Log In

Ficção (séries virtuais)

Outsiders – Just Realise it Already

Pin it

Série: Outsiders
Episódio:
Just Realise it Already
Temporada:

Número do Episódio:
1×05

CENA 1 – EXT. PROXIMIDADES DO CHARENTON – NOITE

A câmera dá um close no rosto de JULIA.

JULIA: [surpresa] Sarah?

O ponto de vista de JULIA se abre em tela, revelando SARAH e ZACK.

EHLIOS e CATHLEEN que estavam rodando no chão aos socos, param numa posição estranha e encaram o grupo a sua frente.

EHLIOS: [pasmo] Hey! Vocês se conhecem?

JULIA olha para CATHLEEN e EHLIOS atracados no chão.

JULIA: [revirando os olhos] O que você pensa que esta fazendo, Cathleen?

Os dois se encaram e se soltam rapidamente, levantando e ajeitando suas roupas.

JULIA: [olhando para Cathleen] E a propósito… foram esses os “profissionais” que pegaram o resto dos desenhos?

JULIA olha para EHLIOS. O garoto ainda tem o cabelo todo bagunçado.

SARAH: [cruza os braços resmungando] Era tudo que precisava, mais um round do seu jogo de ironias, Liefield.

EHLIOS: [incrédulo] Espera um pouco. Será que dá pra gente voltar rapidinho pra parte do “de onde diabos vocês se conhecem?” e hey! [apontando para Julia] É impressão minha ou ela esta nos desmerecendo!

ZACK se aproxima de CATHLEEN que tenta tirar a poeira de sua roupa.

ZACK: [fala apenas para ela] Você está bem, Cathleen?

EHLIOS: [arregala os olhos] Obrigado por perguntar Hayes! Estou ótimo!

CATHLEEN: [apontando o dedo no peito de Ehlios] Dá um tempo Kevin Arnold!

EHLIOS se aproxima de CATHLEEN ameaçadoramente.

EHLIOS: [irritado] Do que você me chamou?!

SARAH: [séria] Ehlios, chega de confusão!

EHLIOS olha diretamente nos olhos de CATHLEEN, mas não se aproxima mais.

EHLIOS: A gente ainda não acabou, garota CLAMP!

ZACK: Cara você passou da conta, hoje.

EHLIOS olha para ZACK e depois para SARAH com uma expressão de revolta no rosto.

EHLIOS: Nós estamos diante de totais estranhos aqui! [olhando para Julia] Ao menos para mim. Um pouco de apoio não faria mal nenhum!

EHLIOS encara novamente ZACK e SARAH, mas os dois não se pronunciam. A expressão de revolta é substituída por uma de desapontamento.

EHLIOS: [dá um sorriso decepcionado] Eu não conheço mais vocês dois!

E com isso EHLIOS se retira atormentado. SARAH e ZACK trocam olhares.

ZACK: Eu vou.

ZACK segue na direção em que EHLIOS se retirou. JULIA segura o braço de CATHLEEN e vai arrastando ela para o mato.

JULIA: [entre os dentes] Essa é a nossa deixa para ir embora.

Por cima do ombro de CATHLEEN, JULIA e SARAH se encaram por um momento antes das duas desaparecerem por entre as árvores. SARAH passa as mãos nos cabelos.

SARAH: [irônica] Isso vai ser interessante.

 


[Música Tema: “Late Great Planet Earth”, Plumb.]

 

CENA 2 – INT. MANSÃO – DIA

CATHLEEN: [sem graça] Oi, Julia. [mostrando a garrafa] Aceita?

A câmera abre a imagem com JULIA sentada no fundo da cozinha.

JULIA: [balançando a cabeça de forma negativa] Sempre cometendo erros.

CATHLEEN: [se fazendo de desentendida] Dá um tempo, Julie. É apenas uma bebidinha no gargalo, não é a invasão da Casa Branca.

JULIA a encara seriamente.

CATHLEEN: [irritada] E não me venha com esse olhar “Irvine Welsh de mundo” para cima de mim.

JULIA: E mais uma vez a sua falta de responsabilidade é totalmente ignorada e transformada em verborragia de referências pop.

CATHLEEN: [revirando os olhos] E lá vamos nós de novo…

JULIA: Você deveria seguir o exemplo de Joey, sempre disposto e atento.

CATHLEEN: [fazendo cara de tédio] Hellow! Acho que você errou o arquétipo destemida mentora, o Joey esta mais para Pícaro do que para herói.

JULIA se levanta e se dirige a porta.

JULIA: Que seja! Apenas preste atenção nele.

CATHLEEN: Muito obrigada, mas prefiro assistir o Discovery depois do meu banho.

JULIA: Tanto faz. Eu realmente não estou com disposição suficiente pra entrar numa discussão com você agora, então só não vá gastar toda a água quente. Não esqueça que temos visitas.

CATHLEEN: [maliciosa] E que visita…

Julia sai da cozinha e a câmera revela um leve sorriso no rosto da mulher.

 

CENA 3 – INT. SOTÃO DA MANSÃO – DIA

Robert está vestido com um roupão azul escuro, enquanto observa a cidade de Narando do alto, através de uma pequena janela que havia no sótão. Ele houve o barulho da escada elevadiça descendo. A câmera focaliza JULIA subindo as escadas lentamente e cruzando os braços, encarando o homem, que continua a observar a cidade.

ROBERT: Se eu soubesse que Ulisses trataria tão bem sua… [dá uma rápida risada e fala ironicamente] família… eu poderia ter considerado algumas escolhas diferentes no passado.

JULIA: Sou forçada a concordar… bem, pelo menos a parte final.

ROBERT: Vamos, Jules! [ele se vira para encará-la] Vai dizer que você não gosta dessa mordomia toda? [pondera] É… se bem que você sempre viveu nesse estilo, então…

JULIA rola os olhos, irritada.

ROBERT: [animado] Você tem uma hidromassagem? Por favor, me diz que você tem uma hidromassagem.

JULIA: [finge não ter entendido] Eu tiro você de um manicômio direto para um quarto de hóspedes luxuoso e – diga-se de passagem – bem caro e você continua reclamando.

ROBERT: [sorri maliciosamente] A hidromassagem não é a idéia principal que eu tinha em mente. Só o local.

JULIA ergue uma sobrancelha e seu rosto perde a expressão, tornando-se incrivelmente fria.

JULIA: Corta o papo furado, Bob.

ROBERT: [fingindo] Wow. Essa doeu.

JULIA: Eu preciso mesmo dessas informações e não gostaria de ter que obtê-las da maneira mais difícil.

ROBERT: [rindo] Wo-how! Agora essa é a verdadeira Liefield. [aproximando-se de Julia] Sabe, eu estava aqui me perguntando o que poderia ter acontecido nesse últimos anos e quem era aquela mulher tão diferente lá embaixo com aqueles garotos, mas pelo visto você ainda está aí dentro.

O sorriso malicioso volta ao rosto de ROBERT, mas a expressão de JULIA parece conseguir ficar ainda mais fria.

ROBERT: Yeah, ela ainda está aí.

ROBERT contempla JULIA por um momento e então suspira ainda mais animado.

ROBERT: [olha pros lados] Vamos, eu sei que tem uma hidro aqui em algum lugar.

JULIA: Você não está me dando muita opção, Robert.

ROBERT: Sabe que eu até senti falta dessa sua agressividade meio… peculiar? Mas, hey, você não sabe os milagres que anos de tortura podem fazer a uma pessoa em termos de autoconhecimento. Quero dizer… por mais irônico que possa parecer, eu nunca estive com maior controle da minha mente do que estou agora. Tirando a parte de sangrar, apanhar, ter o cérebro fritado e agüentar um maldito chinês reclamando da insensibilidade da sua namorada – tortura? Eu realmente recomendo.
CENA 4 – INT. COZINHA RANCHO JONES – DIA

SARAH e ZACK estão na cozinha, observando pela janela EHLIOS entrando no celeiro com vários materiais de limpeza em mão.

SARAH: Pronto! Hércules iniciou seu 11º trabalho. Pobres vaquinhas.

ZACK: Como um ser humano começa uma faxina de sábado às 4 da manhã? Alguém tem que drogá-lo!

SARAH: Eu bem que tentaria, mas estou morta de cansaço. E ele faz questão de cantar Day-O enquanto faxina.

ZACK: Isso é bem a cara dele. Ele tá de pirraça com o que aconteceu.

Sonoras de cacarejos e mugidos se ouvem em cena e podemos ver vários animais correndo do celeiro e EHLIOS vindo logo atrás deles.

ZACK: Você poderia tentar bate um papo com ele.

SARAH: Poder eu poderia, mas não sei se ele está muito inclinado a escutar.

 

CENA 5 – INT. MANSÃO – DIA

Tomada interna filmada de cima. Em cena ERICK esta arrumando algumas roupas numa mala, quando JOEY entra no quarto.

JOEY: Puxa! Parece que foi ontem que você chegou.

ERICK: Será que sou eu ou você está realmente, chateado com a minha partida?

JOEY: [sem graça] Claro que não.

ERICK: [disfarçando] Claro. Faz mais de meia hora que não como nada por causa dessa mala aqui. Devo estar lendo alguma coisa errada.

JOEY: É que é difícil não ter outra cara aqui na mesma “situação” para conversar. Sabe? Sobre coisas de caras.

ERICK: Sabe, Joey, se eu estivesse na sua situação morando com duas gatas, eu não me preocuparia muito com coisas de caras. A não ser que você me ache atraente. Você acha?

JOEY: Acho que a aura da Cathie e da Kennedy por muito tempo ao seu redor te deixou meio desequilibrado.

ERICK: Que é isso! A Kay foi ótima e o assalto melhor ainda.

JOEY: A Julia quase arrancou os cabelos ontem a noite quando soube. Se já não bastasse o fiasco da missão, também.

ERICK: [risos] Eu ouvi. E você acha que a Cathie é uma sacana que jogou tudo nas suas costas ontem na missão, não é?

JOEY: Pensando bem é melhor você ir embora. Morar com vocês três na minha cabeça ia me deixa louco! [Erick sorri] Mas não é a questão dela me sacanear e sim, que eu sempre me sinto em segundo plano na história.

ERICK: Sei o que é isso.

JOEY: Sabe?

ERICK: Você está passando por uma clássica “crise de coadjuvante”.

JOEY: E o que eu faço? Assassino a estrela principal?

ERICK: [irônico] Se essa pergunta estiver relacionada a Cathleen, eu monto até uma página na internet para sua empreitada.

JOEY ri.

ERICK: Mas, cara. Se serve de consolo, pelo menos não somos apenas monstros da semana e sim, coadjuvantes pelo resto da vida. Se isso é bom ou não? Depende da situação. O que nos resta no final das contas é saber quem a gente quer ser, Leopold Bloom ou Stephen Dedalus.

ERICK fecha a mala e a tela se escurece.

 

CENA 6 EXT. LOCAL DESCONHECIDO – DIA

ZACK e EHLIOS aproximam-se de uma casa.

ZACK: [entre risos] Então essa Meg já foi sua princesa Amídala?

EHLIOS: [irritado] Amidála! Que ignorância! Era tudo o que eu precisava! Um companheiro engraçadinho e desinformado para aliviar a tensão da minha via crucis.

ZACK: Por quê tanto drama? Vai dizer que você ainda tá irritado com aquele papo da Sarah com a Liefield?

EHLIOS: Essa garota tem uma habilidade incomum de me fazer agir de forma incomum. Como diretor de cinema do Naranda High, eu devo manter uma avaliação realista dos meus pontos fortes e fraquezas e a Meg nesse momento representa uma fraqueza minha. Com ela por perto não posso dizer: “Eu sou invencível!”.

ZACK: Deixa de ser exagerado. É só uma garota.

ZACK bate na porta da casa e uma garota os atende, a câmera mostra o ponto de vista da garota, enfocando EHLIOS. A garota bate a porta na cara dos dois. ZACK vira-se para EHLIOS.

ZACK: Educada.

A garota [Sarah Hagan] retorna a abrir a porta.

GAROTA: [para Zack] Me desculpe. Mas, eu não esperava esse ai tão cedo na minha frente.

EHLIOS: [sem graça] Oi, Meg.

MEG: O que você quer, Grynn?

EHLIOS: [irritado e olhando para Zack] Não vou perder meu tempo fazendo com que a morte dos meus inimigos pareça um acidente, não devo satisfações a ninguém [confuso] e você não acreditaria nisso, de qualquer forma. A questão é o seguinte eu preciso que você me ajude, Meg!

MEG: Eu não sei. Você me magoou muito na última filmagem e eu trabalho com você desde a sexta série! Mas, a verdade é que eu estou cansada de ser apenas um par de peitos em seus delírios cinematográficos. Hoje eu estou num nível espiritual maior, eu quero fazer algo bem alternativo…

EHLIOS e ZACK parecem entediados com o discurso.

MEG: ….eu quero ser uma contadora!

 

CENA 7 – INT. MANSÃO – DIA

JOEY entra na cozinha, ele abre a janela e pega uma garrafa de suco e começa a beber do gargalo.

CATHLEEN: [Voice Over] Belo exemplo, Joey!

JOEY, assustado com a situação, explode a garrafa de vidro em sua mão, que aparenta em cena uma coloração avermelhada.

JOEY: [nervoso] Que droga você pensa que tá fazendo, Cathie!

A câmera mostra a mão do garoto sangrando. CATHLEEN se aproxima, preocupada.

CATHLEEN: Seu burro, deixa eu ver isso.

JOEY: Eu não sou burro, sou necessário no show da vida.

CATHLEEN: [irônica] Ok, Grande Exemplo A Ser Seguido, vejamos se eu acerto quem colocou essas asneiras filosóficas nesse seu armazém da Buttman ambulante. Por acaso foi o glutão?

JOEY olha para ela sem entender.

CATHLEEN: [girando os olhos entediada] O Erick. Essas explanações sobre a vida são a cara dele.

CATHLEEN retira cuidadosamente os cacos da mão de JOEY.

JOEY: Que papo é esse sobre exemplo?

Ela coloca alguns lenços de papel na mão do garoto.

CATHLEEN: Corta essa, Joey! Você sempre foi o favorito da Julia e você sabe disso. Hoje foi só a bilionésima vez que ela me disse que deveria querer ser você quando crescer.

JOEY arregala seus olhos.

JOEY: Como?

CATHLEEN: [irônica] Favorito, predileto, preferido, precisa de mais sinônimos?

JOEY: Eu favorito da Julia? Sem chances.

 

CENA 8 – INT. RANCHO JONES – NOITE

SARAH, ZACK e EHLIOS estão numa mesa jantando. Silêncio em cena, apenas sonoras de talheres podem ser ouvidos. ZACK olha para SARAH, que olha para EHLIOS, que olha pro seu prato.

ZACK: Nossa! Esse purê de batata está tão… tuberculoso.

SARAH: Eu tenho quase certeza que nenhuma batata tossiu ao preparar o purê. Você realmente sabe iniciar uma conversação.

EHLIOS gira os olhos.

ZACK: [sonolento] A noite hoje foi maravilhosa, não acham?

SARAH: [sorrindo] Morpheus deve ter nos visitado com sua maleta de calmantes, ou quem sabe de batatas?

EHLIOS gira os olhos em sentido contrário. ZACK parece não entender.

ZACK: [sorri sem graça] As batatas é porque o Laurence Fishburne é careca?

EHLIOS tenta limpar a garganta com um tossido interrompendo a conversa.

EHLIOS: [desviando o olhar] Hoje eu vou passar a noite na casa do Marius. Vamos estudar.

SARAH: [desanimada] Mas hoje?! Eu tinha alugado algumas fitas para gente assistir.

EHLIOS: [irritado] Bem, eu tenho mais o que fazer do que ficar assistindo seus filmes estúpidos!

ZACK: [pasmo] Ehlios! Que é isso? [irritado] Você não vai falar com ela desse jeito.

SARAH: [triste] Desculpe, eu não sabia que você tinha planos.

EHLIOS: Vai ver eu tô querendo competir na categoria de “Revelação Mais Bombástica dos Últimos Tempos”. Mas fica tranquila que ainda tenho um longo caminho até conseguir ameaçar seu trono.

EHLIOS se retira da mesa e segue em direção de seu quarto. ZACK levanta-se também e segue o garoto.

ZACK: [irritado] Você acha que pode falar com ela desse jeito?!

EHLIOS: [irritado] Eu estou simplesmente agindo com a mesma consideração de tenho recebido ultimamente! Lide com isso.

EHLIOS começa a enfiar algumas roupas na mochila.

ZACK: Qualé, Ehlios?! Que história é essa agora? Você mesmo tinha me dito que o Marius tinha viajado.

EHLIOS: Não importa!

EHLIOS parece não dar muito atenção para ZACK. ZACK pega um saco de dormir que estava em cima da cama.

ZACK: Acho que isso importa, quando você leva o saco de dormir junto. Por acaso, a casa do Marius é no mato?

EHLIOS toma o saco da mão de ZACK.

EHLIOS: Não enche!

EHLIOS joga a sua mochila pela a janela e logo após vai descendo. A câmera fecha a cena focando ZACK observando EHLIOS se distanciar na escuridão das proximidades do rancho.

 

CENA 9 – RANCHO JONES – NOITE

[MÚSICA DE FUNDO – WISH WE NEVER MET, KATHLEEN WILHOITE]

SARAH sentada numa cadeira de balanço na varanda do rancho, ela se enrola numa coberta devido o vento que soprava e se dirige ao interior da casa.

 

CENA 10 – RUAS DE NARANDA – NOITE

JOEY caminha sozinho pelas ruas de Naranda.

JOEY: [para si mesmo] Dedalus ou Bloom? Vai saber do que ele tava falando.

 

CENA 11 – LOCAL DESCONHECIDO – NOITE]

A câmera mostra EHLIOS sentado na grama de um lugar aparentando ser um parque. O garoto bate o pé nervosamente e olha o tempo inteiro para sua mochila de roupas. Sua expressão então fica mais irritada ainda. EHLIOS pega suas coisas, respira fundo e começa a andar resignadamente.

 

CENA 12 – RANCHO JONES – NOITE

ZACK bate na porta de um quarto que está encostada.

ZACK: Sarah, licença. Eu tô indo pro The All–

Close em SARAH que estava segurando alguns envelopes empoeirados. Alguns envelopes caem no chão e ZACK abaixa-se para pegá-los. Uma foto de JULIA com SARAH cai de um dos envelopes e ZACK a olha. As duas estão mais novas e parecem felizes. Ele a entrega para SARAH.

SARAH: [deslocada] Eu acho que te devo uma explicação.

ZACK: [erguendo-se] Para mim você não deve nada. Não importa o que aconteceu no seu passado Sarah, a única coisa que eu sei é que eu faço parte da sua vida tanto quanto você faz da minha e por isso eu confio em você.

SARAH esboça um sorriso em meio a seu semblante triste.

SARAH: Mas, Ehlios…

ZACK: Fique tranqüila. O Ehlios tá passando por uma crise de atenção. O seu seja-lá-o-que-for com a Julia não é a única coisa que tá afetando ele.

SARAH: [triste] Eu espero, Zack. Eu espero.

 

CENA 13 – RUAS DE NARANDA – NOITE

A câmera foca o rosto de EHLIOS atravessando várias paredes. Ele tem um semblante de raiva no rosto enquanto segue seu trajeto. Uma tomada superior mostra que ele se desloca por alguns quintais de casa dando numa rua em frente a mansão Liefield.

EHLIOS: [pegando uma pedra no chão] Vocês pensam que podem brincar comigo. Vindo na minha cidade e tomando tudo que é meu.

EHLIOS mira numa das janelas da mansão, quando ele lança a pedra uma luz forte brilha sobre o garoto. EHLIOS protege os olhos e vira-se para o carro que parava ao lado dele. O vidro do carro se abaixa e podemos ver a Dra. Miller dentro do carro.

[MÚSICA FADE OUT]

DRA. MILLER: Pro carro agora!

EHLIOS: [rola os olhos] Esse dia continua melhorando…

CENA 14 – MANSÃO – NOITE

JULIA, que estava ao lado de ROBERT, o empurra ao pressentir algo vindo em direção à janela. Em frações de segundos um pedaço de pedra estilhaça a janela do sótão. JULIA corre até a janela, mas ela apenas vê um carro se afastando.

ROBERT: Pelo visto sua vizinhança é bastante receptiva.

JULIA: Tá com saudades do manicômio? Eu posso tomar as providências para sua volta para lá.

ROBERT: Desse jeito você não vai conseguir nada de mim.

JULIA: [com convicção] Eu consigo entrar aí.

ROBERT: [levanta as mãos, defensivamente] Eu realmente não duvido… mas [dá de ombros] pode levar algum tempo.

JULIA: [com um sorriso malicioso] Bem, você sabe que eu não gosto de fazer nada com pressa.

ROBERT: [aproximando-se ainda mais de Julia] Mas nós podemos fazer da forma convencional e sem pressa alguma.

JULIA: Eu lembro.

ROBERT move-se para mais perto ainda de JULIA e seus lábios começam a aproximar-se dela. Vemos JULIA sorrir, e um momento antes de seus lábios se tocarem o rosto de JULIA volta a ficar limpo de qualquer expressão. Ela abre a mão rapidamente e ROBERT é jogado com brutalidade em cima da cama que estava à suas costas sem que JULIA chegue a tocá-lo. O roupão de ROBERT se desamarra e ele está de braços abertos na cama, aparentemente sem poder se mover.

ROBERT: [sorrindo] Deja vú.

JULIA: [ainda incrivelmente séria] Comece a falar, Robert.

ROBERT: [ofegante] Ok, mas depois eu quero um agradecimento bem apropriado, porque a informação que eu tenho, querida, você não encontra todo dia.

JULIA apenas o encara do pé da cama, com os braços cruzados.

JULIA: Vejamos se o que você sabe vale algo.

ROBERT: E você acha que eles me prenderiam esse tempo todo em um manicômio apenas por que eu sei a localização de algumas bases? [ele ri] Isso não é o tipo de material inútil que o Ulisses te manda recuperar, Julia. Não é só uma dica embaçada ou que leva à um beco sem saída sobre a sua origem. Isso é grande. Eu estou falando de saber tudo, tudo que o governo sabe sobre o passado de vocês. Pesquisas, escavações, projetos de extermínio. [Julia hesita por um momento. Robert sente a liberdade voltar aos seus braços e se senta na cama olhando fixamente nos olhos dela] Tudo.

JULIA: [levanta uma sobrancelha e olha com suspeitas] E o que você quer em troca dessa informação tão valiosa?

ROBERT: Nova identidade. Passagem. Apartamento bem longe daqui no meu nome. Cinqüenta mil dólares todo mês em uma conta “maquiada” durante um ano. [sorrindo] Ah, e claro – hidro.

JULIA: [confusa] Só isso?

ROBERT: Só isso.

JULIA: Eu não nasci ontem, Bob. Qual é a armação?

ROBERT: Você me tira de uma vida de tortura direto para um quarto de hóspedes luxuoso e – diga-se de passagem – bem caro. É o mínimo que eu posso fazer para agradecer.

JULIA parece não acreditar. Ela encara ROBERT por um tempo.

ROBERT: Já disse que entrar aqui dentro vai levar um bom tempo, Julia. Acho que você vai ter que acreditar em mim nessa.

JULIA: [irônica] Não sei por que, mas tá meio difícil acreditar no seu coração puro. Principalmente depois do que eu fiz com você da última vez.

ROBERT: [um pouco irritado] O maldito governo tirou seis anos da minha vida, Jules! Seis anos! Isso não é nada comparado ao nosso passado. Agora que eu tô do lado certo do arame farpado eu só quero curtir um pouco. Já cansei da Heller e de toda a bagagem que vem com ela. Eu só… eu só quero começar de novo.

JULIA estuda o rosto de ROBERT por mais alguns segundos.

JULIA: Começa a falar.

ROBERT sorri.

 

CENA 15 – INT. VEÍCULO EM MOVIMENTO – NOITE

Dentro do carro podemos ver EHLIOS e a CONSELHEIRA MILLER. O veículo parece se aproximar do Rancho.

EHLIOS: [assustado] Por favor não conte nada pra Sarah.

Dra. MILLER: Você poderia me contar o que foi aquilo que eu presenciei na Mansão Liefield?

EHLIOS: Digamos que eu estava resolvendo algumas questões.

DRA. MILLER: [arqueando a sobrancelha] Apedrejamento de imóveis particulares é terapêutico?

EHLIOS: [defensivo] Você não entenderia o que eu estou passando. São muitas mudanças e, muito pouco tempo. [triste] Eu apenas queria que as coisas não se tornassem diferentes.

Dra. MILLER: As mudanças são inevitáveis, Ehlios. Apenas aceite. Quanto mais você insistir em salvar Wilson no oceano, mais ele vai se distanciar de você.

EHLIOS olha para ela por um momento e depois para a estrada passando pela janela. Ele parece pensativo.

 

CENA 16 – INT. THE ALLEY – NOITE

CAHTLEEN está servindo uma mesa. Ela olha para o lado e vê um de seus companheiros de trabalho servindo uma mesa onde estavam ERICK e JOEY. O garçom se afasta da mesa com um olhar intrigado. ERICK levanta-se e vai em direção ao banheiro, dando um sorriso para CATHLEEN no caminho. A garota responde com um breve aceno e dirige-se à mesa onde JOEY parece um pouco cabisbaixo. Ela retira o bloco de pedidos e, disfarçando, fala baixo com ele.

CATHLEEN: Hey! Tudo certo com você? Você tá com uma cara.

JOEY percebe alguns gritinhos vindos de uma das mesas perto da janela. A câmera mostra AMY e mais algumas garotas do colégio. Elas parecem fofocar sobre  CATHLEEN, rindo a todo momento.

JOEY: Não tem problema, Cathie. Não precisa falar comigo se você não quiser. Pra falar a verdade não foi nada. Eu apenas…

CATHLEEN: Vai me contar o que houve ou vai continuar fazendo essa ceninha?

JOEY: Deixa pra lá… Não é nada.

CATHLEEN: Valeu pela confiança, Exemplo. Quando você se sentir melhor e quiser conversar comigo, vê se me encontra na esquina.

CATHLEEN se afasta da mesa passando por ERICK no caminho. Ela tromba no garoto, mas continua andando sem olhar pra trás. Ele parece surpreso e senta ao lado de JOEY.

ERICK: Deixa eu adivinhar? O coadjuvante aí teve uma crise de estrelismo?

JOEY: [dá um sorriso irônico] Como adivinhou?

ERICK: Fica calmo cara. A Cathy se importa mais com você do que você imagina. Você só precisa dar um tempo pra ela se entender primeiro. Ela só tá muito confusa ultimamente. Aliás, qual de vocês não tá confuso ultimamente? Com mais de dois no mesmo recinto ao mesmo tempo eu fico até tonto.

JOEY: Eu só– eu preciso andar um pouco.

JOEY levanta-se da mesa e sai da lanchonete. O garçom volta à mesa com quatro hamburgueres, dois refrigerantes e duas porções de batata. Os olhos de ERICK brilham.

ERICK: [gritando para Joey] Não se afasta muito cara! Eu já to indo aí te dar uma força!

A câmera mostra KENNEDY e SAM sentadas em outra mesa. As garotas observam a mesa onde estão AMY e outras garotas. Elas continuam olhando e rindo de CATHLEEN.

KENNEDY: Qual é o problema delas? Elas parecem garotinhas de 10 anos.

CATHLEEN se aproxima e joga o bloco de pedidos em cima da mesa das amigas, desabando pesadamente ao lado delas.

KENNEDY: Não é culpa delas. [olhando para Joey] Cada um age de acordo com sua idade mental.

SAMANTHA: Oi, amiga. Que cara é essa?

CATHLEEN: Nada. Só meu irmãozinho querido tentando levar um Oscar pela performance de “Coitadinho De Mim”.

ZACK se dirige para a mesa onde CATHLEEN, KENNEDY e SAMANTHA.

ZACK: Cathleen, eu já to indo embora. Poderia falar com você?

CATHLEEN dá uma breve olhada para a mesa de AMY. ZACK percebe.

ZACK: Se você quiser a gente conversa depois.

CATHLEEN: [arrependida] Não. Desculpa. [decidida] Senta aqui.

CATHLEEN dá dois tapinhas na poltrona ao lado dela. ZACK se senta. Algumas risadinhas histéricas mais altas são ouvidas.

KENNEDY: Sério. Qual é o problema dessa garota?

Os quatro olham para as garotas com olhares de pena. KENNEDY sacode levemente a cabeça e vira-se para SAMANTHA.

KENNEDY: Bem, já que tá tendo reunião dos funcionários do The Alley e eu, graças a Deus, não me encaixo mais nessa categoria, eu e a Sam vamos sair e vocês fingem que a gente deu uma desculpa qualquer pra justificar.

CATHLEEN e ZACK sorriem e as duas saem da lanchonete.

ZACK: [irônico] A gente tem que admitir. Ela tem tato.

CATHLEEN sorri e vira-se para ZACk.

CATHLEEN: Manda. O que foi?

ZACK: [triste] Olha, Cathleen.  Eu tentei ao máximo convencer o Devon a não te mandar embora, mas–

CATHLEEN: Fala sério! Você acha que eu tô ligando de ser mandada embora, Zack? Sai dessa!

ZACK: Mas, eu pensei que…

CATHLEEN sorri para o garoto.

CATHLEEN: Esse é o seu problema, você pensa demais.

CATHLEEN sorri e toca a mão do garoto. Ela rapidamente percebe sua ação e recolhe a mão, um pouco desconfortável.

ZACK: [sem graça] Então… te vejo por aí?

CATHLEEN: Sim. Estamos em Naranda, não tem como evitar.

ZACK sorri e sai do estabelecimento. CATHLEEN fica com uma expressão pensativa no rosto.

 

CENA 17 – RANCHO JONES – NOITE

[MÚSICA DE FUNDO – ELSEWHERE, JANN ARDEN]

EHLIOS abre a porta principal. Na sala a TV está ligada e SARAH coberta de guloseimas está adormecida. EHLIOS se aproxima dela e a cobre com o cobertor. Ela desperta e encara o menino com um sorriso.

SARAH: Oi.

EHLIOS: Oi. Parece que o filme não foi tão legal assim.

SARAH: Pois é. O que houve? Houve algum problema como Marius? Você tá bem?

Os olhos de EHLIOS ficam marejados quase que instantaneamente.

EHLIOS: Realmente eu sinto muito. Por te acusar e por tudo o que eu fiz.

EHLIOS abraça Sarah.

SARAH: Não chore, meu garoto. Eu estou aqui.

SARAH beija a testa de EHLIOS, que se encosta mais nela.

(MÚSICA FADE OUT]

 

CENA 18 – RUAS DE NARANDA – NOITE

[MÚSICA DE FUNDO – BOULERVARD OF BROKEN DREAMS, GREEN DAY]

JOEY está caminhando entra as ruas desertas de Naranda, quando de repente, uma chuva começa a cair. Ele apressa o passo e entra debaixo de uma sacada, mas acaba trombando com alguém que já estava lá.

KENNEDY leva um susto e vira-se para ver quem é o intruso. Ela abre a boca, surpresa ao ver JOEY, e logo fica indignada.

KENNEDY: Não vê que já tem gente aqui?

JOEY: Tá chovendo! Deixa de ser egoísta e divide o espaço.

KENNEDY empurra o garoto para fora da sacada.

KENNEDY: Jura? Eu não vi que estava chovendo. Acha que estou aqui por quê?

JOEY: [irritado] Posso saber problema em ficar do seu lado só por alguns instantes, Rainha Lester? Qual é o problema em dividir o espaço?

KENNEDY: Primeiro que eu e você no mesmo espaço é igual à explosão do universo. Em mais de apenas uma maneira. E depois que se alguém nos pega aqui, juntos na chuva é o fim do meu reinado que já está em queda.

JOEY: Reinado de uma sacada?

KENNEDY: Isso mesmo. E eu declaro que você está fora.

A chuva para.

JOEY: Então continue sozinha em seu reino.

Kennedy olha para cima e abre um sorriso.

KENNEDY: Ei. [Corre atrás dele] Espera!

JOEY: [olhando para trás] O que foi? Vai me dizer que seus domínios se estendem por toda a rua também?

KENNEDY: [esnobando] Bem que você queria ficar lá, né?

Silêncio.

KENNEDY: Jo– Joey. [limpa a garganta] Está tarde. Você pode me levar para casa?

JOEY: O que aconteceu com a carruagem?

KENNEDY: [indignada] Olha, se você vai continuar querendo dar uma de legal com essas suas respostas de quinta, pode deixar que eu vou sozinha mesmo. Não me importo.

A garota começa a caminhar.

KENNEDY: Não me importo mesmo. Se um leão me comer ou uma anaconda, o que importa? Eu já vivi o suficiente mesmo.

JOEY olha para a garota se afastando com uma expressão curiosa. KENNEDY olha algumas vezes para trás disfarçadamente e depois pára, virando-se para ele.

KENNEDY: Você não vem?

JOEY sorri e balança a cabeça em negativa, mas alcança a garota e os dois começam a andar. KENNEDY olha para os lados, ainda um pouco constrangida.

JOEY: Perdeu a carona?

KENNEDY: A casa da Sam ficou há alguns quarteirões atrás.

JOEY: Só não entendo porque todo esse drama pra andar um pouco até sua casa.

KENNEDY: Não é da sua conta.

JOEY: O que aconteceu?

KENNEDY: Você tem algum problema? Já disse que não é da sua conta.

JOEY: Vai me contar o que houve ou vai continuar fazendo essa ceninha?

JOEY rola os olhos para o próprio comentário. KENNEDY para de andar.

KENNEDY: Acho que tô começando a preferir a anaconda.

JOEY: Tá bom, então.

JOEY dá meia volta e começa a se afastar.

KENNEDY: Não! Me espera. Eu não quero andar sozinha.

JOEY levanta as sobrancelhas.

KENNEDY: É noite e eu só– Eu não quero andar sozinha.

KENNEDY continua a andar e JOEY fica com uma expressão confusa no rosto. O garoto começa a andar ao lado dela e a câmera mostra os dois se afastando em silêncio.

[CORTA PARA]
Um shot do deserto. A velocidade da cena acelera. O vento balança os poucos arbustos. As estrelas somem e o céu fica mais claro. O sol sobe alto no céu.

 

CENA 19 – MANSÃO – DIA

JOEY se aproxima da cozinha e vê CATHLEEN esta sentada folheando o jornal.

JOEY: Acordando cedo numa manhã de sábado. Procurando emprego?

CATHLEEN mostra a primeira página do jornal onde ela e ERICK estão numa foto.

JOEY: A Julia ficou uma fera quando soube da “exposição excessiva”. Você não ouviu mais porque ela teve que partir com Erick antes que o prefeito mandasse fazer o busto dele na praça.

CATHLEEN: E de alguma forma, mesmo com toda a cidade glorificando o Erick, segundo ela eu ainda sou culpada por ter colocado a Kennedy em perigo.

CATHLEEN se levanta se coloca seu casaco.

JOEY: Para onde você vai a essa hora?

CATHLEEN: Resolver um assunto.

 

CENA 20 – RANCHO JONES – DIA

MEG, vestida de marinheira, está sentada recortando uma estrela em um papel metálico, enquanto EHLIOS e ZACK, bastante arranhados se aproximam segurando algo que não parava de se mexer dentro de um saco de pano.

MEG: Não era mais fácil vocês terem dopado esse gato?

O saco se agita mais um pouco e é possível ouvir alguns miados raivosos.

EHLIOS: Vejam só! Você está perfeita!

ZACK: [para si mesmo] Pervertido.

EHLIOS: Vamos começar a gravar então.

MEG: Eu já vou avisando que não vou colar essa estrela [mostrando o recorte] na testa desse gato.

Ouve-se mais um miado nervoso.

ZACK: Nem acredito que você conseguiu convencer a Meg.

EHLIOS: Questão de prática.

ZACK: Ainda bem que, por enquanto, você só pode se candidatar a presidência do grêmio.

EHLIOS: Ok. Vamos gravar com o que tivermos.

EHLIOS joga uma peruca prateada para ZACK. O garoto estuda a peruca por alguns instantes com uma expressão de súplica, mas acaba colocando-a. EHLIOS e MEG se seguram para não rir.

ZACK: Mas continuo achando que esse seu roteiro é mais um monstro da semana barato, se isso tudo for pra enrolar o seu professor, parabéns!

EHLIOS: Nunca subestime o poder de um bom trash. Vou ganhar esse concurso de vídeos e vamos ver se depois dessa o Fordman vai poder simplesmente me jogar pra baixo do tapete e fingir que eu não existo. Ano que vem o Grêmio é meu. Eles não vão poder me ignorar por muito tempo.

[MÚSICA DE FUNDO – FLY, MARK JOSEPH]

CATHLEEN: [Voice Over] Isso com certeza é uma pergunta que a humanidade nunca irá responder. Como te ignorar Ehlios? Você é praticamente o sol, pena que ninguém consegue enxergá-lo.

ZACK: [surpreso] Cathleen?

CATHLEEN olha para a peruca de ZACK com uma expressão intrigada.

CATHLEEN: Ótimo visual.

ZACK tira rapidamente a peruca da cabeça e a esconde atrás de si. CATHLEEN ri.

EHLIOS: Você aqui? Vou soltar os cachorros agora!

ZACK: A gente nem cachorro tem.

O saco se rasga e o gato consegue escapar.

ZACK: E pelo visto nem gato, também.

EHLIOS: Ah, droga!

EHLIOS e MEG começam a correr atrás do gato enquanto CATHLEEN e ZACK riem.

ZACK: Fiquei sabendo que o Devon resolveu que era melhor te promover como funcionária do mês ao invés de te demitir. Você teve sorte que ele nem apareceu na frente da lanchonete no dia do assalto e acha que foi você que ajudou o Erick e não a Kennedy.

CATHLEEN: É, eu vim te agradecer pelo depoimento. Por ter falado que era realmente eu. A Kay também mandou bem. Até impediu que tirassem uma foto dela com o Erick.

ZACK: Não foi nada. [sorri por alguns momentos] Mas eu pensei que mesmo assim você não queria ficar no The Alley. O que te fez mudar de idéia?

CATHLEEN olha para EHLIOS e MEG correndo atrás do gato.

CATHLEEN: [sorrindo] Digamos que o público que freqüenta o The Alley, compensa qualquer coisa.

Os dois continuam observar EHLIOS perseguir o gato e CATHLEEN apenas balança a peruca de ZACK. A música diminui e a tela escurece lentamente.

 

PRODUÇÃO EXECUTIVA
Samir Zoqh
Luciana Rocha

ELENCO
Keira Knightley como Cathleen
Riley Smith como Joey
Paul Wasilewski como Zack
J. Mack Slaughter como Ehlios
Ashly Lyn Cafagna como Kennedy
Bonnie Somerville como Julia

ELENCO RECORRENTE
Neve Campbell como Sarah

ATORES CONVIDADOS
 Daniel Clark como Erick
Kathryn Joosten como Dra. Miller
Chyler Leigh como Samantha
Sarah Hagan como Meg

ESCRITA POR
Samir Zoqh

REVISADA POR
Luciana Rocha

CRIADA E DESENVOLVIDA POR
Samir Zoqh
Luciana Rocha

MÚSICA TEMA
Late Great Planet Earth, Plumb

TRILHA SONORA
Wish We Never Met, Kathleen Wilhoite
Elsewhere, Jann Arden
Boulervard Of Broken Dreams, Green Day
Fly, Mark Joseph

A HYBRID STUDIOS PRODUCTION

DISTRIBUTED BY TELEVISION SERIES NETWORK
©2005

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account