Log In

Preview

Preview: Friday Night Lights

Pin it

Cena de Friday Night Lights
Friday Night Lights estréia hoje à noite no canal Sony, já cercada de elogios. Já se foi o tempo que uma série estreava no Brasil e não se conhecia nada a respeito. Hoje é exatamente o contrário. Ela é adorada pela crítica, amada pelos que assistem, mas desprezada pelo resto da audiência americana. Mas isso não é nenhuma surpresa. Num mundo onde American Idol é o programa de maior audiência e Veronica Mars é cancelada por falta dela, este tipo de frustração é comum.

A série é sobre os desafios de um time de futebol americano numa pequena cidade do Texas. Apesar de simples, a execução dessa história é maravilhosa. Friday Night Lights é um drama teen, mas em nenhum momento trata o jovem com o estereotipo do “aborrescente”. Os roteiros são sustentáveis e acima de tudo, inteligentes. Temas polêmicos são discutidos com clareza, sem querer passar lição de moral.

Está muito enganado quem pensa que a série é apenas sobre um time de futebol americano. Não, não é. É bem mais complexo que isso. A Sony está vendendo Friday Night Lights como uma série masculina sobre futebol americano. Isso está totalmente errado e ela vai pagar por isso. O canal repetirá o mesmo erro que a emissora americana cometeu. Ao perceber o desinteresse das mulheres e pessoas que não simpatizam com esse, ou qualquer outro, esporte a NBC tentou de várias as maneiras fazer com que elas conhecessem a fundo o seriado, justamente por não ser tratar apenas de um tema tão desinteressante para elas. E, nesse ponto, o canal Sony já começou errado. O futebol é apenas um cenário para o desenvolvimento e para conhecermos os dramas de seus personagens, que estão entre os mais reais da atualidade.

Jason Street é um dos protagonistas e a estrela do time. Ele é filho que toda mãe gostaria de ter. É humilde, educado, ótimo aluno e um tremendo atleta. Sua fama e talento são suas esperanças de entrar para faculdade e ser alguém na vida. Mas seu sonho, aparentemente, é interrompido devido a alguns acontecimentos que veremos no piloto. A falta de humildade de Smash faz com que ele crie alguns desafetos e a busca pela perfeição o faz tomar atitudes duvidosas ao longo do percurso.

A timidez de Matt Sarecen junto com a responsabilidade de conviver e cuidar de sua avó completamente sozinho o transformou radicalmente muito cedo. Já Tim Riggins ganhou essa experiência quebrando muito a cara. Ele consegue as mulheres que deseja e tem que lidar com um forte vicio.

O time feminino também é muito bem representado. Lyla é a linda namorada de Jason Street e líder de torcida do time. Seu amor pelo namorado ficará bem claro nesse inicio de série, mas logo será posto a prova. Tyra é a namorada de Tim Riggins e é a bicth da história. Ela é o modelo americano de garota liberal. Não se preocupa com opiniões alheias e faz o que bem entende. E por fim, Julie a adorável filha do Treinador Taylor. Seu lema é nunca namorar jogadores de futebol. Mas convivendo tão perto deles, conseguirá?

Cena de Friday Night LightsA série sem dúvida é de Kyle Chandler, que está incrível no papel do treinador Eric Taylor, mas tanto ele quanto Connie Britton elevam o nível quando o assunto é a relação entre marido e mulher. Juntos formam o casal mais crível que poderiam criar. Além de ser um grande profissional, ele tenta ser o pai perfeito e o marido ideal. Ela faz o papel de uma esposa compreensível, completamente independente e melhor amiga da filha. A grande missão do treinador Taylor é conciliar a pressão da cidade para conseguir o campeonato, com as dificuldades profissionais e pessoais.

Logo nos primeiros minutos já ficará clara a paixão que essa cidade tem para seu time. A pressão que o treinador Taylor e todos os garotos tem que lidar é assustadora. Dillon atualmente é economicamente subdesenvolvida, mas já teve seus dias de glória quando era um dos pólos petrolíferos. A cidade aposta em seu time de futebol para reviver o que Dillon já foi um dia, uma cidade cheia de vida e esperança. Com isso o time e a cidade acabam se transformando em um único personagem.

Uma coisa que pode incomodar algumas pessoas, é o modo como a série é filmada, com uma edição ultra rápida e câmera tremendo sem parar, imitando um documentário. Mas que funciona perfeitamente nas partidas de futebol. Com o decorrer dos episódios a filmagem se torna um problema minúsculo dentro do universo desses garotos. A direção de arte faz um trabalho maravilhoso. Cria-se todo um cenário deprimente, mas sempre retratando o lado positivo de todos. A fotografia é cuidadosa, sempre buscando o realismo.

Ao lado de Dexter, Friday Night Lights é a melhor série que estreou na temporada 2006/2007 nos EUA. Se o horário das 22h em plena sexta-feira é difícil, a Sony facilitou a vida de todos e reprisará em vários outros horários: três horas depois a exibição original, às 2h, domingos às 9h e às 15h e segundas às 5h e 14h.

Clear Eyes, Full Heart, Can’t Lose.

Cant’ Lose.

***
Friday Night Lights, sextas-feiras às 22h na Sony.

Séries citadas:

62 Comments

  1. Cristine

    Não julguem Friday Night Lights só pelo piloto. Foi apenas uma introdução, pois os personagens tem muitas camadas, as coisas não são como extamente aparentam, tudo tem uma explicação, seja pela família, pela pressão do futebol, etc.
    Alguém falou que os personagens não tinham carisma. Eu acho que esses são os personagens com mais carisma de todas as séries que eu assisto. É bom ver uma série assim diferente, até os cliches parecem diferentes. Acho também que o trabalho da câmera ajuda muito, pois consegue captar as expressões faciais, as emoções certas na hora certa.

  2. Cesar

    Gostei muito.

    Concordo com a Fer Funchal. A edição e a fotografia são excelentes. A direção do piloto também, pois foi capaz de trazer da tela todo o clima denso e tenso do episódio.

    Tirando um único escorregão no roteiro – o famigerado clichê do jogador reserva inexperiente que entra e salva a equipe – o resto foi muito bom. E a sequência que se inicia com o final do jogo é espetacular.

    Mas, não é uma série fácil, o que explica duas coisas: a modesta audiência e a insistência da NBC em tocar a 2ª temporada.

  3. Dalmo

    não sei se fui influenciado pelos comerciais do sony mas só vi falar de futebol americano ontem no piloto… só assisti 20 minutos, mas vou assistir a reprise e mais alguns episódios pra ver se eu gosto.

  4. Pedro Jayme

    não aguentei assistir nem 20 minutos, e olha que eu gosto de futebol americano..mas darei uma nova chance.

  5. Vânia

    Tinha visto o piloto á uns meses atrás e achei fraco, só fica bom nos últimos minutos. Mas as reviews positivas que tenho visto são tantas ( incluindo este excelente texto do Eric) que vou assistir aos próximos episódios.

    Além disso quando vemos o 1º episódio de uma série temos sempre de dar um desconto, afinal tem de ser apresentadas: personagens história..etc..o que torna sempre tudo mais lento.

  6. Marianna Branco

    Pra quem nao se animou muito com o piloto eu recomendo assistir mais alguns episódios e tenho certeza q vcs vao se surpreender. Eu já tinha assistido a série inteira e assisti o piloto na sexta com a minha mae e tb achei q comparado com muitos outros episódios o piloto foi fraco.
    O q eu mais gosto nessa série sao os personagens. Os adolescentes nao sao estereotipados ou com uma vida perfeita onde eles arrumam problemas ridículos como em the o.c. Dá pra se identificar com várias situaçoes pelas quais eles passam. Parafraseando a Warner… sao personagens q te fazem sentir.

  7. Eric Fernandes

    Pedro Jayme,
    Dê uma segunda chance sim. Se perdeu as reprises de domingo, a Sony vai reprisar o piloto hoje ás 05h e ás 14h.

    Vânia,
    Obrigado. E concordo contigo. Eles tem que apresentar tudo, ou quase tudo, no piloto para chamar o telespectador pra série. Mas acompanhe o restante sim. Só melhora.

    Faço as palavras da Marianna Branco as minhas. É isso ae.

  8. Pingback: TeleSéries » Mentes Perigosas? Machos de Respeito? Pi? O marketing da Sony

  9. Pingback: Preview - Friday Night Lights « Série Maníacos

  10. Ly

    Admito que só me interessei em assistir a série depois de ver uma entrevista com o belissimo Taylor Kitsch (Tim Riggins) na E!…
    Mas a culpa realmente é da Sony com sua péssima divulgação.
    Agora estou apaixonada pela serie, e recomendo a todos, afinal tudo que não quero é que a serie seja cancelada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account