Log In

Reviews

Person of Interest – One Percent e Booked Solid

Pin it
Série: Person of Interest
Episódios: One Percent e Booked Solid
Número dos Episódios: 2x14, 2x15
Exibição nos EUA: 7/02 e 14/02/2013

Depois de uma série de episódios que traz a tona nossos TOCs, é de praxe que Person of Interest dê aquela estacionada no drama, e mostre episódios mais tranqüilos, mas não menos interessantes.

One Percent foi um episódio bom, filler, divertido, e ainda pudemos ver alguma coisa sobre o passado de Finch.

O caso da semana trouxe a história de Logan Pierce, fundador de uma empresa de social network, Friendczar. Sim, o episódio foi no melhor estilo de The Social Network e se você já viu o filme o final acaba sendo meio previsível (Não assisti ao filme, acabei prevendo do mesmo jeito). Enfim, esse acabou não sendo o ponto interessante da storyline, mas Longan foi um presente para o episódio. O rapaz bilionário é aquele tipo de pessoa que se perdeu durante o caminho que percorreu para conseguir seu patrimônio, e é claramente uma pessoa sozinha, mesmo sempre estando cercado de seus amigos e inimigos; e sem amor próprio. Era evidente que ele não se importava com sua própria segurança, a falta era tamanha que Reese foi capaz de abandoná-lo.

O que mais eu gostei sobre Logan foi sua curiosidade. Ele, como a maioria das pessoas de interesse, não aceita que um homem de terno apareça de repente e sua vida dizendo “ok, eu vou te salvar”. Pierce ficou intrigado com a situação e se arriscou indo atrás de Reese e Finch só para saber da motivação deles. Isso provavelmente quer dizer que essa não será a única vez que veremos esse personagem, ele é inteligente e tem recursos, deve retornar em outras circunstâncias, espero ansiosa.

A adição de Carter e Fusco foi um grande componente para o seriado, traz uma boa dinâmica, mas a participação deles nesse episódio foi pouca. No entanto, parece que foi o ponto inicial de um problema futuro. Carter, sempre dentro da lei, ou sempre tentando pelo menos, está encarregada de descobrir quem é o assassino, que no caso é Fusco. Lionel, que diferente de Carter, não tem a moralidade como um atributo forte, tenta até conversar com Joss, sem muito sucesso já que esta garante que vai prosseguir com a investigação não importando qual seja o resultado. Fiquei um pouco chocada com a resposta de Carter já que ela já teve o pescoço salvo por Fusco por pelo menos duas vezes, e ela não foi ao menos capaz de ouvi-lo. Person of Interest tem fraco por esses embates de moral e outras virtudes, como, nesse caso, a lealdade.

Sem querer, um dia desses, acabei revendo o sexto episódio da primeira temporada, onde há uma cena de Finch conversando com Reese sobre como eram as coisas antes de seus caminhos se cruzarem, de como Finch sofria com a culpa de não poder fazer algo sobre os casos julgados irrelevantes. E os flashbacks de One Percent mostraram que a princípio as coisas não eram bem como descritas por Finch, na verdade a pessoa que era assombrada por esses números era Nathan, sócio e amigo de Finch, que tentou salvar uma das pessoas, e mesmo que o episódio não tenha mostrado, pode-se supor que foi dessa maneira que Nathan morreu e deu origem à motivação de Finch.

Já Booked Solid foi o episódio padrão pra quem gosta de muita ação, foram poucos os momentos do episódio que a calmaria dominava, ainda assim, um episódio tranqüilo de se assistir comparando-se com o último arco de Reese e Donnelly.

Mira Dobrica, uma camareira em um hotel, refugiada da Guerra de Kosovo. Mira testemunhou um crime de guerra onde sua família foi executada. Para protegê-la, Finch e Reese começaram a trabalhar no hotel, com direito a uniforme e piadinha sobre o terno de Reese, e essa foi a graça do episódio, já que achei que a trama desse episódio poderia ter sido desenvolvida um pouco mais. O assunto era interessante, mas não foi tão bem aproveitado como de costume, e, certo que é ficção, mas aquela cena do assassino e Mira na delegacia foi muito, mas muito surreal. Não gostei, achei forçado.

O que me agradou foi a maior presença de Fusco e Carter nesse episódio. Fusco que foi essencial para Reese no hotel e a habilidade que Lionel mostrou contra os dois assassinos foi surpreendente, o detetive aprende rápido. Já Carter foi colocada novamente na trama de entrar para o FBI, reforço que se ela entrasse para a organização seria uma grande adição pra o plot, mas novamente não foi dessa vez, e culpa foi de seu affair. Carter descobriu da pior maneira que o bom moço, não é tão bom assim. E eu acreditando que era Fusco quem iria abrir os olhos dela.

Esse episódio foi marcado pelo retorno de alguns personagens. Primeiramente vamos falar de Hersh, lembram dele? O capanga do Pennsylvania Two, um dos oito membros de uma organização do Governo Americano que tem conhecimento sobre a Máquina (No Good Deed), Hersh não me agrada em nada, a contribuição dele pro episódio foi a luta eletrizante contra Reese, mas mesmo com uns vinte minutos de vida ele não torceu nem o nariz, que falta de expressão.

Quem voltou também foi Zoe, minha querida, que mais uma vez foi muito mal aproveitada, mas nesse episódio foi exagero, imagino se não foi de propósito, como ela mesma diz, ela está sempre a trabalho e não ficou claro porque ela estava no hotel. Mas não deixei de me maravilhar, ou surtar mesmo, com sua participação. Parece que ela e John dessa vez foram mesmo, o episódio não mostrou nada, mas ficou a insinuação, e o que surpreendeu foi que a iniciativa veio de John, todo faceiro, muito diferente do John do começo da série que estava sempre sério. Na minha versão da história a suíte da cobertura foi bem aproveitada. Peço desculpas, sou shipper a tietagem é maior que eu.

E para fechar muito bem um episódio que estava mais ou menos pelo caso da semana quem voltou foi Root que está trabalhando para Pennylvania Two, e está caindo nas graças do “coitado”. Root está praticamente com acesso a Maquina. Será que ela vai conseguir atingir seu objetivo de libertar a Maquina?

PS.: Finch tem dinheiro o suficiente pra deixar Reese jogar 10 milhões de dólares pela janela, me adota?

PS.2: Atenção fãs da finada Fairly Legal, no episódio da semana que vem a personagem de Sarah Shahi nos será apresentada

Séries citadas:

Estudante universitária, equilibra seu tempo entre livros acadêmicos, seriados e a regência do mundo livre. Depois de muito procurar, encontrou uma dobra no tempo que a permitiu continuar sendo seriadora, e assim mantêm em dia Castle, Suits, Doctor Who e Game of Thrones, entre outros milhares de seriado. É a responsável pelas reviews de Homeland.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account