Log In

Reviews

Person of Interest – The High Road e Critical

Pin it
Série: Person of Interest
Episódios: The High Road e Critical
Número dos Episódios: 2x06 e 2x07
Exibição nos EUA: 8/11 e 15/11/2012

The High Road foi um episódio foi divertido, elemento cada vez mais presente na série, que sabe conciliar muito bem momentos tensos e outros mais leves, ainda que em um mesmo episódio.

O episódio começa logo com flashback de Finch com Ingram, quando a Máquina ainda eestava em processo de programação, e Finch explica que basicamente teve de ensinar à Máquina todos os detalhes de interações humanas para que ela pudesse separar as ameaças à sociedade. Porém, a Máquina aponta Grace Hendricks, que não parece ser ou estar sob nenhuma ameaça. Agora, se você ainda se lembrar do episódio No Good Deed, o vigésimo segundo da primeira temporada, você deve ter visto que Grace Hendricks era a noiva de Finch, que acredita que ele está morto. E mais uma vez questões sobre qual é o limite da inteligência da Máquina, será que a Máquina “viu” a solidão de seu criador e encontrou seu par (muita gente pagaria por esse serviço, Finch!) ou será que Grace foi a primeira pessoa de interesse apontada pela Máquina?

Além de algumas informações sobre a máquina, tivemos também o caso da semana, tranqüilo e divertido, no qual vimos Reese morando nos subúrbios e “casado” com ninguém mais, ninguém menos que Zoe (oh, my shipper heart). A pessoa de interesse da semana é Graham Wyler, pai de família, cidadão exemplar. Bem, aparentemente. Na verdade, durante o episódio descobrimos que Graham costumava ser um ladrão – e dos bons -, mas resolveu mudar sua vida e enobrecer. E mais uma vez tivemos a história do bandido que resolveu mudar de vida, um tema recorrente na temporada, que pode ser relacionado a Reese – só estou esperando pra ver se teremos mais história dele.

Enfim, foquemos em Graham ex-Lloyd, ex- ladrão. Apeguei-me a esse personagem, de verdade, ele era uma pessoa boa no que fazia, mesmo que não fosse moralmente correto, ele era bom, mas largou tudo o que tinha para levar uma vida simples achei simplesmente fantástico a cena em que ele resolve se entregar, consertar de vez as coisas, mesmo com o risco de nunca mais ter sua família de volta. Person of Interest tem um fraco por pessoas que resolveram mudar de vida.

Zoe não é só um rostinho bonito, e um corpinho malhado, ela é inteligente e as conexões dela seriam (são) um ótimo quebra galho, gostaria que ela fosse um pouco mais aproveitada na história, a personagem e a atriz merecem mais do que foi visto no episódio. E por que parar nisso? Zoe como parte do elenco já, a dinâmica da bela com Jonh e Finch é muito boa (eu juro que não é meu coração shipper falando mais alto).

Já Critical foi um episódio com a assinatura de Person of Interest, e  deixou os telespectadores atentos até o minuto final.

O episódio começou de maneira diferente, com um número repetido. O estúpido que teve seu nome apontado duas vezes foi Tao, lá do primeiro episódio da segunda temporada. E já estava me preocupando sobre de onde eles iriam tirar mais história pra ele. Só que ele ficou no standby, porque a Máquina havia indicado outra pessoa, e enquanto Reese e Finch saíram pra salvar o mundo daquela pessoa, Tao ficou sobre a “proteção” de Bear.

A pessoa de interesse dessa semana é a médica Madeleine, dona de uma vida agitada, aparentemente a melhor médica de sua área, e outra mulher destemida é retratada em POI. A cena dela controlando a situação com o homem armandoserviu bem para dar o tom de quem era a vítima da vez. E, além disso, Madeleine ainda tinha tempo de ser casada e ter um relacionamento firme. E mais uma vez a questão de fazer o que se quer contra fazer o que é certo é abordada em Person of Interest: Madeleine fora chantageada a matar um de seus pacientes, Oliver Veldt, para que sua esposa, Amy, não fosse morta. E nos é apresentado mais um vilão Alistair Wesley, ex-agente da MI-6. Vejo Wesley como o novo nemesis de Reese, aparentemente as habilidades dos dois são parecidas, porém ainda não ficou claro o papel dele na história, ele pôde ter sido contratado por alguém, mas também faz sentido que o assassinato de Oliver Veldt, que é o dono de uma empresa de energia fosse benéfico a Wesley, só nos resta saber como.

Cheguei a acreditar que a médica tomaria mesmo a decisão errada, era evidente que sua esposa significava muito a ela. É difícil não imaginar o que aconteceria caso qualquer um de nós estivesse no lugar dela, salvar a vida do paciente e viver com a culpa de não ter conseguido salvar quem se ama ou ainda salvar quem se ama e viver com a culpa de ter tirado uma vida. Sinceramente, não tenho ideia de como a situação iria se desenrolar se fosse comigo, e quero continuar sem saber, mas a experiência de horas de seriados me diz que Wesley teria matado tanto Madeleine quanto sua esposa, mesmo se aquela tivesse matado Oliver.

Outra coisa que gostei muito nesse episódio foi a grande participação de todos os envolvidos, Carter, Fusco, Reese, Finch e ainda mesmo Tao, ele se meter em outra confusão foi bem conveniente. Cada personagem teve seu papel a desempenhar. Reese em seu “jogo” com Wesley, Finch dentro do hospital resolvendo a situação junto de Madeleine. Fusco que sumiu episódio passado deu um alerta pra Carter e ainda ajudou John com Amy. A cena dele implicando com o policial só para criar uma distração foi impagável, apesar de que eu tinha o palpite que o policial era um dos homens de Wesley e estava com medo por Fusco, mas ficou tudo bem, Fusco acabou por salvar o dia.

Agora quem está com a corda um pouco apertada no pescoço é Carter que teve seu cartão encontrado em uma cena do crime por Fusco, e Carter é claro que foi saber por que o cartão dela estava lá. Snow colocou lá, lembra que ele está sendo delicadamente persuadido com o uso de uma bomba por Kara? Agora, Snow colocou o cartão a mando de Kara ou como uma maneira de meio que pedir por socorro? Ambas as teorias são plausíveis, mas estou apostando que Kara mandou, porque Carter tem um envolvimento com Reese, sinceramente, não sei como ninguém ainda descobriu o envolvimento da detetive com o Homem de Terno, eles, ao meu ver, nem são tão discretos assim. É sério que ninguém dentro da polícia nunca questionou Carter como ela “derrubou” uma gangue toda “sozinha”?

Vou usar aqui, de maneira tradicional e clichê, o lado branco como o lado bom e o lado preto como o mau. Sabemos que o lado branco desse tabuleiro de xadrez, que começou só com Rei e Rainha, (Finch e Reese. Hehe :3 Reese encaixa perfeitamente como a peça da Rainha, faz de tudo dentro do jogo) hoje tem ajuda de Carter, Fusco, Zoe e agora Tao. E agora o lado preto tem Elias, Root, Kara, Wesley com suas peças indefinidas ainda, porém, tudo vem sendo construído episódio por episódio de maneira meticulosa. Acredito que o xeque-mate dessa temporada será de tirar o fôlego de qualquer um.

P.S.1: Os temas moral e confiança estão muito recorrentes nos episódios, o que me faz crer que Fusco vai ter papel fundamental mais pro final da temporada. Afinal ele voltou a HR para proteger seu filho.

P.S.2: Grace Hendricks, ex de Finch é interpretada por Carrie Preston, a esposa de Michael Emerson.

P.S.3: Bear, nós conversamos sobre limites. Finch, nós precisamos conversar sobre sua camaradagem ao deixar Reese comer o donut.

Séries citadas:

Estudante universitária, equilibra seu tempo entre livros acadêmicos, seriados e a regência do mundo livre. Depois de muito procurar, encontrou uma dobra no tempo que a permitiu continuar sendo seriadora, e assim mantêm em dia Castle, Suits, Doctor Who e Game of Thrones, entre outros milhares de seriado. É a responsável pelas reviews de Homeland.

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account