auditório do Centro de Cultura Britânica em São Paulo foram afetados pelas histórias contadas com tanto cuidado, num misto de drama e esperança.

Nos EUA a HBO firmou parceria com o National Institute on Aging, sociedade que teve como missão garantir que o conteúdo estivesse de acordo com os resultados das pesquisas sobre a doença. No Brasil a parceira é com a ABRAZ – Associação Brasileira de Alzheimer.

A ABRAZ se fez presente no evento com a participação de sua presidente Viviene Abreu e de seu diretor clínico, o neurologista Ivan Okamoto. Depois de Viviene apresentar o trabalho da organização, Ivan falou sobre as características da doença, a dificuldade de diagnóstico – já que a perda de memória, sinal mais evidente da doença, é confundida com traço normal do envelhecimento – e os tratamentos hoje existentes.

Depois de ouvi-lo é preciso destacar duas coisas: a importância de, ao identificar sinais de demência em pessoas mais velhas, levar a pessoa afetada a um neurologista, já que ele é o único que pode realizar um diagnóstico adequado, e, mais que tudo, a importância de falarmos sobre o assunto, de maneira que a maior quantidade de pessoas receba o tratamento adequado.

O projeto é composto de quatro documentários: As Fitas Perdidas da Memória, Vô, você sabe quem eu sou? (Grandpa, Do You Know Who I Am?), Avanços na Ciência (Momentum In Science) e Caregivers (Cuidadores). Todos serão exibidos pela HBO a partir do dia 4 de Agosto, sempre às terças-feiras, na faixa das 22h. Com reprises nas quintas, sábados e domingos seguintes a exibição original.

Além do documentário, o canal também disponibilizou conteúdo eletrônico no endereço www.hbomax.tv/alzheimer, com informações sobre a doença e sobre as associações que participam da iniciativa.

* * *

Texto gentilmente cedido pelo weblog Só Seriados de TV.

9 Comments

  1. Rodrigo B.

    Eu acho o assunto bastante intrigante, e tendo a HBO produzido o documentário, eu imagino que qualidade não vai faltar. Obrigado pela dica, Simone.

  2. Júnior Delduque

    Esse documentário é lindo. Além de mostrar esse problema ainda sem cura, tem tb a participação das famílias que sofrem por verem seus entes queridos se definhando sem saber.

  3. Silvia_05

    Grande sacada essa dica! E da bela iniciativa da HBO de “fazer tv” além do entretenimento.
    Espero que chegue à rede rapidinho.

  4. Simone Fernandes Miletic

    Paulo,

    No mesmo dia em que assisti o primeiro episódio eu voltei a assinar a HBO, não resisti. Se quiser eu gravo, risos.

    Agora, essa do Simone Day já me fez rir logo cedo.

  5. Gabriela

    Assisti ontem ao “The Memory Loss Tape” depois de ler esta review, e devo agradecer à sua indicação, Simone! É um relato muito, muito triste, mas absurdamente tocante… Como vc mesma colocou, “foi impossível, durante a exibição, segurar as lágrimas decorrentes não só pela empatia dos casos demonstrados, mas também pelo sentimento de impotência com relação à doença e pelo medo de que, um dia, ela venha a tocar minha vida”.
    Acho que a palavra é justamente essa: impotência. Que desespero! Tb chorei muito vendo aquelas pessoas, assistindo os depoimentos dos seus familiares… Quando o documentário terminou, agradeci a Deus por ninguém da minha família jamais ter passado (pelo menos até agora!) por uma doença tão cruel e degradante…
    Ansiosa por assistir aos episódios restantes…

  6. Ely Paulo / Poços de Caldas

    Gabriela,
    Eu também assisti o documentário. Muito Bom.
    A pouco tempo visitei por várias vezes um destes
    “Repouso paa Idosos” onde a maioria das pessoas
    com doenças incuráveis(mas não terminais: ahzeimer, esquizofrenia…) acabam sendo levadas. O que passou no documentário é um retrato fiel do dia dia destas pessoas nestes lugares.Para quem gostou do documetário é bom um dia visitar um destes “repousos”. Quando saimos deste local nos tornamos mais sensíveis!

  7. Eli Davies

    Quando este programa sera repetido. Encontrei uma senhora que tem o marido com este mal. Eu falei do programa, mas parece que ja passou. Por favor reprise, ela tinha lagrima nos olhos.

    Obrigada

    Eli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account