Log In

Opinião

Pretty Little Liars – balanço de temporada

Pin it
Pretty Little Liars leva mistério e romance ao público jovem. Confira a análise da primeira temporada da série.

A ABC Family costuma acertar temporada sim temporada não. Suas produções geralmente tem cara de sessão da tarde e seus roteiros não poderiam resumir mais o clichê do adolescente americano, mas e daí? Essas séries são chiclete e a gente curte mesmo.

Ano passado a emissora desperdiçou uma grande oportunidade com 10 Things I Hate about you, baseada no filme homônimo que por sua vez é inspirado em A Megera Domada, obra de William Shakespeare. A expectativa foi grande bem como a decepção, mas isso sou eu divagando.

Nessa nova temporada a emissora acertou em cheio. Pretty Little Liars é derivada dos livros de Sara Shepard e conta a história de cinco amigas: Aria Montgomery, Spencer Hastings, Hanna Marin, Emily Fields e Alison DiLaurentis. Numa noite comum elas resolvem dormir no celeiro de Spencer e inexplicavelmente Alison DiLaurentis desaparece sem deixar rastro, abalando a amizade das garotas.

Passa-se um ano e Aria foi viajar com os pais para Islândia; Emily, Hanna e Spencer já não são tão amigas e todas estão de volta à Rosewood e novamente se aproximam quando começam a receber estranhos torpedos e emails contendo segredos que somente a amiga desaparecida sabia. Durante o primeiro episódio, o corpo da amiga é encontrado e o suspense aumenta quando ao final do velório todas recebem a mensagem: “Eu ainda estou aqui, ‘bitches’. E eu sei de tudo. –A”. Mas se Alison está morta, quem está enviando as mensagens e como essa pessoa sabe todos os segredos das meninas? Ou seria possível Alison ainda estar viva?

Tudo o que sabemos de Alison (Sasha Pieterse) é graças aos flashbacks. Ela era a abelha-rainha, quem mantinha o grupo sempre junto e era quem provocava todas a fazer alguma coisa que normalmente não fariam. Ainda me pergunto por que as meninas a agüentavam? Em alguns momentos podia ser doce e interessada nos problemas das amigas, mas em outros era manipuladora e até as prejudicava. Certa vez, uma dessas brincadeiras foi longe demais e alguém se feriu. Alison dizia que Toby Cavaunagh era um pervertido e as espionavam pela janela. Querendo dar uma lição à ele, coloca fogo na garagem sem saber que sua irmã Jenna estava lá – que acabou ficando cega após o incêndio.

No meio da temporada surgem pistas que levam à outros suspeitos e Toby é inocentado, mas somente na finale descobrimos o responsável pelo desaparecimento de Ali, porém, mesmo com a inocência provada, Toby continua sendo o garoto bad boy de quem todos querem distância. A única que acreditava nele era Emily (Shay Mitchell), e depois Spencer (Troian Avery Bellisario) também passou a acreditar, tanto que ficaram muito próximos. Antes disso Spencer teve um breve romance com Alex, garoto que conheceu no clube que costuma freqüentar com seus pais, mas acabou graças também à –A. Pessoalmente fico dividida entre Toby e Alex, um tem aquele lado sombrio, mas no fundo é um garoto doce, mas Alex é um personagem simples, real e que curte simplesmente estar com Spencer, uma pena ele ter saído da trama tão cedo. Mas o grande problema de Spencer está no seu relacionamento com seus pais e sua irmã Melissa (Torrey DeVitto, a babá louca de One Tree Hill). Com a irmã a desavença é maior já que Spencer ficou com alguns de seus cunhados. Wren, o noivo de Melissa no início da série e antes dele, bem antes, havia ficado com Ian
Thomas e com os segredos vindo à tona, não demorou muito para descobrirem isso.

Quando Ian repentinamente retorna à Rosewood, pede Melissa em casamento e a engravida (o que claramente foram os únicos acontecimentos relacionados ao mistério durante os últimos episódios), só que as meninas recebem um vídeo do dia do desaparecimento de Alison em que Ian aparece comprovando que os dois tinham um caso e tudo leva a crer que ele matou tentando esconder um possível romance com a vítima. A única constante nisso tudo é que o desaparecimento e a morte de Alison sempre está relacionado à Spencer, inclusive, vários flashbacks mostram que as duas se enfrentam devido ao temperamento forte e as opiniões diversas. Será que Spencer sabe mais do que está dizendo ou é mais culpada do que a gente pensa? Seria uma possibilidade muito interessante, considerando que os roteiristas não estão sendo tão fiéis aos livros.

Seguindo em frente, Hanna (Ashley Benson) é doce, amiga e foi talvez quem mais sofreu nas mãos de Alison. Quando criança era gordinha e agora é a garota mais linda e mais popular da escola. Agora seu grande segredo é o dinheiro que sua mãe “pegou emprestado” no banco em que trabalha e durante um bom tempo ficou com o coração dividido. Seu namoro com Sean, apesar de seus esforços nunca decolou, foi aí que apareceu Lucas, a personificação do nerd, inteligente e engraçado que se apaixona pela popular da escola. Os fãs torciam por esse casal, que é muito fofo e a química era bacana, mas isso foi antes de Caleb aparecer e encantar. Como amigos havia aquele clima no ar, mas a primeira cena em que Caleb e Hanna ficam juntos é desesperadora! A química some, eles estão claramente desconfortáveis e o clima foi pro espaço, demorou um pouco pra esse romance engatar. E quando engatou logo foi pro brejo porque tudo em Pretty Little Liars não é o que parece. Jenna estava pagando Caleb pra ficar com Hanna e descobrir uma chave que supostamente estava em posse das meninas e quando ela descobre os dois terminam e ele vai embora.

Emily, outra que compõe a grupe, é lésbica, mas a única que sabia era Alison. Tinha um namorado Ben, mas termina com ele quando se apaixona pela nova vizinha Maya e as duas vivem um romance rápido quando a mãe de Emily a proíbe de ficar com a menina. Nos últimos episódios se aproxima de Paige, uma garota que não tem coragem de se assumir diante da família. É um personagem meio inútil na série, Emily é sem personalidade. Enfrenta uma barra com a mãe que não aceita sua homossexualidade, mas ela é quase uma espectadora quando se trata dos segredos e dos mistérios que envolvem a morte da amiga. E pra piorar, ainda surge um romance com uma menina psicopata. Sim, porque é meio incrível você namorar com alguém que tentou te matar afogada, concordam?

Por fim, Aria (Lucy Kate Hale) a última das meninas esconde da mãe, Ella, a traição do pai com uma de suas alunas por um ano. Quando retorna de viagem conhece Ezra Fitz em um bar e se apaixona, só no dia seguinte descobre que ele é o seu novo professor de inglês. –A fez questão de revelar a traição do pai, fazendo o que ela não tinhacoragem pra fazer e, por isso, os pais resolvem dar um tempo. O romance com Ezra, no entanto, fica escondido. Até que na finale a ex-noiva dele aparece na porta da casa dela para uma festa. Este casal eu defendo com unhas e dentes apesar de muita gente achar chato. É mais do que esperado que esse romance fique as escondidas devido ao pensamento dos americanos quanto a esse tipo de relação, e por ser um namoro escondido é normal que as discussões deles envolvam as expectativas para o futuro, o fato de que não podem sair do apartamento, coisas do tipo. Mas há de se reconhecer a química gritante entre Lucy e Ian Harding! Só por isso eu já sou fã. O problema desse relacionamento é que, diante da enrolação do roteiro, eles mais discutem a relação do que realmente vivem. É hora desse relacionamento andar, e esperamos que com a chegada da ex-noiva e com a demissão dele da escola – isso aconteça.

Uma outra crítica a ser feita é quanto as tramas paralelas que não conseguem dar suporte à série quando o foco não é a investigação sobre Alison. Deixam muito a desejar, como foi por exemplo a separação de Ella e Bryon que ninguém se importa e foi um dos plots mais sem graça.

O que Pretty Little Liars não soube fazer foi adaptar os livros para a TV sem que a trama comprometesse o suspense e os romances. No retorno do hiato o roteiro enrolou o máximo que pode até que a season finale foi a coisa mais rápida e superficial que já vi. Até mesmo a edição do episódio foi forçada como se dissesse “temos que fechar bem essa temporada pro pessoal voltar pra próxima”. Bom, até que fez efeito. Se confunde tanto mentira e verdade; fato e ilusão, que é difícil largar agora e ficar sem saber realmente quem é que está por trás das mensagens e por isso, estarei acompanhando a segunda temporada, mas precisam arrumar um jeito de tornar o suspense atrativo para a próxima temporada.

Séries citadas:

Bacharel em Direito e servidora pública. Já chegou a ver mais de 30 séries, mas hoje prefere ter vida social. Atualmente acompanha Arrow, The Good Wife, The Voice e Scandal.

7 Comments

  1. Tati Leite

    Eu sabia que conhecia a irmã da Spencer de algum lugar mas sempre esquecia de procurar no IMDB. A babá louca de OTH. Por isso o ódio de cara. (risos)

    Eu curtir bastante a série. Tá na minha lista de séries que assisto fazendo unha, digitando… Não fico ficada o tempo todo, não penso no episódio depois de assistir, mas assisto.

    Gostei da maneira como trataram o fato da Emily ser lésbica. Para um canal mais conservador, e pela proposta da série, eles até que tocaram no assunto de uma maneira não tão superficial.

    Minhas personagens prediletas são a Spencer e a Hannah (as cenas com elas são as que realmente presto atenção).

    Me divirto com o fato de uma das mães ser a Piper (Charmed) e a outra ser a Sidney (Melrose). Fico perguntando quando foi que fiquei velha assim. hehehe

  2. Alexandre

    PLL surgiu como uma boa diversão no hiatus passado das séries. Logo eu fiquei curioso pra descobrir o que iria vir a seguir, como resolveriam os mistérios. Até a série sair de hiatus, tudo me chamava atenção, msm com td mundo dizendo q nada acontecia e q só enrolavam…

    Aí a série voltou. Os 3 primeiros eps foram mto bons e achei que ia dar uma boa guinada… mas aí parou. Literalmente parou. Do 14 ao 22, NA-DA aconteceu. E o que acontece foi de maneira CHATA e sonolenta. Sem contar essa mania irritante de sumir com os personagens do nada.Parece que é um circo, festival… Ridículo isso.

    O roteiro tá fraco, as atuações deixam a desejar e nem os mistérios me prendem mais. Por mim mandavam a Emily pro Texas de vez, prendiam o Ezra (pq pra mim ele e a Aria são o casal mais sem sal EVER)… Espero que expliquem essa coisa do Ian melhor. Foi bizarro tb. E de casais, só Spencer e Toby salva. O resto é chaaaaato. O que poderia ser bom, Hanna e Lucas, foi destruído pela mania de desaparecer com personagens.

    No geral, esses últimos eps deixaram a temp insossa. ME desanimaram MUITO. Que a 2ª temp seja melhor…. Se for pior, Deus nos ajude.

  3. Henry Akashi

    Oi Lara, eu estava indo tão bem no meu comentário e cliquei o ESC não sei pq e a tela saiu. Que droga. Vamos lá tentar recuperar o fio da meada.

    Primeiramente queria lhe dar os parabéns pela maestria com que conduziu o texto. Vc conseguiu viajar d um lado para o outro na timeline da 1ªT d PPL e fez um trabalho mto melhor q o Tim Kring e o Hiro Nakamura.
    Outra coisa que me chamou mto a atenção foi vc ter comentado da química entre Caleb e Hannah, q eu sempre falei que não rolava. Não conseguia engolir o casal, pelo simples fato d dos roteiristas terem me feito amar a química gritante entre Lucas e Hannah. Pra ser sincero, Hannah me agradou mtíssimo toda a temporada, mas caiu mto no meu conceito após a decisão de não ter corrido atrás do Caleb quando devia. Mas em contrapartida, Lucas ganhou inúmeros pontos.

    Daí, como se não bastasse vc ter sentido o mesmo que eu com relação a esta personagem (Hannah); vc vem e me fala q se identifica com Ezra e Aria. Whaaat? Really?
    E eu achava q só eu quem fui capaz d enxergar q ambos tem a quíimca mais fodástica dos últimos tempos (em se tratando de séries do mesmo nível) (não me venham comparar com Michael C Hall e Julia Stiles, nem dá!). Eu ate acrescentaria na Review a maturidade excepcional com que Aria tratou d todos os problemas relacionado ao casal. Neste ponto a persnagem ganhou mtos pontos comigo, pois eqto em outras inúmeras séries [do mesmo estilo] os adolescentes são inconstantes e a cada semana está com uma pessoa diferente; em PLL, Aria mostrou-se “Out of the box”. Eu sou totalmente “A&E Team”.

    Não sei vc, mas Troian Belissário é de longe a melhor atriz da trupe das Meninas Super Mentirosas. Sempre me impressionei com seu plot na série e às vezes cheguei a discordar de que Aria fosse a protagonista. Não q eu não goste da atuação das outras meninas (com exceção da terrível Shay Mitchel, que me faz querer ser afogado).

    Mas em se tratando das tramas paralelas, não poderia concordar mais contigo.
    Quando foi anunciado que Holly Marie Combs estaria presente no elenco fixo da série eu soltei um “whaat” digno de ser zuado. Eu sempre fui mto fã d Charmed e acho que perdi as contas as vezes em que idolatrava Piper (principalmente qdo ela se tornou a líder das irmãs com a saída d Shannon). Daí me jogam uma p**** d uma excelente atriz e não a utilizam para nada consideravelmente válido.
    A trama d Ella e Byron poderia ter mto mais profundidade, e nem precisariam se desfazer da idéia utilizada em que eles procuram reatar se escondendo dos filhos. Isso oderia ser usado, ainda, mais com um aprofundamento mais maduro, ao meu ver.

    Finalizando, vc tirou as palavras da minha boca. Depois de tudo o que nos foi apresentado nesta 1ªT, fica quase impossível não continuar vendo a 2ª, ao menos para descobrir a identidade de —A. Mas confesso q espero ansioso que eles revelem isso o quanto antes e tentem desenvolver outras tramas principais para a série, pois a série vive de mistérios; só que uma hora ou outra essas informações acabarão se desencontrando e daí tudo aquilo que imaginávamos ser uma série bacana, mais um avez se tornará uma referência com o Heroes “material d grande potencial, entregue nas mãos de produtores e roteiristas incompetentes”.
    Resumindo, é isso.
    Sou fã sim de PLL. Sou louco pela Aria e Ezra juntos e sim, ainda que mal utilizada não quero que Holly saia da série.

    PS: Isso não quer dizer que eu não venha mais tarde para dar outros pitacos. hauhauahua

  4. Lara Lima

    Obrigada Henry! Mesmo.

    Então, eu só discordo sobre a Troian. Ela até se esforça, mas nada que a destaque das outras. Acho que o nível ali é bem equilibrado, com exceção da Shay evidentemente. E no início a Spencer era um tanto irritante, ela odiava Toby quase que de graça, e não sei como não pensei que ali teria alguma coisa. Mas com o tempo ela melhorou bastante.

  5. paullo kidmann

    Concordo com quase todo o texto, é verdade, eu gosto da série e me procupo com o futuro pq se ficar nessa enrolação não vejo uma 3° temporada.
    e tbm quero ver como a série vai continuar sem a Emily pq foi visto na Season Finaly que ela vai passar um ano no texas, isso poderia ser até uma tirada legal, dpois de tudo que aconteçeu na season finaly as garotas passarem um a no sem receber nada da A e tal mais ai elas já não estariam no colégio e não acho que ia funcionar tbm.
    Aria E Ezra, eles tem química realmente mas mais pelos atores pq o casal em si é Boring.
    e por falar em atores já vi trabalhos melhores da lucy ela ta muito superficial nessa série, e a Shay no começo botava até um pouco de fé nela, mais dpois só piorou como na cena que ela ficou Bêbada, seriouly? xo xo

  6. Sarah

    Eu adoro a Emily e a Hannah, mas acho um pé no saco a Aria e o Ezra, espero que ele não volte na próxima temporada…mas quanto ao Caleb torço para ele voltar, acho que tem tudo a ver com a Hannah.

  7. Pingback: Especial Semana dos Namorados – O Beijo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account