Log In

Reviews

Person of Interest – The Contingency e Bad Code

Pin it
Série: Person of Interest
Nome dos Episódios: The Contingency e Bad Code
Número dos Episódios: 2x01 e 2x02
Exibição nos EUA: 27/09/2012 e 04/10/2012
99.333333333333
4.9
3

Depois de uma temporada quase que perfeita e um hiatus que parecia não ter fim, Person of Interest retorna do mesmo jeito que foi.

Onde paramos: a máquina, como sempre, apresenta o número da nova ameaça, desta vez, pertencente à psicóloga Caroline Turing, e Reese, durante grande parte do episódio, trabalha pra salvar a vida de Caroline e a sua própria, mas acontece que Caroline é na verdade Root, que sequestra Finch. Enfim, o episódio encerra com Reese conversando “diretamente” com a Máquina, pedindo ajuda para encontrar seu amigo desaparecido. A partir desse momento pode-se questionar: Até onde vai a inteligência da invenção de Finch?

E The Contigency, o primeiro episódio da segunda temporada, nos mostra três histórias: Plano de contingência, a programação da Máquina, e Root.

Como vimos em um episódio da primeira temporada, (não lembro qual, shame on me) Finch diz que há um plano caso algo aconteça consigo mesmo ou Reese. Lembro que quando vi esse episódio fiquei imaginando qual seria o plano caso Finch desaparecesse, afinal, a Máquina, até aquele momento, só respondia a ele. (Via o Reese como o “descartável” dos dois. Achar alguém com treinamento militar e que seja confiável é difícil?) Mas, Finch desapareceu, e agora? Depois daquela cena de “previously on Person of Interest” que começou desde o nascimento da máquina e chegou à cena final de Firewall, onde Reese olha pra uma câmera e conversa diretamente com a Máquina pedindo que ela o ajude a encontrar seu amigo, o telefone toca e ele recebe uma série de palavras que são um código para o próximo CPF, dessa vez pertencente a Leon Tao que não tem nada a ver com Finch ou Root. Eis a o plano de contingência Finch (tenho que contralar meus impulsos pra não chamá-lo de Ben) programou a Máquina, para que esta continuasse a entregar os CPFs a Reese.

Esse episódio foi uma mina pra quem estava curioso pra saber como a Máquina funciona e foi incrível, cada flashback serviu para responder qualquer pergunta que era feita em 2012. Esse elemento que o seriado usa de juntar passado e presente, para esclarecer aos telespectadores os acontecimentos atuais, é incrível, às vezes eu sinto como se 42 minutos fossem pouco e a história acaba ficando atropelada. E em POI, não tive essa sensação até agora. Person of Interest tem mostrado ter a mitologia mais bem elaborada e organizada desde Fringe. Enfim, o episódio trata de mostrar até onde a inteligência da Máquina vai. Isso mesmo, inteligência, a primeira temporada deixou incerto se a invenção de Finch era apenas um sistema de programado ou se era de inteligência artificial, e agora nos foi confirmado que sim tem inteligência, e é até capaz de tomar decisões próprias. Finch havia programado a Máquina pra nunca ajudá-lo, mas Reese, conversando com a Máquina, disse para ela achar um meio de burlar as regras impostas por Finch sem quebra-las, me pergunto no que isso pode acarretar, algo como Eu, Robô quem sabe?

E mais um vilão nos é finalmente apresentado, Root, interpretada por Amy Acker, é uma vilã com inúmeras faces, pode ser tão amigável e doce quanto fria, calculista. Ela é como uma versão de Finch que deu errado e se corrompeu diante tanta inteligência. A raison d’etre de Root é que ela quer libertar a Máquina do controle das pessoas que a operam, mas por quê?

Mas pra falar melhor dela, entramos no segundo episódio da temporada Bad Code, inteiramente voltado para Root. A premiere poderia ter sido um episódio de duas horas facilmente, The Contigency e Bad Code são complementares. O caso da semana não foi um dos melhores, o episódio teria sido um pouco parado se não tivessem inventado aquela briga de bar pro Reese, e jogado uma pitada de humor em algumas horas, porém o episódio foi necessário para construir bem, e deixar sem pontas soltas (eu espero) o arco dessa temporada. Sim, descobrimos quem Root é na verdade, e talvez parte do que tornou ela no que ela é hoje, mas ainda deve haver mais, até porque ela mesma ligou pra Reese primeiro, para agradecê-lo por ter posto um fim na história de sua amiga que desapareceu e em seguida para avisar que ela voltaria.

Confesso que fiquei meio preocupada, porque a série levou as alturas minhas expectativas e dizem que quanto maior a altura, maior a queda, mas aqui estamos e POI ainda mantém a excelente qualidade da trama que teve na primeira temporada. A mistura de elementos faz algo interessante de assistir.

You’re right, you and I are alike. In many ways, not that I’d care to admit it. I spent years wondering how people could be so cruel. Petty. So selfish. And then I’d think about how you could change them. Fix them. And that’s why I’ve sealed up the Machine. Not to protect it from the people I was giving it to. To protect it from me. From people like us. From the things we’d do with it. That’s why I’ll never help you get control of it.

OBS: A jogada de mestre do seriado, a maquina não é capaz de saber se o número pertence ao “mocinho” ou ao “bandido”, passamos episódios inteiros acreditando que Reese está salvando o mocinho, e num grande tapa na cara dos espectadores o personagem vira o bandido ou vice-versa. Esse recurso já foi utilizado algumas vezes na série, mas ainda consegue surpreender.

OBS2: Você já teve a impressão que alguém pode te vigiar pela web cam? Pois é, agora, fiquei um pouco mais paranoica com isso naquela cena em que vimos a Máquina vigiando Finch pela webcam de uma pessoa qualquer sentado no Café.

OBS3: Person of Interest não é uma terra muito feliz pros shippers, porém há gente que goste de Reese e Carter juntos, e teve uma tensãozinha entre eles em Bad Code. Carter ficou com medo de não resistir aos encantos de JC no hotel em Texas. Heh

OBS4: Estou apaixonada pelo bromance de Reese e Finch. O esforço de Reese para salvar Finch e este se referindo a aquele como Good Code. E eles até adotaram um novo membro pra família, Bear. Owwwwnn!

OBS 5: Fui procurar sobre o livro que apareceu em Bad Code, Flowers for Algernon, ficção científica, é basicamente a história de homem que se submete a uma cirurgia para aumentar sua inteligência e as repercussões de seu ato. Interessante, não?

OBS6: Episódio novo só no dia 18. Então, até lá!

Séries citadas:

Estudante universitária, equilibra seu tempo entre livros acadêmicos, seriados e a regência do mundo livre. Depois de muito procurar, encontrou uma dobra no tempo que a permitiu continuar sendo seriadora, e assim mantêm em dia Castle, Suits, Doctor Who e Game of Thrones, entre outros milhares de seriado. É a responsável pelas reviews de Homeland.

1 Comment

  1. ReMonteiro

    Mayra, você é apaixonada por Person, então somos duas. A melhor serie que apareceu nos últimos tempos.
    Acho que se houvesse alguma possibilidade de envolvimento amoroso teria que ser com um personagem novo, porque os personagens regulares até agora estão na medida. Como você colocou a série é hipnótica e bem valeria um primeiro episódio de duas horas. Aguardo anciosamente suas reviews.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account