Log In

Preview

Preview: Stargate Universe

Pin it

Stargate Universe - Air

Se há algo que se possa dizer a respeito de Stargate Universe é que a nova série é totalmente diferente de tudo o que foi produzido pela franquia Stargate até hoje. E, por diferente de tudo, entenda-se tudo mesmo: desde as tramas que dão vida aos episódios, até a forma de apresentação da imagem, desenvolvimento do roteiro e dos personagens.

Enquanto SG-1 e Stargate Atlantis acompanhavam as aventuras de uma equipe formada por militares e civis que atravessavam o portal em busca de conhecimento técnico-científico e estabelecimento de relações diplomáticas com outros povos que habitavam a Via Láctea ou a Galáxia de Pégasus, Stargate Universe retrata a vida de um grupo de pessoas que, ao desvendar o nono símbolo de discagem do portal, fica acidentalmente presos na Destiny, uma nave construída pelos Antigos a milhares de anos, sem energia suficiente para estabelecer uma conexão com a Terra.

O plotline da nova série seria interessante se a equipe de criação não tivesse se perdido da falsa premissa de que havia a necessidade de se recriar a franquia à semelhança de outras séries de sci fi, como afirmavam os próprios produtores. Tudo para que Stargate pudesse (re)conquistar uma audiência significativa entre 18-49 anos, público alvo dos anunciantes. Uma resenha do TV Squad define perfeitamente esta estratégia:

Então o novo Stargate será uma mistura de drama centrado nos personagens como em Lost, de tom sombrio como Battlestar Galactica e estilo visual de Firefly. Este é um ambicioso cocktail nerd.

Ao buscar incorporar elementos visual e dramaticamente estranhos à saga tradicionalmente retratada pela franquia, esperando adequar o novo show ao gosto do público, os produtores conseguiram produzir uma série sem identidade onde a fantástica mitologia desenvolvida em Stargate SG-1 e Stargate Atlantis funciona, quando muito, como pretexto para justificar o nome da série.

Em Stargate Universe a ficção científica fica relegada à sub-trama e talvez este seja seu principal defeito. O projeto de tão ambicioso perdeu-se no labirinto de dramas individuais e psicológicos, vividos por personagens sem carisma ou personalidade, retratados em episódios que se arrastam por quarenta e cinco minutos de exibição.

Até mesmo os tão festejados índices de audiência não passam de cortina de fumaça, pois Universe não fez mais do que manter os índices da temporada final de Atlantis, e diga-se ainda a um custo muito mais elevado: 60 milhões de dólares de Universe para 40 milhões de Atlantis.

Neste ponto não importam os debates acalorados entre antigos fãs da franquia, ou ressentidos com o rumo que ela tomou ou com o cancelamento de Atlantis, e os poucos novos admiradores da nova face de Stargate. Fato é que, a continuarem os mesmos índices de audiência, os produtores deram um tiro no próprio pé.

Herança das séries anteriores, a equipe de criação (roteiristas e diretores) talvez seja o segundo maior problema de Universe.

Independentemente de se concordar ou não com os rumos da série, essa nova abordagem precisa de roteiristas e diretores que tenham mais intimidade com o desenvolvimento de drama do que de sci fi. E de um tipo específico de drama. Porque Brad Wright, Robert C. Cooper, Carl Binder, Martin Gero, Andy Mikita e Peter DeLuise, para ficar apenas nos diretores e roteiristas da franquia que até agora participaram de Universe, são ótimos quando fazem essencialmente sci fi, mas nem tanto quando se trata de fazer o que, nas palavras de Joseph Mallozzi, seria uma série baseada em relacionamentos.

Stargate Universe - Air

Ou uma série nos fisga pela história ou nos fisga pelos personagens.

Sem uma história que tenha convencido (e a série já esta no seu oitavo episódio!), e sem personagens carismáticos como em SG-1 e Stargate Atlantis (plagiando um adágio popular: somente um Dr. Rush não faz verão…); sem o “cientificiquês” de uma Carter ou de um Mckay, sem a empatia de um Daniel Jackson ou sem a liderança precisa de um Jack O´Neill ou de um John Sheppard ou até mesmo antagonistas do calibre de um Baal ou de um Michael, a expectativa fica por conta do retorno da série no próximo ano, e de como a audiência irá se comportar então, já que a partir de dezembro a série entra em hiato nos EUA.

* * *

Stargate Universe estreia oficialmente nesta segunda-feira, dia 30, às 21h, no Sci Fi Channel, com as duas primeiras partes do episódio Air, de duas horas de duração.

Séries citadas:

Historiadora e professora não praticante. Adora uma boa história, seja ela escrita ou encenada. Atualmente, em seu coração, dividem espaço Person of Interest e Once Upon a Time. A Guerra dos Tronos? Prefere o livro.

37 Comments

  1. Adriano Martins

    “Concordo totalmente com a materia,sou fã de carteirinha da seria e já assisti os dois primeiros episodios que alias a scifi conseguiu colocar no ar antes do que ela mesmo vem informando,foi ao ar na quarta feira passada,primeiro fiquei irritado com a falta de compromisso porque se não fosse a sinopse de canais do dia teria perdido,e segundo a historia ficou muito massante,se fosse para assistir drama pessoal teria aompanhado lost ou algo do tipo ,o que nunca tive saco.B om o que nos resta é esperar os lançamentos dos filmes para encerramento das outras spinoff’s e tambem para que os produtores voltem a essencia de stargate,se isso não ocorrer o interessante seria trocar a serie ded canal pois a ficção me parece ter ficado em terceiro plano….

  2. José Vitor

    Acho a nova série ótima. Isto é, com exceção dos dois últimos episódios, “Time” e “Life”…

    As séries anteriores eram muito pasteurizadas. Repetir a mesma pasteurização em SGU seria repetir “mais do mesmo”, não teria sentido.

    Quem acha que a FC ficou relegada a 2º plano em SGU não sabe do que está falando. Um exemplo é o uso das “pedrinhas de comunicação”, que oferece fantásticas possibilidades de roteiro.

    O episódio “Time” foi o que mais se assemelha às séries anteriores, e é o pior até agora.

  3. Denise

    Já assisti aos nove episódios de Stargate Universe e concordo com a matéria. Os episódios são fracos, a preocupação com o lado humano dos personagens chega a irritar, alguns episódios que poderiam se desenvolver de forma mais dinâmica não saem da mesmice. Creio que se o roteiro continuar da forma que vem sendo apresentado a série será cancelada, o que é uma pena pois o arco tem potencial para boas estórias de ficção.

  4. Eversmann

    Analise perfeita no meu ponto de vista. Por ser Stargate (mesmo que seja por enquanto um pseudostargate)vou continuar a acompanhar, mas que fica uma pontinha de decepção não da pra negar, quando começou aqueles flashback não acreditei: copiar Lost?! nããooooooo!!!!!

    Acho que além do realismo humano de BSG, outra coisa que copiaram,(não somente de BSG), e que acho terrível, é o clichê da “vilania do cientista”. Baltar era amoral e só se redimiu quando virou “pastor” e aqui Rush é totalmente desumano, que experiência “maravilhosa” o converterá em um ser decente?

    A Carter deixou mais exemplos que somente teorias científicas.

  5. Cristina

    Nossa essa review acabou com a serie e ela nem é tão ruim assim o oitavo episódio foi show! Embora eu também esperava algo do estilo SG1 ou SGA, é bom mostrar algo diferente, é sempre bom renovar, e eu gosto dos tramas psicólogicos, só detesto a garota que faz a Chloe, só acho que ele deveriam visitar mais planetas.
    Uma premissa parecida com as antecessoras por mais tentadora que parecesse, cansa, 12 anos de SG1 5 de Atlantis, é bom mas ar fresco e uma coisa diferente também!

  6. Ângelo Romão

    Sou um novato na franquia Stargate e, no momento, estou assistindo a 2ª Temporada de SG-1. O que funciona na série é justamente o equlíbrio perfeito entre drama, aventura, ficção científica e humor.

    Os episódios são criativos e instigantes, a mitologia da série é interessante, os personagens são carismáticos e desenvolvidos igualmente dentro da trama e o humor a impede de cair na pretensão ou de tentar ser mais do que é: um prato cheio de diversão inteligente.

    A meu ver, as demais séries da franquia pecam pela falta desse equilíbrio invejável que SG-1 possui: Atlantis é simplista, juvenil e se apóia demais na pirotecnia, enquanto Universe falha ao se levar a sério demais e ficar à deriva sem estabelecer uma perfil narrativo eficiente.

  7. Felipe Anderson

    “A meu ver, as demais séries da franquia pecam pela falta desse equilíbrio invejável que SG-1 possui: Atlantis é simplista, juvenil e se apóia demais na pirotecnia, enquanto Universe falha ao se levar a sério demais e ficar à deriva sem estabelecer uma perfil narrativo eficiente.”

    Cara, exatamente como eu penso. Apesar de ter gostado de Atlantis… foram sets maiores, efeitos especiais melhores e histórias, em geral piores. Mas mesmo assim, era Stargate. Reiventar a roda, literalmente, após 15 temporadas queridas pelas fãs, definitivamente, é um tiro no pé.

    E já vale avisar: toda 1ª temporada já está gravada, então, pode esperar que SGU vai continuar na mesma linha, ou melhor, na falta de linha, já que a série é uma bagunça. Vamos continuar com personagens torturados, resmungões e tudo mais. Uma dose de sci-fi aqui e ali, só pra dizer: “Essa série também é sobre ficção científica…” e olhe lá. Talvez na 2ª temporada a coisa melhore, ou o machado vai pegar.

    E não custa dizer que os fãs de ficção científica já viram esse filme… Enterprise veio para mudar, fez pior, mudou tarde e foi cancelada. E a premissa de SGU já foi tentada por Star Trek: Voyager e a coisa não deu muito certo também.

    De qualquer forma, vamos continuar assistindo, porque a cada três episódios eles mostram aquele anel sabe, aquele, que carrega matéria para diversos lugares, a anos-luz de distância, nem que agora seja apenas por doze horas (NUFFFFFFF!!!)… aquele que nos fez acompanhar 15 temporadas… mas quem sabe os produtores estão certos e nós errados hehehehe.

    []s

  8. Eduardo Hosoda

    O máximo que eu acompanhei de Stargate, é o filme para o cinema com o James Spader e Kurt Russel e sob esse referencial, tanto as séries SG-1 quanto Atlantis são um porre para mim.

    Mas esse SG.U me agradou bastante justamente por tentar fugir do esquemão Star Trek (comparar essa série com a Voyager não faz muito sentido para mim, pois a séries Star Trek foram produzidas numa época em que o procedural drama era o tom).

    A série não é uma Galactica e com certeza o coronel Young e o Dr. Rush perdem muito em empatia e desempenho para o comandante Adama e o Gaius Baltar mas é algo apontando para uma direção nova!

  9. Felipe Anderson

    “Mas esse SG.U me agradou bastante justamente por tentar fugir do esquemão Star Trek (comparar essa série com a Voyager não faz muito sentido para mim, pois a séries Star Trek foram produzidas numa época em que o procedural drama era o tom).”

    Acho que houve um erro de época… qual delas? Voyager acabou em março de 2001, antes da metade da 1ª temporada de CSI… e as séries (quatro) foram produzidas de 1987 a 2005, sem interrupção.

    Quanto a comparação, ela não é só minha… dá uma buscada no google por “sgu feels like star trek voyager”.

    []s

  10. Eversmann

    Stargate tem similaridades, (intencional ou não) com Jornada: TOS/NG x SG1(a exploração), DSN x Atlantis(a base) e agora Voyager X SGU(a nave perdida).

    Desculpe o cara colega, mas eu achei aquela história da pedrinha “mágica” um absurdo galáctico em termos de scifi, fiquei tentando me lembrar se ela já tinha aparecido em Stargate e não me recordo, mas, comunicação instantanea a várias e várias galáxias de distância me parece um pouco forçado demais, por que não um transporte então? seria mais útil. No final só serve mesmo aos propósitos Lostinianos almejados, o esposo que volta pra remexer nas mazelas do dia a dia.

  11. João da Silva

    Cristina escreveu em 28/11/2009
    “Nossa essa review acabou com a serie e ela nem é tão ruim assim o oitavo episódio foi show! Embora eu também esperava algo do estilo SG1 ou SGA, é bom mostrar algo diferente, é sempre bom renovar, e eu gosto dos tramas psicólogicos, só detesto a garota que faz a Chloe, só acho que ele deveriam visitar mais planetas.”

    Por que você detesta a garota que faz a Chloe?

    Eu só assisti ao piloto, até agora, e não percebi nada que justificasse odiar a atriz.

  12. Fernanda

    Concordo com todos os comentários. Agora minhas considerações:
    1)Falta um bom enredo (que em SG-1 e SA tinha até de sobra)pra ela ser realmente da franquia Stargate;

    2)Nos episódios que o canal Sci-Fy exibiu semana passada poderia ser divididos em dois, ficou muito massante,

    3)Mesmo o Dr. Rush sendo líder, eu sinto a falta de um Jack, John, Weir, Woosley (até ele!) na jogada.

    4)Putz, senti uma falta danada de um McKay na série. Aliás ele rouba a cena em SGA, adoro ele. Também sinto falta de uma Carter e um Zalenka.

    5)Sinto falta de um Teal´c, Teyla e Ronon na série. Seria interessante que eles colocassem esse tipo de personagens. Daria mais conteúdo na série.

    No mais, espero que consiga acompanhar a série e analisar ainda mais ela. Era isso.

  13. José Vitor

    Felipe Anderson – 28/11/2009
    ————————————————–
    E não custa dizer que os fãs de ficção científica já viram esse filme… Enterprise veio para mudar, fez pior, mudou tarde e foi cancelada. E a premissa de SGU já foi tentada por Star Trek: Voyager e a coisa não deu muito certo também.
    ————————————————–

    1. “Enterprise” não deu certo porque era *muito* ruim mesmo (argh, aquela música brega na abertura…). Ao contrário, pelo menos os 7 primeiros episódios de SGU achei muito bons. Interessante é que justamente o episódio 8 “Time”, que achei fraquinho, os fãs antigos gostaram…

    2. Voyager não deu certo mesmo, ficou só 7 anos no ar. :) Tá certo que existem episódios horrorosos em Voyager, mas existem *muitos* episódios excelentes…de maneira geral acho que Voyager é sub-estimada.

  14. Felipe Anderson

    “1. “Enterprise” não deu certo porque era *muito* ruim mesmo (argh, aquela música brega na abertura…). Ao contrário, pelo menos os 7 primeiros episódios de SGU achei muito bons. Interessante é que justamente o episódio 8 “Time”, que achei fraquinho, os fãs antigos gostaram…”

    Hauhau, concordo plenamente. Como disse, era ruim, demorou a mudar -na 4ª temporada- quando o Manny Coto assumiu, a coisa melhorou sensivelmente… mas já era tarde demais.

    “2. Voyager não deu certo mesmo, ficou só 7 anos no ar. :) Tá certo que existem episódios horrorosos em Voyager, mas existem *muitos* episódios excelentes…de maneira geral acho que Voyager é sub-estimada.”

    Não me expliquei bem: eu AMO Voyager hehehe. Para mim a melhor das séries modernas de Star Trek. Teve muita coisa ruim, mas os personagens e a história em geral sempre me cativou muito. Eu também acho que Voyager é extremamente subestimada, até pelo “racha” entre os fãs de ST: os que preferiam histórias em longos arcos ficaram órfãos de DS9 e vieram para VOY esperando algo parecido. Ai já viu… Voyager tinha aventura, exploração, personagens e entrosamento exemplar, ainda que pessoas um pouco desvairadas cuidando dela. E tudo isso concentrado em stand-alones ou mini-micro-arcos. Para mim, a melhor.

    Mas voltando ao assunto, SGU, uma série, para mim, seja ela qual for, precisa de personagens larger-then-life. Se é para ver pessoas constantemente torturadas…

    Abraço,

  15. Mauricio Costa

    Acho que a premissa da série é muito boa e possui diversas possiblidades, mas alguma coisa ainda não se encaixou. Já gosto de algumas personagens como o Eli Wallace e a Tamara Johansen. Até o desenvolvimento da personalidade do doctor Rush me agrada de uma forma enervante. Por mais que ele pareça insensível e definitivamente seja um anti-herói, ele passa um sentimento de segurança. Como ele centraliza tudo, sempre esperamos que resolva os problemas. Sinto que os episódios poderiam ser melhores do que foi apresentado até aqui, mas ainda sim gostei da série. E ela é sim “sci fi” e como existem poucas dos gênero com certeza vou continuar baixando.

  16. Pingback: Destaques da segunda-feira, 30/11/2009 » TeleSéries

  17. Aristoteles

    A serie é fraca o que ainda ajuda e a memoria do Stargate SG1 e as aparições do Jeck O´NEILL .Aquele cientista chato e meio louco estraga mais ainda e como alguem escreveu falta o carisma dos atores das series anteriores .A serie esta amarrada e os produtores nao sabem o que fazer.

    e fraco

  18. Ailson

    A serie é muito ruim, ta pior que novela, tem muito conflito pessoal e pouca ação. O comandante não manda nada e o cientista que tem é loco. Falta um Mckay ou um Daniel Jackson.

    Decepcionante

  19. Marcelo Adriano Sousa

    Acho que a ideia foi otima, mas esse roteiro ta muito fraco seria muito melhor elaborar uma trama com com alguma raça alienigina como inimigas e tb trazer os antigos personagens tanto da atlanis como do SG1 só assim essa serie podera sair da “UTI” para poder viver de verdade

  20. Eversmann

    Post 16, putz! adoro a abertura de Enterprise, com música e tudo, um resumo perfeito da Jornada humana as estrelas.

  21. arthur buccioli

    Assisti a serie stargate sg1 inteira e a atlantis ate o final da quarta temporada. ja de cara posso falar que sou imensamente mais fã de sg1, pois foi uma serie que, como disseram os colegas anteriormente, tinha a perfeita combinacao de personagens entrosados, enredo e ficcao. no stargate atlantis eu senti uma enorme decepcao quanto ao lance da tecnologia, pois enquanto em sg1 eles conseguiam dominar a tecnologia alienigena e fazer enormes progressos ao longo da serie, em atlantis tudo se resumia a utilizar os recursos ja disponiveis deixados pelos antigos. outro ponto foram os antigos em si, que pelo enredo da sg1 eram um povo com recursos extremamente avancados, conhecimento ilimitado e sempre que a coisa apertava de fato eram os salvadores da terra… e em atlantis tem muita coisa que nao da essa impressao, naves que sao destruidas por armas primitivas de fogo, zpms que acabam mais rapido que pilha em carrinho de controle remoto, recursos simplistas que nao precisavam de QI maior que 60 pra usar, nao foi nada do que eu esperava em termos tecnologicos, faltou explorar melhor isso pra mim.

    agora falando de stargate universe, é impossivel deixar de notar a semelhanca com battlestar galactica, e o pior é que em battlestar galactica os personagens eram muito mais intensos, davam melhor suporte ao drama. em sgu, os unicos personagens realmente interessantes na minha opiniao sao o dr rush, o coronel (esqueci o nome dele) e talvez a medica. o eli devia ser um prodigio, um genio como a carter ou o mkay, mas até agora a unica coisa que o gordinho que se faz de engracado dominou foram os tais kinos, camerazinhas voadoras chatas que usa constantemente pra ficar fazendo big brother na casa(nave). alem disso ele fica só na aba daquela menina tentando ganhar um carinho, sendo que ela tambem nao tem nenhum proposito na serie, ta ali so de enfeite pra fazer parzinho romantico com aquele militar, que tb é bastante sem sal.

    pra mim a serie peca pelo enredo massante e indefinido, atores sem carisma exceto os que citei, enfim, de stargate ali so tem o nome… ate agora um pessimo desempenho comparado as suas origens…

  22. Volta

    Ai, ai… vamos lá.

    Acompanhei tanto SG1 quanto SGA. Posso dizer, sem medo, que SGU começou bem melhor do que as outras duas séries. Eu diria, após ver o primeiro eps, que esta é uma série adulta. Não cabe comparar com SGA (que considero infantil, na trama, nos efeitos e nos personagens).

    SGU tem elementos de “Espaço: 1999”, BSG e Farscape. Pode dar certo. Há oportunidade para o desenvolvimento de várias estórias:
    – Exploração da nave: ambientes, tecnologia, e a motivação dos Antigos para o projeto (deve ser algo existencial).
    – Procura por um mundo habitável.
    – Viagem no tempo (a nave viaja em velocidade mais alta do que a luz no espaço normal – estaria a tripulação sofrendo um efeito de dilatação do tempo ao contrário?)

    O que não dá para fazer:
    – Aliens inimigos (quem poderia seguir uma nave que deve pular de galáxia em galáxia a cada, sei lá, semana? Talvez se os aliens forem ALIENs mesmo, e não humanoides com uma testa de borracha e se tiverem concorrendo pelo espaço vital da nave…)

    O que sei é que estarei acompanhando a série pelo Sci-Fi.

  23. leonardo

    Será que só eu achei que é parecido com perdidos no espaço série antiga, aonde o antagonista era o Dr. Smith?

  24. Luiz

    A série é boa, realmente tem um tematica mais drama do que SG1 e SGA, mas acho isso legal.
    As tramas de SG1 e SGA eram muito mais para ação com tecnobaboseira, sendo que carter e mckay super gênio que resolvinham tudo no ultimo instante. Tanto que SG1 e SGA são iguais. O lider fodão, o gênio cientifico, o membro mais sociavel e diplomata, e o fortão alienigena que porra todos.

  25. arthur buccioli

    pois é, mas a tecnobaboseira e a ação de sg1 renderam 10 temporadas 3 filmes mais a sg atlantis e a sg universe… até agora, stargate universe teve muito poucos momentos emocionantes de fato. o foco de stargate nunca foi o drama, e sim a conquista do espaço, das novas tecnologias e surpresas a partir do contato com outros mundos, coisas que intrigam a mente humana, e isso que deu o folego pra serie na minha opiniao. stargate universe nao tras nada de novo de fato, porque drama por drama, eu preferia battlestar galactica… alem disso o elenco de sg1 (até a 8a temporada antes do oneill sair) era o mais bem entrosado de todos, sendo cada componente responsavel por instigar um tipo de sentimento no telespectador, o que realmente fez a formula ser copiada pro atlantis.

    bom, gosto é gosto, pra mim ainda a melhor foi sg1, mas a universe ta no começo ainda vamos ver se eles se acertam hehe…
    abs

  26. CECILIA

    Estou muito decepcionada,é apior das piores séries de ficção do momento.Eu esperei super anciosa,porque sou fã de carteirinha do Stargate SG1,Atlants.Esperava um STARGATE UNIVERSE de Arrazar,mas pela decepção de todos,é mais uma que imita várias,cansativa,sem atores bons,um lixão de estória,sem sentido nenhum.Espero que ACABEM LOGO PORQUE NOS EUA,ESTA SENDO CONSIDERADA A PIOR DE TODASE LÁ SENÃO TEM AUDIENCIA ELES CORTAM.qUE PENA QUE NÃO SOUBERAM HONRAR O NOME STARGATE.

  27. Marco

    Decepcionante mesmo. Esta série tá mais prá uma cópia da fórmula de Lost , que qualquer outra coisa.
    Acho que tem também muito de relacionar aos “treks”. Stargate SG-1 seria a STNG , Atlantis ;DS9 e Universe ; Voyager. mas com personagens sem carisma nenhum e nem um toque de humor que seria característico desse tipo de série… Largei!

  28. Pedro

    Realmente decepcionante ! Na minha opinião, seja lá qual fosse a linha explorada por UNIVERSE, deveria ter honrado a franquia STARGATE. Queira ou não queira, SG1 e SGA foram sucessos absolutos.

  29. Lander

    SGU é a versão Stargate da Voyager, que por sua vez era a versão StarTrek de Perdidos no Espaço…
    Hummmm, acho que os roteiristas “voyajaram” tanto na maionese, digo, “Universe”, que se “Lost” no Espaço…
    hehehehehe ;)

    Acontece com os melhores nerds… ;)

  30. Tatiane Marina

    Desculpem-me se eu disser alguma besteira, pois eu não sou nenhuma especialista em ficção científica. Até hoje não assisti ao filme que deu origem à série SG-1 e comecei a acompanhar primeiramente a série Stargate Atlantis. Apaixonei-me pelos personagens e pela história e logo quis assitir o original. E depois de assistir a algumas temporadas de SG1, logo percebi que Atlantis não tinha nada de criativa. Alguns episódios eram apenas uma cópia do que já tinha ocorrido em SG-1, com efeitos tecnológicos mais modernos (e caros) e em outra galáxia. Até a morte dos médicos das tramas foi bastante semelhante…
    Fiquei triste quando soube que a série seria cancelada, mas não podia ignorar que Atlantis carecia de vilões. Os Wraiths já não eram um inimigo tão poderoso; Michael era patético (essa história do bebê que irá salvar/destruir todos nós é um clichê que nunca me agradou); e os replicantes…, bem estes só entraram na trama em mais uma tentativa de copiar SG-1. Porém acho que a série melhorou bastante nesta última temporada. Embora o personagem McKay não esteja presente, achei o episódio Whispers excelente, o melhor da série até agora.
    Mas coloquei tudo isso, apenas para opinar sobre Universe. Antes da série estreiar já tinha acompanhdo muitas críticas ruins. E pelo que assisti, elas não estavam erradas. A série é massante e os personagens fracos, sem carisma. Não precisavam fazer como Atlantis (“SG-1, agora em outra galáxia”), mas se a idéia era ser totalmente diferente do original, não seria melhor não lançar como uma franquia? Ao invés de Stargate Universe, somente Universe. Afinal ninguém usa aquele portal mesmo!

  31. Rodolfo

    Parece novela da globo….realmente muito fraca a serie ate agora…é massante……..

  32. Anselmo

    Consegui assistir alguns epsódios da SG1 e Atlantis na Sky… quando deu di$po$sição, comprei todos os originais existentes e baixei a S09 e S10 do SG1 para poder completar o pacote e todos do SGU… após, assisti sem parar os mais de 300 epsódios (rsrsrs)…

    Bem, o SG1 se perdeu um pouco ao sair do campo de ficção para o esoterismo, misturando a tal da ASSENÇÃO com a realidade material… o restante é aceitável, com alguns ótimos episódios… no último deveriam ter explodido a nave a killed todo time do SG1.. seria um encerramento da série perfeito. depois de 12 anos de audiência… assim não voltariam jamais e assenderiam com um belo show pirotécnico… rsrsrs

    A Atlantis encerrou de forma brilhante, quando a nave ATLANTIS regressou para a terra… se quiserem partir para a 6 temporada é só comprar um ZPM carregado e decolar…

    A SGU é um lixo em termos de ficção… nada presta… é um drama comum da vida que pegou carona em um portão estelar… que poderia ser um avião pousando em uma ilha qualquer e com uma trama dos personagens “a la lost”… não precisariam do portão…

    Bem, espero que o SGU disque para a terra e desembarque toda a tripulação nos próximos epsódios… espero que surja um substituto a altura para o SG1 e SGA… o SGU não dá para assistir…

  33. Luiz Cavalcante

    Se a serie quer fazer novos fas…crie sua personalidade propria…nao quero assistir drama e sim ficçao, nao quero saber se fulano e corno e se beltrana e lesbica.Quero ver o outro lado do universo ate agora nao mostrado, estou ficando com claustrofoia dentro dessa nave.

  34. Evandro Duarte

    Depois de ler os 36 posts eu cheguei a conclusão de que realmente não gosto do Stargate Universe. Eu já sentia isso, mas não tinha ainda parado pra pensar. Tudo foi muito bem colocado.

    A série realmente não chama a atenção, não tem personagens consistentes, nem dá foco a tecnologia, portais são praticamente lenda, os enredos fraquissimos, nem dá vontade de acompanhar os episódios.

    Mas não compararia SGU a ST Voyager. Como treker eu assiti a todos os episódios e posso dizer com consistência que se a história era fraca (e realmente era) ela tinha personagens maravilhosos e toda a infra de cultura e tecnologia de Jornada nas estrelas pra tornar as histórias muito divertidas e animadas. Voce tinha alta ficção cientifica e muitos dramas pessoais. Tudo bem, a capitã era burra como uma porta e arrrumava todo tipo de desculpa pra não voltar pra casa, mas a série era muito interessante. Principalmente a partir da terceira temporada.

    Já SGU só sobrevive se mudarem TUDO. Eu já vi toda a primeira temporada e sinto como se tivesse visto um piloto de 22 episodios. A história terminou como começou.

    Com personagens ‘verdes’ , sem direção, sem explorar a nave, sem aprender nada de tecnologia nova, Ilai sem comer a Cloe, O comandante sem se acertar com o Rush, militares com rixa com os civis, sem sequer um plano pra voltar pra casa a longo prazo.

    Resta saber se a segunda temporada será melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account